Sample records for humidifiers
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Estudo comparativo entre os sistemas de umidificação aquoso aquecido e trocador de calor e de umidade na via aérea artificial de pacientes em ventilação mecânica invasiva/ Comparative study between heated water humidifiers and hygroscopic heat and moisture exchangers in artificial airways for patients undergoing invasive mechanical ventilation

Galvão, AM; Galindo Filho, VC; Marinho, PEM; Gomes, R; França, EET; Brandão, DC; Santos, BEM; Silva, LAM; Dornelas de Andrade, AF
2006-09-01

Resumo em português CONTEXTO: Nos pacientes recebendo suporte ventilatório invasivo através de tubos endotraqueais é essencial o uso de umidificadores. OBJETIVO: avaliar os níveis de temperatura (T°C) e de umidade relativa (UR) do gás administrado ao paciente em ventilação mecânica através da umidificação aquosa aquecida (UAA) e do filtro trocador de calor e de umidade (FTCU). MÉTODO: Este foi um estudo prospectivo, randomizado, onde foram estudados 20 pacientes divididos em (mais) dois grupos: um grupo usou a UAA (n=10) e o outro grupo (n=10) usou FTCU Hygrobac "S", marca Mallinckrodt®. As variáveis analisadas foram: níveis de temperatura (T) e umidade relativa (UR) do gás, volume minuto (VM), volume corrente (VC) e volume de condensação. RESULTADOS: Verificou-se que o sistema de umidificação aquosa aquecida atingiu temperaturas mais baixas que o filtro trocador (29,01 ± 1,33 °C, versus 30,14 ± 1,24 °C; p Resumo em inglês BACKGROUND: In patients receiving invasive mechanical ventilation through endotracheal tubes, the use of humidifiers is essential. OBJECTIVE: To evaluate temperature and relative humidity levels in the gas administered to patients undergoing mechanical ventilation by means of heated water humidifiers (HWH) and hygroscopic heat and moisture exchangers (HHME). METHOD: This was a prospective randomized study on 20 patients divided into two groups: one group using HWH (n=10) (mais) and the other using the Hygrobac "S" model of HHME, made by Mallinckrodt® (n=10). The variables analyzed were: temperature and relative humidity levels of the gas, minute volume (MV), tidal volume (V T) and condensation volume. RESULTS: It was found that HWH attained lower temperatures than did HHME (29.01 ± 1.33 °C versus 30.14 ± 1.24 °C; p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Ventilação não-invasiva em crianças: uma revisão/ Noninvasive ventilation in children: a review

Loh, Lik Eng; Chan, Yoke Hwee; Chan, Irene
2007-05-01

Resumo em português OBJETIVO: Avaliar o uso de ventilação não-invasiva (VNI) em crianças e sua aplicação na insuficiência respiratória aguda e crônica. FONTES DOS DADOS: Busca de artigos pertinentes no Pubmed, base de dados Cochrane e Ovid MEDLINE entre 1950 e 2007, através do emprego dos termos pediatria, ventilação não-invasiva e pressão positiva nas vias aéreas. SÍNTESE DOS DADOS: Há uma escassez de publicações acerca da VNI em pediatria. A maioria dos dados disponívei (mais) s diz respeito a relatos de caso ou pequenas séries de casos, com apenas alguns estudos randomizados pequenos. CONCLUSÃO: Embora o uso de VNI seja cada vez mais reconhecido em pediatria, atualmente não existem ainda orientações gerais para o seu uso. Nos casos crônicos, seu uso foi eficaz no tratamento de apnéia obstrutiva do sono e na insuficiência respiratória secundária a afecções neuromusculares. Parece que o maior desafio é garantir a adesão ao tratamento e isso pode ser obtido através da instrução do paciente/cuidador, utilização de uma interface adequada, umidificadores aquecidos e minimização dos efeitos colaterais da VNI. Nos casos de insuficiência respiratória aguda, os dados disponíveis parecem indicar que se pode inferir o sucesso do tratamento pela rapidez na resposta terapêutica. Os pacientes submetidos à VNI devem ser monitorados cuidadosamente e essa modalidade de ventilação deve ser reconsiderada caso não haja resposta após algumas horas do início do tratamento. Resumo em inglês OBJECTIVE: To assess the use of noninvasive ventilation (NIV) in children and its application in the acute and chronic setting of pediatric respiratory failure. SOURCES: Search of pertinent articles within Pubmed, Cochrane and Ovid MEDLINE databases from 1950 to 2007, using the keywords "pediatrics", "noninvasive ventilation" and "positive airway pressure". SUMMARY OF THE FINDINGS: There is a paucity of published data on pediatric NIV. The majority of the data available a (mais) re case reports or small case series, with a number of small, randomized studies reported. CONCLUSION: Although the use of NIV is increasingly recognized in pediatrics, there are currently still no generally accepted guidelines for its use. In the chronic setting, its use has mainly been proven in obstructive sleep apnea and respiratory failure secondary to neuromuscular disorders. It would appear that the major challenge is ensuring compliance, and this can be enforced by patient/caregiver education, use of a suitable interface, heated humidifiers and by minimizing the side effects of NIV. In the setting of acute respiratory failure, it would appear from available data that success is usually predicted by the rapidity of response. Patients placed on NIV should be monitored closely and this mode of ventilation should be reviewed if there is a lack of response within a few hours after commencement of therapy.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)