Sample records for iodine 116
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Desenvolvimento de um método para a determinação da iodúria e sua aplicação na excreção urinária de iodo em escolares brasileiros/ Development of a semi-automated method for measuring urinary iodine and its application in epidemiological studies in brazilian schoolchildren

Esteves, Roberto Z.; Kasamatsu, Teresa S.; Kunii, Ilda S.; Furuzawa, Gilberto K.; Vieira, José Gilberto H.; Maciel, Rui M.B.
2007-12-01

Resumo em português Desenvolvemos método semi-automatizado em placa para a determinação de iodo urinário; utilizamos, primeiramente, a digestão das amostras de urina com persulfato de amônio e, a seguir, estimamos a quantidade de iodo pela redução do sulfato cérico amoniacal. O método foi validado no inquérito nacional de monitoração da deficiência de iodo, realizado em 1994, que empregou um sistema de amostragem mista da população brasileira e analisou a iodúria em 16.803 a (mais) mostras de urina de escolares obtidas por coleta casual. Em 401 municípios estudados encontramos 4 com deficiência de iodo de grau moderado (Almas, Arraias e Paraná, em Tocantins, e Cocos, na Bahia) e 116 de grau leve. Desta forma, este estudo mostrou a presença de regiões com deficiência de iodo em 1994, a despeito do programa de iodação do sal. Dados recentes de outros autores, com número menor de municípios, indicam excesso de ingestão de iodo. Assim, num país de dimensões continentais e heterogêneo como o Brasil, é necessária a realização de avaliações periódicas de amplitude nacional para a verificação da ingestão de iodo da população. O método apresentado neste estudo apresenta as características de simplicidade e eficiência necessários para este tipo de estudo populacional. Resumo em inglês In this study we developed a semi-automated method for the measurement of urinary iodine using firstly ammonium persulfate for digestion of urine followed by estimation of iodine content in the Sandell-Kolthoff reaction, in which iodine acts as a catalyst for the reduction of cerium. This method was validated in the 3rd Brazilian National Survey of iodine deficiency in 1994. We studied 16,803 casual urine samples from schoolchildren of 401 cities and found 4 moderately-de (mais) ficient towns (Almas, Arraias, and Parana, in the State of Tocantins, and Cocos, in the State of Bahia), and 116 mildly-deficient. This work suggests that despite the salt iodization program, there was some iodine-deficient areas in Brazil in 1994. Recent surveys, involving less cities, are indicating an excess of iodine ingestion. Therefore, in a country of continental dimensions and very heterogeneous in terms of public health, periodical evaluations are necessary to monitor the real situation of iodine nutrition in Brazil. The method developed in this paper is suitable for these surveys.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Avaliação etiológica da hipertirotropinemia em crianças com síndrome de Down/ Etiological assessment of hyperthyrotropinemia in children with Down's syndrome

Dias, Vera M. A.; Nunes, Júlio C. R.; Araújo, Sabrina S.; Goulart, Eugênio M. A.
2005-02-01

Resumo em português OBJETIVO: Analisar a prevalência de hipertirotropinemia e estudar sua possível etiologia em crianças com síndrome de Down atendidas na Policlínica Municipal Antônio Cândido, em Belo Horizonte. MÉTODOS: Foram utilizados os dados dos prontuários de todas as crianças com síndrome de Down atendidas na policlínica para o cálculo da prevalência da alteração do hormônio estimulante da tireóide (TSH). As crianças que tiveram TSH elevado (maior que 5 µUI/ml) em (mais) pelo menos um exame foram convocadas para novas dosagens de TSH, T4livre, T4total e auto-anticorpo antiperoxidase (ATPO), realização de ultra-som da tireóide, tireograma com iodo-131 e teste de descarga do perclorato. As alterações encontradas nos exames das crianças que permaneceram com TSH elevado foram comparadas com as das que normalizaram os valores de TSH. RESULTADOS: Foram encontradas, em 169 crianças com síndrome de Down, 86 (50,8%) masculinas, idade entre 1-6 anos (mediana de 4 anos), 67 (39,6%) com TSH aumentado, as quais foram convocadas para novas avaliações, comparecendo 46. Nesses pacientes, o TSH se normalizou em 31 (67,4%); em 11 (23,9%) permaneceu entre 5-10µUI/ml; em três (6,5%) ficou acima de 10 µUI/mL; e em uma (2,2%) constatou-se hipertireoidismo. Os diagnósticos realizados nos pacientes com propedêutica completa (n = 34) foram: bócio (14,7%), hipoplasia (8,8%), tireoidite de Hashimoto (5,9%), defeito na organogênese de iodo (2,9%). Não se evidenciou relação entre as amplitudes dos valores de TSH e a persistência da hipertirotropinemia. Crianças com ATPO positivo estavam associadas a TSH elevado (p = 0,02). CONCLUSÕES: Na síndrome de Down, são freqüentes valores de TSH discretamente elevados e instáveis, sendo suas etiologias variáveis. A presença de ATPO mostrou-se importante no seguimento dessas crianças pelo risco potencial de evolução para doença tireoidiana manifesta. Resumo em inglês OBJECTIVE: To study the prevalence of increased TSH level and its probable cause in children with Down's syndrome treated at Policlínica Antônio Cândido. METHODS: The data were colleted using medical records of 169 patients. Of these, 46 patients, whose TSH increased at some time during their follow-up, were re-evaluated. In these patients, TSH, free T4, total T4 and thyroid peroxidase autoantibody (anti-TPO) levels were measured. Thyroid ultrasound, iodine-131 scintig (mais) raphy, and a perchlorate discharge test were performed. RESULTS: In 169 children, 86 (50.8%) of whom were male, aged between 1-16 years (median 4 years), 67 (39.6%) presented increased TSH levels. Out of these 67 patients, 46 were prospectively studied. In 31(67.4%) of them serum TSH returned to normal levels; in 11, TSH remained between 5 and 10 µU/ml, three (6.5%) had a TSH level over 10 µU/ml and one (2.2%) had hyperthyroidism. The diagnoses in 34 patients who were fully studied were: goiter in five (14.7%); Hashimoto's thyroiditis in four (5.9%); hypoplasia in three (6.5%) and iodide organification defect in one (2.9%). The increased TSH levels had a statistically positive relationship with anti-TPO (p = 0.02), but not with gender, abnormal ultrasound or scintigraphy findings. TSH levels did not have any relationship with persistent hyperthyrotropinemia. CONCLUSIONS: In patients with Down's syndrome, slightly elevated and transient TSH levels are frequently detected. Positive anti-TPO antibody test is a key factor in the follow-up of these patients because of its potential risk of progression to manifest thyroid disease.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)