Sample records for displacement ventilation
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Efeitos da tosse manualmente assistida sobre a mecânica do sistema respiratório de pacientes em suporte ventilatório total/ Effects of manually assisted coughing on respiratory mechanics in patients requiring full ventilatory support

Avena, Katia de Miranda; Duarte, Antonio Carlos Magalhães; Cravo, Sergio Luiz Domingues; Sologuren, Maria José Junho; Gastaldi, Ada Clarice
2008-06-01

Resumo em português OBJETIVO: A tosse manualmente assistida (TMA) consiste na compressão vigorosa do tórax no início da expiração espontânea ou da fase expiratória da ventilação mecânica. Tendo em vista a utilização rotineira da TMA na unidade de terapia intensiva, a proposta deste estudo foi analisar os efeitos dessa técnica no comportamento da mecânica do sistema respiratório de pacientes submetidos a suporte ventilatório total. MÉTODOS: Foram estudados 16 pacientes intuba (mais) dos, sedados e submetidos à ventilação mecânica controlada, sem participação interativa com o ventilador. A mecânica do sistema respiratório e a saturação periférica de oxigênio foram mensuradas antes e após a aplicação de TMA e após a aspiração traqueal. Foram realizadas 10 aplicações bilaterais da técnica por paciente, com intervalos de 3 ciclos respiratórios entre cada aplicação. RESULTADOS: Os dados evidenciaram a diminuição da pressão resistiva e da resistência do sistema respiratório e aumento da saturação periférica de oxigênio após a aplicação da TMA associada à aspiração traqueal. Não foram evidenciadas alterações das pressões de pico, platô e complacência do sistema respiratório após a aplicação da TMA. CONCLUSÕES: A TMA foi capaz de alterar a mecânica do sistema respiratório, mais especificamente aumentando as forças resistivas através do deslocamento de secreção. A técnica pode ser considerada eficaz e segura para pacientes em pós-operatório imediato. A associação entre TMA e aspiração traqueal mostrou-se benéfica, alcançando os objetivos propostos: deslocamento e remoção de secreção das vias aéreas. Resumo em inglês OBJECTIVE: Manually assisted coughing (MAC) consists of a vigorous thrust applied to the chest at the beginning of a spontaneous expiration or of the expiratory phase of mechanical ventilation. Due to routine use of MAC in intensive care units, the objective of this study was to assess the effects of MAC on respiratory system mechanics in patients requiring full ventilatory support. METHODS: We assessed 16 sedated patients on full ventilatory support (no active participat (mais) ion in ventilation). Respiratory system mechanics and oxyhemoglobin saturation were measured before and after MAC, as well as after endotracheal aspiration. Bilateral MAC was performed ten times on each patient, with three respiratory cycle intervals between each application. RESULTS: Data analysis demonstrated a decrease in resistive pressure and respiratory system resistance, together with an increase in oxyhemoglobin saturation, after MAC combined with endotracheal aspiration. No evidence of alterations in peak pressures, plateau pressures or respiratory system compliance change was observed after MAC. CONCLUSIONS: The use of MAC alters respiratory system mechanics, increasing resistive forces by removing secretions. The technique is considered safe and efficacious for postoperative patients. Using MAC in conjunction with endotracheal aspiration provided benefits, achieving the proposed objective: the displacement and removal of airway secretions.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Avaliação ultra-sonográfica da mobilidade do diafragma em diferentes posturas em sujeitos saudáveis/ Ultrasound evaluation of diaphragmatic mobility in different postures in healthy subjects

Yamaguti, Wellington Pereira dos Santos; Paulin, Elaine; Shibao, Simone; Kodaira, Sérgio; Chammas, Maria Cristina; Carvalho, Celso Ricardo Fernandes
2007-08-01

Resumo em português OBJETIVO: Avaliar, por meio de ultra-sonografia, o efeito da mudança de posicionamento corporal na mobilidade diafragmática de sujeitos saudáveis durante a respiração espontânea. MÉTODOS: Foram avaliadas sete mulheres voluntárias, saudáveis, sem histórico clínico de doenças cárdio-respiratórias, não tabagistas e eutróficas. Os sujeitos foram submetidos à prova de função pulmonar e à avaliação ultra-sonográfica da mobilidade do diafragma direito atra (mais) vés do deslocamento crânio-caudal do ramo esquerdo da veia porta, utilizando-se um aparelho de ultra-sonografia no modo B. A mobilidade do diafragma direito foi avaliada em decúbito lateral direito e em decúbito lateral esquerdo, e a ordem de avaliação das posturas foi definida aleatoriamente por meio de um sorteio prévio. RESULTADOS: A média da excursão do diafragma direito em decúbito lateral direito (51,30 ± 9,69 mm) foi significativamente maior (p = 0,03) que em decúbito lateral esquerdo (45,93 ± 10,37 mm). CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que, durante a ventilação espontânea, a mobilidade da porção dependente do diafragma é maior do que a da não dependente e que a técnica empregada foi sensível para detectar variações da mobilidade do diafragma com as mudanças de posicionamento. Resumo em inglês OBJECTIVE: To assess, using ultrasound, the effects that changes in body position have on diaphragmatic mobility in healthy subjects during spontaneous breathing. METHODS: The study involved seven healthy female volunteers, all of whom were nonsmokers, well nourished, and free of any cardiopulmonary disease. They were submitted to pulmonary function testing and ultrasound evaluation of the mobility of the right diaphragm by the craniocaudal displacement of the left branch (mais) of the portal vein using an ultrasound device in mode B. The mobility of the right diaphragm was evaluated in right decubitus and in left decubitus. The order of evaluation was previously determined in a random drawing. RESULTS: The average mobility of the right diaphragm in right decubitus (51.30 ± 9.69 mm) was significantly higher (p = 0.03) than that observed in left decubitus (45.93 ± 10.37 mm). CONCLUSION: The results suggest that, during spontaneous ventilation, the dependent portion of the diaphragm presents greater mobility than does the nondependent portion, and that the technique used was sufficiently sensitive to detect variations in diaphragmatic mobility related to changes in posture.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)