Sample records for hematopoietic system
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 20 shown. Select sample records:



1

Células-tronco de origem hematopoéticas: expansão e perspectivas de uso terapêutico/ Hematopoietic stem cells: expansion and perspectives for therapeutic use

Abdelhay, Eliana S. F. W.; Paraguaçú-Braga, Flávio H.; Binato, Renata; Bouzas, Luis Fernando S.
2009-05-01

Resumo em português A célula-tronco hematopoética (CTH) tem um enorme potencial para reconstituir o sistema hematopoético, o que permitiu o desenvolvimento de estratégias de terapias celulares para doenças neoplásicas ou não. Em paralelo com os avanços clínicos, estudos sobre os mecanismos moleculares que levam as células-tronco hematopoéticas a decidir pela autorrenovação, diferenciação ou apoptose têm contribuído para o conhecimento de como controlar a cinética da CTH. Es (mais) ta revisão tenta descrever como estes novos avanços podem ser utilizados no desenvolvimento de estratégias de expansão das CTHs para uso terapêutico. Resumo em inglês Hematopoietic stem cells (HSCs) have the potential for reconstituting the hematopoietic system a characteristic that has enabled the development of cell based therapies for neoplastic and non-malignant diseases. In parallel with these clinical advances, elucidation of molecular mechanisms controlling self-renewal, differentiation or apoptosis have contributed to our understanding of the molecular events that control HSC kinetics. This review focuses on how these advances can be translated in new strategies for HSC expansion and their use in therapies.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Achados de necropsia relacionados com a morte de 335 eqüinos: 1968-2007/ Necropsy findings related to the cause of death in 335 horses: 1968-2007

Pierezan, Felipe; Rissi, Daniel R.; Rech, Raquel R.; Fighera, Rafael A.; Brum, Juliana S.; Barros, Claudio S.L.
2009-03-01

Resumo em português Os protocolos de necropsia de 335 eqüinos necropsiados no LPV-UFSM entre 1968-2007 foram revisados com o objetivo de determinar os achados de necropsia relacionados com a causa da morte ou razão de eutanásia. A distribuição desses achados de acordo com os sistemas afetados foi a seguinte: digestivo (79/335 [23,6%]), músculo-esquelético (47/335 ([14,0%]), nervoso (37/335 [11,0%]), respiratório (35/335 [10,4%]), tegumentar (31/335 [9,3%]), hematopoético (24/335 [7, (mais) 2%]), cardiovascular (13/335 [3,9%]), reprodutor (12/335 [3,5%]), urinário (7/335 [2,1%]) e endócrino (3/335 [0,9%]). Não foi possível determinar a causa da morte em 47 (14,0%) eqüinos necropsiados. As principais afecções do sistema digestivo foram as alterações na posição dos intestinos (17/79 [21,5%]), seguidas pelas obstruções e impactações (14/79 [17,7%]). As torções foram as principais alterações da posição dos intestinos (14/17 [82,4%]). Dentre as torções, as mais prevalentes foram as localizadas no intestino delgado (7/14 [50%]). A maioria dos eqüinos que morreram em razão de fratura óssea tinham idades entre 1-5 anos. As duas doenças mais freqüentemente diagnosticadas no sistema nervoso foram leucoencefalomalacia e tripanossomíase. Depressão respiratória causada por anestesia foi a principal causa de morte relacionada com o sistema respiratório. A anemia infecciosa eqüina foi a doença infecciosa mais diagnosticada e a principal razão para eutanásia observada neste estudo. Resumo em inglês The necropsy reports of 335 horses necropsied at the LPV-UFSM between 1968-2007 were reviewed in order to determine the necropsy findings related with cause of death or reason for euthanasia. The distribution of these findings by organ system were as follows: digestive (79/335 [23.6%]), striated muscle and skeleton (47/335 [14.0%]), nervous (37/335 [11.0%]), respiratory (35/335 [10.4%]), integument (31/335 [9.3%]), hematopoietic (24/335 [7.2%]), cardiovascular (13/335 [3. (mais) 9%]), reproductive (12/335 [3.5%]), urinary (7/335 [2.1%]), and endocrine (3/335 [0.9%]). The cause of death was not possible to be determined in 47 (14.0%) necropsied horses. Displacements of the intestines (17/79 [21.5%]) were the main findings in digestive system, followed by obstruction and impactation (14/79 [17.7%]). Torsion were the type of displacement more frequently observed in the intestines (14/17 [82.4%]). Among those the more prevalent affected the small intestine (7/14 [50%]). Most horses dying from fractured bones were 1-5-year-old. The most prevalent diseases in the nervous system were leukoencephalo-malacia and trypanosomiasis, whereas respiratory depression due to anesthesia was the leading cause of death related to the respiratory system. Equine infectious anemia was the most diagnosed infectious disease and the main reason leading to euthanasia.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Hemoglobinúria paroxística noturna e gravidez/ Paroxysmal nocturnal hemoglobinuria in pregnancy

Nomura, Marcelo Luís; Surita, Fernanda Garanhani de Castro; Parpinelli, Mary Angela; Carvalho, Egle Cristina Couto; Passini Júnior, Renato
2004-08-01

Resumo em português A hemoglobinúria paroxística noturna é doença rara, causada por mutação adquirida de um gene no sistema hematopoético com 16-18% dos casos diagnosticados durante a gravidez. Descrevemos dois casos de gestantes portadoras de hemoglobinúria paroxística noturna com diagnóstico anterior à gestação. A mortalidade materna é de 8-10%, devido principalmente a tromboembolismo e, em menor escala, transformação leucêmica. As perdas fetais chegam a 30% das gestaçõe (mais) s. Estes dois casos ilustram situação grave e extremamente complexa, que é a conduta obstétrica em mulheres portadoras de doença hematológica muito rara, grave e potencialmente fatal. Com uma abordagem multidisciplinar em serviços terciários é possível obter bons resultados maternos e perinatais. Resumo em inglês Paroxysmal nocturnal hemoglobinuria is a rare disease caused by an acquired gene mutation of the hematopoietic system, with 16-18% of the cases diagnosed during pregnancy. We describe two cases of pregnancy in women with paroxysmal nocturnal hemoglobinuria. Maternal mortality reaches 8-10%, mainly due to thromboembolism and, less frequently, to leukemic transformation. Fetal losses may reach 30%. These two cases illustrate a serious and extremely complex situation, which (mais) is the obstetrical management of a patient with a very rare, serious and potentially fatal hematological condition. Using a multidisciplinary approach in tertiary care centers, it is possible to attain good maternal and perinatal outcomes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

A telomerase em células-tronco hematopoéticas/ Telomerase in hematopoietic stem cells

Perini, Silvana; Silla, Lúcia M. R.; Andrade, Fabiana M.
2008-02-01

Resumo em português A proliferação das células-tronco hematopoéticas sofre a perda dos telômeros a cada divisão celular. Alguns autores discordam quanto à perda ou não do potencial proliferativo e capacidade de auto-renovação das células mais diferenciadas. Revisaremos aqui o papel da telomerase na biologia do sistema hematopoético, na diferenciação normal ou maligna, assim como no envelhecimento das células-tronco hematopoéticas. A constante renovação celular requerida pel (mais) a hematopoese confere às células-tronco embrionárias, assim como à maioria das células tumorais, um aumento da capacidade proliferativa marcada pela detecção da enzima telomerase e possível manutenção dos telômeros. Estudos clínicos se farão necessários para esclarecer melhor a atividade da telomerase em células-tronco hematopoéticas, seu possível uso como marcador de diagnóstico e seu uso a fim de propósitos prognósticos. Resumo em inglês Hematopoietic stem cell proliferation leads to telomere length decreases at each cellular division. Some authors disagree about the telomere influence on the reduction of the proliferative potential and capacity of self renewal. Here we review telomerase function in the biology of the hematopoietic system, in normal or differentiation and its influence on the ageing of hematopoietic stem cells. The constant cellular renewal required to maintain the hematopoietic system, p (mais) rovides embryonic stem cells, as well as malignant cells, an increased proliferative capacity. This is marked by the detection of telomerase enzyme activity and possible telomere maintenance. Clinical trials will be required to clarify telomerase activity in hematopoietic stem cells, its possible use as a diagnostic marker and its use for prognostic purposes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Células-tronco hematopoéticas: utilidades e perspectivas/ Hematopoietic stem cells: uses and perspectives

Silva Junior, Francisco C. da; Odongo, Fatuma C. A.; Dulley, Frederico L.
2009-05-01

Resumo em português As células-tronco hematopoéticas (CTH) são células que possuem a capacidade de se autorrenovar e se diferenciar em células especializadas do tecido sanguíneo e do sistema imune. Na medicina, sua importância pode ser evidenciada por seu uso rotineiro do tratamento de doenças onco-hematológicas e imunológicas. A dificuldade de se encontrarem doadores compatíveis de medula óssea tem estimulado a busca por fontes alternativas de CTH, notadamente o sangue de cordã (mais) o umbilical e placentário (SCUP) e o sangue periférico. O número de unidades de SCUP armazenadas no mundo tem sido crescente desde a década de 1990. Em 2004 foi criada a rede BrasilCord, estabelecendo uma rede nacional de bancos de SCUP com o objetivo de aumentar as chances de localização de doadores e ampliar o número de bancos de SCUP no país. A despeito do baixo volume coletado e do maior tempo necessário para regenerar o tecido hematopoético, as CTH de SCUP vêm em alta concentração sanguínea, sua utilização como fonte de CTH para transplante apresenta menor risco de causar doença enxerto versus hospedeiro e possuem maior facilidade de obtenção do que as CTH provenientes de medula óssea. Resumo em inglês Hematopoietic stem cells (HSC) are cells capable of self-renewal and differentiation into specialized blood tissue and immune system cells. In medicine, their importance is evidenced by their routine use in the treatment of onco-hematological and immunologic diseases. The difficulty of finding compatible bone marrow donors has motivated the search for alternative sources of HSC, notably placental/umbilical cord blood (PUCB). The number of PUCB units stored worldwide has b (mais) een increasing since 1990. In 2004, the BrasilCord network was created, establishing a national network of PUCB banks with the aim of increasing the chances of finding donors and expanding the number of PUCB banks in the country. Despite the small volume collected and the greater amount of time required for the regeneration of the hematopoietic tissue, the blood concentration of HSC in PUCB is higher, their use as a source for HSC for transplantation presents a lower risk of causing graft versus host disease and they are more easily obtained compared to HSC originating from the bone marrow.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Importância da detecção das mutações no gene FLT3 e no gene NPM1 na leucemia mieloide aguda - Classificação da Organização Mundial de Saúde 2008/ Importance of detecting FLT3 and NPM1 gene mutations in acute myeloid leukemia -World Health Organization Classification 2008

Licínio, Marley Aparecida; Silva, Maria Cláudia Santos da
2010-01-01

Resumo em português As leucemias mieloides agudas (LMA) constituem um grupo de neoplasias malignas caracterizadas pela proliferação descontrolada de células hematopoéticas, decorrente de mutações que podem ocorrer em diferentes fases da diferenciação de células precursoras mieloides. Em 2008, a Organização Mundial da Saúde (OMS-2008) publicou uma nova classificação para neoplasias do sistema hematopoético e linfoide. De acordo com essa classificação, para um diagnóstico mai (mais) s preciso e estratificação de prognóstico de pacientes com leucemias mieloides agudas, devem-se pesquisar mutações nos genes FLT3 e NPM1. Sabe-se que a presença de mutações no gene FLT3 é de prognóstico desfavorável e que as mutações no gene NPM1 do tipo A são de prognóstico favorável. Assim, nos países desenvolvidos, a análise das mutações no gene FLT3 e NPM1 tem sido considerada como um fator de prognóstico importante na decisão terapêutica em pacientes com diagnóstico de leucemias mieloides agudas. Considerando essas informações, é de extrema importância a análise das mutações no gene FLT3 (duplicação interna em tandem - DIT - e mutação pontual D835) e no gene NPM1 como marcadores moleculares para o diagnóstico, o prognóstico e a monitoração de doença residual mínima em pacientes com leucemias mieloides agudas. Resumo em inglês Acute myeloid leukemia (AML) is a group of malignancies characterized by uncontrolled proliferation of hematopoietic cells resulting from mutations that occur at different stages in the differentiation of myeloid precursor cells. In 2008, the World Health Organization (WHO-2008) published a new classification for cancers of the hematopoietic and lymphoid system. According to this classification, FLT3 and NPM1 gene mutations should be investigated for a more precise diagno (mais) sis and prognostic stratification of AML patients. It is well known that the presence of FLT3 gene mutations is considered an unfavorable prognostic factor and type-A NPM1 gene mutations are considered to be favorable. In developed countries, an analysis of FLT3 and NPM1 mutations is considered important for therapeutic decisions in AML patients. Hence, an analysis of FLT3 (internal tandem duplication - ITD- and D835 point mutation) and NPM1 gene mutations is extremely important as molecular markers for diagnosis, prognosis and monitoring of minimal residual disease in LMA patients.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Decanoato de nandrolona no hemograma e nas células mononucleares da medula óssea de ratos Wistar hígidos/ Nandrolone decanoate in the hemogram and bone marrow mononuclear cells of healthy Wistar rats

Martins, Danieli Brolo; Lopes, Sonia Terezinha dos Anjos; Oliveira, Liliane Zimmermann de; Maciel, Roberto Marinho; Lancini, Ana Rita; Olsson, Débora Cristina; Teixeira, Luciele Varaschini; Costa, Márcio Machado; Mazzanti, Alexandre
2010-02-01

Resumo em português O decanoato de nandrolona (DN), um estimulante do sistema hematopoético, caracteriza-se por ser um medicamento acessível aos proprietários de animais com escassos recursos econômicos. Assim, este estudo objetivou avaliar o efeito de diferentes doses do DN no hemograma e na quantificação e a viabilidade das células mononucleares (CM) da medula óssea (MO), juntamente com a marcação das células hematopoéticas CD34+ de ratos Wistar saudáveis. Para isso, 48 animai (mais) s foram separados em seis tratamentos, de forma aleatória, com oito animais cada. Os grupos foram constituídos por: G1 - controle (solução fisiológica); G2 - controle diluente (somente veículo oleoso de origem vegetal); G3 - 0,42mg kg-1 de DN; G4 - 1,8mg kg-1 de DN; G5 - 4,6mg kg-1 de DN; e G6 - 10,0mg kg-1 de DN. O fármaco foi aplicado semanalmente por três semanas. Os parâmetros hematológicos e medulares avaliados não tiveram diferença significativa entre os grupos, o que pode ter sido influenciado pela condição da MO ou pelo intervalo entre as doses. De acordo com os resultados obtidos e nas condições em que esta pesquisa foi desenvolvida, pode-se concluir que o DN não altera o hemograma, a quantificação e a viabilidade das CM e a marcação de CD34+ em ratos wistar saudáveis. Resumo em inglês Nandrolone Decanoate (ND), a hematopoietic system stimulant, is characterized as an accessible medicament for low-income pet owners. The aim of this research is to study the effect of different ND doses in the blood cytological parameters and the quantification and viability of the bone marrow (BM) mononuclear cells (MC), together with the labeling of CD34+ hematopoietic stem cells of healthy Wistar rats. Forty eight animals were randomly separated into six different grou (mais) ps of treatment, each composed of eight animals. These groups were divided in: G1 - control group (physiologic solution); G2 - diluent control (only vegetal oily vehicle); G3 - ND 0.42mg kg-1; G4 - ND 1.8mg kg-1; G5 - ND 4.6mg kg-1 and G6 - ND 10.0mg kg-1. The drug was weekly applied for three weeks. The hematologic and medullar analyzed parameters showed no significant difference between the groups, which may have been influenced by the BM conditions or by the applications frequency. According to the results obtained and according to the conditions under which this research was developed, it can be concluded that ND did not affect the blood cytological parameters, quantification and viability of MC and CD34+ labeling in healthy Wistar rats.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Matriz extracelular e enzimas degradatórias na hematopoese e doenças onco-hematológicas/ Extracellular matrix in hematopoiesis and hematologic malignancies

Dreyfuss, Juliana L.; Oliveira, José S. R.
2008-10-01

Resumo em português A matriz extracelular (MEC) é uma rede complexa composta por quatro grandes classes de macromoléculas: colágenos, proteoglicanos (PGs), glicosaminoglicanos (GAGs) e glicoproteínas adesivas. As interações entre as células e a MEC são cruciais para determinar os padrões de comportamento celular, tais como crescimento, morte, diferenciação e motilidade. A hematopoese é o sistema responsável pela produção das células sangüíneas. O controle da proliferação (mais) e diferenciação destas células é feito através da interação das células com o microambiente da medula óssea (matriz extracelular). A adesão de progenitores hematopoéticos a moléculas da MEC e a ativação das integrinas são modulados por uma variedade de citocinas e fatores de crescimento, e esta modulação parece ser o mecanismo de regulação que influencia a proliferação de células-tronco e progenitores hematopoéticos, migração transendotelial ou transestromal e homing. Tanto no processo de migração, homing e invasão tumoral, as células seguem os seguintes passos: 1 - Degradação da MEC por enzimas secretadas pelas células: metaloproteinases, colagenases, plasmina, catepsinas, glicosidases e heparanases; 2 - Locomoção das células na região da MEC previamente degradada pelas enzimas; 3 - Adesão das células via receptores específicos da superfície celular, que geralmente interagem com componentes da MEC. Nas doenças onco-hematológicas, a interação das células neoplásicas com a matriz extracelular também influencia na agressividade e prognóstico da doença. Resumo em inglês The extracellular matrix (ECM) is a complex structure composed of collagens, proteoglycans, glycosaminoglycans and adhesive glycoproteins. Interactions between the cells and the ECM are crucial to determine cell behavior, such as growth, death, differentiation and motility. Hematopoiesis is the system responsible for the production of blood cells. The control of proliferation and differentiation of these cells is attained through the interaction of the cells with the bone (mais) marrow microenvironment. The adhesion of hematopoietic progenitors to ECM molecules and the integrin activation are modulated by a variety of cytokines and growth factors, and this modulation seems to be the mechanism of regulation that influences proliferation of hematopoietic cells, transendothelial/transstromal migration and homing. Both in the migration and homing process, and in tumoral invasion the cells undergo the following steps: 1 - Degradation of the ECM by enzymes, including metalloproteinase, collagenase, plasmin, cathepsin, glycosidase and heparanase, secreted by the cells; 2 - Cell migration through the region previously degraded by enzymes; and 3 - Cell adhesion to specific receptors located on the cellular surface, that generally interact with ECM components. In onco-hematologic diseases, the interaction of neoplastic cells with the extracellular matrix also influences aggressiveness and prognosis of the disease.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Matriz Extracelular e Leucemia/ Leukemia and extracelular matrix

Anjos, Adriana R. dos; Alvares-Silva, Márcio; Borelli, Primavera
2000-12-01

Resumo em português A hematopoese é um sistema altamente organizado responsável pela produção das células sanguíneas. O controle da proliferação, diferenciação e maturação destas células é feito através de uma complexa interação molecular das células com o microambiente da medula óssea. Este microambiente complexo produz glicoproteínas solúveis genericamente chamadas de citocinas, que controlam a mitose e a diferenciação das células hematopoéticas. Nos processos neop (mais) lásicos, especialmente nos malignos, ocorrem alterações moleculares induzindo nas células um novo comportamento biológico podendo, inclusive, alterar seus mecanismos de adesão. A interação de células leucêmicas com moléculas da matriz extracelular da medula óssea, pode ser um dos mecanismos utilizados por essas células para chegar ao sangue periférico. Particularmente, precursores celulares, matriz extracelular e interações com células endoteliais determinam a manutenção ou liberação das células hematopoéticas do microambiente da medula óssea para o sangue periférico. Assim, mudanças na afinidade ou na quantidade de moléculas de adesão pelas células do estroma ou pelos precursores das células sanguíneas, afetarão a adesão celular. Vários trabalhos têm sido realizados na tentativa de se entender melhor a interação existente entre os precursores hematopoéticos e o microambiente indutivo formado pelo estroma medular. Resumo em inglês Hematopoesis is an organize system that is responsible for blood cells production. The proliferation, differentiation and maturation control of this cells is achieved by interaction between cells and medular microenvironment. This microenvironment produce glicoproteins called cytokines, that control proliferation of hematopoietic cells. In neoplasic processes, several molecular alterations occur, it induce a new biological behaviour by cells, like become altered its adhes (mais) ion. The interaction of leukemic cells with the extracellular matrix (ECM) of bone marrow can be considered one of the mechanisms used by these cells to reach the peripheric blood. Privately, precursor cells, ECM and endthelial cells control the maintennance or release of this hematopoietic cells to peripheric blood. In this way, changes in affinity or in molecular amount by stroma cells or by precursors of blood cells will afect cellular adhesion. Thefore several works have been realized to understand very much about the interaction between hematopoietic progenitors cells and the microenvironment constituted by medular stroma.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

10

Transplante de sangue de cordão umbilical - SCU/ Umbilical cord blood transplantation

Rodrigues, Celso A.; Pereira, Noemi F.; Oliveira, Danielli C. M.; Torres, Margareth; Alencar, Iracema S. B.; Salomão, Izabella; Mauad, Marcos A.; Colturato, Vergílio A. R.; Bouzas, Luis Fernando S.; Moraes, Maria Elisa de
2010-05-01

Resumo em português A frequente utilização de sangue de cordão umbilical - SCU como fonte de células- tronco hematopoéticas - CTH, tanto em crianças, como em adultos, que não dispõem de doador na família, tem levado ao estabelecimento da padronização de critérios em sua seleção, objetivando a obtenção de melhores resultados. A escolha da unidade de SCU deve basear-se no número total de células nucleadas e no número de diferenças de antígenos leucocitários humanos (HLA). (mais) Diante de uma unidade com celularidade mínima, deve-se considerar a possibilidade da utilização de duplo cordão. Frente a mais de uma unidade com características semelhantes, a realização da contagem de células CD34 e da compatibilidade ABO, assim como a qualidade e a rapidez para obtenção da unidade, podem definir a escolha. Resumo em inglês The frequent use of umbilical cord blood as the source of hematopoietic stem cells, both in children and adults who do not have related donors, has led to the establishment of a better standardization of selection criteria aiming at improving the results. The choice of the umbilical cord blood unit should be based on the total number of nucleated cells and the number of differences in the human leukocyte antigen (HLA) system. When a unit has minimal cellularity, the use o (mais) f a double cord blood transplant should be considered. When two or more units have similar characteristics, the choice may be determined by the CD34 count, ABO compatibility and the quality and speed to obtain the unit.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

11

Transplante de célula-tronco hematopoética para síndrome mielodisplásica/ Bone marrow transplantation in myelodysplastic syndromes

Tabak, Daniel G.; Pereira, Simone C. M.; Nogueira, Marta C.
2010-05-01

Resumo em português As síndromes mielodisplásicas (SMD) constituem um grupo de doenças hematológicas caracterizadas por citopenias crônicas, associadas a uma maturação celular anormal. A melhor forma de classificação atual destas patologias é o International Prognostic Scoring System (IPSS), que se baseia no grau de citopenia, número de mieloblastos na medula óssea e alterações citogenéticas. Há quatro estágios: baixo risco, riscos intermediário-1 e 2 e alto risco. Um grupo (mais) destes pacientes pode ser curado com o transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH). Esta forma de tratamento pode ser considerada para pacientes com idade inferior a 60 anos, que possuam um doador familiar HLA-idêntico. A opção por esta modalidade terapêutica depende de alguns critérios, que incluem o IPSS, o risco de progressão de doença, o risco de infecção e o estado geral do paciente. O TCTH autólogo pode ser considerado em pacientes que alcancem uma remissão completa citogenética e que não disponham de doador HLAidêntico. Em pacientes não candidatos ao TCTH mieloablativo, uma possibilidade é o transplante com regimes de intensidade reduzida. Estudos recentes têm demonstrado resultados favoráveis com esta opção terapêutica, pois, apesar do alto rico de recaída, as taxas de mortalidade associada ao procedimento são menores. Os pacientes com SMD devem ser dispostos em ensaios clínicos que considerem as comorbidades, DECH e riscos de recaída. Resumo em inglês The myelodysplastic syndrome (MDS) encompasses a series of hematological conditions characterized by chronic cytopenias with abnormal cellular maturation. Based on the cytopenias, number of blast cells in bone marrow and cytogenetic abnormalities, MDS may be best classified by the International Prognostic Scoring System (IPSS) in four groups: low risk, intermediate 1, intermediate 2 risks and high risk. A subset of patients can be cured following allogeneic hematopoietic (mais) stem cell transplantation (SCT). This therapy should be considered for under 60-year-old patients with an HLA-matched sibling donor. The decision in favor of this aggressive therapy depends upon a number of criteria including the IPSS score, risk of disease progression, risk of infection, and the overall health of the patient. Autologous HCT can be considered for those rare patients who are successfully induced into complete remission and do not have an HLA-matched donor. Non-myeloablative allogeneic HCT appears promising for patients with MDS who are not candidates for myeloablative allogeneic HCT. Early results are encouraging. Despite an increased relapsed rate, the treatment-related mortality is lower. Patients should be enrolled in well-designed clinical trials attempting to address the important issues of patient comorbidities, GVHD, and relapse risk.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

12

Terapia de reposição enzimática para as mucopolissacaridoses I, II e VI: recomendações de um grupo de especialistas brasileiros/ Enzyme replacement therapy for mucopolysaccharidoses I, II and VI: recommendations from a group of Brazilian F experts

Giugliani, Roberto; Federhen, Andressa; Muñoz Rojas, Maria Verónica; Vieira, Taiane Alves; Artigalás, Osvaldo; Pinto, Louise Lapagesse Carmargo; Azevedo, Ana Cecília; Acosta, Angelina Xavier; Bomfim, Carmem; Lourenço, Charles Marques; Kim, Chong Ae; Horovitz, Dafne; Souza, Denize Bomfim; Norato, Denise; Marinho, Diane; Palhares, Durval; Santos, Emerson Santana; Ribeiro, Erlane; Valadares, Eugênia Ribeiro; Guarany, Fábio; De Lucca, Gisele Rosone; Pimentel, Helena; Souza, Isabel Neves de; Corrêa Neto, Jordão; Fraga, José Carlos; Góes, José Eduardo; Cabral, José Maria; Simeonato, José; Llerena Jr, Juan Clinton; Jardim, Laura Bannach; Giuliani, Liane de Rosso; Silva, Luiz Carlos Santana da; Santos, Mara; Moreira, Maria Ângela; Kerstenetzky, Marcelo; Ribeiro, Márcia; Ruas, Nicole; Barrios, Patricia; Aranda, Paulo; Honjo, Rachel; Boy, Raquel; Costa, Ronaldo; Souza, Carolina Fishinger Moura de; Alcântara, Flavio F; Avilla, Sylvio Gilberto A; Fagondes, Simone; Martins, Ana Maria
2010-01-01

Resumo em português As mucopolissacaridoses (MPS) são doenças genéticas raras causadas pela deficiência de enzimas lisossômicas específicas que afetam o catabolismo de glicosaminoglicanos (GAG). O acúmulo de GAG em vários órgãos e tecidos nos pacientes afetados pelas MPS resulta em uma série de sinais e sintomas, integrantes de um quadro clínico multissistêmico que compromete ossos e articulações, vias respiratórias, sistema cardiovascular e muitos outros órgãos e tecidos, (mais) incluindo, em alguns casos, as funções cognitivas. Já foram identificados 11 defeitos enzimáticos que causam sete tipos diferentes de MPS. Antes do advento de terapias dirigidas para a restauração da atividade da enzima deficiente, o tratamento das MPS tinha como principal foco a prevenção e o cuidado das complicações, aspecto ainda bastante importante no manejo desses pacientes. Na década de 80 foi proposto o tratamento das MPS com transplante de medula óssea/transplante de células tronco hematopoiéticas (TMO/TCTH) e na década de 90 começou o desenvolvimento da Terapia de Reposição Enzimática (TRE), que se tornou uma realidade aprovada para uso clínico nas MPS I, II e VI na primeira década do século 21. Os autores deste trabalho têm a convicção de que um melhor futuro para os pacientes afetados pelas MPS depende da identificação, compreensão e manejo adequado das manifestações multissistêmicas dessas doenças, incluindo medidas de suporte (que devem fazer parte da assistência multidisciplinar regular destes pacientes) e terapias específicas. Embora a inibição da síntese de GAG e o resgate da atividade enzimática com moléculas pequenas também possam vir a ter um papel no manejo das MPS, o grande avanço disponível no momento é a TRE intravenosa. A TRE permitiu modificar radicalmente o panorama do tratamento das mucopolissacaridoses I, II e VI na última década, sendo que ainda pode estender seus benefícios em breve para a MPS IV A (cuja TRE já está em desenvolvimento clínico), com perspectivas para o tratamento da MPS III A e do déficit cognitivo na MPS II através de administração da enzima diretamente no sistema nervoso central (SNC). Um grande número de centros brasileiros, incluindo serviços de todas as regiões do país, já têm experiência com TRE para MPS I, II e VI. Essa experiência foi adquirida não só com o tratamento de pacientes como também com a participação de alguns grupos em ensaios clínicos envolvendo TRE para essas condições. Somados os três tipos de MPS, mais de 250 pacientes já foram tratados com TRE em nosso país. A experiência dos profissionais brasileiros, somada aos dados disponíveis na literatura internacional, permitiu elaborar este documento, produzido com o objetivo de reunir e harmonizar as informações disponíveis sobre o tratamento destas doenças graves e progressivas, mas que, felizmente, são hoje tratáveis, uma realidade que traz novas perspectivas para os pacientes brasileiros afetados por essas condições. Resumo em inglês Mucopolysaccharidoses (MPS) are rare genetic diseases caused by deficiency of specific lysosomal enzymes that affect catabolism of glycosaminoglycans (GAG). Accumulation of GAG in various organs and tissues in MPS patients results in a series of signs and symptoms, producing a multisystemic condition affecting bones and joints, the respiratory and cardiovascular systems and many other organs and tissues, including in some cases, cognitive performance. So far, eleven enzym (mais) e defects that cause seven different types of MPS have been identified. Before introduction of therapies to restore deficient enzyme activity, treatment of MPS focused primnarily on prevention and care of complications, still a very important aspect in the management of these patients. In the 80's treatment of MPS with bone marrow transplantation/hematopoietic stem cells transplantation (BMT/HSCT) was proposed and in the 90's, enzyme replacement therapy (ERT),began to be developed and was approved for clinical use in MPS I, II and VI in the first decade of the 21st century. The authors of this paper are convinced that a better future for patients affected by mucopolysaccharidoses depends upon identifying, understanding and appropriately managing the multisystemic manifestations of these diseases. This includes the provision of support measures (which should be part of regular multidisciplinary care of these patients) and of specific therapies. Although inhibition of synthesis of GAG and the recovery of enzyme activity with small molecules also may play a role in the management of MPS, the breakthrough is the currently available intravenous ERT. ERT radically changed the setting for treatment of mucopolysaccharidosis I, II and VI in the last decade., Benefits can even be extended soon to MPS IV A (ERT for this condition is already in clinical development), with prediction for treatment of MPS III A and the cognitive deficit in MPS II by administration of the enzyme directly into the central nervous system (CNS). A large number of Brazilian services, from all regions of the country, already have experience with ERT for MPS I, II and VI. This experience was gained not only by treating patients but also with the participation of some groups in clinical trials involving ERT for these conditions. Summing up the three types of MPS, more than 250 patients have already been treated with ERT in Brazil. The experience of professionals coupled to the data available in international literature, allowed us to elaborate this document, produced with the goal of bringing together and harmonize the information available for the treatment of these severe and progressive diseases, which, fortunately, are now treatable, a situation which bring new perspectives for Brazilian patients, affected by these conditions.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

13

Reativação da doença de Chagas com envolvimento do sistema nervoso central durante tratamento de linfoma não Hodgkin/ Reactivation of Chagas' disease with central nervous system involvement during the treatment of non-Hodgkin lymphoma

Oliveira, Leonardo R.; Assis, Larissa L. T.; Maltos, André Luiz; Calil, Meire Cristina F. R.; Moraes-Souza, Helio
2010-01-01

Resumo em português Estados de imunossupressão têm provocado mudanças na história natural da doença de Chagas com descrição de reativação da doença em pacientes com a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS), durante transplantes de órgãos e em quimioterapia de malignidades hematológicas. É relatado caso de reativação de doença de Chagas com meningoencefalite durante quimioterapia de linfoma não Hodgkin não relacionado a transplante de células-tronco hematopoética (mais) s com tardia detecção de Trypanosoma cruzi em sangue e líquido cefalorraquidiano. Apesar de tratamento específico com benzonidazol, paciente morreu após oito dias. Alta suspeição clínica com abordagens diagnósticas sensíveis é fundamental para diagnóstico precoce e início de tratamento com objetivo de diminuir mortalidade. Resumo em inglês Immunosuppression has caused changes in the natural history of Chagas' disease with reports of reactivation of the disease in acquired immune deficiency syndrome (AIDS) and organ transplant patients and during chemotherapy treatment in patients with hematological malignances. We report on a case of reactivation of Chagas' disease in a patient with meningoencephalitis during chemotherapy for non-Hodgkin's lymphoma without any relation to hematopoietic stem-cell transplanta (mais) tion and with late detection of Trypanosoma cruzi in blood and cerebrospinal fluid. Despite specific treatment with benznidazole, the patient died 8 days later. High clinical suspicion and sensitive diagnostic methods are fundamental for early diagnosis and initiation of treatment in order to minimize mortality.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

14

Prescrições de medicamentos para gestantes: um estudo farmacoepidemiológico/ Drug prescription for pregnant women: a pharmacoepidemiological study

Carmo, Thais Adriana do; Nitrini, Sandra Maria O. O.
2004-08-01

Resumo em português A utilização de medicamentos por gestantes deve ser considerada um problema de saúde pública, pois existem inúmeras lacunas sobre suas conseqüências ao feto e à gestante. Os estudos farmacoepidemiológicos podem contribuir para minimizar os riscos inerentes à terapia medicamentosa, traçando um perfil do consumo de medicamentos na gestação, propiciando uma avaliação do serviço e apontando medidas de intervenção. O objetivo deste trabalho foi traçar um per (mais) fil de prescrição de medicamentos em gestantes usuárias do SUS de Piracicaba, São Paulo, Brasil, utilizando-se os indicadores de prescrição recomendados pela Organização Mundial da Saúde e a classificação de medicamentos segundo risco ao feto do Food and Drug Administration. Encontrou-se que, na consulta de pré-natal, 44,7% das mulheres receberam prescrição medicamentosa, sendo o grupo de medicamento mais prescrito aquele que atua sobre o sistema hematopoiético (34,9%). Do total, 26,0% dos medicamentos foram incluídos na categoria C de risco ao feto; 1,5% na categoria D e 1,5% na categoria E. Estes dados sugerem uma medicalização da gestação e a necessidade de medidas de intervenção para uma utilização racional dos medicamentos no pré-natal. Resumo em inglês Prescription drug use by pregnant women should be viewed as a public health issue, since there are numerous gaps in knowledge on the consequences for both the mother and the fetus. Pharmacoepidemiological studies can help minimize the inherent risks in drug treatment by establishing a profile of drug consumption during pregnancy, providing an evaluation of this service, and identifying intervention measures. The purpose of this study was to establish a prescription profil (mais) e for pregnant women treated under the National Health System (SUS) in Piracicaba, São Paulo State, Brazil, using prescription indicators recommended by the World Health Organization and the U.S. Food and Drug Administration classification of medicines according to risk to the fetus. According to the current study, during prenatal consultations 44.7% of the women received drug prescriptions, and the most widely prescribed group of drugs were those acting on the hematopoietic system (34.9%). Of this total, 26.0% of the drugs were included in fetal risk category C, 1.5% in category D, and 1.5% in category E. These data point to the medicalization of pregnancy and the need for intervention measures aimed at rational prescription drug use during the prenatal period.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

15

Prescrições de medicamentos para gestantes: um estudo farmacoepidemiológico/ Drug prescription for pregnant women: a pharmacoepidemiological study

Carmo, Thais Adriana do; Nitrini, Sandra Maria O. O.
2004-08-01

Resumo em português A utilização de medicamentos por gestantes deve ser considerada um problema de saúde pública, pois existem inúmeras lacunas sobre suas conseqüências ao feto e à gestante. Os estudos farmacoepidemiológicos podem contribuir para minimizar os riscos inerentes à terapia medicamentosa, traçando um perfil do consumo de medicamentos na gestação, propiciando uma avaliação do serviço e apontando medidas de intervenção. O objetivo deste trabalho foi traçar um per (mais) fil de prescrição de medicamentos em gestantes usuárias do SUS de Piracicaba, São Paulo, Brasil, utilizando-se os indicadores de prescrição recomendados pela Organização Mundial da Saúde e a classificação de medicamentos segundo risco ao feto do Food and Drug Administration. Encontrou-se que, na consulta de pré-natal, 44,7% das mulheres receberam prescrição medicamentosa, sendo o grupo de medicamento mais prescrito aquele que atua sobre o sistema hematopoiético (34,9%). Do total, 26,0% dos medicamentos foram incluídos na categoria C de risco ao feto; 1,5% na categoria D e 1,5% na categoria E. Estes dados sugerem uma medicalização da gestação e a necessidade de medidas de intervenção para uma utilização racional dos medicamentos no pré-natal. Resumo em inglês Prescription drug use by pregnant women should be viewed as a public health issue, since there are numerous gaps in knowledge on the consequences for both the mother and the fetus. Pharmacoepidemiological studies can help minimize the inherent risks in drug treatment by establishing a profile of drug consumption during pregnancy, providing an evaluation of this service, and identifying intervention measures. The purpose of this study was to establish a prescription profil (mais) e for pregnant women treated under the National Health System (SUS) in Piracicaba, São Paulo State, Brazil, using prescription indicators recommended by the World Health Organization and the U.S. Food and Drug Administration classification of medicines according to risk to the fetus. According to the current study, during prenatal consultations 44.7% of the women received drug prescriptions, and the most widely prescribed group of drugs were those acting on the hematopoietic system (34.9%). Of this total, 26.0% of the drugs were included in fetal risk category C, 1.5% in category D, and 1.5% in category E. These data point to the medicalization of pregnancy and the need for intervention measures aimed at rational prescription drug use during the prenatal period.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

16

Polimorfismo do gene tp53 no códon 72 em pacientes com suspeita de LMC/ Codon 72 polymorphism of the TP53 gene in patients suspected to have CML

Hamú, Camila S.; Oliveira, Marcus Vinícius P.; Silva, Antonio Márcio T. C.; Silva, Cláudio Carlos; Cruz, Aparecido Divino
2007-12-01

Resumo em português A leucemia mielóide crônica (LMC) é uma doença proliferativa do sistema hematopoiético, caracterizada pela expansão clonal de uma célula-tronco primitiva e pluripotente denominada stem cell. Este tipo de leucemia está associado, em 90% dos casos, à translocação t(9;22)(q34;q11). Essa alteração cromossômica estrutural codifica para uma proteína quimérica BCR-ABL, que confere às células leucêmicas uma alta resistência à morte, independente do agente ind (mais) utor desse processo. A proteína p53 é uma reguladora transcricional induzida por danos no DNA, fato que resulta na parada do ciclo celular com conseqüente ativação de mecanismos de reparo ou mesmo na indução à apoptose. As mutações no gene TP53 são as alterações genéticas mais comuns em tumores malignos humanos. O presente estudo teve como objetivo genotipar e determinar a freqüência alélica do polimorfismo do TP53 no códon 72 (arginina - Arg e prolina - Pro), em pacientes com suspeita de LMC, pela Reação em Cadeia da Polimerase. Desta forma, os resultados indicaram que 73,4% (23/30) dos pacientes apresentaram homozigose para arginina (Arg/Arg) e 26,6% (7/30) heterozigose (Arg/Pro). Não foi encontrado nenhum paciente homozigoto para prolina (Pro/Pro). Os resultados obtidos sugerem que o polimorfismo do gene TP53 no códon 72 não é um fator de risco importante para a iniciação, promoção e progressão da LMC. Resumo em inglês Chronic myeloid leukemia (CML) is a proliferative disorder of the hematopoietic system characterized by clonal expansion of a primitive and pluripotent stem cell. In this type of leukemia, up to 90% of all cases is associated to a specific chromosomal translocation, t(9;22)(q34;q11). The genomic alteration results in a chimeric protein, BCR-ABL, that confers a high resistance leukemia cells to death, independent of the induction mechanism of this process. Protein p53 is a (mais) transcriptional factor expressed after DNA damage which ceases cell cycle progression and consequently activates repair mechanisms or even induces apoptosis. Mutations of TP53 are the most common genetic alterations in malignant tumors in humans. The main objective of the current study was to genotype and determine the allelic frequency of the TP53 polymorphism at codon 72 in patients suspected of having CML using a PCR-based assay. The frequencies of the genotypes among the cases were: 73.4% (23\30) and 26% (7\30) for homozygous arginine (Arg-72) and heterozygous proline/arginine (Pro/Arg-72), respectively. Homozygous proline (Pro-72) was not observed in the current study. The results obtained suggest that the TP53 polymorphism at codon 72 is not an important risk factor for the initiation, promotion, nor progression of CML.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

17

O G-CSF na terapia do acidente vascular cerebral/ The potential role of G-CSF in stroke

Maset, Angelo L.; Piron-Ruiz, Lilian; Greco, Oswaldo T.; Lago, Mario; Poloni, Alana F. C.; Ruiz, Milton A.
2009-05-01

Resumo em português O fator estimulador de colônias granulocitárias (G-CSF) é uma glicoproteína descrita há mais de vinte anos, e é largamente utilizada para tratamento de estados neutropênicos e no transplante de medula óssea. O G-CSF estimula células-tronco hematopoéticas e regula crucialmente a sobrevivência de neutrófilos maduros, pós-mitóticos, através da inibição da apoptose. Além do efeito sistêmico, mais recentemente tem-se demonstrado uma surpreendente atividade d (mais) o G-CSF no sistema nervoso central. A administração de G-CSF mobiliza células-tronco e progenitoras da medula óssea para o sangue periférico, que, por sua vez, atravessa a barreira hemato-encefálica (BHE) e se dirige à área acometida do cérebro. A atividade do G-CSF no sistema nervoso central tem sido caracterizada como multimodal, pois, além do efeito mobilizador de células da medula óssea, demonstrou uma ação direta neuroprotetora através de diferentes mecanismos, tais como a atividade antiapoptótica em neurônios, regeneração da vascularização, efeito anti-inflamatório e estimulação da neurogênese endógena. Este relato sumariza a ação do G-CSF no sistema nervoso central e aborda seu potencial para o emprego no acidente vascular cerebral. Resumo em inglês The granulocyte colony-stimulating-factor (G-CSF) is a glycoproteina which has been described for decades, and it is commonly utilized in the treatment of neutropenic states and bone marrow transplants. G-CSF stimulates hematopoietic stem-cels e crucially regulates the survival of mature neutrophils through a mechanism of apoptosis inhibition. Beyond its systemic effect, recently it has been shown its surprising activity in the central nervous system (CNS). G-CSF administ (mais) ration mobilizes bone marrow stem cells para systemic blood, and those cells cross the blood-brain-barrier e target brain's damaged area. G-CSF's activity in the CNS has been defined as multimodal, because additionally it has been demonstrated a direct neuroprotective action through different mechanisms such as antiapoptotic activity, angiogenesis, anti-inflamatory effect, and stimulation of endogenous neurogenesis. This paper sumarizes G-CSF action in the CNS and approaches its potential para use in stroke.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

18

Mieloma múltiplo: características clínicas e laboratoriais ao diagnóstico e estudo prognóstico/ Multiple myeloma: clinical and laboratory characteristics in the diagnosis and prognostic study

Silva, Roberta O. Paula e; Brandão, Kamilla M. A.; Pinto, Paula V. M.; Faria, Rosa M. D.; Clementino, Nelma C. D.; Silva, Cristiane M. F.; Lopes, Aline F.
2009-04-01

Resumo em português O mieloma múltiplo (MM) caracteriza-se por expansão clonal plasmocitária na medula óssea e produção de imunoglobulina monoclonal, promovendo progressivamente destruição óssea, falência renal, supressão da hematopoiética e infecções. A identificação de fatores clínicos e laboratoriais ao diagnóstico é importante para predizer sobrevida. O sistema de estadiamento de Durie e Salmon (1975) é o mais utilizado e baseia-se na correlação entre parâmetros cl (mais) ínico-laboratoriais à massa tumoral. A combinação de β2 microglobulina e albumina sérica resultou em um sistema de estadiamento simples e confiável, conhecido como Sistema Internacional de Estadiamento (ISS), que tem sido reconhecido atualmente. O objetivo deste trabalho foi analisar as características clínicas e laboratoriais, ao diagnóstico, de pacientes portadores de MM e estudo de sobrevida. Realizou-se estudo de coorte não concorrente de 101 pacientes portadores de MM atendidos no Serviço de Hematologia do Hospital das Clínicas da UFMG, que receberam diagnóstico no período de abril de 1994 a 31 de outubro de 2006, através da coleta de dados contidos em prontuários médicos. Os pacientes foram acompanhados até maio de 2007. Foi feita análise descritiva das características ao diagnóstico e estudo de sobrevida, utilizando-se análise univariada pela técnica do produto-limite de Kaplan & Meier e teste de Log-Rank para comparação das curvas; já na análise multivariada, utilizou-se regressão múltipla de Cox. A mediana de idade dos pacientes foi de 63 anos de idade, 47,5% eram homens e 52,5% mulheres, sendo 50,6% brancos, 33,3% negros e 16,1% pardos. Manifestações clínicas mais comuns foram: dor óssea (83,2%), fraqueza (70,3%) e perda de peso (40,6%). Radiografia de esqueleto mostrou alterações em 83,8% dos casos. Em relação ao sistema de estadiamento proposto por Durie & Salmon, 63 (62,4%) pacientes encontravam-se em estádio III, 32 (31,7%) em estádio II e apenas 6 (5,9%) no estádio I ao diagnóstico. Utilizando a classificação do Sistema Internacional de Estadiamento (ISS) obtiveram-se 22 (30,1%) pacientes no estádio III, 31 (42,5%) no estádio II e 20 (27,4%) no estádio I ao diagnóstico. Sobrevida global média foi de 66,52 meses, com mediana de seguimento de 20 meses. Na análise univariada foram significantes: creatinina (p=0,006), hemoglobina (p=0,001), estadiamento de Durie & Salmon (p=0,009) e ISS (p=0,014); e na multivariada somente a hemoglobina (p=0,012) correlacionou-se à sobrevida. A maior parte dos pacientes apresentava estádio clínico avançado ao diagnóstico com repercussão na sobrevida. Resumo em inglês Multiple myeloma (MM) is characterized by plasmocyte expansion in the bone marrow and the production of monoclonal immunoglobulin, causing bone destruction, renal failure, hematopoietic suppression and infections. Identification of clinical and laboratory factors in the diagnosis are important to predict survival. The Dürie/Salmon staging system, used for the disease, is based on the correlation of clinical and laboratory parameters on tumoral mass. Studies of the combin (mais) ation of β2 microglobulin and albumin resulted in a simple staging system, known as the International Staging System (ISS), which is currently being used. The objectives of this work were to analyze clinical and laboratory characteristics in the diagnosis of MM patients and a study of survival. A non-competitive cohort study was performed of 101 MM patients attended in the Hematology Service/Hospital das Clínicas-UFMG who were diagnosed in the period of April 1994 to October 2006.A descriptive analysis of the characteristics at diagnosis and a study of survival were made. The descriptive analysis was achieved using the Kaplan-Meier technique and the Log-Rank test utilized for a comparison of survival curves. The Cox regression test was used for multivariate analysis. The average age of the patients was 63 years, 47.5% were men and 52.5% women, with 50.6% being white, 33.3% black and 16.1% mulattos. The most common clinical manifestations were: bone pain (83.2%) and weakness (70.3%). Radiographies of the skeleton showed alterations in 83.8% of the cases. In respect to the Dürie/Salmon staging system, 63 (62.4%) patients were in stage III, 32 (31.7%) in stage II and 6 (5.9%) in stage I. Using the ISS classification, 22 (30.1%) patients were in stage III, 31 (42.5%) in stage II and 20 (27.4%) in stage I. Overall survival was 66.52 months with a follow-up of 20 months. In the univariate analysis, creatinine (p=0.006), hemoglobin (p=0.001), the Dürie/Salmon staging system (p=0.009) and ISS (p=0.014) were significant. In the multivariate analysis only hemoglobin (p=0.012) was correlated to survival. Most of the patients presented in the advanced stage at diagnosis with repercussions on survival.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

19

Inibidores de tirosino quinase na leucemia mieloide crônica/ Tyrosine kinase inhibitors in chronic myeloid leukemia

Lopes, Nei R.; Abreu, Maria Theresa C. L.
2009-01-01

Resumo em português A leucemia mieloide crônica (LMC) é uma neoplasia da medula óssea originada da translocação entre os cromossomos 9 e 22 t(9:22)(q34;11) e forma o gene híbrido BCR-ABL, que possui intensa atividade tirosino quinase, sendo responsável pela proliferação das células tumorais. Um grande avanço no tratamento da LMC foi conquistado com o surgimento dos inibidores da tirosino quinase, entre eles o imatinibe, que vem demonstrando ser efetivo na maior parte dos pacientes (mais) com LMC por apresentar respostas duradouras. Entretanto, há pacientes resistentes ou que desenvolvem resistência durante o tratamento com esta droga; sendo assim, inibidores de tirosino quinase de segunda geração, como o dasatinibe e o nilotinibe, foram desenvolvidos apresentando maior potência com a finalidade de diminuir a chance de desenvolvimento de resistência. O bosutinibe e o INNO-406 estão sendo estudados para atender pacientes resistentes às drogas anteriormente citadas e também com a finalidade de diminuir efeitos colaterais das mesmas; entretanto, eles ainda estão em fase clínica de estudo. Há ainda outras drogas inibidoras da tirosino quinase que estão em desenvolvimento na fase clínica ou pré-clínica. A partir do desenvolvimento destas novas drogas, múltiplas opções de tratamento para os pacientes com LMC poderão ser propostas, podendo, desta forma, individualizar o tratamento de acordo com o que cada paciente necessita. Este estudo visa descrever as drogas antineoplásicas que têm como mecanismo de ação a inibição da enzima tirosino quinase na LMC. Resumo em inglês Chronic myeloid leukemia (CML) is a neoplastic transformation of the hematopoietic system resulting from a t(9;22)(q34;q11) translocation forming a BCR-ABL hybrid gene which has intense enzyme tyrosine kinase activity responsible for the proliferation of tumor cells. A dramatic positive response was achieved in CML patients with imatinib. This drug is effective in most patients because it presents long-lasting responses. However, some patients are resistant or develop res (mais) istance during treatment, particularly in the late-stage disease, thus second generation tyrosine kinase inhibitors such as dasatinib and nilotinib were developed to reduce the risk of developing resistance. Bosutinib and INNO-406 are being developed to treat resistant patients and also to reduce the side effects of the aforementioned drugs. Additionally, novel tyrosine kinase inhibitors are in clinical or preclinical development stages. In the future, multiple treatment options will be available for patients with CML, with the possibility to individualize the treatment according to the needs of each patient. In the current study we describe antineoplastic drugs that act as tyrosine kinase enzyme inhibitors in CML.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

20

Importância e vantagem da citometria de fluxo frente aos testes de triagem no diagnóstico da hemoglobinúria paroxística noturna/ Importance and advantages of flow cytometry in screening tests for paroxysmal nocturnal hemoglobinuria diagnostic

Modesto, Thaís M.; Neves, Maria Amélia B.; Brito, Ana Elita de; Araújo, Rosane C. P.; Santos, Neyliane F. G.; Valgueiro, Maria do Carmo; Machado, Cíntia G. F.
2006-12-01

Resumo em português Hemoglobinúria paroxística noturna (HPN) é uma doença clonal adquirida da célula tronco hematopoética em decorrência de uma mutação somática no gene PIG-A, causando inabilidade dos eritrócitos, leucócitos e plaquetas de se protegerem contra lise mediada pelo sistema complemento. Assim, avaliamos a eficiência dos testes de triagem para HPN (teste de Ham e pesquisa dos antígenos CD55 e CD59 em coluna de gel) utilizando a citometria de fluxo (CMF), que é capaz (mais) de detectar e quantificar o clone HPN. Inicialmente, selecionamos 63 pacientes que foram testados pelo teste de Ham entre janeiro/2003 e dezembro/2004, na Fundação Hemope. Destes, 15 tiveram seus testes positivos para HPN. O critério de inclusão dos casos para avaliação por CMF foi a obtenção de resultados do teste em gel concordantes com o teste de Ham positivo. Dessa maneira, quatro pacientes foram incluídos no grupo de estudo. Foram adicionados a esse grupo dois casos que exibiam clínica exuberante da doença, mas tiveram os resultados discordantes, explicado pelo fato de que o teste em gel foi realizado após terapia transfusional recente, provocando a suspeita de falso resultado normal. Submetemos esses seis casos à CMF, os quais todos se mostraram verdadeiros portadores da doença através da confirmação da existência do clone HPN em eritrócitos e granulócitos, em expressões variáveis. Os resultados da CMF comprovaram a limitação dos testes de triagem além de demonstrarem a relevância da citometria em identificar variações de intensidade do clone, garantindo inclusive o diagnóstico preciso em pacientes previamente transfundidos. Resumo em inglês Paroxysmal nocturnal hemoglobinuria (PNH) is an acquired clonal disease of the hematopoietic stem cell caused by a somatic mutation in the PIG-A gene, resulting in the inability of erythrocytes, granulocytes and platelets to protect themselves against complement system mediated lysis. Thus, PNH screening tests (Ham's test and CD55 e CD59 proteins investigation through gel column agglutination) were evaluated using flow cytometry, a test useful to detect and measure the PN (mais) H clone. Initially, 63 patients evaluated using the Ham's test between January 2003 and December 2004 from the Hemope Foundation were selected. From these, 15 cases were positive for PNH. The inclusion criterion for cytometry evaluation was a positive Ham's test. Thus, four patients were included in the study group. Furthermore, two cases with clinical symptoms of the disease but with negative results for PNH were included in this group. Negative results were explained by the gel test being performed after blood transfusion, giving a suspicion of false negative results. These six cases were submitted to flow cytometry with all cases proving to be positive for the disease as the PNH clone was confirmed, to different degrees, in both erythrocytes and granulocytes. The flow cytometry results proved the limitation of screening tests as well as showing the importance of cytometry in the identification of the intense variations of clone guaranteeing precise diagnosis in previously transfused patients.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

21

Criopreservação de medula óssea e células pluripotentes periféricas utilizando um congelador programável: experiência em 86 congelamentos/ Cryopreservation of bone marrow and peripheral blood stem cells using a controlled rate freezing system. Experience on 86 procedures

Massumoto, C.M.; Mizukami, S.; Campos, M.F.; SIlva, L.A.G.; Mendrone Jr., A.; Sakashita, A.; Zambon, E.; Ostronoff, M.; Macedo, M.C. A.; Medeiros, R.; Dorlhiac, P.; Chamone, D.; Dulley, F.
1997-06-01

Resumo em português A infusão de células hematopoéticas totipotentes criopreservadas permite a recuperação da hematopoese após quimioterapia mieloablativa. OBJETIVO. A formação de cristais de gelo durante o processo de congelamento é o fator principal que causa ruptura das estruturas celulares. A criopreservação dessas células a uma taxa constante preveniria os danos causados pelo congelamento brusco. MÉTODOS. Vinte e três pacientes com mediana de 25 anos (variação 3-57) tive (mais) ram a medula óssea e/ou células-tronco periféricas (CTP) coletadas no período de março de 1993 a outubro de 1994, totalizando 86 congelamentos. Os pacientes apresentavam as seguintes neoplasias: linfoma não-Hodgkin (n=5), leucemia mielóide aguda (n=8), leucemia linfóide aguda (n=6), doença de Hodgkin (n=3) e mieloma múltiplo (n=1). O congelamento foi controlado por um computador, acoplado ao sistema, às seguintes temperaturas: -1°C/min até -45°C e depois a -10°C/min até -80°C. Após o congelamento, as células foram mantidas em freezer a -110°C até o momento da infusão. Para obtenção das CTP, empregou-se o fator de crescimento estimulante de granulócitos (G-CSF). RESULTADOS. Uma mediana de 3,16 x 10(8) céls./kg (variação 0,86-24,22) de CTP e 2,03 x 10(8) céls./kg (variação 0,19-12,21) de medula óssea foi congelada. A mediana para atingir granulócitos maior ou igual a 500/µL e plaquetas maior que 20.000/µL foi de 12 dias (variação 8-40) e 31 dias (variação 8-80), respectivamente. Todos os pacientes tiveram recuperação hematopoética após a infusão das células criopreservadas. CONCLUSÃO. A criopreservação em congelador programável permite o armazenamento de células hematopoéticas e, potencialmente, pode causar menor dano celular. Resumo em inglês The cryopreservation of hematopoietic stem cells can be used for rescuing the hematopoiesis after high dose chemotherapy. PURPOSE. The ice cristal formation during the freezing procedure is the key point that can be harmful to the cells. The cryopreservation of hematopoietic stem cells in a controlled-rate freezer could decrease the cell damage. METHODS. Twenty-three patients with a median age of 26 years (range 03-57) had bone marrow and/or peripheral blood stem cells ha (mais) rvested from March 1993 through October 1994, ending up to 86 freezing procedures. The patient's diagnoses are as follows: Non-Hodgkin's Lymphoma (n=5); Acute Myelogenous Leukemia (n=8); Acute Lymphocytic Leukemia (n=6); Hodgkin's disease (n=3); Multiple Myeloma (n=1). The cells were frozen away in a controlled-rate freezer chamber at the folowing rate: -1°C/min from room temperature to -45°C and then, at -10°C/min down to -80°C. After freezing, the cells were kept into mechanical freezers until the marrow infusion. To mobilize PBSC (peripheral blood stem cells), G-CSF (granulocyte colony stimulating factor) was given. RESULTS. A median of 3.16x10(8) cells/kg (range 0.86-24.22) of PBSC and 2.03x10(8) cells/kg (0.19-12.21) of bone marrow cells were frozen. The median time to reach granulocytes greater than 500/µL and platelets greater than 20,000/µL was 12 days (range 8-40) and 31 days (range 8-80), respectively. All patients had marrow engraftment after infusion of hematopoietic stem cells. CONCLUSION. The cryopreservation procedure using a controlled-rate freezer can store hematopoietic stem cells and potentially, cause less damage to the cells.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

22

Consenso brasileiro para transplante de células-tronco hematopoéticas para tratamento de doenças autoimunes/ Brazilian consensus on hematopoietic stem cell transplantation for autoimmune diseases

Voltarelli, Júlio C.; Moraes, Daniela A.; Ribeiro, Andreza A.F.; Oliveira, Maria Carolina de; Rodrigues, Morgani; Brum, Doralina G.; Barreira, Amilton A.; Hamerschlak, Nelson
2010-05-01

Resumo em português Neste trabalho, foram revisadas a literatura internacional e a experiência nacional com transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) para doenças autoimunes. A evidência acumulada indica que o TCTH autólogo pode beneficiar pacientes com esclerose múltipla em fase inflamatória, refratária aos tratamentos medicamentosos disponíveis, e pacientes com esclerose sistêmica cutânea difusa de caráter progressivo, com ou sem comprometimento sistêmico. Esse trat (mais) amento deveria ser disponibilizado na rede pública de saúde, numa fase inicial, em centros de referência com experiência em TCTH e no manejo clínico de doenças autoimunes sistêmicas graves. Resumo em inglês In this paper, international literature and national experience on hematopoietic stem cell transplantation (HSCT) for autoimmune diseases were reviewed. Cumulative evidence indicates that autologous HSCT may benefit patients with inflammatory multiple esclerosis, refractory to available drug therapy, and progressive forms of diffuse cutaneous systemic sclerosis with or without systemic involvement. Initially, this treatment should be available in reference centers of the (mais) public health system, with experience in performing HSCT and in treating severe systemic autoimmune diseases.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

23

Análise dos transcritos da translocação t(9;22) em Leucemia Mielóide Crônica/ An analysis of transcriptions of the translocations t(9,22) in chronic myeloid leukemia

Barboza, Luciana P.; Souza, Jamison M.; Simões, Felippe V.; Bragança, Iracema C.; Abdelhay, Eliana
2000-08-01

Resumo em português A leucemia mielóide crônica é uma doença proliferativa do sistema hematopoiético, caracterizada pela expansão clonal de uma célula tronco primitiva e pluripotente denominada "stem cell", que tem a capacidade de se diferenciar em células mielóides, monocíticas, megacariocíticas e células B e T. Em homeostase, existe um equilíbrio entre proliferação, diferenciação e renovação das células tronco, equilíbrio este que se encontra alterado em pacientes com (mais) Leucemia mielóide crônica, devido a uma proliferação e diferenciação aumentada e anormal relacionada à atividade de tirosino quinase do produto do gene quimérico BCR/ABL resultante da translocação t(9;22), que se apresenta como marcador da doença. Vários transcritos quiméricos têm sido descritos e acredita-se que a gravidade do quadro clínico dependa do tipo de mRNA gerado. No presente trabalho analisamos 28 amostras de 27 pacientes diagnosticados com Leucemia mielóide crônica. Todos possuíam a translocação t(9;22) e foram analisados para a presença dos transcritos resultantes das fusões b3a2 ou b2a2 por RT-PCR e Nested-PCR, técnicas que se mostraram mais sensíveis para a identificação dos transcritos. Entre os pacientes, 12% apresentaram fusão b3a2, 18% possuíam fusão b2a2 e 32% possuíam os dois tipos de transcritos. A presença de um dos tipos de transcritos, b3a2, parece estar relacionada com contagem de plaquetas acima de 1 milhão/mm³ , reconhecida como característica de mau prognóstico em pacientes com Leucemia mielóide crônica. Resumo em inglês Chronic myelogeneous leukemia is a proliferative disease of the hematopoietic system. It is characterized by clonal expansion of a primitive pluripotent stem cell that has the capacity to differentiate into the myeloid, monocyte, megakaryocyte and erythrocyte lineage, B and T cells. Under normal physiological hematopoietic conditions there is a balance between proliferation and differentiation. On the other hand, the population of hematopoietic stem cells must also underg (mais) o a self renewal process. In chronic myelogeneous leukemia stem cells, unregulated proliferation is associated with the 210kDa tyrosine kinase, which is the product of the BCR/ABL fusion gene, in the translocation involving chromosomes 9 and 22, a karyotype marker of chronic myelogeneous leukemia. Several chimeric transcripts have been described and it has been observed that the seriousness of the clinical picture depend on the generated mRNA. In the present work we analyzed 28 samples of bone marrow cells from 27 patients diagnosed with chronic myelogeneous leukemia. In all samples the translocation t(9;22) was present and they were analyzed for the presence of the fusion transcripts (b3a2 or b2a2) using RT-PCR and Nested- PCR, techniques that were shown to be more sensitive for the identification of these transcripts. Among the patients, 12% presented fusion b3a2, 18% showed b2a2 fusion transcript and 32% both types, b3a2 and b2a2. The presence of the transcript, b3a2, seems to be related with a platelet above 10 ³ X 10 ³/mm³, recognized as a worse prognostic chracteristic in patients with chronic myelogeneous leukemia.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

24

Análise clínica e epidemiológica do transplante de medula óssea em um serviço de oncologia pediátrica/ Clinical and epidemiological analysis of bone marrow transplantation in a pediatric oncology unit

Castro Jr., Cláudio Galvão de; Gregianin, Lauro José; Brunetto, Algemir Lunardi
2003-10-01

Resumo em português OBJETIVOS: Descrever o perfil e as complicações agudas mais importantes das crianças que receberam transplante de medula óssea no serviço de oncologia pediátrica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. CASUÍSTICA E MÉTODOS: Análise retrospectiva de 41 pacientes, menores de 21 anos, transplantados entre agosto de 1997 até junho de 2002. Deste total, 20 pacientes receberam transplante alogênico, e 21 transplante autogênico. RESULTADOS: No transplante de medula (mais) óssea alogênico, a média de idade foi de 8,9 + 5,4 anos, sendo 12 pacientes do sexo masculino. As fontes de células foram: medula óssea, 12; sangue periférico, 5; e sangue de cordão umbilical não aparentado, 3. As doenças tratadas foram: leucemia linfóide aguda em 7 pacientes, leucemia mielóide crônica em 2, leucemia mielóide aguda em 4, síndrome mielodisplásica em 2, linfoma de Burkitt em 1, anemia aplástica grave em 1, anemia de Fanconi em 1, síndrome Chediak-Higashi em 1, e imunodeficiência congênita combinada grave em 1. Um paciente desenvolveu doença do enxerto contra hospedeiro aguda grau 2, três pacientes grau 4, e outros três desenvolveram doença do enxerto contra hospedeiro crônica. Todos haviam recebido sangue periférico como fonte de células. A sobrevida global aos 4 anos foi de 70,0 + 10,3%. A principal causa do óbito foi doença do enxerto contra hospedeiro, em três pacientes, e sepse, em outros três. Todos os óbitos ocorreram antes do centésimo dia. Um dos pacientes que recebeu sangue de cordão umbilical não aparentado está vivo, em bom estado e sem uso de medicações 3 anos e 6 meses pós-transplante. No transplante de medula óssea autogênico, a média de idade foi de 8,7 + 4,3 anos, sendo 11 pacientes do sexo masculino. As fontes de células foram: sangue periférico, 16; medula óssea, 3; sangue periférico mais medula óssea, 2. As doenças tratadas foram: tumor de Wilms em 5 pacientes, tumores da família do sarcoma de Ewing em 4, neuroblastomas em 3, linfomas de Hodgkin em 3, rabdomiossarcomas em 2, tumor neuroectodérmico primitivo do sistema nervoso central em 2, linfoma não-Hodgkin em 1, e leucemia mielóide aguda em 1 paciente. A sobrevida global aos 4 anos está em 59,4 + 11,7%. Cinco óbitos tiveram como causa a progressão da doença de base, um óbito ocorreu devido à infecção 20 meses pós-transplante, e dois óbitos foram precoces por sepse. As toxicidades mais comuns em ambos os grupos foram vômitos, mucosite, diarréia e dor abdominal. Infecções foram documentadas em 58,5% dos pacientes, e 46,9% tiveram no mínimo um agente isolado na hemocultura. O tempo de enxertia de neutrófilos e plaquetas correlacionou-se com o número de células progenitoras infundidas. CONCLUSÃO: A sobrevida de nossos pacientes é semelhante à encontrada na literatura de outros serviços nacionais e internacionais. Não encontramos diferença entre os dois tipos de transplante com relação às toxicidades agudas e às infecções. Resumo em inglês OBJECTIVES: To describe the demographics and the most important acute clinical complications in patients undergoing bone marrow transplantation in the Pediatric Oncology Unit at Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Brazil. MATERIAL AND METHODS: A retrospective analysis was performed including 41 patients treated between August 1997 and June 2002. Twenty patients received allogeneic transplants (AG) and 21 received autologous transplants (AT). RESULTS: The mean age of AG (mais) patients was 8.9 + 5.4 years. Twelve patients were male. Stem cell sources were: bone marrow in 12 patients; peripheral blood in 5; and unrelated cord blood in 3. The diseases were acute lymphoid leukemia in 7 patients; acute myeloid leukemia in 4; chronic myeloid leukemia in 2; myelodysplastic syndrome in 2; Burkitt's lymphoma in 1; severe combined immunodeficiency in 1; Chediaki-Higashi syndrome in 1; Fanconi anemia in 1; and aplastic anemia in 1. One patient developed grade II acute graft-versus-host-disease (GVHD), and three patients had grade IV GVHD. Three patients developed chronic GVHD. In all of them, the cell source was peripheral blood. Survival in this group was 70.0 + 10.3%. The main cause of death was GVHD in three patients and sepsis in another three. All deaths occurred before day 100. One of the patients who received unrelated cord blood is alive 3.5 years after the transplantation. In AG patients, mean age was 8.7 + 4.3 years. Eleven patients were male. The stem cell sources were: peripheral blood in 16; bone marrow in 3; and peripheral blood + bone marrow in 2. The diseases were: Wilms' tumor in 5 patients; Ewing's sarcoma family tumors in 4; neuroblastoma in 3; Hodgkin's disease in 3; non-Hodgkin's lymphoma in 1; rhabdomyosarcoma in 2; neuroectodermic tumor of the central nervous system in 2; acute myeloid leukemia in 1. Survival in this group was 59.4 + 11.7%. Five patients died due to tumor relapse, 2 patients due to sepsis and one patient died in remission 20 months after bone marrow transplantation due to infection. In the whole group, the most common toxicities were vomiting, mucositis, diarrhea and abdominal pain. Infections were recorded in 58.5% of the patients. In 46.9%, at least one pathogen was isolated in the blood culture. The time required for neutrophil and platelet engraftment was correlated to the number of hematopoietic stem cell infused. CONCLUSION: The overall survival in our patients is similar to that reported in the literature. We did not find differences between AT and AG patients regarding acute toxicities and infections.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)