Sample records for thymectomy
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 10 shown.



1

Timectomia estendida por cirurgia torácica videoassistida e cervicotomia no tratamento da miastenia/ Extended thymectomy through video assisted thoracic surgery and cervicotomy in the treatment of myasthenia

Saito, Eduardo Haruo; Higa, Cláudio; Nunes, Rodolfo Acatauassu; Magalhães, Gérson C.; Vaz, Luiz Carlos Aguiar; Cervante, Vicente Faria
2003-10-01

Resumo em português INTRODUÇÃO: A relação entre a miastenia e o timo é evidente e o tratamento atual desta condição inclui a timectomia. No entanto, uma revisão de nossa experiência com a timectomia revelou a necessidade do uso de uma técnica mais radical. OBJETIVO: Analisar retrospectivamente pacientes portadores de miastenia gravis que foram submetidos a timectomia radical por videotoracoscopia, ressaltando vantagens do método, complicações, análise histopatológica e resulta (mais) dos em relação ao controle da doença. MATERIAL E MÉTODO: Vinte e um pacientes miastênicos (18 do sexo feminino e três do sexo masculino, com idade variando de 17 a 51 anos) foram submetidos a timectomia por videotoracoscopia bilateral associada a cervicotomia transversa com ressecção da glândula tímica, dos tecidos peritímicos e das gorduras pericárdicas direita e esquerda. Todos os tecidos implicados foram analisados pela anatomia patológica separadamente. Houve acompanhamento por período médio de 39,2 meses. RESULTADOS: Não houve mortalidade operatória. Ocorreram duas (9,5%) lesões vasculares e um (4,8%) paciente passou a apresentar disfonia leve permanente. Dezenove (90,4%) pacientes estão com boa evolução, sem medicação ou com dose reduzida da mesma. A histopatologia demonstrou 10 hiperplasias do timo, seis involuções tímicas e cinco timos normais. A presença de tecido tímico ectópico foi detectada em seis (28,6%) pacientes. CONCLUSÃO: A timectomia radical por videotoracoscopia ofereceu bom controle da miastenia gravis. Fez-se ressecção de tecido tímico ectópico em alguns pacientes. Resumo em inglês BACKGROUND: The relationship between myasthenia and the thymus is evident and the current treatment of this condition includes thymectomy. However, a revision of our experience with thymectomy has revealed the necessity of a more radical technique. OBJECTIVE: To analyze, retrospectively, myasthenia gravis patients who underwent videothoracoscopic radical thymectomy, emphasizing the advantages and drawbacks of the methodology, pathological findings and results related to d (mais) isease control. MATERIAL AND METHODS: Twenty-one myasthenic patients (18 females and 3 males, aged 17 to 51 years), underwent videothoracoscopic bilateral thymectomy associated to transverse cervicotomy for removal of the thymus gland and surrounding tissues, and right and left pericardiac fat tissues. Those tissues were separately sent to pathology analysis. The mean time of follow-up was 39.2 months. RESULTS: There were no intra-operative deaths. Two patients (9.5%) suffered vascular injury, and one patient (4.8%) presented a low level permanent dysphonia. Nineteen patients (90.4%) are doing well, with none or low dose medications. Pathology studies showed 10 hyperplastic thymuses, 6 with involution and 5 with normal aspect. Ectopic thymic tissue was found in six patients (28.6%). CONCLUSION: Videothoracoscopic radical thymectomy offered a good control of myasthenia gravis. Additionally, ectopic thymus tissue was removed from some patients.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Resultado da timectomia ampliada no tratamento de pacientes com Miastenia gravis/ Extended thymectomy for treating patients with Myasthenia gravis (MG)

Ruiz Jr, Raul Lopes; Reibscheid, Samuel Marek; Cataneo, Antonio José Maria; Rezende, Luis Antonio de Lima
2004-04-01

Resumo em português INTRODUÇÃO: Diversas variações da timectomia podem ser realizadas, dentre elas a transesternal ampliada. A literatura sugere que, quanto mais extenso o procedimento para ressecção da glândula e tecidos do mediastino anterior, melhores os resultados e prognóstico. OBJETIVO: Avaliar retrospectivamente a resposta à timectomia ampliada em portadores de Miastenia gravis. MÉTODO: Foram avaliados 46 portadores de Miastenia gravis, submetidos à plasmaferese pré-operat (mais) ória e à timectomia ampliada, entre agosto de 1992 e janeiro de 2003, divididos em três grupos, segundo o tempo decorrido desde o início dos sintomas: menor que 12 meses, 13 a 24 meses e maior que 25 meses. RESULTADOS: Trinta e um pacientes eram do sexo feminino e 15 do masculino. A média de idade foi de 30 anos. O tempo médio de evolução da doença foi de 26,3 meses. O acompanhamento ambulatorial pós-operatório foi em média de 26,6 meses. Quanto ao grau de resposta à timectomia, 89% dos pacientes tiveram boa resposta, sendo que 50% apresentaram remissão completa. Ocorreu um óbito nesta série. O exame anatomopatológico demonstrou que a hiperplasia tímica foi o achado mais freqüente. Apenas 3 pacientes (6,5%) apresentaram timomas benignos. Em 5 pacientes (10,8%) encontramos tecido tímico extraglandular: na gordura peritímica em 2 deles, na gordura pericárdica em 1, junto ao nervo frênico esquerdo em outro e na janela aorto-pulmonar em outro. CONCLUSÃO: A timectomia ampliada para tratamento da Miastenia gravis mostrou-se segura, eficiente, e apresentou alta porcentagem de remissão completa. Houve a detecção de tecido tímico extraglandular em alguns pacientes. Tão logo seja feito o diagnóstico, está indicada como terapêutica associada à plasmaferese pré-operatória e à medicamentosa, independentemente da idade, patologia tímica, e início dos sintomas. Resumo em inglês BACKGROUND: Extended thymectomy is one of several types of thymectomy. Literature suggests that the outcome and prognosis will be enhanced by performing a more extensive resection of the gland and of the anterior mediastinum tissue. OBJECTIVE: To retrospectively evaluate response of MG patients to extended thymectomy. METHOD: From August 1992 to January 2003, forty-six MG patients were submitted to preoperative plasmapheresis and extended thymectomy. According to the time (mais) elapsed since onset of symptom they were divided into three groups; 25 months. RESULTS: There were 31 female and 15 male patients, mean age 30 years and average evolution time 26.3 months. Outpatient post-operative follow-up was on the average of 26.6 months. Level of response was good, 50% had full remission and a further 39% had good response. There was one death. The most common histopathology finding was thymic hyperplasia. Only 3 patients (6.5%) had benign thymomas; 5 (10.8%) had extra glandular thymic tissue: 2 in the perithymic fat and 3 in the pericardiac fat adjacent to the left phrenic nerve and aortal-pulmonary window. CONCLUSION: Treatment of MG by extended thymectomy is safe and efficient with high levels of complete remission. Extra glandular thymic tissue was found in some patients. As soon as diagnosis is completed, thymectomy is indicated together with plasmapheresis and medication, independent of age, onset of symptoms, and thymus pathology.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Anestesia venosa total para timectomia em paciente com Miastenia Gravis: relato de caso/ Total intravenous anesthesia for thymectomy in a Myasthenia Gravis patient: case report/ Anestesia venosa total para timectomia en paciente con Miastenia Gravis: relato de caso

Rezer, Gabrielle; Bagatini, Airton; Gomes, Cláudio Roberto; Dias, Monia Di Lara
2003-02-01

Resumo em português JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Pacientes com doenças neuromusculares, como Miastenia Gravis, respondem de maneira anormal aos anestésicos, conforme a técnica e as drogas administradas. O objetivo deste relato é mostrar um caso de paciente portadora de Miastenia Gravis, submetida a timectomia sob anestesia venosa total com propofol e remifentanil. RELATO DO CASO: Paciente feminina, 52 anos, 72 kg, com história de Miastenia Gravis submetida a timectomia transesternal, sob (mais) anestesia venosa total, com o uso de propofol em infusão alvo controlada (3 g.ml-1) e remifentanil contínuo (0,3 µg.kg-1.min-1). Para a intubação traqueal foi utilizada succinilcolina (50 mg), sendo realizada sem dificuldade. Com a finalidade de realizar a analgesia pós-operatória, foram utilizados tramadol (50 mg), cetoprofeno (100 mg) e dipirona (1 g), no per-operatório. Após a cirurgia, a infusão de propofol e remifentanil foi encerrada e, 15 minutos depois, a paciente foi extubada. A paciente apresentava-se eupnéica, acordada, sem dor, movimentando membros, com freqüência respiratória de 14 mpm e mantendo saturação de oxigênio de 97%. Permaneceu com cateter nasal de O2 a 2 L.min-1 na UTI intermediária, durante 36 horas, e recebeu alta hospitalar no 4º dia do pós-operatório. CONCLUSÕES: A anestesia venosa total, com agentes anestésicos de curta duração e sem metabólitos ativos, favoreceu a recuperação e a extubação precoce da paciente Resumo em espanhol JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: Pacientes con enfermedades neuromusculares, como Miastenia Gravis, responden de manera anormal a los anestésicos, conforme la técnica y las drogas administradas. El objetivo de este relato es mostrar un caso de paciente portadora de Miastenia Gravis, sometida a timectomia bajo anestesia venosa total con propofol y remifentanil. RELATO DEL CASO: Paciente femenina, 52 años, 72 kg, con historia de Miastenia Gravis sometida a timectomia transeste (mais) rnal, bajo anestesia venosa total, con el uso de propofol en infusión alvo controlada (3 µg.ml-1) y remifentanil continuo (0,3 µg.kg-1.min-1). Para la intubación traqueal fue utilizada succinilcolina (50 mg), siendo realizada sin dificultad. Con la finalidad de realizar la analgesia pós-operatoria, fueron utilizados tramadol (50 mg), cetoprofeno (100 mg) y dipirona (1 g), en el per-operatorio. Después de la cirugía, la infusión de propofol y remifentanil fue encerrada y, 15 minutos después, la paciente fue extubada. La paciente se presentaba eupnéica, despierta, sin dolor, moviendo los miembros, con frecuencia respiratoria de 14 mpm y manteniendo saturación de oxígeno de 97%. Permaneció con catéter nasal de O2 a 2 L.min-1 en la UTI intermediaria, durante 36 horas, y recibió alta hospitalar en el 4º día del pós-operatorio. CONCLUSIONES: La anestesia venosa total, con agentes anestésicos de corta duración y sin metabólitos activos, favoreció la recuperación y la extubación precoz del paciente. Resumo em inglês BACKGROUND AND OBJECTIVES: Patients with neuromuscular diseases, as Myasthenia Gravis, react abnormally to anesthetics, depending on the technique and on the drugs. This report aimed at showing a case of Myasthenia Gravis patient submitted to thymectomy under total intravenous anesthesia with propofol and remifentanil. CASE REPORT: Female Myasthenia Gravis patient, 52 years old, 72 kg, submitted to transternal thymectomy, under total intravenous anesthesia with propofol i (mais) n target controlled infusion (3 µg.ml-1) and continuous remifentanil (0.3 µg.kg-1.min-1). Succinylcholine (50 mg) was used for tracheal intubation, which was achieved without difficulty. Tramadol (50 mg), ketoprofen (100 mg) and dipirone (1 g) were used for postoperative analgesia. Propofol and remifentanil were withdrawn at surgery completion and patient was extubated 15 minutes after. Patient was eupneic, awaken, without pain, moving limbs, with respiratory frequency of 14 mpm and 97% oxygen saturation. Patient remained in the Intermediate Care Unit for 36 hours, with a nasal catheter of 2 L.min-1 O2 and was discharged in the 4th postoperative day. CONCLUSIONS: Total intravenous anesthesia, with short-lasting anesthetics without active metabolites has favored recovery and early extubation of a Myasthenia Gravis patient submitted to thymectomy.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Miastenia gravis: resultados de timectomia em 52 pacientes/ Myasthenia gravis: results of thymectomy in 52 patients

Oliveira, José Teotonio de; Campos, Gilberto Belisário; Cardoso, Francisco Eduardo C.
1995-06-01

Resumo em português Durante o período de 1971 a 1993, 52 miastênicos sem timoma (7 homens e 45 mulheres ) foram timectomizados por via esternal. Os resultados foram classificados em remissão e não-remissão . A taxa de remissão foi 48%. No grupo de remissões havia 5 homens e 20 mulheres. O tempo de seguimento foi de 5,5 anos em ambos os grupos. Os pacientes foram classificados clinicamente segundo a classificação de Osserman. De 16 pacientes na categoria II A, 11 entraram em remissã (mais) o; de 36 pacientes nas categorias II B e III, 14 entraram em remissão. O tempo de duração de doença foi de 1,8 e 4,3 anos nos grupos de remissões e não-remissões, respectivamente. Todos os pacientes que entraram em remissão tinham menos de quatro anos de doença. Dos 43 pacientes com menos de quatro anos de doença, 42% não apresentaram remissão significando que um tempo de doença de menos de quatro anos não é indicador de remissão. Nossos dados indicam um melhor prognóstico quando a timectomia é feita nos primeiros quatro anos de doença. Resumo em inglês From 1971 to 1993, 52 myasthenics without thymomas ( 7 men and 45 women) were thymectomized.The results were categorized in remissions and non-remissions. The remission rate was 48%. In the remission group there were 5 men and 20 women and in the non-remission group 2 men and 25 women.The follow-up time was 5.5 years in both groups. There were 16 patients in Osserman category II A , 11 achieving remission; 36 patients were in categories IIB and III, and 14 achieved remiss (mais) ion. The duration of disease was 1.8 years and 4.3 years in the remission and non-remission groups, respectively. All patients with remission had less than four years of disease but among the 43 patients with less than four years of symptoms, 42% did not achieve remission. Our data reinforce the need for early thymectomy in myasthenia gravis.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Miastenia gravis análise de 90 casos tratados com timectomia myasthenia gravis/ Analysis of 90 cases treated with thymectomy

Almeida, Fábio Henrique Souza; Okano, Nelson; Vargas, Eulógio Corrales; Ferreira-Santos, Ruy; Sato, Takassu; Barreira, Amilton Antunes
2000-01-01

Resumo em português A Miastenia Gravis é uma doença auto-imune caracterizada por auto-anticorpos contra receptores nicotínicos de acetilcolina da placa neural. O tratamento clínico básico para as formas generalizadas é feito com drogas anticolenesterásicas, mas em algumas fases podem ser necessários outras modalidades de tratamento, tais como a corticoterapia e a plasmaferese. O tratamento cirúrgico, a timectomia, é uma forma de abordar a causa base da doença e tem resultados bast (mais) ante encorajadores, visto que é atribuída ao timo a produção dos auto-anticorpos. Apresentamos neste trabalho o quadro clínico, os resultados cirúrgicos e as alteração anátomo-patológicas dos 90 casos estudados.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Determinação imunohistoquímica da presença de células mióides em pacientes submetidos à timectomia/ Determination of the presence of myoid cells in the thymus by immunohistochemistry after thymectomy for myasthenia gravis

Ladipo, Olanrewaju Muisi Adedamola; Carvalho, Marcos Brasilino de; Rapoport, Abrão; Arias, Victor Eduardo Arrua; Leiro, Luiz Carlos Filgueiras
2004-08-01

Resumo em português OBJETIVO: Detectar e quantificar células mióides em timos de pacientes com miastenia grave, estabelecendo possível correlação entre a quantidade de células mióides com variáveis demográficas e clínico-patológicas. MÉTODO: Foram analisados por meio de método imuno-histoquímico com anticorpo antidesmina (clone D33; marca Dako), timos de 22 pacientes (16 mulheres e seis homens, entre 12 e 61 anos) submetidos à timectomia, entre 1981 e 1995, no Serviço de Ciru (mais) rgia Torácica do Hospital Heliópolis como parte do tratamento de miastenia grave. RESULTADOS: As maiores médias de células mióides foram encontrados em timos dos pacientes da raça negra (29,4:17,8), do sexo feminino (23,2:13,0) e com faixa etária entre 60 e 80 anos (média de 33,0). Pela classificação clínica da Fundação de Miastenia Grave da América (MGFA), a maior média de células mióides (26,7) encontra-se na classe IIIa, sendo do tipo histológico de hiperplasia verdadeira (média 42,0). As células mióides foram identificadas em 11 timos com hiperplasia linfóide, três hiperplasias verdadeiras e em quatro timos normais. Os timomas malignos (três) e um timo normal não apresentaram células mióides. CONCLUSÕES: As células mióides podem ser identificadas e quantificadas pelo método imuno-histoquímico com anticorpo antidesmina, porém não existe correlação entre a quantidade de células mióides e as variáveis demográficas, clínico-patológicas. Elas não foram identificadas no timoma fusocelular. Resumo em inglês BACKGROUND: To detect and quantify myoid cells in thymus of patients with myasthenia gravis, establishing possible correlation between the amount of myoid cells and demographics, clinics, and pathological variables. METHODS: thymic specimens of 22 patients (16 women and six men, age ranging from 12 to 61 years, were analyzed through immunohistochemistry with monoclonal antibody anti- desmin (Dako - D33). They were submitted to tymectomy, between 1981 and 1995, in the Thor (mais) acic Surgery Department of Hospital Heliópolis, São Paulo, Brazil, as part of the treatment for myasthenia gravis. RESULTS: The largest mean valves of myoid cells were found in the thymus of patients from the black race (29.4: 17.8), female (23,2: 13,0) and with ages between 60 and 80 years old (average of 33.0) years old according to the the clinical classification of the Myasthenia Gravis Foundation of America (MGFA), the largest average of myoid cells (26.7) was found in class III and being the histological type of True Hyperplasia (average 42.0). The myoid cells were identified in 11 thymus with Lymphoid Hyperplasia, in three with True Hyperplasias and in four with Normal thymus. The malignant thymoma (three) and a normal thymus did not present myoid cells. CONCLUSION: The myoid cells can be identified and quantified by the immunohistochemistry method with monoclonal antibody anti- desmin, however there is no correlation between the amount of myoid cells and demographic, clinics, pathological variables. They were not identified in spindle cells tymoma.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Miastenia grave tratamento clínico x cirúrgico/ Myasthenia gravis: surgical x conservative treatment

Werneck, Lineu Cesar; Moreira, Paulo Roberto
1991-12-01

Resumo em português A indicação da timectomia na miastenia grave ainda é controversa e, na atualidade, é difícil encontrar séries comparando tratamento conservador, devido à indicação gene. ralizada da timectomia. Na presente série foram estudados 65 casos divididos em três grupos : (1) 15 pacientes timectomizados e 50 com tratamento conservador; (2) 15 pacientes timectomizados pareados com 15 pacientes semelhantes clinicamente, mas tratados conservadoramente; (3) 49 pacientes tra (mais) tados com corticosteróides, com 16 sem corticosteróides. Estes três grupos foram comparados quanto a idade, idade de início dos sintomas, tempo de doença, formas clinicas, escala funcional e intensidade dos sintomas, seguidos durante vários anos, estudando-se o número de remissões, melhora, estabilidade ou piora dos sintomas e número de óbitos. Somente tiveram melhora dos sintomas (p Resumo em inglês The indication for thymectomy in myasthenia gravis still is controversial, and it is uncommon to find in the present days studies comparing conservative treatments, due to the widespread surgical treatment adopted in most centers. We studied 65 cases divided into three groups of patients: (1) 15 thymectomyzed patients and 50 with conservative treatment; (2) 15 thymectomyzed patients pared with 15 on conservative treatment; (3) 49 patients treated with corticosteroids agai (mais) nst 16 without corticosteroids. These three groups where compared regarding age, age when the symptoms began, disease duration, clinical severity and functional scale, studying remission, stability or worsening of the symptoms and death rate after several years of treatment. It was found a reduction of the symptoms (p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Lupus eritematoso sistêmico associado a miastenia gravis: relato de caso/ Systemic lupus erythematosus and myasthenia gravis: case report

CARVALHO, MARCIO F. DE; ABRAHÃO, TERESA C. M.; ASSAF, MOUNIR
1998-03-01

Resumo em português Os autores descrevem o caso de uma mulher branca de 24 anos de idade admitida com lupus eritematoso sistêmico (com 4 anos de evolução de doença) e início recente de miastenia gravis. São discutidos os principais diagnósticos diferenciais para a fraqueza muscular e a fadiga apresentadas por esta paciente. Uma revisão de literatura abordando a associação de miastenia gravis e lupus eritematoso é feita, com ênfase às características clínicas desses pacientes e (mais) ao papel do timoma e timectomia no desenvolvimento de lupus eritematoso em pacientes previamente miastênicos. Resumo em inglês We report the case of a 24-year-old white woman admitted with a four year diagnosis of systemic lupus erythematosus and the recent onset of myasthenia gravis discussing the main differential diagnosis of weakness and fatigue in this patient. A review of literature approaching the association of myasthenia gravis and systemic lupus erythematosus is also done with emphasis on the clinical characteristics of these patients and the role of thymoma and thymectomy in the development of systemic lupus erythematosus in myasthenic patients.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Tumor carcinóide do timo - Caso clínico/ Thymic carcinoid - case report

Carvalho, Lina; Fernandes, Luís Eugénio; Ferreira, Filipe; Januário, Filipa; Robles, Diogo; Sanches, Inês; Vaz, Edgar; Antunes, Manuel
2010-01-01

Resumo em português Os tumores neuroendócrinos primários representam cerca de 4% do total dos tumores do mediastino anterior, incluindo o timo, afectando mais homens que mulheres numa razão de 3:1 e apresentando uma maior incidência entre os 40 e os 60 anos. Antigamente classificados como timomas, desde 1972 são considerados um grupo distinto de neoplasias tímicas, podendo ser biologicamente activos, estando sobretudo associados à síndroma NEM-1 (19 a 25% dos doentes, sendo nestes ca (mais) sos mais agressivos). São descritos como tendo grande progressão local, recorrência e metástases em elevada percentagem de casos, o que determina um mau prognóstico. O estadiamento é o parâmetro mais importante para determinar a sobrevida. Tumores detectados em fase precoce e capsulados associam-se a um excelente prognóstico, enquanto em estádios avançados, localmente invasivos, têm prognóstico relativamente pobre. A remoção cirúrgica completa, para todos os tumores tímicos, é a base da terapêutica e o factor crítico para a sobrevivência a longo prazo, independentemente do tipo histológico. São uma causa de morte importante, nomeadamente os tumores associados a NEM-1 e síndroma de Cushing, e há autores que defendem a realização de timectomia profiláctica nestes doentes. Resumo em inglês Primary neuroendocrine tumours (carcinoid tumours) account for about 4% of anterior mediastinal tumours concerning thymus localization. They appear to have a male predilection (3:1 ratio) and occur mostly between 40 and 60 years of age. Classified primarily as thymomas, they have been considered a different group of thymic neoplasia since 1972. They can be biologically active, mostly associated with MEN-1 (19-25% of patients and more aggressive in these cases). As a local (mais) ly invasive disease, with recurrence and metastasis in a high percentage of cases, it correlates with a poor prognosis. Staging is the most important determinant of survival. Encapsulated tumours diagnosed in early stages have an excellent prognosis, while locally invasive tumours in more advanced stages have a relatively poor prognosis as happens with thymomas. Complete surgical removal is the critical factor for long-term survival rates and the basis for treatment of all thymic tumours, independent of histologic type. As an important cause of death, especially in carcinoid tumours associated with MEN-1 and Cushing’s syndrome, some authors advocate the need for profilactic thymectomy in these patients.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

10

Plasmaferese em neurologia análise crítica da indicação e protocolos/ Plasmapheresis in neurology: a critical analysis of the indication and protocols

Seggia, José Carlos Brant; Abreu, Paulo
1992-09-01

Resumo em português Por ser a plasmaferese método terapêutico moderno e seguro, ela é cada vez mais indicada em doenças ligadas etiopatogenicamente à imunologia. Propomo-nos analisar suas indicações no âmbito da neurologia. Discutimos e analisamos sua indicação em miastenia grave, esclerose em placas, síndrome de Guillain-Barré, dermato e polimiosite, polineuropatia desmielinizante inflamatória crônica, paraproteinemias, paraplegia espástica tropical, neuropatia periférica e (mais) mielopatia por HIV. Sugerimos esquemas para a execução do método em algumas doenças e apresentamos, de maneira resumida, nossa casuística. Resumo em inglês Therapeutic plasmapheresis (plasma exchange) in neurology is a matter of discussion. We review the main articles on clinical trials, both controlled land uncontrolled, trying to establish the efficacy and safety of the procedure. Humoral aspects involved in the genesis of the disorder play an important role for its indication in the present time. In myasthenia gravis indications for plasmapheresis are established: in the preparation for thymectomy, in patients with respir (mais) atory insufficiency and requiring respiratory protesis, after long immunossupression therapy with rebound effect, when all other forms of therapy failed, and in neonatal myasthenia gravis with special technics. We discuss the indication of plasmapheresis in Guillain-Barré syndrome, multiple sclerosis, chronic inflammatory demyelinating poly-neuromyelopathy, HTDV-1 myelopathy, HIV peripheral neuropathy and myelopathy, paraproteinemias, polymyositis, and dermatomyositis. Indications for other diseases are mentioned. Reference is made to the results we observed in 31 cases followed consecutively at Hospital dos Servidores, Rio de Janeiro, from June 1984 to June 1990. In our series 26 were myasthenic patients, 4 patients presented Guillain-Barré syndrome, and 1 multiple sclerosis. Therapeutic plasmapheresis protocols suggested by us are summarized.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)