Sample records for lens crystalline
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 9 shown.



1

Tratamento cirúrgico da catarata pediátrica/ Surgical treatment of pediatric cataract

Katina, Jacqueline H.; Lyra, João Marcelo de Almeida Gusmão; Souza, Charles Demo; Trindade, Fernando Cançado
2002-03-01

Resumo em português Objetivo: Descrever as diferentes abordagens dos casos cirúrgicos de catarata pediátrica (CP) em pacientes do Serviço de Córnea e Catarata do Hospital São Geraldo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no período de junho de 1998 a novembro de 2000. Métodos: Foram estudados prospectivamente 37 olhos de 31 crianças. Trinta e cinco olhos (94,6%) apresentavam catarata congênita e dois olhos (5,4%) catarata traumática. A abordagem cirúrgica variou de acord (mais) o com a idade dos pacientes, que foram divididos nos seguintes grupos: Grupo I (abaixo de 1 ano de idade): facectomia por aspiração manual, sem implantação de lente intra-ocular (LIO) com capsulotomia posterior primária, nos primeiros 2 olhos; capsulorrexe posterior primária (CPP) nos demais, e vitrectomia anterior (VA) via límbica em todos. Grupo II: (entre 1 e 5 anos de idade): facectomia por aspiração manual, com implantação de LIO com CPP e VA via límbica. Grupo III: (entre 1 e 5 anos de idade): facectomia por aspiração manual, com implantação de LIO, capsulotomia posterior primária e VA via pars-plana. Grupo IV: (acima de 5 anos de idade): facectomia por aspiração manual, com implantação de LIO sem capsulotomia/CPP e VA. Para confecção da capsulorrexe anterior e posterior (quando indicada), também foi utilizado aparelho de radiofreqüência. A capsulotomia posterior primária era realizada com vitreófago do aparelho de facoemulsificação Universal -- Alcon. Resultados: LIO foi implantada em 31 olhos (83,8%), sendo que 28 (90,3%) dentro do saco capsular e 3 (9,7%) no sulco ciliar. O seguimento pós-operatório variou entre 2 e 27 meses. No grupo IV, houve opacificação secundária da cápsula posterior em 53,8 % dos casos (7 olhos), sendo estes submetidos a capsulotomia com YAG-laser. Conclusão: O uso da radiofreqüência na realização da capsulorrexe anterior e CPP, assim como a VA melhoraram o resultado cirúrgico da CP. Resumo em inglês Purpose: Cases of pediatric cataract were assessed at the Department of Cornea and Cataract of the São Geraldo Eye Hospital, Federal University of Minas Gerais, from June 1998 to November 2000. Methods: Thirty-seven eyes of 31 patients were prospectively analyzed. Thirty-five eyes (94.6%) had congenital cataract and 2 eyes (5.4%) had traumatic cataract. The surgical approach depended on the age of the patients. Patients were classified into the following groups: Group I: (mais) (under 1 year of age): manual aspiration of the crystalline lens, with no intraocular lens (IOL) implantation with primary posterior capsulotomy in two eyes; and primary posterior capsulorhexis (PPC) in four eyes and anterior vitrectomy (AV) through limbus in all cases. Group II: (from 1 to 5 years of age): manual aspiration of the crystalline lens with IOL implantation with PPC and AV through limbus. Group III: (from 1 to 5 years of age): manual aspiration of the crystalline lens with IOL implantation with posterior primary capsulotomy and AV through pars-plana. Group IV: (over 5 years of age): manual aspiration of the crystalline lens with IOL implantation without capsulotomy/PPC and AV. In some cases anterior and posterior capsulorhexis were performed utilizing radiofrequency. The primary posterior capsulotomy was performed utilizing the vitreofagus of the Universal -- Alcon phacoemulsificator. Results: IOL implantation was performed in 31 eyes (83.8%): 28 (90.3%) in-the-bag implantation and 3 (9.7%) in the ciliary sulcus. The follow-up period varied from 2 to 27 months. In group IV, 53.8% (7 eyes), had secondary capsular opacification, which underwent YAG laser capsulotomy. Conclusion: Use of the radiofrequency for anterior capsulorhexis and PPC as well as the AV improved the surgical outcome of pediatric cataract.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Refração e seus componentes em anisometropia/ Refraction and its components in anisometropia

Tayah, David; Dall'coll, Marcelo Weslley Lopes; Alves, Milton Ruiz
2009-02-01

Resumo em português OBJETIVO: Em anisométropes comparar os valores médios individuais dos componentes oculares de ambos os olhos, correlacionar as diferenças dos componentes com as diferenças de refração; e identificar o menor número de fatores que contenham o mesmo grau de informações expressas no conjunto de variáveis que influenciam a diferença refrativa. MÉTODOS: Realizou-se estudo transversal analítico em população de 77 anisométropes de 2 D ou mais, atendida no ambulat� (mais) �rio de Oftalmologia do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina Nilton Lins, Manaus. RESULTADOS: Os anisométropes foram submetidos à refração estática objetiva e subjetiva, ceratometria e biometria ultrassônica A-scan. A análise dos dados foi feita por meio dos seguintes modelos estatísticos: análise univariada, multivariada, de regressão múltipla e fatorial. CONCLUSÕES: Não houve diferenças significativas na comparação dos valores médios individuais dos componentes oculares entre os olhos. Houve correlação negativa média entre a diferença refrativa e a diferença de comprimento axial (r= -0,64) (p Resumo em inglês PURPOSE: To compare the individual means of ocular components of both eyes in patients with anisometropia; to correlate the differences of the components with refractive differences; and to identify the smallest number of factors that contain the same level of information expressed in the set of variables that influence refractive difference. METHODS: An analytical transversal study was carried out in 77 patients with anisometropia of two or more dioptres seen at the Opht (mais) halmologic Clinic, University Hospital, Nilton Lins Medical School, Manaus. RESULTS: All participants were submitted to ophthalmologic examination which included objective and subjective cycloplegic refractometry, keratometry and ultrasound biometry. Data analysis comprised the following statistical models: univariate, multivariate, multiple and factorial regression analyses. CONCLUSIONS: There were no significant differences in the comparison between the individual means of the ocular components. There was negative correlation between refractive difference and difference of axial length (r= -0.64; p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Mineralogia, micromorfologia e gênese de solos planossólicos do Sertão do Araripe, estado de Pernambuco/ Mineralogy, micromorphology and genesis of soils with stagnic properties from Sertão of Araripe, Pernambuco State, Brazil

Oliveira, L. B.; Ribeiro, M. R.; Ferraz, F. B.; Ferreira, M. G. V. X.; Mermut, A. R.
2004-08-01

Resumo em português Neste trabalho, objetivou-se realizar a caracterização mineralógica e micromorfológica de solos planossólicos do Sertão do Araripe, estado de Pernambuco, visando proporcionar melhor entendimento de suas propriedades e dos processos envolvidos em sua gênese. Tais solos foram, até então, pouco estudados e se caracterizam pela ocorrência de um horizonte B plânico subjacente a um horizonte B textural, plíntico ou não. No município de Ouricuri, foram selecionados (mais) três perfis representativos destes solos, classificados como: Plintossolo Argilúvico eutrófico planossólico sódico (perfil 1); Argissolo Amarelo eutrófico planossólico solódico (perfil 2) e Argissolo Amarelo eutrófico plíntico planossólico sódico (perfil 3). A mineralogia das frações calhau e cascalho foi determinada macroscopicamente, enquanto a da areia, por lupa binocular. As frações silte e argila foram analisadas por difratometria de raios X. As descrições micromorfológicas foram realizadas em seções delgadas de amostras de horizontes selecionados. A fração areia destes solos é essencialmente composta por quartzo, mas feldspatos e mica também ocorrem a partir do horizonte 2Btbn. O silte é basicamente constituído por quartzo, feldspatos e mica. A argila é composta por caulinita, mica, interestratificados irregulares, esmectita e quartzo, ocorrendo as maiores quantidades de esmectita e interestratificados nos horizontes 2Btbn e 2BCn. O horizonte B plânico (2Btbn) apresenta microestrutura em blocos angulares e expressivos argilãs (de iluviação e intemperização), enquanto o horizonte Bt sobrejacente apresenta microestrutura granular e ausência de qualquer tipo de argilã. A disparidade observada na mineralogia da fração argila e as distintas feições micromorfológicas corroboram a identificação de uma mudança de material de origem entre os horizontes Bt e B plânico dos solos estudados. A posição do horizonte B plânico, que apresenta muitos argilãs de iluviação, e a ausência de características que evidenciem mobilização de argila do Bt precedente revelam uma paleopedogênese para o solo. Estes resultados indicam que os solos foram desenvolvidos em duas etapas. As rochas do embasamento cristalino sofreram uma primeira pedogênese, da qual o marco atual de evidência é a camada de litofragmentos, em sua maioria arestados, que ocorre no topo do B plânico, e que foi, provavelmente, acumulada pela erosão diferencial, formando um pavimento desértico. Posteriormente, os solos foram recobertos por camadas de sedimentos intemperizados, relacionados com a Chapada do Araripe, que se misturaram, em proporções variadas, ao material já edafizado das rochas do embasamento. Estes materiais estão, desde sua deposição, sendo retrabalhados pelos processos pedogenéticos atuais. Resumo em inglês The objective of the present study was to characterize the mineralogy and micromorphology of soils with stagnic properties from the micro region of Araripina, in the Sertão Zone of Pernambuco State aiming to improve the understanding of their properties and pedogenic processes. Up to now, these soils have been poorly studied. They are characterized by the presence of a solodic or natric B horizon underlying a normal argic B horizon. Three representative soil profiles wer (mais) e selected in Ouricuri County. According to the World Reference Base for Soil Resources they are classified as: Natric Stagnic Sesquisol (profile 1); Solodic Stagnic Lixisol (profile 2), and Plinthic Stagnic Lixisol (profile 3). The mineralogy of the coarse fractions was determined macroscopically or by using a binocular magnifying lens, while the silt and clay fractions were analyzed by X-ray diffraction. Selected horizons were micromorphologically described based on thin soil sections. The sand fraction of the studied soils is essentially composed by quartz, but feldspars and micas were also detected in the 2Btbn horizons. The silt fraction contains mostly quartz, feldspars and mica. The clay fraction is composed by kaolinite, mica, irregular interstratified minerals, smectite, and quartz. The highest amount of smectites and interstratified clay minerals were observed in the 2Btbn and 2BCn horizons. The solodic or natric B horizons (2Btbn) is characterized by the presence of a blocky microstructure and well developed illuviation and weathering argillans, while the overlying argic B horizon has a granular microstructure and no argillans. The differences observed in the clay mineralogy and micromorphological features between the argic B horizon and the underlying poorly drained solodic or natric B horizon indicate the presence of two parent materials. The position of this Na-rich B horizon, which is high in argillans, and the absence of evidences of clay eluviations from the overlying argic B horizon suggest a paleopedogenesis for this horizon. Results indicate that the soils were developed in two stages. The first pedogenesis occurred on the crystalline rock basement. One of the evidences is the edged stone layer on top of the solodic or natric B horizon, probably formed because of differential erosion, originating a desertic pavement. Afterwards, the soils were covered by layers of highly weathered sediments, related to the Araripe high tableland, which were mixed at varied proportions with the topsoil of the underlying weathered parent material. Both materials have been affected by current pedogenic processes since their deposition.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Impregnação inadvertida da cápsula posterior do cristalino com azul de tripano durante a facectomia extracapsular: relato de caso/ Unintentional staining of lens posterior capsule with trypan blue during extracapsular cataract extraction: case report

Marques, Frederico França; Soccol, Fábio Medaglia; Marques, Daniela M. V.; Rehder, José Ricardo C. L.
2006-02-01

Resumo em português Relato de complicação relacionada ao uso do azul de tripano 0,1% ocorrida ao corar a cápsula anterior do cristalino em facectomia extracapsular com implante de lente intra-ocular. O corante foi injetado sob alta pressão utilizando a técnica de bolha de ar ocasionando a migração deste através da zônula e conseqüente perda do reflexo vermelho no peroperatório dificultando os passos subseqüentes à extração da catarata e comprometendo temporariamente a acuidade (mais) visual no pós-operatório. Tendo como objetivo evitar esta complicação, os autores descrevem ainda, o uso da "Técnica de bolha de ar modificada" no qual o viscoelástico dispersivo é injetado no espaço iridolenticular 360° para compor uma barreira de proteção. Resumo em inglês Report of a complication related to the use of 0.1% trypan blue during capsular staining of the anterior crystalline lens capsule in an extracapsular cataract extraction with intraocular lens implantation. The capsular dye was injected using an air-bubble technique, inadvertently, it was done using high pressure dispersing the dye through the zonules leading to a complete losts of red reflex, the following steps of the procedure becoming more difficult after the cataract (mais) extraction and causing a temporary disturbance of visual acuity in the postoperative period. In order to avoid this complication, the authors also describe the use of "Modified air-bubble technique" where dispersive viscoelastic is placed into the iridolenticular space 360° to create a protection barrier.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Considerações radiodosimétricas da braquiterapia ocular com iodo-125 e rutênio/ródio-106/ Radiodosimetric considerations on ocular brachytherapy with iodine-125 and ruthenium/rhodium-106

Mourão, Arnaldo Prata; Campos, Tarcísio Passos Ribeiro de
2009-02-01

Resumo em português OBJETIVO: Analisar, por meio de um modelo computacional da região ocular, as características da distribuição da dose utilizando placas contendo iodo-125 e rutênio/ródio-106. MATERIAIS E MÉTODOS: Foi utilizado um modelo computacional de voxels da região ocular incluindo os diversos tecidos, com a placa posicionada sobre a esclera. O código Monte Carlo foi utilizado para simular a irradiação. A distribuição da dose é apresentada por curvas de isodoses. RESULTA (mais) DOS: As simulações computacionais apresentam a distribuição da dose no interior do bulbo e nas estruturas externas. Os resultados permitem comparar a distribuição espacial das doses geradas por partículas beta e por fótons. As simulações mostram que a aplicação de sementes de iodo-125 implica alta dose no cristalino, enquanto o rutênio/ródio-106 produz alta dose na superfície da esclera. CONCLUSÃO: A dose no cristalino depende da espessura do tumor, da posição e do diâmetro da placa, e do radionuclídeo utilizado. No presente estudo, a fonte de rutênio/ródio-106 é recomendada para tumores de dimensões reduzidas. A irradiação com iodo-125 gera doses maiores no cristalino do que a irradiação com rutênio/ródio-106. O valor máximo de dose no cristalino corresponde a 12,75% do valor máximo de dose com iodo-125 e apenas 0,005% para rutênio/ródio-106. Resumo em inglês OBJECTIVE: To analyze dose distribution utilizing plaques with iodine-125 and ruthenium/rhodium-106 in a computational model of the ocular region. MATERIALS AND METHODS: A voxel-based computational model including the different tissues of the ocular region was utilized with the plaque positioned on the sclera. The Monte Carlo code was utilized for simulating irradiation. The dose distribution is demonstrated by isodoses curves. RESULTS: Computational simulations demonstra (mais) te the dose distribution inside the ocular bulb as well as in adjacent outside structures. The results have allowed the authors to compare the spatial distribution of doses generated by beta particles and photons. The simulations demonstrated that the utilization of iodine 125 seeds implies a high dose to the crystalline lens, while ruthenium/rhodium-106 results in high dose on the sclera surface. CONCLUSION: The dose to the crystalline lens depends on the tumor position and thickness, the plaque diameter, and the radionuclide utilized. In the present study, the ruthenium/rhodium-106 source is recommended for low tumor thickness. Irradiation with iodine-125 results in higher doses to the crystalline lens than irradiation with ruthenium/rhodium-106. The maximum value for dose to the crystalline lens corresponds to 12.75% of the maximum dose with iodine-125 and only 0.005% for ruthenium/rhodium-106.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Componentes oculares em anisometropia/ The ocular components in anisometropia

Tayah, David; Coral-Ghanem, Vinicius; Alves, Milton Ruiz
2007-06-01

Resumo em português OBJETIVO: Comparar as correlações dos componentes oculares (comprimento axial, comprimento do segmento anterior, poder médio da córnea, profundidade da câmara vítrea e poder refrativo equivalente) com o erro refrativo total do olho portador da menor e da maior ametropia em anisométropes. MÉTODOS: Foi realizado um "survey" analítico conduzido em população de 68 anisométropes de duas ou mais dioptrias atendida no Ambulatório da Clinica Oftalmológica do Hospita (mais) l das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Os anisométropes foram submetidos à refração estática objetiva e subjetiva, ceratometria e biometria ultra-sônica. RESULTADOS: Não houve diferença significativa entre os valores dos componentes oculares medidos dos olhos portadores da menor e da maior ametropia. Os olhos portadores da menor ametropia apresentaram as mesmas correlações significantes observadas em olhos emétropes, ou seja, correlação da refração com comprimento do segmento anterior e comprimento axial, e correlação do comprimento axial com poder corneano e profundidade da câmara vítrea. Os olhos portadores da maior ametropia apresentaram correlação significante da refração com o comprimento axial e do comprimento axial com a profundidade da câmara vítrea. Ainda em ambos os olhos observou-se correlação significante do poder do cristalino com a profundidade da câmara anterior. CONCLUSÃO: Os olhos portadores da menor ametropia desenvolveram as correlações mais freqüentemente observadas nos olhos emétropes. Os olhos portadores da maior ametropia não desenvolveram as mesmas correlações dos emétropes. Resumo em inglês PURPOSE: To asses the correlation between ocular components (axial length, anterior segment length, corneal power, vitreous length and equivalent power of the eye) and refractive error in eyes with higher and lower ametropia of subjects with anisometropia. METHODS: An analytical survey was carried out in 68 patients with anisometropia of two or more diopters, assisted at the Ophthalmological Clinic from "Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina" of São Paulo Unive (mais) rsity. All participants were submitted to ophthalmologic examination which included objective and subjective cycloplegic refratometry, keratometry and ultrasonic biometry. RESULTS: No significant difference between measures of ocular components of the eyes with higher and lower ametropias was observed. The eyes with lower ametropia presented the same significant correlations observed in emmetropic eyes: of refraction with anterior segment length and axial length, and of the axial length with corneal power and vitreous length. The eyes with higher ametropia presented significant correlation of refraction with the axial length and of the axial length with vitreous length. Furthermore, we observed in both eyes, significant correlation of the power of the crystalline lens with the anterior chamber depth. CONCLUSION: The eyes with lower ametropia presented correlations more frequently observed in emmetropia. The eyes with higher ametropia did not present the same correlations observed in emmetropic eyes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Comparação entre os resultados pós-operatórios de pacientes submetidos ao procedimento tríplice e transplante de córnea combinado a fixação secundária de lente intra-ocular/ Comparison between the postoperative results of triple procedure and combined penetrating keratoplasty/ transsclerally sutured posterior chamber lens implantation

Leão, Daniela Maggioni Pereira; Sousa, Luciene Barbasa de
2006-08-01

Resumo em português OBJETIVO: Comparar os resultados pós-operatórios de 2 grupos de pacientes submetidos a transplante de córnea com técnicas e tempo cirúrgico diferentes, em relação à abordagem do cristalino e/ou lente intra-ocular. MÉTODOS: Neste estudo retrospectivo foram analisados 37 olhos de pacientes divididos em 2 grupos: extração de catarata, implante de lentes intra-oculares (LIO) e transplante de córnea no mesmo tempo cirúrgico - grupo 1 (G1) e extração de catarata (mais) sem implante de lentes intra-oculares no primeiro tempo cirúrgico e fixação secundária de lentes intra-oculares associada a transplante de córnea no segundo tempo cirúrgico - grupo 2 (G2). As variáveis estudadas foram: acuidade visual, pressão intra-ocular (PIO), astigmatismo refracional, astigmatismo ceratométrico e complicações pós-operatórias. RESULTADOS: Foi observado melhora da acuidade visual nos 2 grupos (G1 p Resumo em inglês PURPOSE: To compare the outcomes of two surgical techniques of penetrating keratoplasty with different surgical time, regarding the crystalline and the intraocular lens. METHODS: This retrospective study included 37 patients' eyes divided into 2 groups: extracapsular cataract extraction, posterior chamber intraocular lens implantation and penetrating keratoplasty (Group 1, G1) and transscleral fixation of posterior chamber lens and penetrating keratoplasty (Group 2, G2). (mais) The following parameters were recorded: visual acuity, intraocular pressure, refractive astigmatism, complication and keratometric astigmatism. RESULTS: Visual acuity improved in the two groups (G1 p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Anoftalmia associada à catarata congênita: relato de caso/ Anophthalmia and congenital cataract: case report

Santana, Alessandro; Koller, Karine; Waiswol, Mauro
2005-06-01

Resumo em português Apresentação de um caso de anoftalmia e catarata congênita associada a malformações sistêmicas. Paciente, 6 meses, do sexo masculino, com anoftalmia à esquerda e catarata congênita polar posterior à direita. Instituiu-se terapêutica cirúrgica por meio de aspiração do núcleo e córtex com pequena incisão sem implante de lente intra-ocular, e capsulorrexe posterior com vitrectomia. A associação entre anoftalmia e catarata congênita é condição rara em que o diagnóstico e tratamento precoces são fundamentais para adequada reabilitação do paciente. Resumo em inglês The authors report a case of anophthalmia, congenital cataract and systemic malformations. Male patient, 6 months old, left anophthalmia and congenital posterior polar cataract in the right eye. The patient was treated with manual aspiration of the crystalline lens, with no intraocular lens implantation with primary posterior capsulorhexis and anterior vitrectomy through a small incision. The association of anophthalmia and congenital cataract is rare. The early diagnosis and management in these cases is very important for the best visual rehabilitation.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Lente fácica de câmara posterior para correção da miopia/ Posterior chamber phakic lens for the correction of myopia

Guimarães, Ricardo Queiroz; Castro, Raul D.; Navarro, Marcelo P.; Guimarães, Márcia Reis
2001-02-01

Resumo em português Objetivo: Avaliar a eficácia, previsibilidade e segurança do implante de lente intra-ocular de câmara posterior em pacientes com miopia moderada e elevada. Métodos: Analisamos os resultados das cirurgias realizadas em 93 olhos de 54 pacientes para implante de lente fácica de câmara posterior com a finalidade de corrigir miopia moderada e elevada. O objetivo da cirurgia era a emetropia. O acompanhamento médio foi de 9 meses, variando de 1 a 38 meses (desvio padrão (mais) 10,45). Resultados: O equivalente esférico médio pré-operatório era -13,56 D (variando de -5,75 a -20,38 D) e o equivalente esférico médio pós-operatório no último exame foi -0,92 D (variando de -3,88 a +1,00 D). No último exame, 39 olhos (41,9%) se encontravam entre ±0,50 D da emetropia, 64 olhos (68,8%) estavam entre ±1,00 D e 88 olhos (94,6%) estavam entre ±2,00 D da emetropia. Um ganho de duas ou mais linhas de visão foi observado em 45,17% (42 olhos). Em 15 olhos (16,1%) ocorreu algum tipo de complicação: em 2 olhos (2,2%) houve perda de células endoteliais, em 2 olhos (2,2%) ocorreu bloqueio pupilar e em 11 olhos (11,8%) houve alterações de transparência lenticular, assintomática em 5 olhos (5,4%) e sintomática em 6 olhos (6,5%). Conclusão: O implante de lente fácica de câmara posterior para correção de miopia moderada e alta é um método eficaz, previsível e seguro. O significativo ganho de linhas de visão é uma observação freqüente nesta técnica. Um acompanhamento pós-operatório mais prolongado em um maior número de pacientes é necessário para confirmar a estabilidade dos resultados a longo prazo. Resumo em inglês Purpose: To examine the efficacy, predictability and safety of posterior chamber phakic intraocular lens implantation in patients with moderate and high myopia. Methods: We analyzed the results of 93 eyes of 54 patients who were submitted to the implantation of a posterior chamber phakic lens for the correction of their myopia. The target postoperative spherical equivalent refraction was emmetropia. Mean follow-up was 9 months (ranging from 1 to 38 months) Results: The me (mais) an preoperative spherical equivalent refraction was -13.56 D (ranging from -5.75 to-20.38 D) and the mean postoperative spherical equivalent at the last visit was -0.92 D (ranging from -3.38 to +1.00 D) with 39 eyes (41.9%) within ± 0.50 D, 64 eyes (68.8%) within ±1.00 D of emmetropia and 88 eyes (94.6%) within ± 2.00 D. A gain of more than two lines of visual acuity was seen in 45.17% (42 eyes) at last examination. Complications occurred in 15 eyes (16.1%): loss of endothelial cells in 2 eyes (2.2%), pupillary block in 2 eyes (2.2%) and loss of crystalline lens transparency in 11 eyes (11.8%) which caused visual symptoms in 6 eyes (6.5%) only. Conclusion: Posterior chamber phakic lens is an effective, predictable and safe method for reducing or correcting moderate and high myopia. Gains in visual acuity were significant. Longer follow-up in a larger number of eyes will help to better address long-term stability of the results.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)