Sample records for influenza viruses
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 20 shown. Select sample records:



1

Resistência do vírus da gripe à ação oligodinâmica da prata/ Resistence of the influenza virus to the silver oligodynamic action

Lacorte, J. Guilherme; Monteiro, Estácio; Loures, J. Carvalho
1955-12-01

Resumo em português Tentamos verificar, em algumas séries de experiências a ação oligodinâmica da prata sôbre o vírus da gripe, tipo A, amostra PR8 e tipo A-primo, amostra DL Rio empregando, para tal fim, recipientes, ora recobertos internamente, em delgadíssima camada, pela prata metálica ora contendo-a, sob a forma de pó, de mistura com o próprio material que constitui as paredes do frasco. Neste foi colocado o líquido alantóide contendo vírus verificando-se, de tempos em tem (mais) pos, o seu poder patogênico para camundongos brancos e a persistência do seu poder hemaglutinante. Pelos resultados acima expostos vê-se que o referido vírus nada sofreu pela ação oligodinâmica da prata, nas condições experimentais descritas ao passo que, concomitantemente a mesma teve efeito ràpidamente mortal para bactérias pertencentes às espécies Micrococcus pyogenes e Escherichia coli. Assim sendo, logo se destaca a importância do fenômeno observado sabendo-se, além do mais, que a ação oligodinâmica, letal ou nociva, se tem verificado sôbre os sêres vivos em geral. Verificamos ainda, no decorrer dessas experiências, que a junção de bactérias não alterou a atividade do vírus quer as mesmas se encontrassem vivas quer mortas. As nossas pesquisas prosseguem com outros vírus, os mais diversos, cumprindo-nos salientar, desde logo, que o processo poderá ser empregado para o isolamento dêsses agentes conforme já o verificamos para o da gripe, em experiência acima descrita. Será uma das decorrências práticas da observação que fizemos, dependendo, as demais, de puro interêsse biológico, de investigações subseqüentes, baseadas na observação inicial que ora apresentamos. Resumo em inglês In some experiments we tried to verify the silver oligodynamic action upon the influenza vírus, A type, PR8 strain and A-prime, DL Rio strain. In the tests we used clay pitchers covered in the inside parte with a thin layer of silver or with powdered silver mixed into the clay material. The infected allantoic fluid was put into the pitcher and the pathogenic power for mice and the hemagglutination reaction verified at regular intervals. The results expressed in the table (mais) s indicated that no alterations were presented by the virus in comparison with the controls. Experiments made with Micrococcus pyogenes and Excherichia coli died in 24 to 48 hours. The reported phenomenon is important because we know that the oligodynamic effect is observed upon microorganisms like bacteria, protozoa and other living beings. The alive or dead bacteria didn't alter the referred properties of the virus. We are stil investigating the phenomenon with other viruses and, now, we emphasize that it can be applied for the isolation of viruses as we verified for the influenza virus. This will be one of their practical applications. We think that many others, from the biologic point of view, may arise based on our first observation here presented.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

A reação de fixação do complemento na tipificação de vírus da gripe isolados no Rio de Janeiro/ The complement fixation test in the typefication of influenza viruses isolated in Rio de Janeiro

Lacorte, J. Guilherme
1976-01-01

Resumo em português O autor estudou, pela reação de fixação do complemento, amostras de vírus da gripe isoladas no Rio de janeiro, durante a epidemia de 1973. Preparou imunesoros em hamsters pela inoculação do líquido alantóide de embriões de galinha infectados. o antígeno solúvel foi preparado com líquido obtido da mesma proveniência. As reações foram positivas, em grau variável, com as amostras clássicas PR8, FM1 e Ásia dos subtipos A0,A1 e A2 e as mais recentes A2/Hong (mais) Kong/68 e A2/England/72 e negativa com o anticorpo B/Mass/66. Para as duas variantes do subtipo A2, acima assinaladas e para as 7 amostras isoladas o comportamento foi praticamente o mesmo, não deixando de ser uma reação tipo específica se encararmos, também, as reações obtidas com as demais variantes do tipo A. Resumo em inglês The author studied by the complement fixation test the influenza virus strains isolated in Rio de Janeiro during the 1973 epidemic. He prepared immunesera in hamsters by the inoculation of the allantoic fluid from infected chick embryos with each of the 7 isolated strains and the standard strains. The soluble antigens were prepared with the allantoic fluid of infected chick embryos. The tests were identically positive with the A2/Hong Kong/68 and A2/England/72 antigens an (mais) d negative with the B/Mass/66. The tets were type specific and the behaviour of the A2/Hong Kong/68 and the A2/England/72 and the 7 strains of the isolated viruses was almost the same. They fixed 3 or 4 units of complement. The variants PR8, FM1 and Asia fixed only 2 units of complement.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Ação do radium sôbre o vírus da poliomielite/ Radium effect upon the poliomyelitis virus

Lacorte, J. Guilherme; Monteiro, Estácio; Loures, J. Carvalho
1959-10-01

Resumo em português Em prosseguimento a trabalhos anteriores referentes à ação dos raios X e radium sôbre os vírus, especialmente o da gripe, verificaram os A.A. que o radium exerce, em certas doses, ação excitante sôbre o vírus da poliomielite, como acontecera com as doses fracas de raios X sôbre o vírus da gripe. As experiências que levaram a essas conclusões foram feitas ocm a aplicação de 4 mg de radim contidos em 4 tubinhos verificando-se que, após 127 e 159 dias o víru (mais) s testemunho tinha perdido tôda a atividade, que antes já se mostrara diminuida, ao passo que o submetido à ação do radium mostrou-se sempre mais ativo, assim se conservando integralmente após aquêlo prazo. Na prática, essa observação poderá conduzir a um meio destinado a aumentar a virulência do referido vírus. Resumo em inglês The authors refered the previous publication of the results obtained when the influenza virus in saline suspensios of mice lungs was irradiated with small doses of X rays. The irradiated vírus was more virulent for mice than the control one. The effect of the exposition to 1 mg of radium was not significant. In the present paper the authors refered the experiments made with the poliomyelits virus, MEF1 strain, after exposition to 1 needle of 1 mg of radium and to 4 tubes (mais) of 1 mg of radium. The virus suspension was put into the Carrel flask in a fluid layer of 0,1 cm. The titulations of the irradiated virus suspension activity were made in the first case (exposition to the radium needle) after 7, 13, 20 and 30 days and, in other experiments, after 90, 120, 150 and 182 days of exposition. The results were not statistically significant. In the second case (exposition to the 4 tubes of 1 mg of radium each), after 60 and 90 days of exposition showed more activity than was shown in the control. After 127 and 139 days the control suspension completely lost the activity and the irradiated virus maintained the same infective title. In conclusion, the poliomyelitis virus, MEF1 strain, after radium exposition, in the described experimental conditions, showed higher infective title than the control. This property can be used to increase the virulence of that virus and, possibly of other viruses.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Resistência de alguns vírus à ação oligodinâmica da prata/ Resistence of some viruses to the silver oligodynamic action

Lacorte, J. Guilherme; Monteiro, Estácio; Loures, J. Carvalho
1959-10-01

Resumo em português Tentamos verificar, em algumas experiências, a ação oligodinâmica da prata sôbre os vírus da coriomeningite linfocitária benigna, amostra WE, da poliomielite, amostra MEF1, e da vacina, amostra do Instituto Oswaldo Cruz, como o haviamos feito com o vírus da gripe, amostras PR8 e DL/Rio. Nas provas usamos recipientes de barro, recobertos de fina camada de prata na parede interna, ou aquêles em que a prata, sob a forma de pó se misturava ao próprio barro. Esses r (mais) ecipientes são denominados, no comércio, moringas esterilizantes. Colocou-se, no seu interior, a emulsão a 10% do tecido cerebral contendo o vírus da coriomeningite linfocitária ou da poliomielite, verificando-se o seu poder patogênico para camundongos, em intervalos regulares, pela injeção intracerebral de 0,03 ml do material. Os resultados, que podem ser vistos nos Quadros 1 e 2, indicam que aquêles virus resistem à ação oligodinâmica da prata. No caso do vírus da vacina, a diluição foi colocada, da mesma maneira, nos referidos recipientes. O vírus apresentou, também, completa resistência, conforme se vê nas figuras de 1, 2 e 3. Experiências testemunhas feitas com Micrococcus pyogenes e Escherichia coli, cujas suspensões foram igualmente colocadas nas moringas esterilizantes, revelaram que as bactérias não sobreviviam além de 20 horas. Frizamos, na publicação sôbre vírus da gripe, que o referido fenômeno é importante porque sabemos que o efieto oligodinâmico se observa sôbre microorganismos como bactérias, protozoários e outros seres vivos, alterando as suas propriedades ou matando-os sendo, portanto, interessante sob o ponto de vista biológico. O fenômeno pode ainda ser aplicado para o isolamento de vírus, quando em contaminação com bactérias. Resumo em inglês We have tried to verify, in some experiments, the silver oligodynamic action upon the lymphocytic choriomeningitis virus, WE strain the poliomyelitis virus, MEF1 strain, and the vaccinia virus, Instituto Oswaldo Cruz strain, as we have done with the influenza virus, PR8 strain and DL/Rio strain. In the tests we used clay pitchers covered in the inner surface with a thin layer of silver of with powdered silver mixed with the clay material. The 10 per cent infectious cerebr (mais) al emulsion of the lymphocytic choriomeningitis virus or of the poliomyelitis virus were put into the pitcher and the pathogenic power for mice verified, at regular intervals, by the intracerebral injection of 0,03 ml. The results expressed in the tables 1 and 2 indicates that those viruses resist the silver oligodynamic action. In the case of the vaccinia virus, the dilution was put into the pitcher in the same way. The virus presented, too, complete resistence, as we can see in the figures 1, 2 and 3. Control experiments made with Micrococcus pyogenes and Escherichia coli, put into the pitchers with silver, showed that the bacteriae were dead after 20 hours. As we emphasized in the paper about the influenza viruses, the reported phenomenon is important because we know that the oligodynamic effect is observed upon microorganisms like bacteria, protozoa and other living beeings altering its properties or killing them and, therefore, intersting from the biological point of view. The phenomenon can also be applied to the isolation of viruses with bacterial contamination.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

As novas facetas e a ameaça da gripe aviária no mundo globalizado/ New aspects and the threat of an avian flu epidemic in a globalized world

Granato, Celso F. H.; Bellei, Nancy C. J.
2007-08-01

Resumo em português A influenza ou, como é conhecida comumente, a gripe, é uma doença infecciosa aguda causada por um grupo de vírus (com mesmo nome) que acomete várias espécies de animais, desde felinos até aves, passando por humanos. Há cerca de 10 anos têm sido descritos, inicialmente em Hong Kong, surtos de gripe causados por vírus aviários em populações humanas. A seguir, foram descritos surtos na Holanda e no Canadá. Portanto, indaga-se: o mundo corre o risco de um novo s (mais) urto semelhante ao de 1918, porém com uma população mundial quatro a cinco vezes maior? Qual a velocidade de disseminação desse vírus, visto que as viagens internacionais já não são feitas em navios lentos, mas sim em jatos supersônicos que dão a volta ao mundo em algumas horas? Antes de tudo, o que torna esse vírus tão problemático? Para nós, profissionais de laboratório, é preocupante a questão do diagnóstico etiológico dessas infecções. Como ressaltamos, os quadros de gripe podem ser causados por vários agentes. Portanto, o diagnostico etiológico, básico para intervenções terapêuticas e para que se defina a ocorrência da epidemia, passa a ter relevância ainda maior. Resumo em inglês Influenza, or as it is best known, "flu", is an acute respiratory infection caused by a virus that affects many different animal species from felines to birds, including humans.Ten years ago, initialy in Hong Kong and after that in Holand and Canada, outbreaks of avian flu have been increasingly reported in human beings. The question is innevitable: are we in the surge of a new flu pandemic like the one we had in 1918? The perspective is even worse now that we have five t (mais) imes the world population and the international travels are no longer made in slow-going ships but instead in super fast jet planes. For us, laboratory professionals, the question of the laboratory diagnosis is crucial. Considering that so many different viruses are associated with respiratory infections and therapeutic measures depend on this definition, this subject assumes an even greater interest.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

A medicina e a influenza espanhola de 1918/ Medicine and the 1918 Spanish influenza/ La médecine et l'influenza espagnole de 1918

Silveira, Anny Jackeline Torres
2005-12-01

Resumo em português No início do século XX, a pandemia de gripe espanhola suscitou uma ampla discussão em meio à comunidade cientifica internacional a respeito da sua natureza e do seu agente causal. Através deste artigo, buscamos apresentar algumas das controvérsias que marcaram os debates médicos em torno desta manifestação da influenza, abordando as teorias pré-bacterianas e a noção bacteriana da doença, destacando a proposição de Pfeiffer e a suposição da ação de agentes invisíveis, então chamados vírus filtráveis. Resumo em inglês In the beginning of the 20th century, the Spanish Flu pandemics led to a wide discussion among the international scientific community about the nature and the causal agent of the disease. This paper intends to discuss some of the controversies that characterized the medical discourse about this manifestation of the flu, looking at the pre-bacterial theories and the bacterial notion of the disease, in particular Pfeiffer's proposition, and the supposition of the action of invisible agents, so called filterable viruses.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Influenza/ Influenza

Forleo-Neto, Eduardo; Halker, Elisa; Santos, Verônica Jorge; Paiva, Terezinha Maria; Toniolo-Neto, João
2003-04-01

Resumo em português A influenza (gripe) é doença infecciosa aguda de origem viral que acomete o trato respiratório e a cada inverno atinge mais de 100 milhões de pessoas na Europa, Japão e Estados Unidos, causando anualmente a morte de cerca de 20 a 40 mil pessoas somente neste último país. O agente etiológico é o Myxovirus influenzae, ou vírus da gripe. Este subdivide-se nos tipos A, B e C, sendo que apenas os do tipo A e B apresentam relevância clínica em humanos. O vírus infl (mais) uenza apresenta altas taxas de mutação, o que resulta freqüentemente na inserção de novas variantes virais na comunidade, para as quais a população não apresenta imunidade. São poucas as opções disponíveis para o controle da influenza. Dentre essas, a vacinação constitui a forma mais eficaz para o controle da doença e de suas complicações. Em função das mutações que ocorrem naturalmente no vírus influenza, recomenda-se que a vacinação seja realizada anualmente. No Brasil, segundo dados obtidos pelo Projeto VigiGripe - ligado à Universidade Federal de São Paulo -, verifica-se que a influenza apresenta pico de atividade entre os meses de maio e setembro. Assim, a época mais indicada para a vacinação corresponde aos meses de março e abril. Para o tratamento específico da influenza estão disponíveis quatro medicamentos antivirais: os fármacos clássicos amantadina e rimantidina e os antivirais de segunda geração oseltamivir e zanamivir. Os últimos, acrescentam alternativas para o tratamento da influenza e ampliam as opções disponíveis para o seu controle. Resumo em inglês Influenza (flu) is an acute contagious viral infection characterized by inflammation of the respiratory tract that every winter affects more than 100 million people in Europe, Japan and the United States of America, also being responsible for several thousand of excess deaths (data from the United States reveal between 20,000 to 40,000 excess deaths annually). The Mixovirus influenzae is the agent that causes influenza, commonly called flu. There are 3 types of influenza (mais) virus: A, B, C, and only types A and B are perceived to be clinically relevant in humans. Due to the segmented nature of its genetic material, the influenza virus is highly mutagenic, causing frequent insertion of new antigenic strains into the community, against which the population presents no immunity. Presently, there are few options for the control of influenza and annual immunization is the most effective means to prevent disease and its complications. In Brazil, according to data collected by the VigiGripe's Project - linked to the Federal University of Sao Paulo -, circulation of the influenza virus also has a seasonal pattern, with peak activity occurring between May and September. Yearly vaccination is, therefore, best indicated on March and April. Currently, there are four medications available for the treatment of influenza viruses: amantadine and rimantadine, and two second generation pharmaceutical products, the neuraminidase inhibitors, oseltamivir and zanamivir. The latter two drugs have set the stage for a new approach to the management and control of influenza infections.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Vigilância de oito vírus respiratórios em amostras clínicas de pacientes pediátricos no sudeste do Brasil/ Surveillance of eight respiratory viruses in clinical samples of pediatric patients in Southeast Brazil

Thomazelli, Luciano M.; Vieira, Sandra; Leal, Andrea L.; Sousa, Thereza S.; Oliveira, Daniele B. L.; Golono, Miguel A.; Gillio, Alfredo E.; Stwien, Klaus E.; Erdman, Dean D.; Durigon, Edison L.
2007-10-01

Resumo em português OBJETIVO: Detecção de oito vírus respiratórios mais comuns: vírus respiratório sincicial humano (VRSH), vírus influenza tipo A e B (IA e IB), vírus da parainfluenza 1, 2 e 3 (VPIH1, 2 e 3), adenovírus (Ad) e metapneumovírus humano (MPVH), a fim de estabelecer a etiologia das infecções respiratórias agudas (IRA) e a epidemiologia desses vírus em crianças pequenas atendidas no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo, em São Paulo, Brasil, duran (mais) te o ano de 2003. MÉTODOS: A vigilância epidemiológica foi realizada em todas as crianças menores de 5 anos hospitalizadas por causa de doenças do trato respiratório inferior (DTRI) entre 1º de janeiro de 2003 e 20 de dezembro de 2003, no hospital universitário. Amostras coletadas de nasofaringe foram analisadas quanto à presença de vírus respiratórios através da reação em cadeia da polimerase e detectadas pelo programa GeneScan. RESULTADOS: Das 336 amostras coletadas, 187 (55,6%) foram positivas para pelo menos um dos vírus respiratórios estudados. De todas as crianças, o VRSH foi identificado em 24,1%, o MPVH em 17,8%, o VPIH3 em 8,3%, o Ad em 6,8%, o IA em 5%, o VPIH1 em 0,6%, sendo que nenhum vírus foi detectado em 44,1%. Infecções virais duplas foram detectadas em 7,1% de todas as amostras (12,8% das amostras positivas). O VPIH2 e o IB não foram detectados no presente estudo. CONCLUSÕES: Este estudo confirma que as crianças menores de 5 anos, e especialmente aquelas menores de 1 ano, apresentam uma alta taxa de hospitalização devido aos seguintes vírus: VRSH, MPVH, VPIH, influenza e adenovírus. Foi possível determinar a etiologia e epidemiologia da maioria das IRAs e traçar o perfil de sazonalidade dos vírus respiratórios mais comuns entre as crianças pequenas. Resumo em inglês OBJECTIVE: Detection of the eight most common respiratory viruses: Human respiratory syncytial virus (HRSV), influenza virus A and B (IA and IB), parainfluenza viruses 1, 2 and 3 (HPIV1, 2 and 3), adenovirus (Ad) and human metapneumovirus (HMPV), in order to establish the etiology of acute respiratory infections (ARIs) and the epidemiology of these viruses in young children seen at Hospital Universitário, Universidade de São Paulo, in São Paulo, Brazil, during 2003. ME (mais) THODS: The epidemiological surveillance was conducted in all children younger than 5 years hospitalized at the Hospital for lower respiratory tract infections (LRTI) from January 1, 2003 to December 30, 2003. Nasal and throat samples were scanned for respiratory viruses by polymerase chain reaction and detected by the GeneScan assay. RESULTS: Of 336 samples collected from 336 patients, 187 (55.6%) were positive for at least one of the respiratory viruses studied. Of all the children, HRSV was identified in 24.1%, HMPV in 17.8%, HPIV3 in 8.3%, Ad in 6.8%, IA in 5%, HPIV1 in 0.6%, but no virus could be detected in 44.1%. Dual virus infections were detected in 7.1% of all samples (12.8% of positive samples). HPIV2 and IB were not detected in the present study. CONCLUSIONS: This study confirms that children younger than 5 years and particularly younger than 1 year have a high hospitalization rate due to HRSV, HMPV, HPIV, influenza and adenovirus. We were able to determine the etiology and epidemiology of most ARIs and trace the seasonal profile of the commonest respiratory viruses among young children.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Tendência da mortalidade por doenças respiratórias em idosos antes e depois das campanhas de vacinação contra influenza no Estado de São Paulo - 1980 a 2004/ Respiratory mortality trend in the elderly before and after influenza vaccination campaigns, State of São Paulo - 1980 to 2004

Donalisio, Maria Rita; Francisco, Priscila Maria Stolses Bergamo; Latorre, Maria do Rosário Dias de Oliveira
2006-03-01

Resumo em português Trata-se de estudo ecológico de série temporal onde foi analisada a tendência das taxas de mortalidade por doença respiratória padronizadas de 1980 a 2004, examinando-se o período antes e depois das campanhas de vacinação do idoso contra influenza. As taxas de mortalidade mostram queda nos dois anos posteriores às campanhas vacinais, 2000 e 2001, seguida de recuperação a níveis similares aos anteriores a 1999. Observou-se tendência de aumento após 2002 para (mais) ambos os sexos, embora a magnitude das taxas médias de mortalidade entre homens seja maior que nas mulheres. Esse aumento é mais evidente entre os maiores de 75 anos. As coberturas vacinais foram crescentes no período, porém não se disponha de dados sobre homogeneidade e coberturas específicas por faixa etária. Foram aventadas hipóteses para explicar a inversão da tendência, entre elas a circulação de outros vírus de tropismo respiratório (sincicial respiratório, parainfluenza, adenovírus) após 2002, a precocidade da circulação do vírus influenza A em 2004 (semana 17), a influência de fatores ambientais (poluição e baixas temperaturas), não analisados neste trabalho. Reforça-se a vigilância etiológica das síndromes gripais na comunidade, além da incorporação sistemática pela vigilância epidemiológica de indicadores ambientais e de cobertura vacinal mais detalhados. Resumo em inglês This is a time-trend ecological study to analyze respiratory disease mortality rates from 1980 to 2004. The periods before and after influenza vaccination campaigns for the elderly were examined. In the two years after the campaigns (2000 and 2001), mortality rates decreased, followed by a recovery to levels similar to 1999. This trend is observed for both genders after 2002, although the magnitude of average mortality rates in men is higher than in women. This increase i (mais) s more evident in individuals over 75 years. Vaccination coverage grew after 2002, even though there are no age-specific vaccine coverage data, or information about vaccination homogeneity in the community. Some hypotheses to explain the inversion of these trends were raised: circulation of others respiratory viruses (syncytial respiratory virus, parainfluenza, adenovirus), after 2002, premature circulation of influenza A virus in 2004 (week 17), environmental factors (pollution and low temperatures), but they were not analyzed in this paper. Etiologic surveillance of flu-like syndromes in the community, as the systematic incorporation of environment indicators, and more detailed vaccination coverage information by the epidemiological surveillance system are emphasized.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

10

Tendência da mortalidade por doenças respiratórias em idosos antes e depois das campanhas de vacinação contra influenza no Estado de São Paulo - 1980 a 2004/ Respiratory mortality trend in the elderly before and after influenza vaccination campaigns, State of São Paulo - 1980 to 2004

Donalisio, Maria Rita; Francisco, Priscila Maria Stolses Bergamo; Latorre, Maria do Rosário Dias de Oliveira
2006-03-01

Resumo em português Trata-se de estudo ecológico de série temporal onde foi analisada a tendência das taxas de mortalidade por doença respiratória padronizadas de 1980 a 2004, examinando-se o período antes e depois das campanhas de vacinação do idoso contra influenza. As taxas de mortalidade mostram queda nos dois anos posteriores às campanhas vacinais, 2000 e 2001, seguida de recuperação a níveis similares aos anteriores a 1999. Observou-se tendência de aumento após 2002 para (mais) ambos os sexos, embora a magnitude das taxas médias de mortalidade entre homens seja maior que nas mulheres. Esse aumento é mais evidente entre os maiores de 75 anos. As coberturas vacinais foram crescentes no período, porém não se disponha de dados sobre homogeneidade e coberturas específicas por faixa etária. Foram aventadas hipóteses para explicar a inversão da tendência, entre elas a circulação de outros vírus de tropismo respiratório (sincicial respiratório, parainfluenza, adenovírus) após 2002, a precocidade da circulação do vírus influenza A em 2004 (semana 17), a influência de fatores ambientais (poluição e baixas temperaturas), não analisados neste trabalho. Reforça-se a vigilância etiológica das síndromes gripais na comunidade, além da incorporação sistemática pela vigilância epidemiológica de indicadores ambientais e de cobertura vacinal mais detalhados. Resumo em inglês This is a time-trend ecological study to analyze respiratory disease mortality rates from 1980 to 2004. The periods before and after influenza vaccination campaigns for the elderly were examined. In the two years after the campaigns (2000 and 2001), mortality rates decreased, followed by a recovery to levels similar to 1999. This trend is observed for both genders after 2002, although the magnitude of average mortality rates in men is higher than in women. This increase i (mais) s more evident in individuals over 75 years. Vaccination coverage grew after 2002, even though there are no age-specific vaccine coverage data, or information about vaccination homogeneity in the community. Some hypotheses to explain the inversion of these trends were raised: circulation of others respiratory viruses (syncytial respiratory virus, parainfluenza, adenovirus), after 2002, premature circulation of influenza A virus in 2004 (week 17), environmental factors (pollution and low temperatures), but they were not analyzed in this paper. Etiologic surveillance of flu-like syndromes in the community, as the systematic incorporation of environment indicators, and more detailed vaccination coverage information by the epidemiological surveillance system are emphasized.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

11

Síndrome reprodutiva e respiratória dos suínos: uma breve revisão/ Porcine reproductive and respiratory syndrome: a brief review

Kreutz, Luiz Carlos
1998-03-01

Resumo em português A síndrome reprodutiva e respiratória dos suínos (Porcine Reproductive and Respiratory Syndrome - PRRS) é uma doença relativamente nova dos suínos que foi detectada primeiramente em 1985 nos Estados Unidos, e em 1990 no continente Europeu. A síndrome é causada pelo PRRS vírus (PRRSV), o qual foi incluído em uma nova família de vírus, a Arteriviridae. A infecção pelo PRRSV causa problemas reprodutivos em fêmeas gestantes, o quais são caracterizados por abor (mais) tos no final da gestação e/ou parto precoce, onde pode-se observar um elevado numero de fetos mumificados e natimortos; leitões que nascem infectados são fracos e economicamente inviáveis. Os problemas respiratórios causados pela infecção pelo PRRSV podem se manifestar em suínos de todas as faixas etárias, e são semelhantes a influenza. Embora PRRS tem sido detectada na maioria dos países em que a suinocultura tem importância econômica significativa, não há informações publicadas a respeito da doença ou do vírus no Brasil. No entanto, devido as perdas econômicas significativas que essa síndrome causou nos países já afetados, e da possibilidade do vírus ser eventualmente introduzido nos rebanhos brasileiros, é necessário reconhecer a doença imediatamente, e tomar as devidas medidas para o diagnóstico e controle em casos de surtos de problemas reprodutivos e respiratórios. Resumo em inglês Porcine reproductive and respiratory syndrome (PRRS) is a relatively new disease of swine that emerged in the United States in the late 1980s and in Europe in 1990. The syndrome is caused by a virus, the PRRS virus (PRRSV) which has been included into a newly proposed family of viruses, the Arteriviridae. Infection by PRRSV causes reproductive failure in pregnant females, characterized by late term abortion and early farowing, and an increased number of mummified and stil (mais) lborn fetuses; newborn infected piglets are usually weak and unthrifty. Respiratory distress caused by PRRSV infection, characterized by flu-like symptons, can be observed in animals of all ages. Althought PRRS has been diagnosed in almost all pork-producing countries in the world, there is no published information available on the presence of the disease or the virus in Brazil. Nonetheless, because of the significant economic impact that PRRSV infection had on the swine industry of countries already affected, and the possibility of brazilian swine herds becoming infected, it is necessary to recognize the syndrome and take the appropriate measures for diagnosis and control during suspected cases of reproductive and respiratory problems in pigs.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

12

Pneumonias virais: aspectos epidemiológicos, clínicos, fisiopatológicos e tratamento/ Viral pneumonia: epidemiological, clinical, pathophysiological and therapeutic aspects

Figueiredo, Luiz Tadeu Moraes
2009-09-01

Resumo em português As infecções do trato respiratório são as formas de infecção mais comuns que afetam o homem e, dentre essas, predominam as de causa viral. Os vírus também podem acometer o trato respiratório baixo, causando bronquiolite, bronquite e pneumonia. Neste artigo de revisão, objetivamos mostrar aspectos epidemiológicos, fisiopatológicos, clínicos e do tratamento das pneumonias comunitárias por vírus. Essas pneumonias costumam ser causadas por vírus influenza A e (mais) B; parainfluenza 1, 2 e 3; vírus respiratório sincicial; e adenovírus. Também são apresentados aqui os hantavírus, metapneumovírus e rinovírus causando pneumonia. Resumo em inglês In humans, the most common types of infection are respiratory tract infections, among which viral infections predominate. Viruses can also infect the low respiratory tract, causing bronchiolitis, bronchitis and pneumonia. The objective of this review article was to show epidemiological, pathophysiological, clinical and therapeutic aspects of viral community-acquired pneumonia. These types of pneumonia are commonly caused by influenza A and B; parainfluenza 1, 2 and 3; res (mais) piratory syncytial virus; or adenovirus. We also address the types of pneumonia caused by hantaviruses, metapneumoviruses and rhinoviruses.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

13

O papel de novas vacinas na prevenção da otite média/ The role of new vaccines in the prevention of otitis media

Felix, Felippe; Gomes, Geraldo Augusto; Cabral, Gustavo Augusto Porto Sereno; Cordeiro, Jamerson Reis; Tomita, Shiro
2008-08-01

Resumo em português A Otite Média é uma das doenças infecciosas mais comuns da infância e a diminuição de sua incidência levaria a um grande impacto econômico e social para o mundo. Como uma das formas de prevenção temos as vacinas. As duas vacinas escolhidas para esta revisão são as vacinas antipneumocócica e antiinfluenza. Esta revisão da literatura procurou mostrar os resultados dos principais estudos sobre essas vacinas e seu papel na prevenção da otite média. A vacina a (mais) ntipneumocócica polissacarídea 23-valente não alterou a incidência de otite média pela ineficácia para menores de 2 anos, grupo de maior incidência dessa enfermidade. A vacina antipneumocócica heptavalente, apesar de não provocar grande queda na incidência geral de otite média, mudou o perfil de seus microorganismos causadores, diminuindo os episódios de otite média com efusão e recorrente e aumentando as otites causadas por H. influenza, M. catarrhalis e sorotipos de pneumococo ausentes da vacina heptavalente. A vacina antiinfluenza com vírus inativado mostrou-se efetiva na redução da otite média aguda nos períodos de maior incidência desse vírus. Os otorrinolaringologistas devem estar cientes do papel dessas novas vacinas já disponíveis no Brasil e seu impacto na redução da otite média, para saber orientar adequadamente os seus pacientes. Resumo em inglês Otitis media is one of the most common infectious diseases of infancy; a reduction in its incidence would have a significant economic and social impact. Vaccines may play a role in the prevention of otitis media. This report discusses vaccines against pneumococci and influenza viruses. We reviewed the literature for results of studies examining the role of these vaccines in the prevention of otitis media. The 23-valent polysaccharide anti-pneumococcal vaccine did not modi (mais) fy the incidence of otitis media in children aged 2 years less, the age group with the highest incidence of otitis. The heptavalent anti-pneumococcal vaccine did not significantly reduce the incidence of otitis media overall. This vaccine did, however, reduce the number of episodes of otitis media with effusion and the number of recurrences; it also altered the profile of causative microorganisms by increasing otitis caused by different microorganisms. We found the inactivated anti-influenza virus vaccine to be effective in reducing otitis media during peak incidence periods of influenza. As these new vaccines are currently available in Brazil, otolaryngologists must be aware of their potential role and impact in the reduction of otitis media, to counsel patients appropriately.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

14

Inquérito soroepidemiológico para os vírus influenza em Belém, Pará, Brasil, 1992-1993/ Seroepidemiological survey for influenza virus in Belém, Pará, Brazil, 1992-1993

Santos, Domingos Ezenildo Matos dos; Cardias, Cláudia Alessandra da Silva; Mello, Wyller Alencar de
1997-01-01

Resumo em português Um estudo soroepidemiológico foi realizado para determinar a prevalência de anticorpos IH para os sorotipos de influenza circulantes entre pacientes atendidos no Laboratório de Virologia do IEC, em Belém, PA, Brasil, em 1992 e 1993. Um total de 179 (11%) amostras de sangue foi coletado durante período pós-epidêmico e processado pelo teste da Inibição da Hemaglutinação para os vírus da influenza A/Taiwan/1/86 (H1N1), A/Beijing/353/89 (H3N2) e B/Yamagata/16/88. (mais) Os resultados indicaram a circulação de vírus antigenicamente relacionados aos três sorotipos pesquisados. Em 1992, altas taxas de soropositividade foram observadas para as cepas H1N1 (84%) e H3N2 (56%), bem como anticorpos IH foram detectados em todas as faixas de idade, sugerindo intensa circulação desses vírus. No mesmo ano, a atividade da influenza B revelou-se em níveis moderados. A prevalência de anticorpos IH para os vírus H1N1, em 1993, foi similar à observada em 1992, indicando a circulação desses vírus em ambos os anos. Um aumento na prevalência dos vírus H3N2, em 1993, sugere que a cepa A/Beijing/353/89 (ou uma antigenicamente relacionada) também circulou intensamente naquele ano. Do mesmo modo, a atividade dos vírus da influenza B aumentou em 1993, como apontam as infecções em todas as idades, particularmente entre os adultos jovens. Resumo em inglês A seroepidemiological study was carried out from 1992 to 1993 to estimate the prevalence of antibody to prevailing influenza virus strains circulating among patients attending the IEC Virology Laboratory in Belem, Northern Brazil. A total of 179 (11%) of serum samples were obtained during the post-epidemic period and processed by the hemagglutination inhibition test against the A/Taiwan/1/86 (H1N1), A/Beijing/353/89 (H3N2), and B/Yamagata/16/88 types of influenza virus. T (mais) he serological results indicate circulation of viruses antigenically related to all three strains during the two-year study period. In 1992, the overall prevalence rates of HI antibodies to H1N1 and H3N2 were 84% and 56%, respectively. Presence of antibodies to both strains was detected in all age groups, suggesting intense viral activity that year. Antibodies to influenza B were detected at lower levels in all patients during this period. Similar prevalence to the H1N1 virus was noted in 1993, indicating that this strain occurred in both years. However, an increase in prevalence rates for the H3N2 virus was seen in 1993, suggesting that this strain (or a related virus) circulated intensively during this year. Influenza B activity also increased in 1993, causing infection mainly among young adults.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

15

Inquérito soroepidemiológico para os vírus influenza em Belém, Pará, Brasil, 1992-1993/ Seroepidemiological survey for influenza virus in Belém, Pará, Brazil, 1992-1993

Santos, Domingos Ezenildo Matos dos; Cardias, Cláudia Alessandra da Silva; Mello, Wyller Alencar de
1997-01-01

Resumo em português Um estudo soroepidemiológico foi realizado para determinar a prevalência de anticorpos IH para os sorotipos de influenza circulantes entre pacientes atendidos no Laboratório de Virologia do IEC, em Belém, PA, Brasil, em 1992 e 1993. Um total de 179 (11%) amostras de sangue foi coletado durante período pós-epidêmico e processado pelo teste da Inibição da Hemaglutinação para os vírus da influenza A/Taiwan/1/86 (H1N1), A/Beijing/353/89 (H3N2) e B/Yamagata/16/88. (mais) Os resultados indicaram a circulação de vírus antigenicamente relacionados aos três sorotipos pesquisados. Em 1992, altas taxas de soropositividade foram observadas para as cepas H1N1 (84%) e H3N2 (56%), bem como anticorpos IH foram detectados em todas as faixas de idade, sugerindo intensa circulação desses vírus. No mesmo ano, a atividade da influenza B revelou-se em níveis moderados. A prevalência de anticorpos IH para os vírus H1N1, em 1993, foi similar à observada em 1992, indicando a circulação desses vírus em ambos os anos. Um aumento na prevalência dos vírus H3N2, em 1993, sugere que a cepa A/Beijing/353/89 (ou uma antigenicamente relacionada) também circulou intensamente naquele ano. Do mesmo modo, a atividade dos vírus da influenza B aumentou em 1993, como apontam as infecções em todas as idades, particularmente entre os adultos jovens. Resumo em inglês A seroepidemiological study was carried out from 1992 to 1993 to estimate the prevalence of antibody to prevailing influenza virus strains circulating among patients attending the IEC Virology Laboratory in Belem, Northern Brazil. A total of 179 (11%) of serum samples were obtained during the post-epidemic period and processed by the hemagglutination inhibition test against the A/Taiwan/1/86 (H1N1), A/Beijing/353/89 (H3N2), and B/Yamagata/16/88 types of influenza virus. T (mais) he serological results indicate circulation of viruses antigenically related to all three strains during the two-year study period. In 1992, the overall prevalence rates of HI antibodies to H1N1 and H3N2 were 84% and 56%, respectively. Presence of antibodies to both strains was detected in all age groups, suggesting intense viral activity that year. Antibodies to influenza B were detected at lower levels in all patients during this period. Similar prevalence to the H1N1 virus was noted in 1993, indicating that this strain occurred in both years. However, an increase in prevalence rates for the H3N2 virus was seen in 1993, suggesting that this strain (or a related virus) circulated intensively during this year. Influenza B activity also increased in 1993, causing infection mainly among young adults.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

16

Infecções virais e depressão/ Viral infections and depression

Stumpf, Bárbara Perdigão; Rocha, Fábio Lopes; Proietti, Anna Bárbara de Freitas Carneiro; Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em HTLV-1/2
2006-01-01

Resumo em português OBJETIVO: A associação entre depressão e viroses é estudada há quase dois séculos, com resultados conflitantes. O objetivo deste trabalho é fazer uma análise crítica dos estudos existentes na literatura sobre essa relação. MÉTODOS: A pesquisa bibliográfica utilizou as fontes eletrônicas de busca MEDLINE e LILACS (1966 a agosto 2005). As referências dos artigos foram utilizadas como fonte adicional de consulta. RESULTADOS: Foram abordados os trabalhos que tr (mais) ataram da associação entre depressão e os vírus HIV, HCV, EBV, influenza, HSV, HBV, HAV, BDV e HTLV. A relação entre HIV e depressão mostrou-se bem documentada na literatura. Existem indícios de que a prevalência desse transtorno nos indivíduos infectados pelo HIV seja maior que a encontrada nos soronegativos. Além disso, estudos constataram que a depressão está associada a pior prognóstico da infecção. Quanto à associação entre HCV e depressão, os trabalhos sugeriram maior prevalência desse transtorno psiquiátrico nos portadores do HCV comparados à população geral. Não existem evidências científicas suficientes para dar suporte à relação entre os demais vírus e depressão. CONCLUSÃO: As associações mais bem fundamentadas foram aquelas entre depressão e os vírus HIV e HCV. A relação entre as demais viroses e depressão precisa ser mais bem estudada, e trabalhos com delineamento adequado se fazem necessários. Resumo em inglês OBJECTIVE: The association between depression and viruses has been evaluated for almost two centuries now, with conflicting results. The objective of the present study is to perform a critical review of published studies in the literature about this relationship. METHODS: Databases MEDLINE and LILACS were searched between 1966 and 2005 (until August). The references of the articles were used as additional source of data. RESULTS: Studies about the link between depression (mais) and infection with viruses HIV, HCV, EBV, influenza, HSV, HBV, HAV, BDV and HTLV were analyzed. The association between HIV and depression was well documented in literature. There are evidences that the prevalence of this disorder in HIV-infected individuals is greater than that found in seronegatives. Moreover, studies concluded that depression is associated with a worse course of infection. Regarding the link between HCV and depression, studies suggested a greater prevalence of this psychiatric disorder in HCV-infected people compared with general population. There is not enough scientific evidence to support the association between other viruses and depression. CONCLUSION: The best-studied relationships were those between depression and viruses HIV and HCV. Regarding the association of other viruses with depression, more research is needed.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

17

Incidência de infecção viral do trato respiratório em asma aguda atendida em sala de emergência/ Incidence of viral infection of the respiratory tract in acute asthma patients treated in the emergency room

Rocha, Ivete Terezinha Machado da; Menegotto, Diego; Hoffmann, Cristiane Feliciati; Menna-Barreto, Sergio Saldanha; Dalcin, Paulo de tarso Roth; Straliotto, Selir Maria; Kang, Suzie Hyona; Pasin, Lilian Rech; Fischer, Josiane; Nieto, Fabiane
2005-10-01

Resumo em português OBJETIVO: Avaliar a incidência de infecção viral em asma aguda em pacientes atendidos em setor de adultos de um serviço de emergência. MÉTODOS: Conduzimos um estudo de coorte de pacientes que se apresentaram com asma aguda no setor de adultos do Serviço de Emergência do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (idade > 12 anos). Um aspirado nasofaríngeo foi obtido para detecção de antígenos com a técnica de coloração de imunofluorescência indireta para os ví (mais) rus sincicial respiratório, adenovírus, influenza e parainfluenza tipos 1, 2, 3 e 4. Foram coletados dados referentes a características demográficas, história médica pregressa, crise que levou à atual visita ao serviço de emergência e desfechos da crise. RESULTADOS: No período de março a julho de 2004, 49 pacientes foram examinados para infecção viral do trato respiratório. Foram identificados vírus respiratórios em 6 pacientes (3 com adenovírus, 2 com influenza A e 1 com parainfluenza tipo 1). Os pacientes com infecção viral do trato respiratório apresentaram média de idade de 61,7 ± 11,5 anos, enquanto que os pacientes sem infecção viral apresentaram média de idade de 41,7 ± 20,9 anos (p = 0,027). Não houve outras diferenças significativas quanto às características clínicas e desfechos. CONCLUSÃO: Este estudo mostra uma incidência de 12,24% de infecção viral do trato respiratório na asma aguda em pacientes com idade igual ou maior que doze anos atendidos em sala de emergência, o que confirma a infecção viral como um desencadeante nessa faixa etária. Resumo em inglês OBJECTIVE: To evaluate the incidence of viral infection in patients with acute asthma treated in the emergency room. METHODS: We conducted a cohort study of patients aged 12 and older presenting to the emergency room of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre with acute asthma. Nasopharyngeal aspirate was collected, and antigens were detected through indirect immunofluorescence staining for respiratory syncytial virus, adenovirus and influenza, as well as for parainflue (mais) nza types 1, 2, 3 and 4. Data were collected regarding demographic characteristics, medical history, the attack that led to the current emergency room visit, and clinical outcomes. RESULTS: From March to July of 2004, 49 patients were examined for viral infection of the respiratory tract. Respiratory viruses were identified in 6 patients (3 with adenovirus, 2 with influenza A, 1 with parainfluenza type 1). The mean age of the patients with viral infection of the respiratory tract was 61.7 ± 11.5 years, compared with 41.7 ± 20.9 years for the patients without such infection (p = 0.027). There were no other significant differences in clinical characteristics or outcomes. CONCLUSION: The incidence of viral infection of the respiratory tract in acute asthma patients 12 years and older treated in an emergency room was 12.2%, which confirms that viral infection is a significant precipitant of acute asthma for patients in this age bracket.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

18

Identificação e monitorização do vírus Influenza A e B, na população de Maceió/ Influenza virus A and B identification and monitoring in the population of Maceió

Oliveira, Jefferson Francisco de; Sá, Jacqueline Pacífica Oliveira de; Cruz, Maria Eliane de Melo
2004-01-01

Resumo em português Agentes virais, como os vírus da influenza A e B, parainfluenza 1, 2 e 3, adenovírus e o Vírus Respiratório Sincicial (VRS) são responsáveis por surtos de Infecção Respiratória Aguda (IRA), causando uma alta taxa de morbidade e mortalidade, principalmente em crianças e idosos. Este trabalho teve como objetivo o estudo desses vírus, como agentes etiológicos das IRAs em pacientes de todas as idades atendidos no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes/U (mais) FAL e no 2º Centro de Saúde em Maceió (AL). Objetivou-se também avaliar a sazonalidade e a associação entre grupo desses vírus. A pesquisa foi realizada em secreção nasofaríngea eswabcombinado (nasal e oral) de pacientes com sintomatologia de IRA, no período de novembro de 2000 a abril de 2002, pela técnica de imunofluorescência indireta, utilizando um painel de anticorpos monoclonais (AcM). Das 488 amostras analisadas, 207 (42,4%) foram positivas. Destas, 126 (25,8%) corresponderam a infecções pelo vírus da influenza A e 29 (5,9%) corresponderam a infecções concomitantes, sendo 9 (1,8%) por adenovírus e VRS. Também se observou que fatores como idade e sexo não influenciaram os processos de infecção respiratória aguda por vírus respiratório. Resumo em inglês Viral agents, like Influenza virus A and B, Parainfluenza, Adenovirus and Respiratory Syncytial Virus (RSV) are the main cause of acute respiratory infection (ARI) and are held responsible for high levels of morbidity among children and senior citizens. The aim of this study is to evaluate the importance of these viruses as promoters of ARI in patients of all ages from Professor Alberto Antunes University Hospital/UFAL and 2nd State Health Center in Maceió (AL). We will (mais) also study seasonality and association among respiratory virus. Nasopharyngeal secretion samples from children and adults and swabs from adults were collected from patients with ARI complaint from November 2000 to April 2002 and analyzed by Indirect Immunofluorescence, using a screening of monoclonal antibody (AcM) from Chemicon. Respiratory virus was detected in 207 (42.4%) of the 488 samples analyzed. In 126 samples, about half of the cases, the virus detected was the Influenza virus A. Multiple infection was found in 29 (5.9%) samples of which 9 (1.8%) was Adenovirus and SRV. Results for both gender and all age groups were similar so that we concluded that they were not correlated.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

19

Identificação e monitorização do vírus Influenza A e B, na população de Maceió/ Influenza virus A and B identification and monitoring in the population of Maceió

Oliveira, Jefferson Francisco de; Sá, Jacqueline Pacífica Oliveira de; Cruz, Maria Eliane de Melo
2004-01-01

Resumo em português Agentes virais, como os vírus da influenza A e B, parainfluenza 1, 2 e 3, adenovírus e o Vírus Respiratório Sincicial (VRS) são responsáveis por surtos de Infecção Respiratória Aguda (IRA), causando uma alta taxa de morbidade e mortalidade, principalmente em crianças e idosos. Este trabalho teve como objetivo o estudo desses vírus, como agentes etiológicos das IRAs em pacientes de todas as idades atendidos no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes/U (mais) FAL e no 2º Centro de Saúde em Maceió (AL). Objetivou-se também avaliar a sazonalidade e a associação entre grupo desses vírus. A pesquisa foi realizada em secreção nasofaríngea eswabcombinado (nasal e oral) de pacientes com sintomatologia de IRA, no período de novembro de 2000 a abril de 2002, pela técnica de imunofluorescência indireta, utilizando um painel de anticorpos monoclonais (AcM). Das 488 amostras analisadas, 207 (42,4%) foram positivas. Destas, 126 (25,8%) corresponderam a infecções pelo vírus da influenza A e 29 (5,9%) corresponderam a infecções concomitantes, sendo 9 (1,8%) por adenovírus e VRS. Também se observou que fatores como idade e sexo não influenciaram os processos de infecção respiratória aguda por vírus respiratório. Resumo em inglês Viral agents, like Influenza virus A and B, Parainfluenza, Adenovirus and Respiratory Syncytial Virus (RSV) are the main cause of acute respiratory infection (ARI) and are held responsible for high levels of morbidity among children and senior citizens. The aim of this study is to evaluate the importance of these viruses as promoters of ARI in patients of all ages from Professor Alberto Antunes University Hospital/UFAL and 2nd State Health Center in Maceió (AL). We will (mais) also study seasonality and association among respiratory virus. Nasopharyngeal secretion samples from children and adults and swabs from adults were collected from patients with ARI complaint from November 2000 to April 2002 and analyzed by Indirect Immunofluorescence, using a screening of monoclonal antibody (AcM) from Chemicon. Respiratory virus was detected in 207 (42.4%) of the 488 samples analyzed. In 126 samples, about half of the cases, the virus detected was the Influenza virus A. Multiple infection was found in 29 (5.9%) samples of which 9 (1.8%) was Adenovirus and SRV. Results for both gender and all age groups were similar so that we concluded that they were not correlated.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

20

Estudo de infecções respiratórias agudas virais em crianças atendidas em um centro pediátrico em Salvador (BA)/ Hospital study of acute respiratory infections in children of Northeast Brazil

Moura, Fernanda Edna Araújo; Borges, Leonardo Carletto; Souza, Leda Solano de Freitas; Ribeiro, Dulce Helena; Siqueira, Marilda Mendonça; Ramos, Eduardo Antônio Gonçalves
2003-01-01

Resumo em português De janeiro a dezembro de 1998, foram analisados 482 casos de infecção respiratória aguda em crianças atendidas na emergência e nas enfermarias do Centro Pediátrico Professor Hosannah de Oliveira, da Universidade Federal da Bahia, em Salvador. O objetivo deste estudo é conhecer o papel dos vírus na etiologia destas infecções. Secreções nasofaríngeas foram examinadas para detecção viral por imunofluorescência e cultura celular. Vírus foram detectados em 154 (mais) casos (31,9%). O vírus sincicial respiratório (VSR) foi o mais prevalente (55,2%), seguido pelos vírus influenza A (17,5%) e parainfluenza 3 (16,2%), adenovírus (7,1%), influenza B (3,8%) e parainfluenza 1 (0,64%). O período epidêmico de VSR foi relacionado à estação de chuvas. Um surto de influenza foi observado nos meses de setembro a novembro. A maioria das infecções foi representada por infecção de trato respiratório superior (63,3%), enquanto que as infecções de trato respiratório inferior foram detectadas em 177 casos (36,7%). Infecções respiratórias agudas virais foram mais freqüentes em crianças até um ano de idade (72,7%). Resumo em inglês From January to December 1998, 482 cases of acute respiratory infections in children attended at the emergence or pediatric wards of Centro Pediátrico Professor Hosannah de Oliveira, of Universidade Federal da Bahia, in Salvador (Brazil), were analysed. The aim of this study was to know data about the role of viruses in these infections. Nasopharyngeal secretions were examined for viruses by indirect immunofluorescence and cell culture. Viruses were detected in 154 (31.9 (mais) %) cases. Respiratory syncytial virus (RSV) was the most prevalent (55.2%), followed by influenza A (17.5%), parainfluenza 3 (16.2%), adenoviruses (7.1%), influenza B (3.8%) and parainfluenza 1 (0.64 %). The epidemic period of RSV was related to the rainy season. One outbreak of influenza was observed from September to November. The majority of the infections were represented by upper respiratory tract infection (63.3%) while lower respiratory tract infections were detected in 177 (36.7%) cases. Viral acute respiratory infections were more frequent in children until one year of age (72.7%).

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

21

Bronquiolite aguda por rinovírus em lactentes jovens/ Rhinovirus and acute bronchiolitis in young infants

Pitrez, Paulo M. C.; Stein, Renato T.; Stuermer, Larissa; Macedo, Izolete S.; Schmitt, Virgínia M.; Jones, Marcus H.; Arruda, Eurico
2005-10-01

Resumo em português OBJETIVO: Determinar a prevalência de infecção por rinovírus em lactentes menores de 6 meses hospitalizados por bronquiolite aguda. MÉTODOS: Foram selecionados de forma prospectiva lactentes hospitalizados com diagnóstico de bronquiolite aguda, no Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, no período entre maio e setembro de 2002. Foi pesquisada a presença de vírus respiratórios no aspirado nasofaríngeo (ANF), através de im (mais) unofluorescência direta para vírus sincicial respiratório, parainfluenza, influenza e adenovírus. Para detecção do rinovírus, foi utilizada a reação de transcrição reversa, seguida de reação em cadeia da polimerase, específicas para picornavírus, seguidas de hibridização com sonda específica para rinovírus. RESULTADOS: Foram selecionados 45 lactentes hospitalizados com diagnóstico de bronquiolite aguda. A mediana da idade dos pacientes selecionados foi de 2 meses. Foram encontradas amostras positivas para vírus respiratórios em 35/45 (77,8%) casos. Foi detectado mais de um vírus em 7/35 (20%) amostras. Das amostras positivas, o vírus sincicial respiratório foi detectado em 33/35 (94%) casos. O rinovírus foi detectado em 6/35 casos (17%). CONCLUSÕES: O rinovírus foi o segundo agente mais freqüentemente detectado em secreção nasal de lactentes jovens hospitalizados por bronquiolite aguda. Resumo em inglês OBJECTIVE: To determine the prevalence of rhinovirus infection in hospitalized young infants with acute bronchiolitis. METHODS: Hospitalized children with acute bronchiolitis admitted to the Hospital São Lucas/PUCRS between May and September 2002 were selected prospectively. Nasopharyngeal samples were assayed for respiratory syncytial virus, parainfluenza, influenza and adenovirus by immunofluorescence. For rhinovirus test a reverse transcription-polymerase chain reacti (mais) on for picornavirus was used, followed by hybridization with rhinovirus specific probes. RESULTS: Forty-five patients were selected for the study. The median age of the subjects studied was 2 months. Positive samples for respiratory viruses were found in 35/45 (77.8%) subjects and 7/35 (20%) patients had dual infection. Respiratory syncytial virus was detected in 33/35 (94%) cases. Rhinovirus was detected in 6/35 patients (17%). CONCLUSIONS: Rhinovirus was the second most common agent detected in nasal secretions from young infants hospitalized with acute bronchiolitis.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

22

Broncopneumopatias a vírus: análise crítica de alterações histológicas encontradas no estudo de afecções respiratórias não bacterianas na infância

Oliveira, Albanita Viana de; Madi, Kalil; Rodrigues, Murilo Gimenes; Paola, Domingos de
1973-01-01

Resumo em português Os autores apresentam 69 casos de afecções respiratórias em crianças que atribuem a agentes não bacterianos, provavelmente virais. Usam para isto um critério clínico, outro morfológico, em uma revisão de 372 pneumopatias infecciosas em casos de autópsias. Caracterizaram morfologicamente a resposta à agressão viral pela presença de: infiltrado mononuclear intersticial, predominantemente peribronquilar; alterações degenerativas ou mesmo necrose e hiperplasia (mais) do epitélio respiratório; membrana hialina; descamação epitelial; células gigantes sinciciais alveolares e bronquiolares; inclusões nucleares e citoplasmáticas; edema proteináceo alveolar e septal, proliferação intersticial conjuntiva incipiente. Criticam o erro por excesso de diagnósticos de "pneumonia mononuclear intesticial" e o erro por falta quando o acometimento bacteriano dificulta o diagnóstico de lesão atribuível a vírus. Além disso realçam a importância de achado de bonquiolite aguda como fundamental para o diagnóstico. Estas lesões - ao lado de achados clínicos-radiológicos e epidemiológicos - cosntituem o que a experiência adquirida julga como reação do pulmão a vários vírus conhecidos (Adenovírus, Influenza, Parainfluenza, Vírus Sincicial Respiratório e Sarampo). Resumo em inglês 69 cases of respiratory diseases in children are presented and atributed to non-bacterial agents, probably viral. Using clinical and morphological criteria, a review of 372 cases of infections lung diseases was performed in autopsy material. The reaction due to the viral injury is characterized morphologically by interstitial mononuclear infiltration, mainly peribronchiolar; degenerative changes, necrosis and hyperplasia of the respiratory epithelium; hyaline membrane; ep (mais) ithelial desquamation; syncytial giant-cells, alveolar or bronquiolar; nuclear and cytoplasmic inclusions; proteinaceous edema, alveolar and septal; mild intersticial conective tissue proliferation. The overdiagnosis of "mononuclear intesticial pneumonia' is criticized; on the other hand, attention is called to the underdiagnosis of viral pneumonia when bacterial complication difficults its bronchiolitis for morphological diagnosis of viral disease of the lung is stressed. Those lesions - correlated the clinico-radiological and epidemiological findings - constitute which the acquired experience judge as the reaction of the lung to several known viruses (adenovirus, influenza, parainfluenza, sysncytial respiratory virus and measles).

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)