Sample records for logic mathematics
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Compatibilidade entre psicanálise e lógica/ Compatibility between psychoanalysis and logic

Santos, Jorge Luís Gonçalves dos; Calazans, Roberto
2007-12-01

Resumo em português O objetivo deste artigo é demonstrar que entre a psicanálise e o pensamento científico podemos falar em compatibilidade. Para alcançar esse objetivo analisaremos, em um primeiro momento, como a lógica, ao se tornar matemática, se vale de um pensamento plural e não da ilusão de unidade da razão, que seria colocada na lógica clássica como uma conquista absoluta. Após, mostraremos como Freud, em A Interpretação dos Sonhos também coloca, com sua tese sobre o fu (mais) ncionamento do inconsciente, o primado da lógica clássica em questão, principalmente o princípio do terceiro-excluído, o princípio de não contradição e, principalmente, o princípio de identidade. Resumo em inglês The objective of this article is to demonstrate that between psychoanalysis and the scientific thought we could talk of compatibility. To reach this objective we analyze how logic, when becoming mathematics, takes advantage of a plural thought and no of an illusion of unity of reason, which would be placed in classical logic as an absolute achievement. Next, we will show how Freud, in "The interpretation of Dreams" also places, with his thesis about the functioning of the (mais) unconscious, the primacy of classical logic in question, mainly the principles of the third excluded, the non-contradiction, and the principle of identity.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Fragmentos da história das concepções de mundo na construção das ciências da natureza: das certezas medievais às dúvidas pré-modernas/ Episodes in the history of conceptions of the world of natural sciences: from medieval certainties to pre-modern doubts

Nascimento Júnior, Antônio Fernandes
2003-01-01

Resumo em português A concepção filosófica do mundo se inicia com os gregos sintetizados por Platão e Aristóteles. Para o primeiro o mundo físico é aparente e para se chegar à verdade é preciso se lembrar das idéias originais que determinam seu significado. Para o segundo as coisas físicas são dirigidas pelas idéias e para entendê-las é preciso a lógica. Durante o helenismo a escola de Alexandria elabora o neoplatonismo, a base da Patrística. Após a queda de Roma, os filós (mais) ofos bizantinos guardam a herança clássica. A Igreja constrói uma visão neoplatônica da cristandade, a Escolástica. No oriente os persas também sofreram a influência grega. Entre os árabes do Oriente o pensamento neoplatônico orienta filósofos e religiosos de forma que para eles a razão e a fé não se separam. Aí a ciências se desenvolvem na física, na alquimia, na botânica, na medicina, na matemática e na lógica, até serem subjugadas pela doutrina conservadora dos otomanos. Na Espanha mulçumana sem as restrições da teologia, a filosofia de Aristóteles é mais bem compreendida do que no resto do Islã. Também aí todas as ciências se desenvolvem rápido. Mas a Espanha sucumbe aos cristãos. Os árabes e judeus apresentam Aristóteles à Europa Ocidental que elabora um Aristóteles cristão. A matemática, a física experimental, a alquimia e a medicina dos árabes influenciam intensamente o Ocidente. Os artesãos constroem instrumentos cada vez mais precisos, os navegadores constroem navios e mapas mais eficientes e minuciosos, os armeiros calculam melhor a forma de lançamento e pontaria de suas armas e os agrimensores melhor elaboram a medida de sua área de mapeamento. Os artistas principalmente italianos, a partir dos clássicos gregos e árabes, criam a perspectiva no desenho, possibilitando a matematização do espaço. Os portugueses, junto com cientistas árabes, judeus e italianos, concluem um projeto de expansão naval e ampliam os horizontes do mundo. Os pensadores italianos, como uma reação à Escolástica, constroem um pensamento humanista influenciado pelo pensamento grego clássico original e pelos últimos filósofos bizantinos. Por todas essas mudanças se inicia a construção de um novo universo e de um novo método, que viria décadas mais tarde. Resumo em inglês The philosophical concept of world thought begins with the Greeks, synthesized by Plato and Aristotle. For Plato the one physical world is apparent and, to reach the truth, it is necessary to remember the original ideas that determine its meaning. For Aristotle, material things are guided by ideas and logic is needed to understand them. During the Hellenistic period, the school of Alexandria elaborated Neo-Platonism, the base of Patristics. After the fall of Rome, the Byz (mais) antine philosophers kept the classic inheritance. The Church built a Neo-Platonic vision of Christianity, Scholastacism. In the east the Persians also came under Greek influence. Among the Arabs of the East Neo-Platonic thought guided philosophers and religious people so that for them reason and faith were not separated. At this point sciences grew: physics, alchemy, botany, medicine, mathematics and logic, until they were overtaken by the conservative doctrine of the Ottomans. In Muslin Spain, without the restrictions of theology, Aristotle's philosophy was better understood than in the rest of Islam.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)