Sample records for diurnal variation
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 14 shown.



1

Variação diurna e resposta da cinética do VO2 de ciclistas durante exercício muito intenso/ Diurnal variation and Vo2 kinetic response of cyclists during heavy exercis e

Santana, Marcos G.; Tufik, Sergio; Passos, Giselle S.; Santee, Donald M.; Denadai, Benedito S.; Mello, Marco T.
2008-06-01

Resumo em português O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência da hora do dia nos parâmetros da cinética do consumo de oxigênio de ciclistas durante exercício muito intenso. Nove voluntários do sexo masculino realizaram exercícios de carga constante às 08:00, 13:00 e 18:00 h, em dias diferentes. Estes exercícios foram realizados duas vezes em cada visita, com um intervalo de 1 h entre eles. A intensidade usada foi de 75%Δ (75% da diferença entre o VO2 no limiar de (mais) lactato e o VO2max. A amplitude do componente primário do VO2 (2597 ± 273 ml.min-1, 2513 ± 268 ml.min-1 e 2609 ± 370 ml.min-1), a constante de tempo do componente primário do VO2 (19.3 ± 2.5 s, 18.4 ± 3.0 s e 19.7 ± 3.9 s), o componente lento do VO2 (735 ± 81 ml.min-1, 764 ± 99 ml.min-1 e 680 ± 121 ml.min-1) e o tempo de resposta média (51.8 ± 4.2 s, 51.2 ± 4.2 s e 51.4 ± 3.4 s) não apresentaram diferenças significativas entre os diferentes horários do dia (08:00, 13:00 e 18:00 h), assim como os demais parâmetros da cinética do VO2. Estes resultados sugerem que a resposta da cinética do VO2 de ciclistas durante exercício muito intenso (75%Δ) não é influenciada pela hora do dia. Resumo em inglês The objective of the present study was to evaluate the influence of the time of day on the parameters of oxygen uptake kinetics of trained cyclists during high intensity exercise. Nine male volunteers repeated bouts at constant loads at 08:00, 13:00 and 18:00 h on different days. These exercise bouts were performed twice on each occasion, with an interval of 1 h between them. The load intensity used was 75%Δ (75% of the difference between the VO2 at the lactate thres (mais) hold and the VO2max). The primary VO2 amplitude (2597 ± 273 ml.min-1, 2513 ± 268 ml.min-1 and 2609 ± 370 ml.min-1), the primary VO2 time constant (19.3 ± 2.5 s, 18.4 ± 3.0 s and 19.7 ± 3.9 s), the VO2 slow component (735 ± 81 ml.min-1, 764 ± 99 ml.min-1 and 680 ± 121 ml.min-1) and the mean response time (51.8 ± 4.2 s, 51.2 ± 4.2 s and 51.4 ± 3.4 s) did not present significant differences at the different times (08:00, 13:00 and 18:00 h), neither did the other parameters of the VO2 kinetics. These results suggest that the response of the VO2 kinetics of cyclists exercising at high intensity (75%Δ) is not influenced by the time of day.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Efeito da baixa temperatura noturna e do porta-enxerto na variação diurna das trocas gasosas e na atividade fotoquímica de laranjeira 'Valência'/ Effects of low night temperature and rootstocks on diurnal variation of leaf gas exchange rates and photochemical activity of 'Valência' sweet orange plants

Machado, Daniela Favero São Pedro; Machado, Eduardo Caruso; Machado, Ricardo Silverio; Ribeiro, Rafael Vasconcelos
2010-06-01

Resumo em português A redução da fotossíntese durante o inverno pode ser induzida por noites frias, mesmo quando as condições durante o dia não são limitantes. Laranjais são formados com plantas enxertadas, sendo o porta-enxerto citrumeleiro 'Swingle' recomendado em áreas onde há ocorrência de baixas temperaturas. Todavia, os mecanismos fisiológicos pelos quais as plantas apresentam melhor crescimento e produção são pouco conhecidos. O objetivo deste estudo foi testar a hipót (mais) ese de que o efeito da baixa temperatura noturna na fotossíntese de laranjeiras é dependente do porta-enxerto utilizado, com o citrumeleiro 'Swingle' (Citrus paradisi x Poncirus trifoliata) induzindo maior tolerância ao frio noturno se comparado ao limoeiro 'Cravo' (Citrus limonia). Laranjeiras 'Valência' (Citrus sinensis) com seis meses, cultivadas em sacolas plásticas (5 L), foram expostas por 12 h à temperatura noturna de 20 e 8 ºC. O tratamento térmico foi realizado em câmara de crescimento, sendo apenas a parte aérea das plantas expostas às distintas temperaturas. Medidas do curso diurno das trocas gasosas e da atividade fotoquímica foram realizadas em condições ambientais naturais. O resfriamento noturno causou maior redução da assimilação de CO², da condutância estomática e da transpiração em laranjeira 'Valência' sobre limoeiro 'Cravo' quando comparado às plantas sobre 'Swingle'. Após o tratamento de frio, as eficiências máxima (Fv/Fm) e operacional (Fq'/Fm') do fotossistema II diminuíram nas plantas sobre 'Cravo' e mantiveram-se praticamente inalteradas nas plantas enxertadas em 'Swingle'. Portanto, o porta-enxerto 'Swingle' induziu maior eficiência fotossintética em condições de frio noturno às plantas de laranjeira 'Valência' quando comparado ao porta-enxerto 'Cravo'. A queda da assimilação de CO² em plantas resfriadas foi devida à menor condutância estomática e menor eficiência aparente de carboxilação, ou seja, resultante de limitações difusivas e metabólicas. Embora, Fv/Fm e Fq'/Fm' em laranjeira 'Valência' sobre 'Cravo' tenham sido mais afetados pelo resfriamento em comparação às laranjeiras sobre 'Swingle', esses não contribuíram para a redução da assimilação de CO² (A). Porém, o frio noturno causou aumento da atividade dos drenos alternativos de elétrons (aumento da relação entre o transporte aparente de elétrons e a assimilação de CO²), reduzindo a eficiência aparente de carboxilação de forma mais significante em 'Valência' sobre 'Cravo' do que sobre 'Swingle'. Estes resultados confirmam a hipótese de que a ocorrência de frio noturno afeta a fotossíntese de laranjeira 'Valência' sendo os efeitos do resfriamento dependentes do porta-enxerto. Resumo em inglês Decreases in photosynthesis during winter season are probably caused by low night temperature, even under non-limiting environmental conditions during the diurnal period. Citrus orchards are formed by grafted plants, being the 'Swingle' citrumelo rootstock recommended in areas with occurrence of low temperatures. However, the physiological mechanisms related to larger growth and crop yield in those plants are poorly understood. The aim of this study was to test the hypoth (mais) esis that the effect of low night temperature in photosynthesis of sweet orange plants is dependent on the rootstock species, with 'Swingle' citrumelo (Citrus paradise x Poncirus trifoliata) inducing higher tolerance to overnight chilling when compared to 'Rangpur' lime (Citrus limonia) rootstock. Six-month old 'Valência' (Citrus sinensis) sweet orange plants grown in plastic bags (5 L) were exposed overnight (12 h) to temperatures of 20 and 8 ºC. The thermal treatment was carried out inside a growth chamber where only the upper plant shoots were exposed to temperature variation. Measurements of diurnal courses of leaf gas exchange and photochemical activity were taken under natural environmental conditions. Chilling night caused larger reduction on CO2 assimilation, stomatal conductance and transpiration in plants grafted on 'Rangpur' lime when compared to those onto 'Swingle' citrumelo rootstock. After the chilling treatment, maximum (Fv/Fm) and operational (Fq'/Fm') efficiencies of photosystem II decreased in plants grafted on 'Rangpur' lime, but remained practically undisturbed in plants grafted on 'Swingle' citrumelo rootstock. Therefore, the 'Swingle' citrumelo rootstock increased the photosynthetic efficiency of 'Valência' sweet orange plants exposed to overnight chilling when compared to the 'Rangpur' lime. The reduction of CO2 assimilation in chilled plants was due to low stomatal conductance and low apparent carboxylation efficiency, i.e., it is a consequence of both diffusive and metabolic limitations. Although Fv/Fm and Fq'/Fm' in plants grafted on 'Rangpur' lime have been more affected by chilling in relation to plants on 'Swingle' citrumelo rootstock, those effects were not related with decreases in CO2 assimilation. Chilling night also increased the alternative electron sinks, as shown by the increasing ratio between apparent electron transport rate and CO2 assimilation and reduced apparent carboxylation efficiency of plants grafted on 'Rangpur' lime with larger intensity than in plants onto 'Swingle' citrumelo rootstock. Those results confirm the hypothesis that low night temperature affects photosynthesis of 'Valência' sweet orange plants, being the chilling effects rootstock-dependent.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Variação da densidade de fluxo de seiva e do potencial hídrico foliar nas faces leste e oeste da copa de laranjeira 'Valência'/ Variation of sap flow density and leaf water potencial in the east and west side of the canopy of 'Valencia' sweet orange plant

Vasconcelos, Lúcio Flavo Lopes; Ribeiro, Rafael Vasconcelos; Oliveira, Ricardo Ferraz de; Machado, Eduardo Caruso
2010-03-01

Resumo em português O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da variação diurna e sazonal dos fatores ambientais sobre a densidade de fluxo de seiva (DFS) e o potencial hídrico foliar (Ψf) nas faces leste e oeste da copa de laranjeiras 'Valência' em condições de sequeiro. Foram utilizadas três plantas para as avaliações, cujas linhas de plantio estavam orientadas no sentido norte-sul. As avaliações foram realizadas durante um dia, em cada época do ano: verão, out (mais) ono, inverno e primavera. Os valores de potencial hídrico medidos antes do amanhecer variaram de -0,31 MPa, no dia 10-12-05, a -1,1 MPa, no dia 30-08-05, porém não houve diferença significativa entre as faces leste e oeste da copa. Já para o potencial hídrico medido às 14h 30, em todas as épocas avaliadas, a face oeste apresentou menores (p Resumo em inglês This paper aimed to study the effect of diurnal and seasonal variation of the environmental factors on the sap flow density (SFD) and leaf water potential (Ψl) in the east and west side of the canopy of 'Valencia' sweet orange trees under field conditions, with no irrigation system. Were evaluated three plants, whose planting rows were north-south oriented. The evaluations were performed during one day in each season of the year: summer, autumn, winter and spring. Th (mais) e values of water potential measured at predawn ranged from -0,31 MPa, in the day 12/10/05, to -1,1 MPa, in the day 08/30/05, however there was no significant difference between the east and west sides of the canopy. At the afternoon, leaves at the west side showed smaller (p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Albedo da cultura da soja em área de avanço da fronteira agrícola na Amazônia/ Albedo of soybean crop in the frontier region of the Amazon

Souza, Paulo J. de O. P. de; Ribeiro, Aristides; Rocha, Edson J. P. da; Loureiro, Renata S.; Bispo, Carlos J. C.; Sousa, Adriano M. L.
2010-01-01

Resumo em português O avanço da fronteira agrícola na Amazônia pode acarretar graves impactos ambientais, constituindo a mudança no albedo da superfície um dos principais forçantes. Avaliou-se, neste trabalho, o albedo da soja (Glycine Max (L.) Merryl), plantada em condições naturais de campo, na cidade de Paragominas, PA, região com grande avanço da fronteira agrícola na Amazônia, e se observou relação direta entre o albedo da soja e o seu índice de área foliar, valor máxim (mais) o diário variando entre 0,24 e 0,25 associado a um IAF de 7,17 correspondente a 1297,62 graus-dia acumulados. Em termos médios, encontrou-se que a o estádio fenológico mais critico da cultura, tendo como base a mudança no albedo, é o estádio fenológico de frutificação na qual a mesma apresenta um albedo médio máximo de 23,3% (± 0,0007). Modelos empíricos foram ajustados para simular a variação diária do albedo em função do IAF e umidade do solo, ao longo do ciclo, e a variação diurna do albedo na elevação solar, para cada estádio fenológico da soja. Resumo em inglês Soybean expansion in the Amazon has been increasing considerably in recent years, the consequences of which can be serious environmental impacts. In this paper the soybean albedo (Glycine Max (L.) Merryl) was evaluated, which was planted in natural field conditions in Paragominas city (PA), a region representative of agricultural expansion in Amazon. A direct relationship was observed between soybean albedo and its leaf area index (LAI), showing a daily maximum value betw (mais) een 0.24 and 0.25 associated to a LAI of 7.17, when soybean has accumulated 1297.62 degree-days. It was found that the most critical phase of the crop, based on change in surface albedo, is the fruitification phase, when albedo shows a maximum mean value of 0.23 (± 0.0007). Empirical models were fitted to simulate the daily variation of the albedo as a function of LAI and soil humidity during the cycle, and to simulate the diurnal variation of the albedo as a function of solar elevation, for each soybean phase.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Fotossíntese, condutância estomática e potencial hídrico foliar em árvores jovens de andiroba (Carapa guianensis)/ Photosynthesis, stomatal conductance and leaf water potential in crabwood (Carapa guianensis)

Costa, Gracilene Fernandes da; Marenco, Ricardo A.
2007-06-01

Resumo em português O potencial hídrico da folha é um dos fatores mais importantes que afetam o funcionamento dos estômatos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da variação diurna na irradiância e déficit de pressão de vapor (DPV) na fotossíntese (A), condutância estomática (g s) e potencial hídrico da folha (psi) em Carapa guianensis (Aubl.). Os dados foram coletados de 07:00 às 17:00 h. A taxa fotossintética atingiu um valor máximo (2,5 µmol m-2 s-1) às 10:00 h, (mais) depois declinou até atingir um mínimo de 1 µmolm-2 s-1 às 16:00 h. A condutância estomática oscilou durante o dia, de 0,04 molm-2s-1 (ao meio dia) para 0,02 molm-2s- 1 no final da tarde. O potencial hídrico da folha foi máximo nas primeiras horas do dia (-0,3 MPa) e mínimo (-0,75 MPa) no meio da tarde (14:30 a 15:00 h). Após ter alcançado um mínimo, o psi aumentou até -0,64 MPa no fim da tarde. A taxa fotossintética aumentou linearmente em função do g s (P Resumo em inglês Leaf water potential is one of the most important factors affecting stomatal functioning. The aim of this study was to assess the effect of variation in diurnal irradiance and vapour pressure deficit on photosynthesis (A), stomatal conductance (g s) and leaf water potential (psi) in Carapa guianensis (Aubl.). Data were collected from 07:00 to 17:00 h. Photosynthetic rates reached a maximum (2.5 µmol m-2 s-1) at 10:00 h, thereafter declined to a minimum of 1 µmol m-2 s-1 (mais) at 16:00 h. Stomatal conductance oscillated during the day, from 0.04 mol m-2 s-1 (at midday) to 0.02.mol.m-2.s-1 at the end of the afternoon. Leaf water potential was higher early in the morning (-0.3 MPa) and lower (-0.75 MPa) at mid-afternoon (14:30 -15:00 h). After reaching a minimum, psi increased up to -0.64 MPa at sunset. Photosynthetic rates increased linearly as a function of g s (P

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Características da camada limite atmosférica tropical (CLAT) na região de Serpong-Indonésia durante as estações seca e chuvosa/ Tropical atmospheric boundary layer (BLAT) characteristic in Serpong-Indonesia region, during drought and rainy seasons

Oliveira Júnior, José Francisco de; Kwon, Byung Hyuk
2007-04-01

Resumo em português Através dos dados de superfície, radiossondagem e radar Doppler banda - L, em Serpong - Indonésia (6° 24’ S - 106° 42’ E), durante a estação seca (1993) e chuvosa (1994) foram estudadas as características da CLAT. Os dados de radar foram validados através da radiossondagem por métodos estatísticos (índice de correlação, média e desvio padrão). A estrutura da CLAT foi interpretada através do eco de radar (vento), observado continuamente para todos os dia (mais) s do período de estudo. As características mais evidentes da CLAT nesta região foram à presença de uma CM (Camada de Mistura) diurna que atingia a 0,3 km pela manhã e outra camada entre 3-5 km à tarde, observando-se um ciclo diurno de crescimento e estacionariedade, devido ao aquecimento e resfriamento da superfície. A principal característica entre as estações foi que no horário de 0300 TL (Tempo Local), ambas apresentavam o mesmo comportamento (intensidade e direção do vento), mas para o restante do dia existiu uma grande diferença entre elas. Na estação seca a intensidade e a direção do vento foi mais variável do que na chuvosa, resultado observado na altura da CLAT. As informações obtidas através do BLR (Boundary Layer Radar), mostram a existência de pronunciadas variações diurnas na CLAT em dias claros. Verificou-se que a variação diurna da CLAT teve uma influencia marcante, devido à existência da circulação de brisa marítima, confirmada pelo BLR no dia 12/10/93. A validação dos dados do radar apresentou resultados significativos, onde na estação seca, os coeficientes de regressão variaram entre 0,83 e 0,94, tanto na direção como na intensidade, e na chuvosa variou de 0,77 a 0,88 (intensidade) e na direção da ordem de 0,3. Comprovou-se que as medidas de radar são equivalentes ao de radiossondagem, com o benefício de poder ter dados contínuos, provando-se que as observações, a partir da sua utilização deve desempenhar um papel importante no estudo da baixa atmosfera tropical. Resumo em inglês From the surface, radiosonde and Doppler radar Band - L data in Serpong, Indonesia (6° 24 ‘ S - 106° 42’ E), measured were performed during drought (1993) and rainy (1994) seasons, when BLAT characteristics were studied. Radar data were validated with soundings through statistical methods (correlation index, average and standard deviation). BLAT structure were interpreted through radar echo (wind), continuously observed through day over study period. BLAT evident char (mais) acteristics in this region had been associated to diurnal ML (Mixing Layer) that reached 0.3 km at morning and 3-5 km at afternoon, were observed a steady and growth diurnal cycle, due to heating and cooling surface. Main characteristics between seasons were at 0300 LT (Local Time) presents intensity and direction of wind behaviors, but still remained during day an ample distinction between them. In drought season, intensity and direction of wind were more changeable than rainy season, result observed in BLAT height. Acquired information under BLR (Boundary Layer Radar), shown the existence of pronounced diurnal sharp variation on BLAT in clear days. Were verified that BLAT diurnal variation had an evident influence to existence of breeze sea circulation confirmed by BLR in 12/10/93 day. Radar data validation were carried through information of soundings and had presented significant resulting, where drought season regression coefficients had varied between 0.83 and 0.94, as much as intensity as direction, and rainy season had been 0.77 - 0.88 (intensity) and in direction they had been in order of 0.3. Proved that radar measures are equivalents to soundings, with benefit to being able continuous data, proving that using observations must be important role in low level tropical atmosphere study.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Reprodutibilidade da medida ambulatorial da pressão arterial em pacientes hipertensos com diabete melito tipo 2/ Reproducibility of ambulatory blood pressure monitoring in hypertensive patients with type 2 diabetes mellitus

Felício, João Soares; Pacheco, Juliana Torres; Ferreira, Sandra Roberta; Plavnik, Frida; Kohlmann, Oswaldo; Ribeiro, Artur Beltrame; Zanella, Maria Tereza
2007-02-01

Resumo em português OBJETIVO: Avaliar a reprodutibilidade e o efeito placebo sobre a monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA) (SpaceLabs-90207). MÉTODOS: Mensurou-se a PA no consultório e por meio de duas MAPA, realizadas em um intervalo de 1 a 10 meses (média de 4,9 meses), de 26 pacientes com diabetes tipo 2 e hipertensão. Onze pacientes (G1) realizaram as duas MAPA sem medicação anti-hipertensiva por 15 dias, enquanto o G2 (N = 15) fez a segunda MAPA em uso de placeb (mais) o pelo mesmo período. RESULTADOS: Ao avaliarmos os coeficientes de variação (CV) da PA sistólica na vigília (PASV), PA diastólica na vigília (PADV), PA sistólica nas 24h (PAS24h) e PA diastólica nas 24h (PAD24h), encontramos valores de 4,6%, 3,9%, 5,0% e 4,0% no G1 e 4,3%, 5,1%, 3,7% e 5,1% no G2, respectivamente. Quanto ao CV da PA sistólica e diastólica durante o sono (PASS e PADS), encontramos 7,7% e 8,2% para G1, e 5,6% e 6,3% para G2, respectivamente. O CV da freqüência cardíaca na vigília e durante o sono foram: G1 = 5,9% e 9,0%, G2 = 6,9% e 5,8%, respectivamente. Analisando o total dos pacientes, todas as variáveis mostraram fortes correlações entre a primeira e a segunda MAPA (PASV, r=0,76; P Resumo em inglês OBJECTIVE: To evaluate the reproducibility of ambulatory blood pressure monitoring (ABPM) (SpaceLabs-90207) and placebo effect on ABPM. METHODS: Blood pressure was measured in the office and over two ABPM periods with an interval from one to ten months (mean 4.9 months), in 26 patients with type 2 diabetes mellitus and hypertension. Eleven patients (G1) had two ABPMs without taking antihypertensive drugs for 15 days, whereas G2 (N=15) had the second ABPM after administrat (mais) ion of a placebo for 15 days. RESULTS: In the evaluation of the coefficient of variation (CV) of diurnal (awake) systolic BP (DSBP), of diurnal (awake) diastolic BP (DDBP), of 24-hour systolic BP (24hSBP) and of 24-hour diastolic BP (24hDBP), the values found were 4.6%, 3.9%, 5.0%, 4.0% for G1 and 4.3%, 5.1%, 3.7%, 5.1% for G2 respectively. We also determined the CV of nocturnal (sleep) systolic and diastolic BP (NSBP and NDBP) for G1 (7.7%; 8.2%) and G2 (5.6%; 6.3%). Heart rate CV during alertness and sleep were: G1=5.9% and 9.0%; G2=6.9% and 5.8% respectively. When the total number of 'patients was analyzed, all variables showed a strong correlation between the first and second ABPM measurements (DSBP, r = 0.76; P

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Picos de pressão intra-ocular: comparação entre curva tensional diária, minicurva e medida da pressão intra-ocular às 6 horas/ Intraocular pressure peaks: comparison between the circadian curve, diurnal curve and the 6 a.m. measurement

Rodrigues, Luciana Duarte; Silva, Maria Rosa Bet de Moraes; Schellini, Silvana Artioli; Jorge, Edson Nacib
2004-02-01

Resumo em português INTRODUÇÃO: A pressão intra-ocular (Po) é o fator de risco isolado mais importante para o desenvolvimento do glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA). O controle da Po é o objetivo principal da terapia antiglaucomatosa até o momento. A curva tensional diária (CTD) é de grande importância para o diagnóstico e seguimento do glaucoma primário de ângulo aberto. Métodos simplificados como a minicurva têm sido utilizados em seu lugar por serem mais práticos. O (mais) BJETIVO: Comparar curva tensional diária, minicurva e medida isolada às 6 horas quanto à detecção de picos pressóricos e verificar a influência da variação postural na medida das 6 horas da manhã. MÉTODOS: Sessenta e quatro pacientes (126 olhos) com glaucoma primário de ângulo aberto ou suspeita de glaucoma foram submetidos à curva tensional diária. A minicurva considerou as medidas das 9, 12, 15 e 18 horas da mesma curva tensional diária. A medida das 6 horas foi realizada no escuro, com o paciente deitado, utilizando o tonômetro de Perkins. Logo após, foi feita nova medida, com o paciente sentado, usando o tonômetro de Goldmann. A Po média e a ocorrência de picos (Po > 21 mmHg) da curva tensional diária e minicurva foram comparados, assim como o horário de ocorrência dos picos. RESULTADOS: A Po média foi maior no glaucoma primário de ângulo aberto do que nos suspeitos tanto na minicurva como na curva tensional diária Quando comparadas, a curva tensional diária apresentou médias de Po maiores que a minicurva. A medida das 6 horas foi maior quando feita com o paciente deitado. A minicurva não detectou 60,42% dos picos nos pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e 88,24% dos picos nos suspeitos. CONCLUSÃO: 1. A curva tensional diária detectou mais picos pressóricos do que a minicurva; 2. A média de Po das 6 horas foi maior com o paciente deitado; 3. A Po das 6 horas com o paciente deitado foi maior do que a Po média da curva tensional diária e da minicurva. Resumo em inglês INTRODUCTION: Intraocular pressure (IOP) is a major risk factor for the development of open angle glaucoma (OAG). Intraocular pressure control is the main target of glaucoma therapy at the moment. The 24-hour intraocular pressure curve (circadian curve-CC) is of great importance for open angle glau-coma diagnosis and follow-up. Because of practical facilities, simplified methods such as the diurnal curve (DC) have been used. PURPOSE: Comparison between circadian curve and (mais) diurnal curve as regards intraocular pressure peak detection and the verification of the influence of postural variation on 6 a.m. measurement. METHODS: Sixty-four open angle glaucoma or suspected glaucoma patients (126 eyes) were submitted to circadian curve. Diurnal curves considered 9 a.m. - noon - 3 p.m. 6 p.m. measurements of the circadian curve. At 6 a.m., measurements were performed in the dark, while patients were lying, with the Perkins tonometer. Then, another measurement was taken, with the Goldmann tonometer with the patients seated. Mean intraocular pressure and intraocular pressure peaks in the circadian and diurnal curves were compared, as well as the time when the peaks occurred. RESULTS: Mean IOP was higher in the open angle glaucoma patients in both the circadian curve and diurnal curve. When the circadian curve and diurnal curve were compared, mean intraocular pressure was higher in the 6 a.m. circadian curve IOP measurement was higher when taken in bed. The diurnal curve did not detect 60.42% of the peaks in open angle glaucoma patients and 88.24% of the peaks in suspected glaucoma patients. CONCLUSIONS: 1. The circadian curve detects more intraocular pressure peaks than the diurnal curve; 2. Six a.m. intraocular pressure is higher when taken in bed; 3. 6 a.m. intraocular pressure in bed is higher than the mean intraocular pressure in both circadian curve and diurnal curve.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Efeitos de segunda e terceira ordem da ionosfera no posicionamento GNSS no Brasil

Marques, Haroldo Antonio; Monico, João Francisco Galera; Aquino, Marcio; Rosa, Guilherme Poleszuk dos Santos
2009-09-01

Resumo em português O Sistema de Posicionamento Global (GPS) transmite seus sinais em duas freqüências, o que permite eliminar matematicamente os efeitos de primeira ordem da ionosfera através da combinação linear ionosphere free. Porém, restam os efeitos de segunda e terceira ordem, os quais podem provocar erros da ordem de centímetros nas medidas GPS. Esses efeitos, geralmente, são negligenciados no processamento dos dados GPS. Os efeitos ionosféricos de primeira, segunda e tercei (mais) ra ordem são diretamente proporcionais ao TEC presente na ionosfera, porém, no caso dos efeitos de segunda e terceira ordem, comparecem também o campo magnético da Terra e a máxima densidade de elétrons, respectivamente. Nesse artigo, os efeitos de segunda e terceira ordem da ionosfera são investigados, sendo que foram levados em consideração no processamento de dados GPS na região brasileira para fins de posicionamento. Serão apresentados os modelos matemáticos associados a esses efeitos, as transformações envolvendo o campo magnético da Terra e a utilização do TEC advindo dos Mapas Globais da Ionosfera ou calculados a partir das observações GPS de pseudodistância. O processamento dos dados GPS foi realizado considerando o método relativo estático e cinemático e o posicionamento por ponto preciso (PPP). Os efeitos de segunda e terceira ordem foram analisados considerando períodos de alta e baixa atividade ionosférica. Os resultados mostraram que a não consideração desses efeitos no posicionamento por ponto preciso e no posicionamento relativo para linhas de base longas pode introduzir variações da ordem de poucos milímetros nas coordenadas das estações, além de variações diurnas em altitude da ordem de centímetros. Resumo em inglês The Global Positioning System (GPS) transmits signals in two frequencies which allow to correct for the first order ionospheric effects through theionosphere free combination. However, the second and third order ionospheric effects which cause error of the order of centimeters in the GPS measurements, still remain. These effects are, generally, neglected in the GPS data processing. The first, second and third order ionospheric effects are directly proportional to the TEC (mais) (Total Electron Content) in the ionosphere, but, in the case of the second and third order effects the Earth magnetic field and the maximum electron density respectively, also make a contribution. This paper investigates these two higher order ionospheric effects which were taken into account in the GPS data processing in the Brazilian region. The mathematical model associated with these effects will be presented, as well as the transformations involving the Earth magnetic field and the use of the TEC from Global Ionospheric Maps or calculated from GPS pseudorange measurements. The GPS data was processed in static and kinematic relative mode and in a precise point positioning (PPP) approach. The second and third order effects were analyzed considering periods with low and high ionospheric activities. The results have shown that neglecting these effects in the precise point positioning and in the relative positioning for long baselines can cause variation of the order of few millimeters in thestations coordinates, besides diurnal variations in altitude of the order of centimeters.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

10

Distúrbios paroxísticos não-epilépticos/ Paroxysmal non-epileptic events

Menezes, Márcio A. Sotero de
2002-08-01

Resumo em português Objetivo: este artigo tem como objetivo discutir um dos principais problemas com os quais um pediatra geral tem que lidar no campo da neurologia infantil, que são os distúrbios paroxísticos não-epilépticos. Estes episódios também são uma causa freqüente de consultas aos neuropediatras e de internação em unidades de monitorização por vídeo-eletrencefalograma. Fontes dos dados: revisão da literatura sobre o assunto na Medline. Vários compêndios de neurologi (mais) a pediátrica também foram usados, por conterem informações importantes sobre o assunto. Síntese dos dados: muitas das entidades discutidas neste artigo são freqüentes na população pediátrica, como, por exemplo, a síncope, as crises de perda do choro, e os movimentos patológicos associados ao refluxo gastroesofágico. Outras entidades são mais raras, como as distonias paroxísticas e a distonia com flutuação diurna. Conclusões: o conhecimento básico das várias síndromes associadas com distúrbios paroxísticos não-epilépticos é extremamente importante para o pediatra geral, porque pode evitar exames desnecessários e o diagnóstico errôneo de epilepsia, expondo as crianças às medicações que não vão melhorar o quadro clínico, e que podem causar efeitos colaterais. Resumo em inglês Objective: this publication aims at reviewing one of the most important problems faced by the pediatrician in the field of child neurology. The paroxistic non-epileptic events are also a frequent reason for pediatric neurology consultations and admission for diagnostic video-eletroencephalogram monitoring. Methods: literature review on the subject was perform on Medline, data was also collected from the main Pediatric Neurology Textbooks, which were found to be important (mais) and unique source of information on the subject. Results: many of entities discussed in this paper are very common in the pediatric population like syncope, breath-holding spells and the movement disorders associated with gastroesophageal reflux. Other syndromes are less frequent such as the pararoxymal dystonias and the Segawa Syndrome (dystonia with diurnal variation). Conclusions: the basic knowledge of these syndromes is very important since it may avoid unnecessary procedures and the wrongful diagnosis of epilepsy. Patients who are mistakenly diagnosed as epileptics are exposed to anti-convulsant medications, which are probably not going to be effective and may expose them to the risk of side effects.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

11

Consumo de água em plantios de eucalipto: parte 2 modelagem da resistência estomática e estimativa da transpiração em tratamentos irrigados e não-irrigados/ Water consumption in eucalypt plantations: part 2 - modeling stomatal resistance and estimating tranpiration in irrigated and non-irrigated treatments

Carneiro, Rogério Lessa de Castro; Ribeiro, Aristides; Martinez y Huaman, Carlos Alberto; Leite, Fernando Palha; Sediyama, Gilberto Chohaku; Neves, Julio César Lima
2008-02-01

Resumo em português Este trabalho constitui a ultima parte do estudo que objetivou calcular o consumo de água em plantios de eucalipto. Nesta parte, modelou-se a resistência estomática em função das variáveis ambientais irradiância solar global, déficit de pressão de vapor e temperatura. Com a resistência estomática modelada a partir dos valores observados no artigo anterior, foi possível calcular a transpiração do eucalipto pelo método Penman-Monteith em alguns dias, nos per� (mais) �odos úmido e seco do ano. Verificou-se a existência da correlação entre a resistência estomática e as variáveis ambientais. Os modelos gerados nessa relação mostraram-se eficientes para calcular as variações diárias resistência estomática e também totais horários e diários de transpiração. Resumo em inglês This paper concludes the last part of the work aimed to calculate water consumption in eucalypt plantations. Stomatal resistance was modeled as a function of the following ambient variables: global solar irradiance, vapor pressure deficit and temperature. Based on stomatal resistance modeled from the values observed in the first part of this work, eucalypt transpiration by the Penman-Monteith method could be calculated in some days during the humid and dry periods of the (mais) year. Correlation between stomatal resistance and ambient variables was verified. The models generated by this relation proved efficient in calculating the diurnal variation of stomatal resistance as well as hourly and daily transpiration totals.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

12

Biologia reprodutiva e polinização em Epidendrum paniculatum Ruiz & Pavón (Orchidaceae)/ Reproductive biology and pollination in Epidendrum paniculatum Ruiz & Pavón (Orchidaceae)

Pansarin, Emerson R.
2003-06-01

Resumo em português Epidendrum paniculatum Ruiz & Pavón ocorre na América Central e do Sul. As populações estudadas desenvolvem-se como rupícola em matas semidecíduas de altitude, na Serra do Japi (Judiaí-SP). Suas flores são verdes e brancas, e fragrantes durante o dia e à noite. Na Serra do Japi, os polinizadores são borboletas da subfamília Ithomiinae e mariposas diurnas da família Arctiidae, ambas conhecidas por coletar alcalóides em flores. Os testes realizados, no entanto, (mais) demonstraram que alcalóides estão ausentes em flores de E. paniculatum, que atrai seus polinizadores provavelmente pela produção de néctar e fragrância. Os tratamentos realizados revelaram um alto grau de auto-incompatibilidade para a espécie. No entanto, devido à tendência de muitos lepidópteros permanecerem em seus micro-hábitats, muitas autopolinizações ocorrem. O alto grau de auto-incompatibilidade, somado à ineficiência por parte dos agentes polinizadores, provoca grande perda de pólen e, conseqüentemente, uma baixa produção de frutos. Mesmo com a baixa frutificação, os frutos produzidos são derivados de polinizações cruzadas. Este fato, adicionado à produção de milhares de sementes dispersas pelo vento em cada fruto, pode ser suficiente para a manutenção do número de indivíduos da espécie na região, bem como para a promoção de maior variabilidade genética e da ampla distribuição de E. paniculatum. Resumo em inglês Epidendrum paniculatum Ruiz & Pavón occurs in Central and South America. The populations studied grows on rocks of semidecidual forests at the Serra do Japi (São Paulo State - Brazil). The flowers are green and white, and fragrant during the day and the night. In the study area, the pollinators are Ithomiinae butterflies and diurnal moths of the family Arctiidae, both reported to collect alkaloids of certain flowers. The tests performed revealed, however, that alkaloids (mais) are not present in flowers of E. paniculatum. The pollinators are attracted by the flowers of this species probably due to fragrance and nectar production. The treatments carried out revealed a high level of self-incompatibility within the flowers of E. paniculatum. Due to the tendency of many Lepidoptera to remain at specific micro-habitats, the occurrence of self-pollination is very common. The high level of self-incompatibility, combined with pollinator inefficiency, promotes a strong loss of pollen and consequently low fruit set. The small number of fruits produced is derived from cross-pollination. This fact plus to the production of thousands of seeds dispersed by wind in each fruit, probably is sufficient to maintain of the number individuals constant in the region, genetic variation, and extensive distribution of E. paniculatum.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

13

Variação diária da emissão de metano em solo cultivado com arroz irrigado no Sul do Brasil/ Diurnal variation of methane emission from a paddy field under rice cultivation in the Southern Brazil

Costa, Falberni de Souza; Bayer, Cimélio; Lima, Magda Aparecida de; Frighetto, Rosa Toyoko Shiraishi; Macedo, Vera Regina Mussoi; Marcolin, Elio
2008-10-01

Resumo em português O metano (CH4 ) apresenta um potencial de aquecimento 23 a 32 vezes maior do que o dióxido de C e a sua emissão diária em lavouras de arroz varia com a temperatura do solo e da água, e o metabolismo das plantas. O objetivo deste estudo foi determinar o horário apropriado à coleta de amostras de ar para quantificar a emissão média diária de CH4, informação fundamental para estudos visando a derivação de índices regionais de emissão desse gás. Três campanha (mais) s de monitoramento da emissão de CH4, com coletas em intervalos de 3h, foram realizadas nos estágios de emissão da panícula (campanha 1) e de maturação de grãos (campanhas 2 e 3) do arroz sob diferentes sistemas de cultivo (convencional e plantio direto) na safra 2002/2003, na Estação Experimental do Instituto Rio Grandense do Arroz, em Cachoeirinha, RS. A coleta das amostras de ar foi realizada com seringas de poliestireno em câmaras de alumínio de 1m², sendo que as análises de metano foram realizadas por cromatografia gasosa. A emissão diária de CH4 apresentou padrão similar nas três campanhas de amostragem independente do sistema de cultivo. A faixa de emissão mínima (4-19mg CH4m-2 h-1) ocorreu entre as 24 horas e o início da manhã seguinte (9 horas), e a faixa de emissão máxima (8-33mg CH4 m-2 h-1) do início à metade da tarde (12-15 horas). A emissão de CH4 foi relacionada à temperatura da água de inundação (campanhas 1 e 3) e do solo (campanha 2). Com base nas curvas de emissão diária e considerando aspectos operacionais como a viabilidade de análise cromatográfica das amostras no período de 24h após a coleta, o intervalo entre 9 e 12 horas é recomendado para a avaliação das emissões de CH4 em lavouras de arroz irrigado quando objetiva-se a obtenção de valores equivalentes à emissão média diária desse gás. Acredita-se que a alta relação entre a temperatura e a emissão de metano valida esse procedimento para as sub-regiões produtoras de arroz no Sul do Brasil (região litorânea e Sul do RS e região Sul de SC) pelo fato destas apresentarem comportamento diário similar de radiação solar e de temperatura do ar. A adequação do procedimento deve ser confirmada para as demais sub-regiões produtoras do Sul do Brasil, mas principalmente para outras regiões que apresentem condições ambientais diversas. Resumo em inglês Methane (CH4) has a global warming potential 23 to 32 times higher than carbon dioxide and its emission rate in rice fields should vary daily with water and soil temperature, and plant metabolism. This study aimed to identify the appropriate time interval for air sampling in order to quantify the mean daily CH4 emission rate, key information to future studies aiming the derivation of regional indexes of CH4 emission. Three campaigns were performed to evaluate diurnal vari (mais) ation in CH4 emissions (3h interval) from continuously flooded rice (Oryza sativa L. cv. 'IRGA-422 CL') fields at different crop stages (panicle differentiation and ripening) and management systems (conventional tillage-CT and no-tillage-NT) during 2002/2003 crop season in long-term experiment at the Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA), in Cachoeirinha, RS, Brazil. Static chamber method was used and the air samples collected with polystyrene syringes were analyzed by gas chromatography. Methane emission showed a same diurnal pattern in the three campaigns in the both tillage systems. The maximum range of emission (8-33mg CH4m-2 h-1) was observed in the early afternoon (12.00 to 15.00p.m.) followed by a decline to a minimum around midnight to next morning (4-19mg CH4 m-2 h-1), in which fluxes were related to flood water temperature (campaign 1 and 3) or soil temperature (campaign 2). Taking into account the daily emission curves, plus operational aspects like chromatographic analysis of samples into the 24h period after air sampling, the time interval from 9.00 to 12.00a.m. is recommended to studies aiming to evaluate mean daily CH4 emission in rice fields. The close relationship between temperature and methane emission allows us infer about the suitability of the gas sampling procedure for the different rice sub-regions of South of Brazil (littoral region and south of RS, and south of SC) that present the same daily behavior of solar radiation and air temperature. Even this, the appropriateness of this procedure should be tested for these different sub-regions of the South of Brazil but, mainly, for the world regions with diverse climatic conditions.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

14

Variação ao longo do dia da atividade de enzimas do catabolismo de sacarose em plântulas de Hymenaea courbaril L. durante a mobilização do xiloglucano de reserva/ Diurnal variation in the activity of enzymes of sucrose catabolism in Hymenaea courbaril L. plantlets during storage xyloglucan mobilization

Molle, Fábio Reis Dalle; Brandão, Aline Dias; Tiné, Marco Aurélio Silva
2009-03-01

Resumo em português Sementes de Hymenaea courbaril L. possuem um polissacarídeo de reserva que é mobilizado após a germinação, quando a primeira folha da planta já é fotossinteticamente ativa. No momento da mobilização das reservas, a plântula precisa coordenar duas fontes de carboidratos: a fotossíntese e a mobilização das reservas. Ambos geram sacarose como forma de exportação de carbono. Para entender a alocação de recursos na plântula, portanto, é necessário avaliar o (mais) catabolismo de sacarose nos órgãos. Neste trabalho foram analisados os carboidratos de baixo peso, quantificada a atividade da sacarose sintase e das três isoformas de invertase nos diferentes órgãos de plântulas de H. courbaril ao longo de um dia. As dosagens foram feitas no período de mobilização do xiloglucano, sendo as plântulas coletadas em intervalos de 6 horas, com uma coleta extra às 2 horas da manhã. Cada uma das enzimas apresentou um padrão característico de variação ao longo do dia, sugerindo funções distintas e independentes em cada órgão. A análise dos carboidratos mostrou altas concentrações de sacarose nos órgãos-dreno, enquanto os cotilédones apresentaram altas concentrações de monossacarídeos livres. A existência de isoformas com propriedades e distribuição celular distintas variando de forma independente ao longo do dia sugere que as isoformas podem ter funções fisiológicas distintas dentro da planta. Resumo em inglês Seeds of Hymenaea courbaril L. have a storage polysaccharide that is mobilized after germination, when the first leaf is already photosynthetic. During reserve mobilization, the seedling has to coordinate two carbohydrate sources: photosynthesis and storage mobilisation. Both use sucrose to export carbon. To understand the allocation of carbon resources in the seedling, therefore, it is essential to study the catabolism of sucrose in the organs. In the present work, the l (mais) ow molecular weight carbohydrates were analyzed, as well as the activity of sucrose synthase and of the three isoforms of invertase in organs of Hymenaea courbaril L. seedlings along a day. The analysis was made each 6 hours, with an extra analysis at 2 am. Each enzyme had a characteristic variation pattern along the day, suggesting distinct and independent functions for each organ. The carbohydrate analysis showed higher concentration of sucrose in the sink-organs, while the cotyledons had high concentration of free monosaccharides. The existence of isoforms with distinct properties and cellular distribution varying in independent ways along the day suggests that these isoforms may have distinct physiological functions in the plant.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)