Sample records for isotope composition
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 5 shown.



1

Determinação da composição isotópica de estrôncio em águas naturais: exemplos de sua aplicação em águas subsuperficiais da zona costeira na região Bragantina-PA/ Determination of strontium isotopic composition in natural waters: examples of application in subsurface waters of the coastal zone of Bragantina region, Pará

Bordalo, Adriana Oliveira; Moura, Candido Augusto Veloso; Scheller, Thomas
2007-08-01

Resumo em inglês Analytical procedures used for determining the concentrations and isotope composition of strontium in subsurface waters, by mass spectrometry, are described. Sampling was performed in coastal plateaus, salt marsh and mangrove environments in the coastal region of Pará. Coastal plateau waters have delta87Sr between 1.51 and 6.26‰ and Sr concentration bellow 58 ppb. Salt marsh waters show delta87Sr between 0.55 and 0.90‰ and Sr concentration between 93 and 114 ppm, while (mais) mangrove waters have delta87Sr‰ around zero and Sr concentration above 15 ppm. Differences in the 87Sr/86Sr ratio in these subsurface waters are detected, as well as seasonal variations in the coastal pleteau waters.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Análise da adulteração de méis por açúcares comerciais utilizando-se a composição isotópica de carbono/ Honey adulteration analysis by commercial sugars additions using the stable carbon isotope composition

ROSSI, Nádia F.; MARTINELLI, Luiz A.; LACERDA, Tais H.M.; CAMARGO, Plínio B. de; VICTÓRIA, Reynaldo L.
1999-05-01

Resumo em português O mel é um alimento apreciado por seu sabor característico e pelo seu considerável valor nutritivo. Devido a oferta do produto ser menor que a procura, seu preço é relativamente alto, incentivando sua adulteração. Geralmente, a adulteração do mel é feita através da adição de açúcares comerciais, derivados de cana-de-açúcar e milho. Como essas plantas têm uma composição isotópica do carbono distinta das plantas utilizadas pelas abelhas como fonte de n� (mais) �ctar (flores silvestres, citros e eucaliptos), é possível utilizar a composição isotópica do carbono de amostras de mel para se avaliar a adulteração desse produto por açúcares comerciais oriundos da cana e do milho. Foram analisadas amostras de plantas pertencentes ao ciclo fotos-sintético C3, subprodutos de plantas C4 (açúcares comerciais) e 61 amostras de mel obtidas no mercado. As plantas C3 analisadas apresentaram valores de d13C de -28,9±1,1‰ (n=8), enquanto os açúcares apresentaram valores de -11,1±0,7‰ (n=3). Das 61 amostras de mel analisadas, cerca de 8% (5 amostras) tiveram sinais claros de adulteração. A amostra de número 34 teve um valor igual a -12,9‰, indicando que açúcar puro de cana-de-açúcar ou milho estaria sendo comercializado como mel. As amostras 13, 14, 33 e 54 apresentaram valores iguais a -21,0; -19,9; -21,9 e -17,6‰, respectivamente. Esses valores indicam também adição de açúcares de cana-de-açúcar ou milho, no entanto em menor proporção. A metodologia testada neste trabalho foi aprovada como um método simples, confiável e complementar aos métodos químicos e físicos convencionais visando detectar adulteração de mel. Resumo em inglês Honey is a known product for its nutritional value. Considering that offer is smaller than the market demand, honey is relatively expensive. This fact contribute to the incentive of its adulteration by commercial sugars derived from sugar cane and corn. As these plants have a distinct stable carbon isotope composition than plants commonly used by bees as sources of nectar, it is possible to use the stable carbon isotope composition of honey to detect addition of commercia (mais) l sugar cane and corn sugars. In this study we analyzed samples of C3 plants commonly used by bees, subproducts of C4 plants, and 61 samples of honey. The d13C of C3 plants values had on average of -28.9±1.1‰ (n=8), while the commercial sugars had an average value of -11.1±0.7‰ (n=3). Approximately 8% (5 samples) of the 61 samples analyzed had d13C values that clearly indicated the addition of commercial sugars (adulteration). The sample number 5 had a d13C valor equal to -12.9‰, indicating that it was all made of commercial sugars. The samples numbers 13, 14, 33, and 54 had values equal to -21.0, -19.9, -21.9 and -17.6‰, respectively. These values also indicated the addition of commercial sugars. The methodology used in this study proved to be a valuable and simple complement to the conventional chemical and physical methods normally used to detect honey adulteration.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Determinação da razão isotópica δ13C em bebidas comerciais a base de laranja/ Determination of isotope ratio (δ13C) in commercial orange beverages

Queiroz, Elvio Cardoso; Ducatti, Carlos; Venturini Filho, Waldemar Gastoni; Silva, Evandro Tadeu; Nojimoto, Toshio
2009-08-01

Resumo em português Conduziu-se este trabalho, com o objetivo de quantificar a proporção de carbono de fonte C3 (suco de laranja) e carbono C4 (açúcar de cana) em bebidas comerciais à base de laranja. Foram analisadas isotopicamente 33 diferentes marcas comerciais de bebidas de laranja. A composição isotópica do carbono (δ13C) foi determinada por espectrometria de massa de razão isotópica (IRMS). As equações empregadas para quantificar a proporção da fonte C3 e C4 de carbo (mais) no nas bebidas apresentam fatores de correções baseados na concentração de açúcares redutores totais em relação aos sólidos solúveis. Os sólidos insolúveis (polpa) foram usados como padrão isotópico interno do suco de laranja empregado na formulação da bebida comercial, o que permitiu a quantificação de fonte C3 nessas bebidas. As análises isotópicas das bebidas comerciais mostraram quatro adulterações, sendo uma amostra de suco de laranja integral, uma amostra de suco concentrado, duas amostras de suco adoçado de laranja. Para amostras com ausência de polpa na sua constituição, adotou-se como padrão de fonte C3 o valor isotópico de δ13C -26,19‰, proveniente da compilação de um banco de dados de 31 amostras de sucos puros de laranja provenientes de 12 regiões produtoras do Estado de São Paulo. Nas bebidas denominadas repositores energéticos, bebida mista e "frutas cítricas", o valor isotópico de 13C foi similar ao açúcar de cana (δ13C -12,48‰), indicando pouco suco de fruta em sua formulação. Resumo em inglês This study aimed at quantifying the ratio of the carbon sources C3 (orange juice) and C4 (cane sugar) in orange-based commercial beverages. Orange beverages of 33 different trademarks were isotopically analyzed. Isotope ratio mass spectrometry (IRMS) was used to determine the carbon isotopic composition (δ13C). The equations used to quantify the source of carbon C3 and C4 presented correction factors based on the concentration of total reducing sugars in relation to (mais) soluble solids. The insoluble solids (pulp) were used as internal isotopic standard for the orange juice employed in commercial beverage. The isotope analysis of commercial beverages showed four adulterations: one sample of whole orange juice, one of concentrate juice, and two of sweetened orange juice. For samples with the absence of pulp, we adopted the isotopic value of δ13C -26.19‰ as standard C3 source, by compiling a database of 31 samples of pure orange juice from 12 producing regions of the state of São Paulo. In these beverages (energetic beverage, mixed beverage and "citric fruit"), the isotopic value of 13C was similar to sugar cane (δ13C -12.48‰) showing few fruit juice in its formulation.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Fluxos de nutrientes em larvas de peixes: aplicação de técnicas com marcadores isotópicos e de modelação/ Nutrient fluxes in fish larvae: use of tracer studies and modelling techniques

Conceição, Luís; Morais, Sofia; Aragão, Cláudia
2007-07-01

Resumo em português Um modelo mecanístico que simule o crescimento durante a fase larvar de peixes deverá contribuir para um melhor conhecimento do processo de crescimento e respectivo metabolismo, com a intenção de elucidar as suas necessidades alimentares e desenvolver estratégias de alimentação adequadas. O modelo desenvolvido simula o crescimento e a evolução da composição bioquímica das larvas ao longo do tempo. O modelo depende essencialmente do consumo de alimento, sendo o (mais) s nutrientes absorvidos usados para a produção de energia ou em processos de biossíntese e é baseado na estequiometria do metabolismo intermediário. Simulações utilizando este modelo sugerem que se deve prestar mais atenção a possíveis desequilíbrios no perfil de aminoácidos (AA) e a eventuais excessos de lípidos no alimento usado em cultivo larvares, de forma a optimizar o crescimento. Estudos usando marcadores isotópicos têm sido utilizados para estudar o metabolismo de AA e de lípidos em larvas de peixes e técnicas de modelação foram aplicadas de forma a permitir uma melhor compreensão dos resultados obtidos nestes estudos. A capacidade digestiva, bem como a utilização energética de diferentes AA, ácidos gordos e classes de lípidos, tem sido estudada utilizando a administração de nutrientes marcados (normalmente com 14C) directamente no tubo digestivo, através de um microcapilar. Este método permite a quantificação do nutriente marcado presente nas fezes, retido nos tecidos da larva e catabolizado. Um outro método, combinando a utilização de alimento vivo cujas proteínas estão marcadas com um isótopo estável com uma técnica espectroscópica/espectrométrica, permite a determinação do enriquecimento isotópico de AA individuais e pode ser usado para estimar o perfil ideal de AA indispensáveis na dieta. Em conjunto, estes dois tipos de técnicas de análise de fluxos de nutrientes têm permitido avanços importantes na compreensão da fisiologia da nutrição e crescimento de larvas de peixes. Resumo em inglês A mechanistic simulation model of fish larval growth should contribute to a better understanding of growth and metabolism of fish larvae. It should also assist in studying the nutritional requirements and developing feeding strategies. A model was developed that simulates growth and biochemical composition in time. The model is driven by feed intake, with absorbed nutrients being used for energy production and biosynthesis, based on the stoicheometry of intermediary metab (mais) olism. Model simulations suggest that imbalanced dietary amino acid (AA) profiles and dietary lipid excess may lead to suboptimal growth in fish larvae culture. Tracer studies have therefore been used to study AA and lipid metabolism in fish larvae. In addition, modeling techniques have been also used in these studies, to better interpret results obtained. Digestive capacity, as well as utilization of different AA, fatty acids and lipid classes, has been studied using radiolabeled nutrients (normally with 14C) using a tube-feeding technique. This method allows quantification of the tracer that is present in faeces, retained in tissues and catabolised. Another method, combining the use of live food in which proteins are labeled with a stable isotope and a spectroscopic/spectrometric technique that allows determination of the isotopic enrichment in individual AA, can be used to estimate ideal dietary indispensable AA profiles. Together these two types of techniques that allow the study of nutrient fluxes have lead to important advances in the understanding of fish larvae nutritional physiology and growth.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Dinâmica do ecótono floresta-campo no sul do estado do Amazonas no Holoceno, através de estudos isotópicos e fitossociológicos/ Vegetation dynamics during the Holocene in a forest-savanna transition, Southern Amazon Basin, based on isotope and phytosociological studies

Vidotto, Elaine; Pessenda, Luiz Carlos Ruiz; Ribeiro, Adauto de Souza; Freitas, Hermes Augusto de; Bendassolli, José Albertino
2007-01-01

Resumo em português Com o emprego dos isótopos do carbono (12C, 13C, 14C) da matéria orgânica do solo (MOS) e das plantas, é apresentado um estudo comparativo entre perfis orgânicos de solos formados em depressões de áreas cobertas por ecossistemas de campos e florestas ao sul do estado do Amazonas, visando o entendimento da dinâmica da paleovegetação. A dinâmica da vegetação atual na região foi avaliada utilizando-se estudos fitossociológicos e caracterizações botânica e i (mais) sotópica (delta13C) das espécies de plantas presentes em duas bordas floresta-campo. Teores de carbono orgânico total foram superiores nas camadas superficiais no campo, quando comparados com a floresta. Dados de delta13C associados à cronologia do 14C indicaram predomínio de plantas C3 no início do Holoceno em ambos os ecótonos. Entre aproximadamente 7.000-3.000 anos AP verificou-se a influência crescente de plantas C4, indicando regressão da floresta com possível presença de um clima mais seco. A partir de aproximadamente 3.000 anos AP os dados sugeriram expansão da floresta provavelmente relacionada ao retorno a um clima mais úmido. A presença de algumas espécies características da borda, como a Sclerolobium paniculatum e Himatanthus sucuuba, nos campos, sugere o atual avanço da floresta sobre os mesmos. Estas espécies estariam sendo as bioindicadoras desse avanço. Resumo em inglês This paper presents a comparative study between organic soil horizons formed in depressions located at the forest/savanna boundary in the Southern Amazon Basin. The influence of the paleovegetation dynamics, based on carbon isotope (12C, 13C and 14C) data of soil organic matter (SOM) and plants was evaluated, as well as the present vegetation dynamics, inferred from the modern vegetation structure, composition and phytosociology. The uppermost soil horizon in savanna show (mais) ed higher total carbon content than in forest. 13C and 14C data from soil samples indicated a predominance of C3 plants in the early Holocene. About 7000 to 3000 14C yr BP the influence of C4 plants increased, indicating savanna expansion probably related to a drier climate in the region. Since approximately 3000 14C yr BP, the carbon isotope data suggest the expansion of forest probably due to a wetter climate. The presence of typical boundary plant species (Sclerolobium paniculatum and Himatanthus sucuuba) in the savanna also suggested present forest expansion.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)