Sample records for exoskeleton
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 3 shown.



1

Morfologia do exoesqueleto de adultos de Memphis moruus stheno (Pritwittz) (Lepidoptera, Nymphalidae, Charaxinae)/ Exoskeleton morphology of the adult of Memphis moruus stheno (Pritwittz) (Lepidoptera, Nymphalidae, Charaxinae)

Dias, Fernando M. S.; Casagrande, Mirna M.; Mielke, Olaf H. H.
2010-01-01

Resumo em português O presente trabalho visa fornecer subsídios para estudos morfológicos comparativos de Charaxinae neotropicais. Memphis moruus stheno (Prittwitz, 1865) é a segunda espécie neotropical de Anaeini e a primeira do gênero Memphis a ter sua morfologia detalhada. A morfologia externa é apresentada com descrições, ilustrações e imagens de microscopia eletrônica de varredura de estruturas da cabeça e apêndices cefálicos, região cervical, tórax e apêndices torácic (mais) os, abdome e genitálias masculina e feminina. A morfologia de M. moruus stheno é comparada com uma espécie do gênero proximamente relacionado Zaretis Hübner, [1819]. Resumo em inglês This study is intended to allow further comparative morphological studies on the Neotropical Charaxinae. Memphis moruus stheno (Prittwitz, 1865) is the second species of Anaeini and the first in the genus Memphis to have its morphology published in detail. The external morphology is presented with descriptions, line drawings and scan electron microscopy of the head and its appendages, cervix, thorax and its appendages, abdomen and both male and female genital armatures. Memphis moruus stheno is compared with a species of its closely related genus Zaretis Hübner, [1819].

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Morfologia comparada de três espécies de Stenocerus (Coleoptera, Anthribidae, Anthribinae)/ Comparative morphology of three species of Stenocerus (Coleoptera, Anthribidae, Anthribinae)

Oliveira Junior, Ailton Conceição de; Mermudes, José Ricardo M.
2010-06-01

Resumo em português Estudos detalhados da morfologia do exoesqueleto, peças bucais, venação alar, endosternitos, placas esclerotizadas do intestino posterior e genitálias do macho e da fêmea, foram utilizados para aprimorar a sistemática e evolução de antríbideos neotropicais. Nesta abordagem, S. fulvitarsis (espécie-tipo do gênero), S. longulus e S. frontalis foram minuciosamente comparadas, incluindo as redescrições e ilustrações de caracteres nunca antes estudados. Dentre a (mais) s espécies analisadas, S. frontalis apresenta um distinto padrão mimético com dípteros da família Sarcophagidae. A hipótese desta espécie não pertencer ao gênero se comparada com a espécie-tipo e S. longulus é discutida com base principalmente na posição dos olhos, ausência de carenas laterais, metendosternito com lâminas laterais mais curtas que os braços e hastes medianas do ovipositor estreitas na porção proximal. Resumo em inglês Detailed studies of exoskeleton, mouthparts, wing venation, endosternites, retal plates and male and female terminalia, has been used to improve the systematics and evolutionary studies of the Neotropical anthribids. In this approach S. fulvitarsis (type-species of the genus), S. longulus and S. frontalis were carefully compared including descriptions and illustrations of characters never studied. Among the species examined, S. frontalis display a distinct mimetic pattern (mais) with flies of the family Sarcophagidae. The hypothesis that this species does not belong in the genus Stenocerus when compared with the type-species and S. longulus is discussed based mainly on position of the eyes, lack of lateral carinae, lamina of metendosternite longer than arms and median rods of ovipositor narrowed in the proximal region.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Ciclo reprodutivo do caranguejo violinista Uca rapax (Smith) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae) habitante de um estuário degradado em Paraty, Rio de Janeiro, Brasil/ Reproductive cicle of the fiddler crab Uca rapax (Smith) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae) at a degraded estuary in Paraty, Rio de Janeiro, Brazil

Castiglioni, Daniela da S.; Negreiros-Fransozo, Maria L.
2006-06-01

Resumo em português Este trabalho descreve o ciclo reprodutivo de Uca rapax (Smith, 1870) baseado em observações do seu desenvolvimento gonadal e ciclo de muda em uma área de manguezal degradado em Paraty, Estado do Rio de Janeiro. Os caranguejos foram capturados por duas pessoas mensalmente (julho/2001 a junho/2002) durante 15 minutos por meio da técnica de esforço de captura em período de maré baixa. No laboratório, os caranguejos foram mensurados quanto à largura da carapaça (LC (mais) ); sendo o sexo, a condição ovígera e o estágio gonadal anotados. Os estágios de desenvolvimento gonadal foram determinados por meio da observação macroscópica das gônadas e os estágios de muda através da observação do grau de enrijecimento do tegumento. Os caranguejos que apresentavam gônadas imaturas e rudimentares foram considerados imaturos enquanto os demais estágios gonadais, maduros. Obteve-se um total de 1558 espécimes, sendo 801 machos e 757 fêmeas (16 fêmeas ovígeras). As fêmeas ovígeras representaram apenas 3% da população, talvez pelo fato destas fêmeas permanecerem em suas tocas. Apesar de terem sido encontrados caranguejos com gônadas maduras ao longo de todo o ano, o período de maior atividade reprodutiva em U. rapax ocorre nos meses mais quentes do ano (primavera-verão). A freqüência de caranguejos em atividade de muda ao longo do período de estudo foi baixa (12,8%) em relação aos caranguejos em intermuda. Provavelmente, U. rapax permaneça entocada nesse período crítico, que é a troca do exoesqueleto. Apesar de U.rapax ocorrer em um manguezal completamente degradado, o seu ciclo reprodutivo não foi afetado, quando comparado com de áreas não degradadas estudadas anteriormente. Tal fato pode ser sustentado pela presença de caranguejos potencialmente maduros ao longo do ano todo na área de estudo. Resumo em inglês This present work describes the reproductive cycle of Uca rapax (Smith, 1870) based on observations of their gonadal development and molt cycles in a degraded mangrove area in Paraty, State of Rio de Janeiro. Two collectors captured the crabs monthly (from July 2001 to June 2002) during 15 minutes by procedure of capture per unit effort in low tide periods. Crabs were sexed, measured (carapace width - CW; 0.01 mm precision) and females were checked for eggs. Crab' stages (mais) of gonad development of both sexes were determined by direct and macroscopic observation and molt stage was estimated by the hardness of the tegument. A total of 1,558 specimens were collected, being 801 males and 757 females (16 ovigerous females). Ovigerous females accounted only about 3% of the population, perhaps because females usually remain underground in closed burrows during the incubation, which can not be seen easily in the field. Crabs with mature gonads were found year-round, but most reproduction in U. rapax occurred during the warmer months of the year (spring-summer). The frequency of crabs in molt activity was lower (12.8%) than intermolt crabs. Probably, U. rapax burrowed in this critic period that is the change of exoskeleton, minimizing the risks imposed by the occurrence of a soft skeleton. Despite of U. rapax be occurring in a properly degraded mangrove, its reproductive cycle seems to be not affected by the habitat condition, when it is compared with areas of the mangroves no impacted by human action. This fact is supported by the presence of potentially mature crabs year-round at the study area.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)