Sample records for magnetic disks
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Sinal de Cecin (Sinal "X"): um aprimoramento no diagnóstico de compressão radicular por hérnias discais lombares/ Cecin’s Sign ("X" Sign): improving the diagnosis of radicular compression by herniated lumbar disks

Cecin, Hamid Alexandre
2010-02-01

Resumo em português O autor, ao reiterar que o exame clínico continua sendo o pilar do exercício da medicina, propôs, anteriormente, uma nova manobra semiótica, o sinal "X" ou de Cecin, para aprimorar o diagnóstico da hérnia de disco lombar, e descreveu seus fundamentos biomecânicos. Entretanto, o desempenho diagnóstico dessa manobra ainda não foi formalmente avaliado. PACIENTES E MÉTODOS: A manobra semiótica - Sinal de Cecin -, que consiste na flexão da coluna lombar e na realiz (mais) ação simultânea da manobra de Valsalva, foi aplicada em 45 pacientes com lombociatalgia típica e herniação discal correspondente confirmada pela ressonância magnética (RM), e em 21 pacientes com lombalgia mecânica comum, sem ciatalgia e com RM normal. O sinal de Lasègue foi testado concomitantemente e a discordância e concordância entre as duas manobras foram avaliadas. RESULTADOS: Foi observada uma alta discrepância (P Resumo em inglês While reaffirming that the clinical exam still is the best medical practice, the author has proposed a new maneuver (Cecin‘s sign or "X" sign) to help the diagnosis of herniated lumbar disk, describing its biomechanical bases. However, the diagnostic performance of this maneuver has not been formally tested. PATIENTS AND METHODS: The maneuver, which consists on the flexion of the lumbar spine while simultaneously performing the Valsalva maneuver, was tested in 45 patient (mais) s with typical sciatic pain and herniated lumbar disk confirmed by magnetic resonance imaging (MRI), and in 21 patients with simple mechanical back pain with normal MRI. Lasègue’s sign was investigated concomitantly and the concordance with the "X" sign was assessed. RESULTS: Concordance between the two tests was very low (Kappa = 0.17, Kappa

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Classificação por ressonância magnética da degeneração do disco intervertebral/ Classification of intervertebral disc degeneration by magnetic resonance

Puertas, Eduardo Barros; Yamashita, Hélio; Oliveira, Valdeci Manoel de; Souza, Paulo Satiro de
2009-01-01

Resumo em português Os autores propõem uma análise da degeneração dos discos intervertebrais de cadáveres através de exame de ressonância magnética. Foram coletadas nove peças de coluna lombar de cadáveres frescos as quais foram submetidas a exame de ressonância magnética. As imagens foram analisadas e classificadas de acordo com o grau de degeneração sendo proposta uma subdivisão no tipo IV em IV-a e IV -b. A análise de 44 discos intervertebrais encontrou uma distribuição (mais) de 4,5% do tipo I, 40,9% do tipo II, 32% do tipo III e 18% do tipo IV-a. Houve 4,5% em que não houve concenso entre os examinadores. Os autores concluíram que a perda do sinal do disco nas imagens ponderadas em T2 pode ser correlacionada com a progressiva degeneração do disco. A correlação das alterações encontradas nas imagens produzidas pela ressonância magnética devem ser padronizadas e classificadas para sua melhor compreensão. Resumo em inglês The authors suggest an analysis of the degeneration of intervertebral disks on human cadavers using magnetic resonance imaging. Nine lumbar spines were collected from fresh human cadavers and resonance images were captured. The images were analyzed and classified according to the degeneration grades, with the authors proposing a subdivision of type IV into IV-a and IV-b. Forty-four intervertebral disks were analyzed and authors found the following distribution: 4,5% type (mais) I; 40,9% type II; 32% type III and 18% type IV-a. However, the investigators disagreed with the conclusions in 4,5% of the disks. The authors found that the progressive signal lost in the T2-weighted images may be correlated to disk degeneration. Changes found in the magnetic resonance images must be standardized and classified for providing a better understanding.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)