Sample records for thymus cells
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 7 shown.



1

Determinação imunohistoquímica da presença de células mióides em pacientes submetidos à timectomia/ Determination of the presence of myoid cells in the thymus by immunohistochemistry after thymectomy for myasthenia gravis

Ladipo, Olanrewaju Muisi Adedamola; Carvalho, Marcos Brasilino de; Rapoport, Abrão; Arias, Victor Eduardo Arrua; Leiro, Luiz Carlos Filgueiras
2004-08-01

Resumo em português OBJETIVO: Detectar e quantificar células mióides em timos de pacientes com miastenia grave, estabelecendo possível correlação entre a quantidade de células mióides com variáveis demográficas e clínico-patológicas. MÉTODO: Foram analisados por meio de método imuno-histoquímico com anticorpo antidesmina (clone D33; marca Dako), timos de 22 pacientes (16 mulheres e seis homens, entre 12 e 61 anos) submetidos à timectomia, entre 1981 e 1995, no Serviço de Ciru (mais) rgia Torácica do Hospital Heliópolis como parte do tratamento de miastenia grave. RESULTADOS: As maiores médias de células mióides foram encontrados em timos dos pacientes da raça negra (29,4:17,8), do sexo feminino (23,2:13,0) e com faixa etária entre 60 e 80 anos (média de 33,0). Pela classificação clínica da Fundação de Miastenia Grave da América (MGFA), a maior média de células mióides (26,7) encontra-se na classe IIIa, sendo do tipo histológico de hiperplasia verdadeira (média 42,0). As células mióides foram identificadas em 11 timos com hiperplasia linfóide, três hiperplasias verdadeiras e em quatro timos normais. Os timomas malignos (três) e um timo normal não apresentaram células mióides. CONCLUSÕES: As células mióides podem ser identificadas e quantificadas pelo método imuno-histoquímico com anticorpo antidesmina, porém não existe correlação entre a quantidade de células mióides e as variáveis demográficas, clínico-patológicas. Elas não foram identificadas no timoma fusocelular. Resumo em inglês BACKGROUND: To detect and quantify myoid cells in thymus of patients with myasthenia gravis, establishing possible correlation between the amount of myoid cells and demographics, clinics, and pathological variables. METHODS: thymic specimens of 22 patients (16 women and six men, age ranging from 12 to 61 years, were analyzed through immunohistochemistry with monoclonal antibody anti- desmin (Dako - D33). They were submitted to tymectomy, between 1981 and 1995, in the Thor (mais) acic Surgery Department of Hospital Heliópolis, São Paulo, Brazil, as part of the treatment for myasthenia gravis. RESULTS: The largest mean valves of myoid cells were found in the thymus of patients from the black race (29.4: 17.8), female (23,2: 13,0) and with ages between 60 and 80 years old (average of 33.0) years old according to the the clinical classification of the Myasthenia Gravis Foundation of America (MGFA), the largest average of myoid cells (26.7) was found in class III and being the histological type of True Hyperplasia (average 42.0). The myoid cells were identified in 11 thymus with Lymphoid Hyperplasia, in three with True Hyperplasias and in four with Normal thymus. The malignant thymoma (three) and a normal thymus did not present myoid cells. CONCLUSION: The myoid cells can be identified and quantified by the immunohistochemistry method with monoclonal antibody anti- desmin, however there is no correlation between the amount of myoid cells and demographic, clinics, pathological variables. They were not identified in spindle cells tymoma.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado de ratos submetidos a manipulação tímica com células dendríticas/ Alogenic islet transplantation on the rat liver after alogenic dendritic cells injection in the thymus

Chaib, Eleazar; Papalois, Apostolos; Brons, Ingrid G. M.; Calne, Roy Y.
2005-03-01

Resumo em português RACIONAL: A maior indicação do transplante de pâncreas ou de ilhotas de Langerhans é o diabetes mellitus do tipo I. O processo deve suprir as necessidades de insulina, mantendo os níveis glicêmicos dentro da normalidade. OBJETIVOS: Estudou-se o alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado de ratos Lewis, tendo como doadores de ilhotas ratos Wistar. No grupo controle (n = 8) injetava-se, no timo, solução de Hanks e no grupo de estudo (n = 9), células dendrí (mais) ticas. MATERIAL E MÉTODOS: No grupo controle com o método de separação e purificação das ilhotas de Langerhans obteve-se 3637 ± 783,3 ilhotas com pureza de 85% ± 3,52%. No grupo de estudo obteve-se 3268 ± 378 ilhotas de Langerhans com pureza de 87% ± 4,47% e com o método de isolamento e purificação das células dendríticas do baço obteve-se 3,34 x 105 ± 1,16 células. RESULTADOS: No grupo controle, o transplante de 3637 ± 783,3 ilhotas de Langerhans no fígado, normalizou a glicemia que chegou a 7,21 ± 0,57 mmol/L no segundo pós-operatório (diferença significativa com relação ao pré-operatório). Do pós-operatório imediato até o 8º pós-operatório a glicemia não se elevou significativamente, porém a partir do 10º pós-operatório houve aumento significativo deste parâmetro, o que pode ser compatível com rejeição aguda do enxerto. No grupo de estudo, o transplante de 3258 ± 378 ilhotas de Langerhans no fígado, normalizou a glicemia, que chegou a 9,3 ± 2,85 mmol/L no segundo pós-operatório (diferença significativa com relação ao pré-operatório). Do 4º ao 10º pós-operatório, a glicemia elevou-se significativamente, o que pode ser compatível com quadro de rejeição aguda do enxerto e certamente precoce. CONCLUSÃO: A inoculação de células alogênicas apresentadoras de antígenos (células dendríticas) no timo de ratos imunossuprimidos e diabéticos, antes do alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado, ao contrário de inibir a reação do receptor contra o enxerto, prolongando a sobrevida média das ilhotas e, possivelmente, levando ao estado de tolerância imunológica, induziu ao processo de rejeição aguda precoce. Resumo em inglês BACKGROUND: The major indication for pancreas or islet transplantation is diabetes mellitus tipe I. This process has to suply the insulin necessity keeping glucose under control. AIM: We studied alogenic islet transplantation on the rat liver, Wistar (RT1u) to Lewis (RT1¹) as a recipient. Control group (n = 8) and dendritic cell group (n = 9) respectively with injection of Hanks solution and dendritic cells in the thymus before islet transplantation. MATERIAL AND METHODS (mais) : With the method of isolation and purification of the islets we obtained both in the control group 3637 ± 783,3 islets with purity of 85 ± 3,52% and dendritic cell group 3268 ± 378 islets with purity of 87 ± 4,47%. The dendritic cells were retrieved from the spleen and we obtained 3,34 x 105±1,16 cells. Diabetes was induced by i.v. streptozotocin. RESULTS: Control group the transplantation of 3637 ± 783,3 islets in the rat liver normalized glucose test, 7,21 ± 0,57 mmol/L in the second post-operative day. Acute rejection came in the 10 postoperative day with significantly increase of glucose test. Dendritic cell group, the transplantation of 3258 ± 378 islets in the rat liver, normalized the glucose test was 9,3 ± 2,85 mmoL/L in the second postoperative day. From the 4th postoperative day to 10th postoperative day the glucose test increase significantly showing an early acute rejection. CONCLUSION: The injection of dendritic cells in the thymus before alogenic islet transplantation in the rat liver lead to an early acute rejection.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado de ratos submetidos a manipulação tímica com células não-parenquimatosas/ Allogenic islet transplantation on the rat liver after allogenic nonparenchymal cells injection in the thymus

Chaib, Eleazar; Papalois, Apostolos; Brons, Ingrid G. M.; Calne, Roy Y.
2006-12-01

Resumo em português RACIONAL: A maior indicação do transplante de pâncreas ou de ilhotas de Langerhans é o diabetes mellitus do tipo I. O processo deve suprir as necessidades de insulina, mantendo os níveis glicêmicos dentro da normalidade OBJETIVOS: Estudar o alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado de ratos Lewis (RT1¹), tendo como doadores de ilhotas ratos Wistar (RT1u). No grupo controle (n = 8) injetava-se, no timo, solução de Hanks e no grupo de estudo(n = 8), célul (mais) as não-parenquimatosas hepáticas MATERIAL E MÉTODOS: No grupo controle com o método de separação e purificação das ilhotas de Langerhans obteve-se 3.637 ± 783,3 ilhotas com pureza de 85 ± 3,52%. No grupo de estudo obteve-se 3.270 ± 770 ilhotas de Langerhans com pureza de 84,25 ± 2,76% e com o método de isolamento e purificação das células não-parenquimatosas hepáticas obteve-se 2 x 10(6) células RESULTADOS: No grupo controle, o transplante de 3.637 ± 783,3 ilhotas de Langerhans no fígado, quase normalizou a glicemia que chegou a 17,95 ± 5,33 mmol/L no 2º dia do pós-operatório (diferença significante com relação ao pré-operatório). Do pós-operatório imediato até o 8º dia do pós-operatório a glicemia não se elevou significativamente, porém a partir do 10º dia do pós-operatório houve aumento significativo deste parâmetro, o que pode ser compatível com rejeição aguda do enxerto. No grupo de estudo, o transplante de 3.270 ± 770 ilhotas de Langerhans no fígado, quase normalizou a glicemia que chegou a 17,95 ± 5,33 mmol/L no 2º dias do pós-operatório (diferença significante com relação ao pré-operatório). Do 4º ao 10º pós-operatório a glicemia elevou-se significativamente, o que pode ser compatível com quadro de rejeição aguda do enxerto e certamente precoce CONCLUSÃO: A inoculação de células alogênicas apresentadoras de antígenos (células não-parenquimatosas hepáticas) no timo de ratos imunossuprimidos e diabéticos, antes do alotransplante de ilhotas de Langerhans no fígado, ao contrário de inibir a reação do receptor contra o enxerto, prolongando a sobrevida média das ilhotas e, possivelmente, levando ao estado de tolerância imunológica, induziu ao processo de rejeição aguda precoce. Resumo em inglês BACKGROUD: The major indication for pancreas or islet transplantation is diabetes mellitus type I. This process has to supply the insulin necessity keeping glucose under control AIM: We studied allogenic islet transplantation on the rat liver, Wistar (RT1u) to Lewis (RT1¹) as a recipient. Control group (n = 8) and nonparenchymal cell group (n = 8) respectively with injection of Hanks solution and nonparenchymal cells in the thymus before islet transplantation. MATERIAL A (mais) ND METHODS: With the method of isolation and purification of the islets we obtained both in the control group 3.637 ± 783,3 islets with purity of 85 ± 3,52% and nonparenchymal cell group 3.270 ± 770 islets with purity of 84,25 ± 2,76%. The nonparenchymal cells were retrieved from the liver and we obtained 2 x 106 cells. Diabetes was induced by i.v. streptozotocin RESULTS: Control group the transplantation of 3.637 ± 783,3 islets in the rat liver normalized glucose test, 7,21 ± 0,57 mmol/L in the 2nd postoperative day. Acute rejection came in the 6th postoperative day with significantly increase of glucose test in nonparenchymal cell group, the transplantation of 3.270 ± 770 islets in the rat liver, almost normalized the glucose test was 17,95 ± 5,33 mmol/L in the 2nd postoperative day. From the 4th postoperative day to 10th postoperative day. The glucose test increase significantly showing an early acute rejection CONCLUSION: The injection of nonparenchymal cells in the thymus before allogenic islet transplantation in the rat liver lead to an early acute rejection.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Características morfométricas do desenvolvimento do timo em cães/ Morphometric characteristics of thymus development in dogs

Agreste, Fernanda R.; Bombonato, Pedro P.; Hernandez-Blazquez, Francisco J.
2007-06-01

Resumo em português O timo é um órgão de grande importância imunológica durante a vida fetal e o período neonatal. Ele é o precursor da linfopoiese e apresenta alta atividade linfopoiética, sendo também o maior órgão linfóide durante a vida intrauterina e até o nascimento. Neste estudo, os aspectoso morfológicos do desenvolvimento prenatal de timos de cães foram descritos em fetos de diferentes idades e sexos. Vinte e quatro fetos de cães domésticos, sem raça definida, mach (mais) os e fêmeas, foram divididos em 4 grupos etários. O timo apresentou-se composto por dois lobos unidos por um tecido de conexão, com coloração rósea, localizados no espaço mediastinal cranial. A porção cranial estendeu-se pouco além do primeiro par de costelas. As células que formavam o parênquima do timo estavam bem organizadas. Agrega dos concêntricos chamados Corpúsculos de Hassal foram observados, envolvidos por uma delgada cápsula de tecido conjuntivo que é espessada por tecido adiposo. O tamanho dos vasos aumentou gradativamente com a idade dos fetos, sendo maior nos animais próximos ao nascimento. Os timos das fêmeas apresentaram maior volume (Vref) e dimensões de tamanho que nos machos. Resumo em inglês The thymus is an organ with great immunological relevance during foetus life and neonatal period, It is the predecessor of lymphopoiesis and shows high lymphopoietic activity, being also the largest lymphoid organ during intrauterine life and at birth. In this study, the morphological aspects of the prenatal development of dog thymus were described in foetus of different ages and sexes. Twenty-four foetus of mongrel domestic dogs, males and females, were divided into four (mais) age groups. The thymus presented two lobes linked by a rose-colored tissue connection that was localized in the cranial mediastinal space. The cranial portion protrudes slightly beyond the first pair of ribs. The cells that formed the thymus parenchyma were well organized. Concentric aggregates named Hassal corpuscles were observed, involved by a thin capsule of connective tissue thickened by adipose tissue. The vessels size gradually increased with the foetus age, being larger in animals that were closer to birth. The volume (Vref) and size parameters of female thymus were larger than in males.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Achados clínicos e patológicos em cães infectados naturalmente por herpesvírus canino

Oliveira, Eduardo C.; Sonne, Luciana; Bezerra Júnior, Pedro S.; Teixeira, Elisa M.; Dezengrini, Renata; Pavarini, Saulo P.; Flores, Eduardo F.; Driemeier, David
2009-08-01

Resumo em português Descrevem-se os achados clínicos e patológicos e os exames laboratoriais de filhotes de cães com diagnóstico post mortem de infecção por herpesvírus canino. Os casos ocorreram em duas propriedades da Cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em abril de 2007 e julho de 2008. Clinicamente, os cães apresentaram anorexia, apatia, choro e dispneia. A morte dos cães ocorreu após 24-72 horas do início dos sinais clínicos. Na necropsia observaram-se hemorragia multi (mais) focal renal e hepatomegalia com petéquias e pontos brancos na superfície natural do fígado. Os pulmões se apresentaram não-colapsados e vermelhos. Havia esplenomegalia e, em alguns cães, petéquias na superfície capsular do baço. Aumento dos linfonodos mesentéricos e do timo foi observado. Lesões microscópicas incluíram hemorragia e necrose multifocal em células epiteliais tubulares renais, hepatócitos e tecidos linfoides. Nos pulmões, havia necrose alveolar multifocal acentuada com abundante material fibrinoso e infiltrado inflamatório misto de intensidade variada. Ocasionais corpúsculos de inclusão intranucleares em áreas periféricas à necrose foram identificados em hepatócitos, células epiteliais de túbulos renais e células alveolares. Amostras de fígado, rim e pulmão foram positivas na imunofluorescência direta para herpesvírus canino tipo 1 (CHV-1). O diagnóstico de infecção por herpesvírus foi baseado nos achados de necropsia, histológicos e de imunofluorescência positiva em tecidos usando anticorpo anti-CHV-1. De nosso conhecimento, este é o primeiro relato da identificação do CHV-1 no Brasil, embora achados clínico-patológicos anteriores já sugerissem a presença do agente na população canina do país. Resumo em inglês The clinic and pathological findings and laboratorial testing of puppies with postmortem diagnosis of canine herpesvirus infection are described. The cases occurred in two households of Porto Alegre, RS, in April 2007 and July 2008. The puppies presented anorexia, depression, cry and dyspnea, followed by death about 24-72 hours after the onset of clinical signs. At necropsy multifocal pin point hemorrhages were observed in the kidneys. The liver was enlarged with petechia (mais) e and white foci on the surface. The lungs were red and did not collapse. The spleen was enlarged and, in some cases, with petechiae on the capsular surface. Mesenteric lymph nodes and thymus were enlarged. Microscopic lesions included hemorrhages and multifocal necrosis of the renal tubular epithelial cells, hepatocytes and lymphoid tissues. In the lungs there was severe multifocal alveolar necrosis with abundant fibrin deposits and a mixed inflammatory infiltrate of variable intensity. Intranuclear inclusion bodies were identified in the periphery of necrotic areas in hepatocytes, renal tubular epithelial cells and alveolar cells. Samples of liver, kidney and lung were positive in the direct immunofluorescence test for canine herpes virus type 1 (CHV-1). The diagnosis was based on epidemiological data, necropsy findings, histological lesions and positive immunofluorescence results using CHV-1 antibody in tissue samples. To our knowledge, this is the first report of the identification of CHV-1 in Brazil, although previous clinic and pathological findings already suggested the presence of the virus in Brazilian canine population.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Timomas malignos: A experiência do IPO do Porto e revisão da literatura/ Malignant thymomas: The experience of the Portuguese Oncological Institute, Porto, and literature review

Sousa, Berta; Araújo, António; Amaro, Teresina; Azevedo, Isabel; Soares, Marta; Sousa, Olga
2007-07-01

Resumo em português Introdução: Os tumores epiteliais tímicos (TET), a maioria timomas, são neoplasias desenvolvidas a partir das células epiteliais do timo e constituem cerca de 30% das massas do mediastino anterior em adultos. Os timomas são constituídos por células sem características citológicas de malignidade, sendo o comportamento maligno determinado pela invasão da cápsula e estruturas adjacentes. Estes tumores apresentam um amplo espectro de características clínicas e m (mais) orfológicas, e as pequenas séries de doentes conhecidas tornam difícil o estabelecimento de um tratamento standard. Material e métodos: Efectuou-se um estudo retrospectivo dos doentes admitidos com diagnóstico de timoma no Instituto Português de Oncologia - Centro do Porto (IPO-Porto), de 1983 a 2004. Foram analisadas as suas características clínicas, classificação histológica segundo a OMS, o estadiamento de Masaoka, e a sua relação com as modalidades de tratamento. Procedeu-se à revisão dos registos clínicos destes doentes e revisão do material histológico para a classificação segundo critérios da OMS de 1999. Resultados: No IPO-Porto, entre 1983 e 2004, foram tratados 28 doentes com TET. Destes, 21 eram timomas invasivos, sendo estes o objecto deste estudo. Dos dados demográficos salienta-se que eram 11 homens, 10 mulheres, com uma idade mediana de 55 anos (24-79 anos). A classificação histológica da OMS foi a seguinte: 2 doentes (9,5%) Tipo A, 6 (28,6%) tipo AB, 4 (19%) tipo B1, 2 (9,5%) tipo B2, 7 (33,4%) tipo B3. O estadiamento segundo Masaoka foi 9 doentes (42,8%) com estádio II, 6 (28,6%) com estádio III e 6 (28,6%) com estádio IVa. A maioria dos doentes apresentava sintomas locais à apresentação, com apenas 1 doente com diagnóstico de aplasia eritrocitária e 5 com Mastenia gravis (MG). Os 6 doentes submetidos apenas a ressecção cirúrgica completa não tiveram evidência de recorrência da doença (2 tipo A-II, 2 tipo AB-II, 1 tipo B1-II, 1 tipo B2-IVa), com follow-up variando entre 8 e 144 meses. 10 doentes com ressecção completa receberam tratamento adjuvante, 6 radioterapia (4 doentes B3-II, 2 doentes B3-III), 2 quimioterapia (AB-IVa) e 2 radioterapia e quimioterapia (B1-IVa, B2-III). Apenas os 2 doentes que efectuaram quimioterapia adjuvante recidivaram, aos 168 e 46 meses, e morreram aos 168 e 49 meses. Os restantes doentes que efectuaram tratamento adjuvante encontram-se sem evidência de doença. Dos 5 doentes com ressecção incompleta seguido de tratamento complementar (2 doentes AB-III, 2 B1-IVa, 1 B3-III), 3 morreram aos 11 meses (B3-III), aos 12 meses (B1-IVa) e aos 241 meses (AB-III), este último por MG. Conclusões: Apesar de se tratar de uma pequena série, os factores preditivos de mau prognóstico foram a ressecção incompleta, estádio avançado e o subtipo histológico B3. É necessário investigar o papel do tratamento adjuvante e neoadjuvante no grupo de doentes com doença avançada e subtipo histológico B3. Resumo em inglês Introduction: Epithelial thymic tumours (ETT), which comprise the majority of thymomas, are neoplasias developed from the epithelial cells of the thymus and constitute around 30% of anterior mediastinal masses in adults. Thymomas consist of cells with no cytological characteristics of malignity; malignant behaviour is determined by invasion of the capsule and adjacent structures. These tumours present a broad spectrum of clinical and morphological characteristics and the (mais) small series of known patients makes establishing a standard treatment difficult. Material and methods: A retrospective study was made into thymoma diagnosed patients admitted to the Portuguese Oncology Institute in Porto (IPOPorto) from 1983 to 2004. Clinical characteristics were analysed and a histological classification made in accordance with World Health Organization criteria, Masaoka staging, and their relation to treatment methods. A review of the clinical records of these patients was then made, as well as a review of histological material for classification in line with 1999 WHO criteria. Results: Twenty-eight ETT patients were treated at the IPO-Porto between 1983 and 2004. Of these, 21 had invasive thymomas and these are the subject of this study. Eleven subjects were male and 10 female, with a median age of 55 years (24-79 years). The WHO histological classification was as follows: 2 patients (9.5%) type A, 6 (28.6%) type AB, 4 (19%) type B1, 2 (9.5%) type B2, 7 (33.4%) type B3. Masaoka staging was 9 patients (42.8%) with stage II, 6 (28.6%) with stage III and 6 (28.6%) with stage IVa. The majority of patients had local symptoms, with only one subject diagnosed with erythrocyte aplasia and five with Myasthenia Gravis (MG). The 6 patients who were given complete surgical resection only showed no evidence of disease recurrence (2 type A-II, 2 type AB-II, 1 type B1-II, 1 type B2- IVa), with follow-up from 8-144 months. Ten patients with complete resection received adjuvant treatment; 6 radiotherapy (4 B3-II patients, 2 B3-III patients), 2 chemotherapy (AB-IVa) and 2 chemo and radiotherapy (B1-IVa, B2-III). Only the 2 patients who underwent adjuvant chemotherapy relapsed, at 168 and 46 months, dying at 168 and 49 months, respectively. The remaining patients who were given adjuvant treatment did not present signs of disease. Of the 5 subjects having incomplete resection followed by complementary treatment (2 AB-III patients, 2 B1-IVa patients, 1 B3-III patient), 3 died, at 11 months (B3-III), 12 months (B1-IVa) and 241 months (AB-III), the latter with MG. Conclusions: Predictive factors of bad prognosis here were incomplete resection, advanced staging and B3 histological subtype, the smallness of this series notwithstanding. It is necessary to investigate the role of adjuvant and neoadjuvant treatment in a group of subjects with advanced disease of the B3 histological subtype.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Intoxicação experimental por Baccharis coridifolia (Compositae) em bovinos/ Experimental poisoning by Baccharis coridifolia (Compositae) in cattle

Varaschin, Mary Suzan; Barros, Claudio S.L.; Jarvis, Bruce B.
1998-04-01

Resumo em português Treze terneiros receberam Baccharis coridifolia recém-colhida ou dessecada, em doses únicas que variaram entre 0,5 e 5g/kg. Um terneiro recebeu quatro administrações diárias de 0,5g/kg da planta dessecada. Dois terneiros não receberam a planta e serviram como controles. A planta foi colhida mensalmente de julho de 1991 a maio de 1992 e em março de 1993, e foi analisada para seu conteúdo em tricotecenos macrocíclicos. Quando em floração, as amostras dos espécim (mais) es macho e fêmea da planta foram analisadas e administradas aos terneiros separadamente. Os níveis de tricotecenos macrocíclicos e seus glicosídeos foram muito maiores nas plantas fêmeas em floração do que os níveis observados nas plantas não em floração e nas plantas machos em floração. Dez bovinos morreram espontaneamente ou foram sacrificados devido à toxicose. Dois terneiros que receberam a planta fêmea em floração, adoeceram e morreram, enquanto que três terneiros que receberam a planta macho em floração não adoeceram. Os sinais clínicos nos terneiros intoxicados foram anorexia, desidratação, atonia ruminal, tensão e dores abdominais, diarréia líquida, focinho seco, instabilidade dos membros posteriores e decúbito esternal. Os achados patológicos incluiram lesões necróticas no tubo gastrintestinal, particularmente nos pré-estômagos, e nos tecidos linfóides com exceção do timo. Esse último achado sugere um efeito sobre as células B do tecido linfóide. A distribuição das lesões nos sistemas digestivo e linfóide foi sistematicamente determinada. Conclui-se que os tricotecenos macrocíclicos presentes na planta são responsáveis pelas lesões observadas na toxicose e que a planta fêmea em floração é substâncialmente mais tóxica que a planta macho em floração ou das plantas que não estão em floração. Essa diferença em toxicidade é devida à diferença no conteúdo de tricotecenos macrocíclicos. Resumo em inglês Thirteen calves were fed single doses varying from 0.5 to 5g/kg of either freshly harvested or dried Baccharis coridifolia. One calf was fed 4 daily doses of 0,5g/kg of the dried plant. Two calves did not receive the plant and served as controls. The plant material was harvested each month from July 1991 to May 1992 and then in March 1993, and was analysed for its content in macrocyclic trichothecenes. When in flower the female and male plant specimens were both analysed (mais) and fed separately to calves. The levels of macrocyclic trichothecenes and their glucosides were much higher in the flowering female plants compared with the levels observed in those plants not in flower and in the flowering male plants. Ten calves either died or were euthanatized due to the toxicosis. Two calves fed the female flowering plant got sick and died, while 3 calves fed the flowering male plant did not develop the toxicosis. Clinical signs in the poisoned calves were anorexia, dehydration, ruminal atony, abdominal distension and pain, liquid diarrhea, dry muzzle, imbalance in the hindlimbs and sternal recumbency. Main pathological findings included necrosis of the gastrointestinal tube, particularly in the forestomachs and in the lymphoid tissues except for the thymus. The latter suggests an effect upon the B cells of the lymphoid tissue. The distribution of the lesions in the digestive and lymphoid systems was sistematically determined. It is concluded that the macrocyclic trichothecenes present in the plant account for the lesions observed in the toxicosis and that the female flowering plant is substantially more toxic than the flowering male plants or plants not in flower. This difference in toxicity is due to the difference in macrocyclic trichothecenes contents.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)