Sample records for magnetic circuits
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Padrões de ativação cerebral em idosos sadios durante tarefa de memória verbal de reconhecimento: a single-photon emission computerized tomography study/ Brain activation patterns during verbal recognition memory in elderly healthy volunteers

Busatto Filho, Geraldo; Garrido, Griselda EJ de; Cid, Carla G; Bottino, Cássio MC; Camargo, Cândida HP de; Cheda, Célia MD; Glabus, Michael F; Alvarez, Ana Maria M; Castro, Claudio C de; Jacob Filho, Wilson; Buchpiguel, Carlos A
2001-06-01

Resumo em português INTRODUÇÃO: Estudos que utilizam as técnicas de PET, SPECT e ressonância magnética funcional têm permitido o mapeamento dos circuitos cerebrais ativados durante diversas tarefas cognitivas. O campo da memória declarativa tem sido um dos mais intensamente estudados. No presente estudo, usa-se a técnica de mapeamento do fluxo sangüíneo cerebral regional (FSCr) por SPECT para investigar mudanças na atividade cerebral durante uma tarefa de memória episódica, em v (mais) oluntários idosos sadios (n=15). MÉTODOS: Duas avaliações de SPECT foram realizadas na mesma sessão, usando a técnica de dose dividida do traçador 99 m-Tc-HMPAO. Medidas de FSCr foram registradas durante uma tarefa de reconhecimento de material verbal previamente aprendido e durante uma tarefa-controle mais simples. Comparações de FSCr foram realizadas automaticamente, utilizando o programa Statistical Parametric Mapping (SPM). RESULTADOS: Observou-se aumento de FSCr durante a tarefa de memória em várias regiões cerebrais, incluindo: córtex pré-frontal lateral bilateralmente (mais acentuadamente à esquerda); porções posteriores e mediais de córtex parieto-occipital à esquerda; hemisférios cerebelares bilateralmente; e córtex temporal lateral bilateralmente (p Resumo em inglês INTRODUCTION: PET, SPECT and functional magnetic resonance imaging studies have allowed the delineation of brain circuits activated during several types of cognitive tasks. The field of declarative memory has been one of the most extensively investigated. In the present study, the regional cerebral blood flow (rCBF) SPECT technique was used to investigate changes in brain activity during a verbal memory task in a group of elderly healthy volunteers (n=15). METHODS:Two SPE (mais) CT acquisitions were performed in the same session, using the split-dose 99mTc-HMPAO technique. Measures of rCBF were taken during a recognition memory task and a simpler control task. Between-task comparisons were performed automatically using the Statistical Parametric Mapping (SPM) program. RESULTS: Increased rCBF during the memory task was seen in several brain regions, including: the lateral prefrontal cortex on both hemispheres (more intensely on the left side); posterior and medial portions of the left occipital and parietal cortices; the right and left cerebellar hemispheres; and the right and left lateral temporal cortex (p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Depressão pós-AVC: fatores de risco e terapêutica antidepressiva/ Poststroke depression: risk factors and antidepressant treatment

Terroni, Luisa de Marillac Niro; Leite, Claudia Costa; Tinone, Gisela; Fráguas Jr, Renério
2003-01-01

Resumo em português A depressão é a complicação psiquiátrica mais freqüente nos pacientes com acidente vascular cerebral (AVC). Vários aspectos têm sido detectados como fatores de risco para a sua ocorrência. Neste artigo faz-se uma revisão dos fatores envolvidos na depressão pós-AVC e o estado atual de seu tratamento, a fim de estimular sua detecção e adequado tratamento pelo médico não-psiquiatra. A prevalência da depressão maior pós-AVC é de 10% a 34%, variando conform (mais) e as diferenças dos métodos de pesquisa. O período do pós-AVC, o tipo de população avaliada e o tratamento recebido pelos pacientes, assim como o critério utilizado para o diagnóstico da depressão, podem influir a sua prevalência. Fatores de risco associados à ocorrência da depressão pós-AVC têm sido detectados, tais como: prejuízo funcional, prejuízo cognitivo, história de depressão no passado, idade, sexo, AVC prévio, hipercortisolemia, precária rede de suporte social e características neuroanatômicas do AVC. Estes têm fornecido suporte para formulação de um mecanismo fisiopatológico da depressão pós-AVC, relacionado às vias prefrontosubcortical e à neurotransmissão das aminas biogênicas. As repercussões da depressão são significativas, incorrendo em um maior grau de prejuízo funcional, retardo do processo de reabilitação, complicações na evolução e maior risco de mortalidade. A isto se soma o seu subdiagnóstico e subtratamento. Com o advento da ressonância magnética, pesquisadores devem investigar a associação de regiões cerebrais específicas com a manifestação depressiva e resposta terapêutica. Aspectos metodológicos devem ser levados em consideração para uma análise mais confiável. Resumo em inglês Depression is the most frequent psychiatric complication among stroke survivors. Several aspects have been indicated as risk factors for its occurrence. This review investigates the risk factors and the state of the art of the treatment for poststroke depression, in order to stimulate its detection and adequate treatment by the physician. The point prevalence of Major Depression after stroke varies from 10% to 34%, varying according to differences among the research metho (mais) ds. The length of poststroke period, characteristics of the sample, type of treatment received by patients and diagnostic criteria used can influence the reported prevalence of poststroke depression. The risk factors that have been associated with the occurrence of poststroke depression, are: functional and cognitive impairment, previous history of depression and stroke, sex, age, hypercortisolism, poor social support and stroke neuroanatomic correlates. This one has supported the formulation of a pathophysiological mechanism for poststroke depression related with prefrontosubcortical circuits and neurotransmission of biogenic amines. The depression has a harmful impact on stroke prognosis. It can cause a more severe functional impairment, retardation of the rehabilitation process, outcome complications, and a higher mortality risk. In addition, poststroke depression has not been accurately diagnosed and treated. With the advantage of the magnetic ressonance, researchers should focus investigations on the association of specific cerebral regions with the depressive manifestation and treatment response. Methodological issues such as previous history of depression and the type of the depressive manifestation should be considered for analysis.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)