Sample records for sv 40 virus
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Eventos adversos pós-vacinais e resposta social/ Vaccine adverse events and social response

Martins, Reinaldo Menezes; Maia, Maria de Lourdes de Souza
2003-01-01

Resumo em português A grande maioria das polêmicas públicas relativas a hipotéticos malefícios provocados pelas vacinas é extensão de controvérsias e discussões que surgem no próprio meio médico. Exemplos são os malefícios do mercúrio contido em várias vacinas, como a tríplice viral (MMR), provocando doença inflamatória intestinal e autismo; a vacina contra hepatite B e esclerose múltipla; o vírus SV40 em vacinas contra poliomielite e câncer; a transcriptase reversa em c� (mais) �lulas de embrião de pinto e riscos de infecção por retrovírus; vacinas como causa de asma, diabetes insulino-dependente. Em algumas situações houve nítido prejuízo para a saúde da população, como aconteceu na Inglaterra após noticiários alarmantes sobre os riscos da vacina tríplice DTP na década de 1970 e, mais recentemente, com a vacina tríplice viral, contra sarampo, caxumba e rubéola, também na Inglaterra, e a vacina contra hepatite B, na França. Além disso, grupos ativistas contrários à vacina veiculam notícias alarmantes através dos meios de comunicação, especialmente pela Internet. Beneficiam-se dessa situação pessoas e advogados que, com ou sem fundamento científico para as suas alegações, buscam indenizações milionárias, o que tem causado malefícios para a população, principalmente em países como os Estados Unidos, pelo aumento no custo das vacinas, para fazer frente aos processos judiciais, e pela desistência de produção por várias empresas, contribuindo para crises de disponibilidade das vacinas. O Programa Nacional de Imunizações do Brasil tem tido êxito em lidar com os aspectos públicos dos eventos adversos, através da capacitação dos profissionais de saúde que atuam no setor, tanto nos aspectos técnicos como na comunicação social. Resumo em inglês Most public debate surrounding the hypothetical adverse effects of vaccines is an extension of the polemics, controversies, and discussions that have arisen within the medical field itself. Examples include the adverse effects of the mercury contained in a number of vaccines, such as the one against measles-mumps-rubella (MMR), which can cause inflammatory bowel disease and autism; the link between the hepatitis B vaccine and multiple sclerosis; the polio vaccine, the SV4 (mais) 0 virus, and cancer; reverse transcriptase in chicken embryo cells and the risk of infection by retrovirus; and vaccines as a cause of asthma and insulin-dependent diabetes. In some cases, the public health has clearly been harmed-in England, for instance, when alarming reports circulated about the risks of the DTP vaccine in the 1970s or, more recently, involving the MMR vaccine, likewise in England, and the vaccine against hepatitis B, in France. Groups of activists against vaccines have also spread alarming stories through the media, especially the internet. The ones who gain from this situation are the people and lawyers who sue for millions in damages, whether or not their allegations have any scientific basis. This has brought further problems for the public at large, especially in countries like the United States, with the cost of vaccines rising to cover the cost of lawsuits and with a number of companies halting their vaccine production, thus contributing to crises of vaccine availability. Brazil's National Immunization Program has been successful in dealing with the public aspects of adverse events by training the health professionals working in this sector, not just in technical aspects but also in social communication.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Caracterização de um vírus baciliforme isolado de Solanum violaefolium transmitido pelos ácaros Brevipalpus phoenicis e Brevipalpus obovatus (Acari: Tenuipalpidae)/ Characterization of a bacilliform virus isolated from Solanum violaefolium transmitted by the tenuipalpid mites Brevipalpus phoenicis and Brevipalpus obovatus

Ferreira, Paulo de Tarso Oliveira; Locali-Fabris, Eliane Cristina; Freitas-Astúa, Juliana; Antonioli-Luizon, Renata; Gomes, Renata Takasugui; Machado, Marcos Antonio; Kitajima, Elliot Watanabe
2007-09-01

Resumo em português Solano-violeta (Solanum violaefolium) é uma planta ornamental rasteira usada para cobrir solos de áreas sombreadas. Um vírus que induz manchas anelares nas folhas desta planta, tentativamente designado Solanum violaefolium ringspot virus - SvRSV, transmitido pelo ácaro Brevipalpus phoenicis (Acari: Tenuipalpidae) foi encontrado em Piracicaba, SP. Trata-se de um vírus baciliforme que se assemelha a outros vírus do tipo citoplasmático transmitidos por Brevipalpus sp. (mais) Este trabalho teve como objetivo relatar propriedades biológicas e estabelecer uma caracterização molecular parcial do SvRSV. O vírus pode ser transmitido mecanicamente a várias outras espécies botânicas, causando lesões localizadas. Entre as espécies avaliadas, Datura stramonium mostrou-se a melhor hospedeira experimental. Observou-se também a manifestação de sintomas nestas plantas após infestação das mesmas por B. obovatus previamente alimentado em lesões de SvRSV, confirmando esta outra espécie de ácaro como vetor do vírus. Suas propriedades físicas in vitro foram: temperatura de inativação 40-45 ºC; ponto final de diluição 10-3-10-4; longevidade in vitro 12 dias. Em secções ultrafinas, as partículas do SvRSV mostraram-se levemente mais delgadas e mais longas que as de outros vírus do mesmo grupo. A partir do dsRNA do SvRSV foi construída uma biblioteca de cDNA e foram identificadas duas possíveis regiões codificadoras das proteínas de movimento e replicase viral. Baseado nestas regiões foram desenhados "primers" para amplificação do RNA do SvRSV por RT-PCR. Sondas baseadas nas seqüências obtidas hibridizaram com ss- e dsRNA de D. stramonium infectadas pelo vírus. Ensaios preliminares de RT-PCR e hibridização não resultaram em reação com o vírus da leprose dos citros, tipo citoplasmático (CiLV-C). Resumo em inglês Solanum violaefolium is an ornamental plant, with prostrate, trailing growth habit and is cultivated in shaded areas. A virus that causes ringspot symptoms on its leaves, tentatively named as Solanum violaefolium ringspot virus (SvRSV) and transmitted by Brevipalpus phoenicis (Acari: Tenuipalpidae) was found in Piracicaba city, São Paulo State. It is a bacilliform virus that resembles other cytoplasmic viruses transmitted by Brevipalpus sp. The objective of this work is (mais) to describe the biological properties and establish partial molecular characterization of the SvRSV. The SvRSV can be transmitted mechanically to several plant species causing local lesions. Among the tested species, Datura stramonium was proved to be the best experimental host. It was observed that S. violaefolium plants were infested by B. obovatus that also transmitted SvRSV in preliminary assays. Its in vitro physical properties were: thermal inactivation point: 40-45 ºC; dilution end point: 10-3-10-4 and in vitro longevity: 12 days. Ultrathin sections revealed that SvRSV particles are slightly thinner and longer than other cytoplasmic-type viruses transmitted by Brevipalpus sp. A cDNA library from dsRNA molecules extracted from SvRSV was constructed and two regions, which putatively code for the replicase and movement proteins were identified. Based on these sequences, primer pairs were designed for SvRSV´s RNA amplification by RT-PCR. Indeed, probes based on such sequences hybridized with ss- and dsRNA from infected D. stramonium plants. Preliminary molecular assays using primers and probes of SvRSV did not detect Citrus leprosis virus, cytoplasmic type (CiLV-C), another cytoplasmic type Brevipalpus-transmitted viruses.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)