Sample records for ma 956
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 4 shown.



1

Variabilidade de colônias de Kabatiella zeae em meios de cultura e morfologia de isolados do fungo/ Morphological variability of Kabatiella zeae isolates and aspect of fungus colonies in culture media

Camochena, Rubia C.; Santos, Idalmir dos; Malagi, Gustavo
2010-06-01

Resumo em português Trinta e cinco isolados de Kabatiella zea obtidos de diferentes materiais genéticos de milho foram utilizados para avaliar as características morfológicas e crescimento micelial. Os meios de cultura utilizados foram BSA (batata, sacarose e ágar), MA (malte e ágar), AV (aveia e ágar) e FA (farinha de milho e ágar). Discos de 5 mm de diâmetro, retirados das margens de colônias crescidas em meio BSA, por 10 dias, foram colocadas no centro das placas contendo os resp (mais) ectivos meios de cultura. As placas foram incubadas a 24°C com fotoperíodo de 12 horas, por 10 dias. As características morfológicas dos isolados e as características das colônias foram avaliadas em BSA e o crescimento micelial, nos quatro meios. Todos os isolados apresentaram variabilidade em relação aos meios de cultura. Observou-se que a dimensão dos conídios variou de 3-4 x 27-33 μm, de largura e comprimento, respectivamente. Verificou-se que 80% dos isolados apresentaram coloração clara (rosa) e aspecto Coriáceo e enrugado, e o maior crescimento micelial foi observado no meio BSA. Resumo em inglês Thirty-five Kabatiella zeae isolates from different corn genetic materials were used to evaluate their morphological characteristics and mycelial growth. The following culture media were used: PSA (potato, sucrose, and agar), MA (malt and agar), OA (oat and agar) and CA (corn meal and agar). Disks (5 mm diameter) were removed from the margins of colonies grown on PSA medium for 10 days and placed at the center of dishes containing the corresponding culture media. The dish (mais) es were incubated at 24°C and a 12-hour photoperiod for 10 days. The morphological characteristics of the isolates as well as colony characteristics were evaluated in PSA, while mycelial growth was evaluated in the four media. All isolates showed variability in relation to the culture media. Spore size ranged from 3-4 × 27-33 μm in width and length, respectively. Eighty percent of the isolates had a light (pink) color and a coriaceous and wrinkled aspect; the highest mycelial growth was observed in the PSA medium.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Resistência elétrica dos géis e líquidos utilizados em eletroterapia no acoplamento eletrodo-pele/ Electrical resistance of gels and liquids used in electrotherapy for electrode-skin coupling

Bolfe, Viviane J.; Guirro, Rinaldo R. J.
2009-12-01

Resumo em português OBJETIVO: Avaliar a resistência elétrica inicial e no decorrer do tempo de agentes de acoplamento utilizados na interface eletrodo-pele submetidos a estimulação elétrica com corrente bifásica e corrente contínua. MÉTODOS: A resistência elétrica foi calculada indiretamente pela Lei de Ohm, sendo a tensão elétrica gerada em um equipamento de corrente constante (10 mA, 100 Hz, 100 μs e pulso bifásico quadrado simétrico) e captada por um osciloscópio digit (mais) al. Dez agentes de acoplamento (géis, n=5; líquidos, n=5) foram submetidos à eletrólise com corrente bifásica quadrática simétrica (CB), 0,0134 mA/mm², 100 Hz, 100 μs ou com corrente contínua (CC) a 0,0017 mA/mm² de densidade de corrente, durante 30 minutos, sendo reavaliados a cada 5 minutos. Para análise dos dados, aplicaram os testes de Friedman e Kruskal-Wallis, seguidos de Rank e Dunn, respectivamente, e, para a correlação, empregou-se o coeficiente de Spearman (α=0,05). RESULTADOS: Os valores iniciais de resistência dos géis variaram entre 116,00 e 146,00 Ω, e dos agentes de acoplamento líquidos, entre 106,00 e 4726,67 Ω, apresentando, em sua maioria, correlação positiva com o tempo de eletrólise. Conclusões: Conclui-se que os géis, a água potável e a solução fisiológica são os indicados para a prática da estimulação elétrica terapêutica, pois mantêm a baixa resistência durante o período de estimulação. Por outro lado, o uso de água destilada ou desionizada não é recomendado, pois apresentam alta resistência à passagem da corrente. Resumo em inglês OBJECTIVE: To evaluate the initial and ongoing electrical resistance of different coupling agents used in the skin-electrode interface. The agents were submitted to electrical stimulation with biphasic and direct currents. METHODS: The electrical resistance was calculated indirectly by Ohm's Law. The tension was generated by a constant current generator (10 mA, 100 Hz, 100 µs and symmetrical biphasic square pulse) and captured by a digital oscilloscope. Ten coupling agen (mais) ts (gels, n=5; liquids, n=5) were submitted to electrolysis with symmetrical biphasic square current (BC), 0.0134 mA/mm², 100 Hz, 100 µs or with direct current (DC) at 0.0017 mA/mm² for 30 minutes, being reassessed every 5 minutes. For data analysis the Friedman and Kruskal-Wallis tests were applied, followed by the rank test and the Dunn test respectively. Also, Spearman's coefficient test was used for correlation analysis (α=0.05). RESULTS: The initial resistance values of the gels varied between 116.00 and 146.00 Ω and of the liquid coupling agents, between 106.00 and 4726.67 Ω, with mostly positive correlation with the time of electrolysis. CONCLUSIONS: We concluded that gels, drinking water and saline solution are recommended for the practice of therapeutic electrical stimulation because they maintain low resistance during stimulation. In contrast, the use of distilled or deionized water is not recommended due to the high resistance to the passage of electrical current.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Estudo comparativo da ultrafiltração convencional e associação de ultrafiltração convencional e modificada na correção de cardiopatias congênitas com alto risco cirúrgico/ Comparative study of standard ultrafiltration and its association with modification for the correction of high surgical risk congenital heart diseases

MALUF, Miguel Angel; MANGIA, Cristina; BERTUCCEZ, João; SILVA, Célia; CATANI, Roberto; CARVALHO, Werther; CARVALHO, Antônio; BUFFOLO, Ênio
1999-07-01

Resumo em português A necessidade de correção cirúrgica de má-formações cardíacas complexas, que requerem tempos prolongados de circulação extracorpórea (CEC) aumentou a morbimortalidade devido a retenção hídrica e reação inflamatória sistêmica. O objetivo deste estudo é comparar a evolução pós-operatória imediata de pacientes submetidos a ultrafiltração convencional (UFC) durante a CEC e ultrafiltração modificada (UFM) após CEC. Quarenta e um pacientes submetidos (mais) a correção cirúrgica de cardiopatias congênitas foram divididos em 2 grupos: G1: 21 pacientes com idade de 15 dias a 36 meses (mediana: 11 meses) e peso de 3,6 a 13,5 kg (M: 7,27 ± 3,07), operados entre 1996 e 1997, foram submetidos a UFC. G2: 20 pacientes com idade de 9 dias a 36 meses (mediana: 5,5 meses) e peso entre 2,2 e 12 kg (M: 5,7 ± 2,5), operados entre 1997 e 1998, foram submetidos a UFC+UFM. Dentre as operações mais freqüentes temos: ventriculosseptoplastia, 15 (36,5%) casos; operação de Jatene, 10 (24,3% ) casos; correção de defeito septal A-V total, 7 (17,0%) casos etc. A análise estatística de idade, peso e complexidade cirúrgica mostrou semelhança entre os grupos. Houve 6 (28,5%) óbitos no G1 e 4 (20%) no G2, (p=0,71). O volume médio ultrafiltrado no G1 (UFC) foi 143,3 ml e no G2 (UFC+UFM) foi 227,0 ml, (p<0,001), mostrando diferença estatisticamente significante. Porém o tempo médio de ventilação mecânica (G1: 94.8h, G2: 95.6h, p= 0.97), tempo médio de uso de drogas inotrópicas (G1: 145.2h e G2: 137.6h, p=0.85); tempo médio de permanência em UTIP (G1: 169.6h e G2: 157.8h, p= 0.79) e tempo médio de permanência hospitalar (G1: 14,8 d. e G2 14,6 d., p= 0,95), não mostraram diferenças significantes entre os grupos. A técnica de UFC utilizada a mais de 8 anos no nosso Serviço mostrou resultados semelhantes quando comparada com a associação de UFC+UFM. A UFM mostrou-se eficaz na remoção de água corpórea após CEC, não havendo intercorrências com o método. Talvez um estudo randomizado, recrutando um número maior de pacientes permita detectar diferenças entre os dois métodos. Resumo em inglês Surgical correction of complex cardiac malformations that require extended extracorporeal circulation (ECC) increase morbidity/mortality due to water retention and systemic inflammatory reaction. The purpose of this study is to compare the immediate postoperative evolution of patients submitted to conventional ultrafiltration (CUF) during ECC and modified ultrafiltration (MUF) after ECC. Forty-one patients submitted to surgical correction of congenital cardiac disease wer (mais) e divided into 2 groups: G1 - 21 patients with ages from 15 days to 36 months (median 11 months) and weighing from 3.6 kg (M: 7.27 ± 3.07), operated on between 1996 and 1997 were submitted to CUF; G2 - 20 patients with ages ranging from 9 days to 36 months (median 5.5) and weighing from 2.2 to 12 kg (M: 5.7±2.5) operated on between 1997 and 1998 were submitted to CUF + MUF. Among the most frequent surgeries were: ventriculoseptoplasty, 15 (36.58) cases; Jatene's surgery, 10 (24.38) cases; correction of septal A-V defect, 7 (17.08) cases, etc. Statistical analysis regarding age, weight and surgical complexity showed similarity between the groups. There were 6 (28.58) deaths in G1 and 4 (20.08) in G2, p= 0.71. The mean ultrafiltered volume in G1 (CUF) was 143.3 ml and 227.0 ml in G2 (CUF+MUF) p<0.001, showing a statistically significant difference. However, the mean time of mechanical ventilation (G1: 94.8 h and G2: 95.6 h, p= 0.97), mean time of inotropic drug use (G1: 145.2 h and G2: 137.6 h, p=0.85), mean time stay in Intensive Care Unit (G1: 169.6 h and G2: 157.8 h, p= 0.79) and mean time of hospital stay (G1: 14.8 d and G2: 14.6 d, p= 0.95) did not show significant differences between the groups. The CUF technique used for more than 8 years on our Service showed similar results when compared with the CUF + MUF association. MUF was efficient regarding removal of body water after ECC without intercurrent episodes due to the method. Possibly a randomized study on a greater number of patients would allow to detect differences between the two methods.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Choque refratário e óbito após intoxicação por sulfato ferroso/ Refractory shock and death by iron poisoning

Berber, Marith Graciano; Araújo, Lívia Meirelles de; Oliveira, Cláudio Flauzino; Troster, Eduardo Juan; Vaz, Flávio Adolfo C.
2007-12-01

Resumo em português OBJETIVO: Descrever um caso de intoxicação por ferro em uma criança após ingestão acidental de sulfato ferroso. DESCRIÇÃO DO CASO: Lactente de 11 meses de idade admitida após ingestão acidental de sulfato ferroso (dose desconhecida); apresentava diarréia, desidratação grave e torpor. Inicialmente, foram adotadas medidas para estabilização hemodinâmica, suporte ventilatório e terapia vasopressora. A dosagem de ferro sérico era de 259μmol/L, sendo inic (mais) iado desferoxamina. Apesar do tratamento, manteve quadro de instabilidade hemodinâmica, sem melhora após associação de adrenalina. Evoluiu para óbito 50 horas após admissão no hospital por choque refratário. COMENTÁRIOS: O sulfato ferroso é uma medicação amplamente utilizada em nosso meio e de fácil acesso às crianças nos domicílios. No caso descrito, apesar do diagnóstico precoce e dos cuidados prestados prontamente, não foi possível evitar grave evolução para choque refratário e óbito. Portanto, é importante prevenir a intoxicação e conhecer a evolução de uma intoxicação por ferro, uma vez que o tratamento nem sempre evita a má evolução. Resumo em inglês OBJECTIVE: To present a case of a child with iron intoxication due to an accidental ingestion of ferrous sulfate. CASE DESCRIPTION: An eleven-month-old child was admitted to the hospital after an accidental ingestion of ferrous sulfate, presenting diarrhea, severe dehydration and drowsiness. Initially, therapies for hemodynamic stabilization, ventilatory support and vasopressor drugs were adopted. Laboratory test revealed high serum iron level (259μmol/L) and deferox (mais) amine administration was started. Despite treatment, the child persisted with hemodynamic instability, without improvement after epinephrine infusion and died 50 hours after admission, due to refractory shock. COMMENTS: The ferrous sulfate is widely used and easily accessible for children in their homes. In this case report, despite prompt diagnosis and early institution of adequate treatment, it was not possible to avoid the development of refractory shock and death. Therefore, it is important to avoid intoxication as well as to improve medical knowledge about the pathophysiology of iron intoxication, acknowledging that treatment not always avoids a poor outcome.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)