Sample records for interstitial water
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 3 shown.



1

Meiofauna de praia arenosa da Ilha Anchieta, São Paulo: I. Fatores físicos/ Sandy beach malofauna at Anchieta Island, São Paulo: I. Physical factors

Medeiros, Liliana R. A
1992-01-01

Resumo em português Parâmetros ambientais que influenciam a distribuição de populações do meiobentos litorâneo foram estudados em uma praia arenosa moderadamente exposta, localizada na Ilha Anchieta (23º32'S - 45º04'W), Brasil. Areias média a grossa, probremente selecionadas, com valores baixos de porosidade, teor de água e saturação ocorreram principalmente na porção superior da praia, de declive acentuado. Areias muito finas, bem selecionadas, com os mais altos valores de por (mais) osidade, teor de água e saturação, e menor teor de matéria orgânica, estiveram na porção inferior da praia, de declive suave. Os domínios refletivo e dissipativo puderam ser reconhecidos. No primeiro os sedimentos, mais grosseiros, podem ser, em parte, relictuais; os poros, mais amplos, são adequados à vida intersticial; o hidrodinamismo, mais brando, provavelmente condiciona maior estabilidade relativa e maior isolamento do sistema marinho adjacente. Neste domínio, as temperaturas do estrato superficial do sedimento podem alcançar valores altos. O domínio dissipativo, aqui só parcialmente amostrado, tem areias finas bem selecionadas sujeitas a forças hidrodinámicas mais vigorosas; as temperaturas tendem a apresentar valores menos extremos e mais uniformes. Resumo em inglês As part of a meiofaunistic research, this paper describes some relevant physical factors of a moderately exposed sandy beach located at Anchieta Island (23º32'S - 45º04'W), Brazil. Reflective and dissipative domains could be recognized. These domains differ by the hydrodynamic forces to which they are submitted, grain size and sorting characteristics, pore space available to interstitial life, temperature, water and organic contents, relative stability, isolation from the adjacent marine system, and historical aspects.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Adaptações de plantas submersas à absorção do carbono inorgânico/ Adaptations of submerged plants to inorganic carbon uptake

Pierini, Sandra Andréa; Thomaz, Sidinei Magela
2004-09-01

Resumo em português No presente trabalho são discutidos alguns aspectos teóricos dos mecanismos e adaptações empregados pela vegetação submersa para maximizar o aproveitamento do carbono inorgânico na água. O tipo de estratégia utilizada pelas macrófitas aquáticas submersas deve-se a diferenças genéticas entre as espécies e também às condições ambientais predominantes. Vários mecanismos fisiológicos e morfológicos, como a utilização do metabolismo C4, do ácido das cra (mais) ssuláceas (CAM), a utilização do bicarbonato (HCO3-), a utilização do CO2 da água intersticial do sedimento e o desenvolvimento de folhas aéreas foram considerados as principais adaptações para evitar a limitação do carbono no ambiente aquático. De relevância ecológica, a utilização destas diferentes estratégias pode compensar baixas ofertas de CO2 às taxas fotossintéticas de várias espécies submersas e suprimir a fotorrespiração por garantir altas concentrações intracelulares de CO2. Assim, estes mecanismos são responsáveis, em parte, pelo sucesso das macrófitas aquáticas submersas em ambientes oligotróficos, com baixas concentrações de CO2. Resumo em inglês In this paper, the main theoretical aspects of the mechanisms and adaptations used by submerged vegetation to maximize the utilization of inorganic carbon are discussed. The type of strategy used by submerged plants is related to both genetic differences among species and environmental conditions. The use of C4 metabolism and crassulacean acid metabolism (CAM), uptake of bicarbonate (HCO3-), uptake of CO2 from interstitial (sediment) water and the development of aerial le (mais) aves are considered the main physiological and morphological adaptations to avoid CO2 limitation. These mechanisms are ecologically important given that their utilization overcome the low CO2 availability to several submerged species. In addition, they suppress the photorespiration by increasing the intracellular CO2 concentrations. Thus, these mechanisms are considered among the main reasons to explain the success of submerged plants even in CO2-poor, oligotrophic aquatic ecosystems.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Rotura de um Cabo de Catamarã Devido a Corrosão e Fadiga/ Ship Cable Failure Induced by Corrosion and Fatigue

Ferraz, M. Teresa; Faustino, João; Magalhães, M. Teresa
2010-03-01

Resumo em português Analisaram-se as causas da rotura prematura da peia da barra de união dos cascos de um catamarã. Esta era constituída por um cabo, com diâmetro de 16 mm, composto por 19 arames de aço inoxidável de 3 mm de diâmetro, dispostos num enrolamento Warrington de duas camadas. O cabo estava cravado na extremidade de um perno roscado de aço inox que o ligava à barra e o mantinha esticado. A rotura ocorreu no encastramento. Uma parte dos arames fracturou por fadiga e as fi (mais) ssuras iniciaram-se na superfície lateral dos arames, onde se observaram picadas de corrosão formadas em zonas de contacto entre arames ou paredes do tubo, por acção da água do mar, temperatura ambiente, desgaste e esforços aplicados. Recomendou-se a revisão do projecto da peia de forma a eliminar a acumulação de água do mar na parte encastrada. Resumo em inglês The causes of failure of a gripping cable from a catamaran hull coupling bar were investigated. The 16 mm diameter single strand cable, composed of 19 stainless steel wires, was kept stretched through a threaded joint. Fractographic macro examination of all wires facture surfaces and X-ray diffraction of exuded products collected inside the cable allowed the identification of a two step process failure: a first stage, where wires mainly from the outer layer of the cable s (mais) uffered from interstitial and/or pitting corrosion, followed by slow crack propagation inwards wire section until complete rupture of most wires, due to fatigue and corrosion; and a second and last stage where final ductile rupture of the remaining wires, mainly from inner layer, occurred, due to overload. Cracks nucleated inside crevices and pits, which was favoured by cable connecting ends design, exposition to sea water, fretting and applied stresses. A design revision was recommended.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)