Sample records for manganese 64
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 4 shown.



1

Efeito da temperatura na velocidade de redução do MnO pelo carbono dissolvido em ligas líqüidas Fe-C-Mn

Oliveira, José Roberto de; Silva, Carlos Antônio da; Assis, Paulo Santos; Tenório, Jorge Alberto Soares
2002-03-01

Resumo em português Esse trabalho estuda a redução do MnO por banhos de ferro saturado em carbono, nas temperaturas de 1500°C, 1550°C e 1600°C. São determinados os valores da energia de ativação aparente para essa reação, através do método das velocidades iniciais, para teores de manganês iniciais no banho de 0%, 10% e 40%. Os valores encontrados foram, respectivamente, 64,8 kcal/mol, 63,13 kcal/mol e 63,25 kcal/mol . Resumo em inglês The objective of this work was to investigate the effect of temperature on the velocity of MnO reduction by a carbon saturated liquid iron bath. The tests were performed in a laboratory apparatus specially designed to simulate smelting reduction reactions. The reactions were carried out respectively at 1500°C, 1550°C and 1600°C, and also the initial manganese concentration in the bath were 0%, 10% e 40%. The apparent activation energies were graphically determ (mais) ined for the overall reduction process through the initial velocity method. The overall reaction rate increases as the temperature increases, and the apparent activation energies were 64,8, 63,13 and 63,25 kcal/mol, respectively for 0%, 10% and 40% of initial manganese content in the carbon saturated iron bath.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Fontes e doses de nitrogênio na adubaçâo química do cafeeiro I: latossolo roxo transição para latossolo vermelho-amarelo, orto/ Nitrogen fertilizers for coffee - I: red latosol transition to clay red yellow latosol

Moraes, F. R. Pupo de; Lazzarini, W.; Toledo, S. V. de; Cervellini, G. S.; Fujiwara, Mamor
1976-01-01

Resumo em português Nitrocálcio, salitre-do-chile, sulfato de amônio e uréia, nas doses de 75, 150, 225 e 300 quilogramas de N por hectare, foram estudados comparativamente em um experimento de adubação química nitrogenada em café mundo novo, instalado em latossolo roxo transição para latossolo vermelho-amarelo, orto da região de Campinas, SP, em março de 1957, tendo sido efetuadas 11 colheitas de 1959 a 1969, inclusive. O nitrogênio foi aplicado parceladamente em 2, 4, 5 e 9 fra (mais) cionamentos anuais durante a fase inicial do ensaio ou seja, até o ano agrícola 1963/64. A partir de então o esquema do parcelamento passou a 1, 2, 3 e 4 fracionamentos por ano. Após a colheita de 1969, os cafeeiros foram cortados a 50 cm do solo, efetuando-se em 1972 uma série de amostragens de solo e de folhas de cafeeiros, para a avaliação dos efeitos decorrentes da aplicação continuada das várias fontes de nitrogênio aplicadas. As produções de café obtidas durante todo o transcorrer do ensaio revelaram uma reação altamente significativa e positiva para as doses crescentes de nitrogênio. O Nitrocálcio e o sulfato de amônio foram as melhores fontes de nitrogênio, tendo diferido significativamente da uréia e do salitre-do-chile. O sulfato de amônio foi inicialmente superior ao Nitrocálcio sendo, entretanto, superado por este na parte final do experimento. Da colheita obtida no ano de 1961 foram separadas amostras de frutos provenientes das várias fontes de N estudadas, para determinação dos teores de macro e micronutrientes. Foram observadas diferenças no teor de N entre os tratamentos que receberam esse elemento e o controle não adubado. Foram observadas também diferenças nos teores de Fe e Mn nos frutos, entre as fontes de N utilizadas. No final do experimento foi observado um efeito acidificante sobre o solo, em decorrência do emprego do sulfato de amônio, da uréia e do Nitrocálcio. Observou-se aumento significativo nos teores de manganês e de alumínio nas folhas dos cafeeiros cultivados nas parcelas que receberam sulfato de amônio e uréia. Resumo em inglês The following sourcesof nitrogen were studied in a field experiment with coffee plant: Ammonium nitrate with lime (AND, Ammonium sulphate, Chilean nitrate and urea, in doses corresponding to 75, 150, 225, and 300 kilograms of element per hectare. The soil was a Red Latosol transition to Clay Red - Yellow Latosol from the area of Campinas County, State of São Paulo. The experiment was installed in March, 1957 and the yield records collected from 1959 to 1969. The total an (mais) nual doses were splited into 2, 4, 5, and 9 applications until 1963/64, and into 1, 2, 3, and 4 applications from that year on to the end of the experiment. Shortly after the 1969 picking, the plants were cut down to the height of about 50 centimeters, for renewing of the aereal parts. In 1972 a series of soil and leaf samples were taken for analysis and study of the residual effects of the fertilizers. The yields showed a very significant increase with increasing doses of nitrogen. ANL and ammonium sulphate were significantly superior to the urea and Chilean nitrate. The ammonium sulphate was superior to ANL during several years but in the last few years of the experiment this situation was reversed, with ANL giving higher yields. The mineral analysis of the fruits showed that the nitrogen, iron, and manganese contents varied with the source of nitrogen employed. The use of ammonium sulphate, urea and ANL lowered the pH of the soil; the manganese and aluminum content of the leaves increased when ammonium sulphate or urea was used.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Origem e avaliação de trigo 'Tapajós' (IAC 72), 'Anhumas' (IAC 227) e 'Yaco' (IAC 287) para o estado de São Paulo/ Evaluation of the agronomic and technologic characteristics of the wheat cultivars: IAC 72 Tapajós, IAC 227 Anhumas and IAC 287 Yaco in the State of São Paulo, Brazil

Felício, João Carlos; Camargo, Carlos Eduardo de Oliveira; Vitti, Policarpo; Pereira, José Carlos Vila Nova Alves
1994-01-01

Resumo em português Estudou-se o comportamento de trigo 'Tapajós' (IAC 72), 'Anhumas' (IAC 227) e 'Yaco' (IAC 287) quanto à produtividade, às reações aos agentes causais das ferrugens-do-colmo e da-folha (em condição de campo e de casa de vegetação) e à helmintosporiose, em experimentos instalados em solos corrigidos e não corrigidos em relação à acidez, em condição de sequeiro e de irrigação por aspersão, em diferentes regiões paulistas, no período de 1987-91. Os cultiv (mais) ares foram submetidos a testes para avaliação de tolerância a ferro, alumínio e manganês, empregando-se soluções nutritivas, em laboratório. Avaliaram-se também as qualidades físicas e reológicas das farinhas obtidas dos grãos desses cultivares e efetuou-se o teste final de panificação. Nas condições de sequeiro, os cultivares IAC 227 e IAC 72 foram mais produtivos em 20 e 5%, respectivamente, em relação ao BH 1146, tomado como controle. O IAC 287, nas mesmas condições de cultivo, apresentou uma produção de grãos 10% maior em relação à testemunha, Anahuac, e em condição de irrigação foi superior em 7 e 6% aos controles Anahuac e IAC 24 respectivamente. Para a ferrugem-do-colmo, em casa de vegetação, o IAC 72 demonstrou suscetibilidade às raças G20 e G21; o IAC 227, às raças G11, G15 e G17; o BH 1146 mostrou-se sensível e os cultivares IAC 287 e Anahuac, resistentes a todas as raças testadas. Os testes para reação a Puccinia recondita, em casa de vegetação, demonstraram suscetibilidade dos cultivares IAC 72, IAC 227, BH 1146 e Anahuac, enquanto o IAC 287 mostrou-se resistente. Esses resultados foram confirmados nos testes de campo. Todos os cultivares em estudo apresentaram-se sensíveis à ocorrência do agente causal da helmintosporiose. O IAC 72 revelou moderada suscetibilidade ao A1(3+) e Mn2+ e sensibilidade ao Fe2+; o IAC 227 foi tolerante a altas doses de A1(3+) e a Mn2+ e sensível ao Fe2+; o IAC 287, tolerante ao Fe2+ e Mn2+ e sensível ao A1(3+). Nos testes de panificação, os volumes específicos comparativos dos cultivares IAC 287 e IAC 227 foram 5,64 e 3,76% superiores ao do padrão (grão comercial) respectivamente, e o IAC 72 foi inferior a este. Na avaliação final comparativa, somente o IAC 287 igualou-se ao padrão (100%). Resumo em inglês The wheat cultivars IAC 72 Tapajós, IAC 227 Anhumas and IAC 287 Yaco were evaluated in relation to grain yield, response to infection by leaf and stem rusts (under field and greenhouse conditions) and leaf spots, in experiments carried out in limed and acid soils, in upland and under sprinkler irrigation. All these evaluations were performed in different regions of the State of São Paulo, Brazil, from 1987 to 1991. The cultivars were also studied for tolerance to iron, (mais) aluminum and manganese toxicities, using nutrient solutions, in the laboratory. Assays for physical, rheological and bread quality were made with the flours of each cultivars. In upland conditions, the results showed that IAC 227 produced 20% and IAC 72, 5% more than BH 1146, used as control. Under the same condition, cultivars IAC 287 showed a grain yield of 10% greater than the control Anahuac. However, under sprinkler irrigation, IAC 287 showed an increase in grain yield of 7 and 6% as compared to the control cultivars Anahuac and IAC 24, respectively. Under greenhouse conditions, the cultivars IAC 72 was susceptible to races G20 and G21 of the causal agent of stem rust. The cultivars IAC 227 showed susceptibility to races G11, G15 and G17 of stem rust. BH 1146 was sensitive while IAC 287 and Anahuac were resistant to all tested races. Concerning to the reactions to races of Puccinia recondita, the cultivars IAC 72, IAC 227, BH 1146 and Anahuac were susceptible and IAC. 287 behaved as resistant under greenhouse conditions. These results were confirmed under field conditions. All studied cultivars were susceptible to the causal agent of leaf spots. IAC 72 presented as moderately sensitive to A1(3+) and Mn2+ and sensitive to Fe2+, and IAC 287 was tolerant to Fe2+, and Mn2+, but sensitive to Al3+ showing toxicity signs. Considering the trials on bread characteristics, the cultivars IAC 287 and IAC 227 showed superiority in specific volume of 5.64 and 3.76% in relation to the breads made with commercial flour, respectively. The cultivars IAC 72 did not present a good performance for breads in relation to the control. At the final evaluation, only the cultivars IAC 287 was as good as the control.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Comportamento de dois cultivares de soja em função do manganês do solo/ Differential manganese tolerance of two soybean cultivars

Miranda, Manoel Albino Coelho de; Mascarenhas, Hipólito Assunção Antonio; Bulisani, Eduardo Antonio; Valadares, José Maria Aires da Silva; Hiroce, Rúter
1982-01-01

Resumo em português Foi estudado, em casa de vegetação, o comportamento dos cultivares de soja Biloxi e Forrest, em amostras subsuperficiais de Latossolo Roxo distrófico dos municípios paulistas de Campinas, Guaíra, Guatapará e Cândido Mota, contendo respectivamente 2,9, 6,4, 11,3 e 12,9 ppm de Mn solúvel em ácido dietilenotriaminopentacético (DTPA). A expressão da toxicidade de Mn foi avaliada 27 dias após o plantio, através de notas atribuídas aos sintomas visuais; produção (mais) de matéria seca das raízes e parte aérea; e da análise química da parte aérea. O cultivar Biloxi não apresentou sintomas de toxicidade até ao nível de 6,4 ppm de Mn no solo (Guaíra), enquanto o 'Forrest' já os apresentava nesse nível. A medida que se tornavam mais elevados os teores de Mn no solo, mais agudos se apresentavam os sintomas de toxicidade e menor a produção de matéria seca, sendo que o 'Forrest' mostrou muito maior sensibilidade, o que foi confirmado pelo aumento do teor de Mn na parte aérea. Sendo eficiente na absorção do Mn do solo e na manifestação dos sintomas de toxicidade a níveis baixos deste elemento, o 'Forrest' é o cultivar adequado para utilizar como indicador de níveis tóxicos de Mn. A concordância entre as notas atribuídas aos sintomas visuais, à produção de matéria seca e ao índice (teor de Mn/peso seco), demonstra que as notas podem ser critério apropriado para realizar o "screening" de material genético num programa de melhoramento, para tolerância a Mn tóxico. Resumo em inglês A pot study was made in the greenhouse using soybean cultivars Biloxi and Forrest and sub-soil samples of Dusky Red Latosol distrophic soil of four counties namely Campinas, Guaíra, Guatapará and cândido Mota of the State of São Paulo, which contained 2.9, 6.4, 11.3 and 12.9 ppm of DTPA pH 7.3 soluable Mn. The Mn toxicity was evalued 27 days after planting for visual symptoms, dry matter production of above ground parts and roots, and chemical analyses of dry matter o (mais) f above ground parts. The cultivar Biloxi did not show visual symptoms at the 6.4 ppm level of Mn in the soil (Guaira) whereas Forrest showed initial symptoms of Mn toxicity at this level. As the Mn availability in the soil increased there was greater evidence of Mn toxicity symptoms and less dry matter production. The cultivar Forrest showed to be most affected by Mn toxicity which was confirmed by increase in the Mn concentration of dry matter of the above ground parts. As Forrest showed to be more efficient in the uptake of Mn from the soil and also showed visual symptoms of toxicity at low levels it can be used as an indicator of Mn in the soil. A good relationship between scores given for visual symptoms, dry matter production for the above ground parts, and the index (Mn concentration/dry matter production) shows the possibility, that scores for visual symptoms of Mn toxicity can be utilized efficiently, for screening genetic material tolerant to Mn in a soybean breeding program.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)