Sample records for iodine ions
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Determinação amperométrica de iodeto em soluções expectorantes orais com análise por injeção em fluxo usando a reação iodeto/nitrito/ Amperometric determination of iodide in expectorant oral solution by flow injection analysis using iodide/nitrite reaction

Aguiar, M. A. S.; Berbigão, P. N.; Mori, V.
2006-01-01

Resumo em português Neste trabalho foi desenvolvido um sistema de injeção em fluxo visando à determinação amperométrica de íons iodeto em soluções expectorantes. O método é baseado na reação do iodeto com íons nitrito em meio ácido. O iodo formado é monitorado por amperometria no potencial de +200 mV vs. Ag/AgCl (3 mol L-1), usando um eletrodo de trabalho de disco de platina (RDE) com raio = 0,75 mm adaptado a uma célula eletroquímica "wall-jet". O sistema em fluxo foi usad (mais) o com o carregador impulsionado pela pressão gravitacional dos reagentes (carregador: solução 2 x 10-4 mol L-1 em NaNO2 e 0,2 mol L-1 em H2SO4), na vazão de 4 mL min-1. O método é rápido (acima de 100 injeções h-1) e preciso (RSD = 1,9%; n=10 e C I 8 x 10-6 mol L-1), apresentando um limite de detecção de 20 ng I- ou 8 x 10-7 mol L-1 (3SD). A validação do método proposto foi realizada seguindo as normas USP, ou seja, titulação potenciométrica com AgNO3 0,100 mol L-1 e os resultados obtidos mostraramse concordantes com os valores de referência do fabricante. Resumo em inglês A very simple flow injection amperometric system for determination of iodide in potassium iodide oral solution has been developed. It is based on the reaction of iodide with sodium nitrite in sulfuric acid medium. The iodine formed is amperometrically monitored at +200 mV versus Ag/AgCl with a platinum disk electrode (d = 0.75 mm) adapted in the wall-jet cell. The flow system was used with gravitational pressure propulsion of reagents (carrier solution 2 x 10-4 mol L-1 Na (mais) NO2 and 0.2 mol L-1 H2SO4 ), and a flow rate of 4 mL/min. The method is rapid (up to 100 h-1) and precise (RSD = 1.9 %; for n=10 and C I 8 x 10-6 mol L-1 ) presenting a LD of 20 ng I- or 8 x 10-7 mol L-1 (3 SD). The validation of proposed methods was made by potentiometric titration with 0.100 mol L-1 AgNO3 (USP method) and the result obtained were agreement with the described by specification of the manufacturer.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Enzimas amilolíticas de mandioquinha-salsa (Arracacia xanthorrhiza Bancroft.)/ Amylolytic enzymes from peruvian carrot (Arracaia xanthorrhiza Bancroft.)

Pires, Tatiana da Costa Raposo; Veiga, Erika Matos da; Finardi Filho, Flávio
2002-12-01

Resumo em português O objetivo do presente trabalho foi de caracterizar as enzimas amilolíticas de mandioquinha-salsa (Arracacia xanthorrhiza Bancroft.). Foram realizados ensaios mediante a determinação da atividade enzimática, variando-se as condições do meio, tais como temperatura, pH e concentração de cátions. Em gel de eletroforese foram detectadas três bandas protéicas com intensa atividade hidrolítica. As enzimas apresentaram pH ótimo de atividade em torno de 6,0 e mostrar (mais) am-se mais sensíveis a valores de pH alcalino quando pré-incubadas a 50oC. A temperatura ótima de ativação enzimática foi de 50oC, enquanto aos 70oC, a atividade amilásica foi reduzida em 80%. Em temperaturas altas temperaturas (60 e 70oC), a inativação enzimática ocorreu após 60 e 25min de incubação, respectivamente. Ensaios de estabilidade térmica mostraram que as amilases mantiveram alta atividade após 25h mediante a incubação a 20 e 30oC. Os valores de Km, Vmax e energia de ativação foram de 0,41mg/mL, 1,11mg/mL/min e 7,53kcal/mol, respectivamente. Constatou-se que a presença de Ca+2 ou Mg+2 provoca aumento na atividade amilásica, enquanto íons de Cu+2 causam uma diminuição. Apesar da discreta atividade amilásica apresentada, as enzimas demonstraram ter alta resistência e estabilidade térmicas. Resumo em inglês This investigation was undertaken to characterize amylases from Peruvian carrot (Arracacia xanthorrhiza Bancroft.). Activity assays were performed in different changing pHs, temperatures, time and cation concentrations. PAGE zymograms and the amylase activity essays were detected by starch-iodine complex. The results showed that Peruvian carrot has three amylase components on the crude extract. The enzymes had optimum pH at 6.0. Amylases were more sensitive to basic pH wh (mais) en the pre-incubation occured at 50oC. The best activation temperature occurred at 50oC, whereas at 70oC the amylase activity was reduced by 80%. Assays of thermal stability at 20 and 30oC showed that amylases could maintain high activity following 25 hours of exposure at those temperatures. At higher temperatures, 60 and 70oC, enzymatic inactivation occurred after 60 and 25 minutes, respectively. Km, Vmax and activation energy value were 0.41mg/mL, 1.11mg/mL/min and 7.53kcal/mol, respectively. The presence of Ca+2 or Mg+2 ions increased the amylase activity whereas Cu+2 decreased it. In spite of the rather low amylase activity detected, the enzymes showed high resistance and thermal stability.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)