Sample records for dictyosomes
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Histoquímica e ultra-estrutura da ontogênese dos tetrasporângios de Hypnea musciformis (Wulfen) J. V. Lamour. (Gigartinales, Rhodophyta)/ Histochemistry and ultrastructure of the ontogenesis of the tetrasporangia of Hypnea musciformis (Wulfen) J. V. Lamour. (Gigartinales, Rhodophyta)

Bouzon, Zenilda Laurita
2006-06-01

Resumo em português O desenvolvimento dos tetrásporos de Hypnea musciformis (Wulfen) J. V. Lamour. foi estudado com o uso dos microscópios de luz e eletrônico. Os tetrasporângios diferenciam-se a partir de células corticais. Essas células sofrem mitose dando origem à célula-mãe do tetrasporângio e à célula suporte. As técnicas histoquímicas indicam que a parede celular do tetrasporângio é composta especialmente de polissacarídeos ácidos, reagindo com azul do toluidina O, az (mais) ul de alcião e amarelo de alcião. Os tetrasporângios são também corados com ácido periódico de Schiff, para carboidratos neutros, e com azul brilhante de coomassie, para proteínas. A transformação da célula cortical em célula mãe do tetrasporângio envolve uma série de mudanças estruturais, especialmente dos cloroplastos e dictiossomos. A célula-mãe do tetrasporângio alonga-se rapidamente e uma parede celular espessa é produzida antes da meiose. Durante essa fase de crescimento ocorreu aumento significativo no número de cloroplastos, grãos de amido e vesículas osmiofílicas. O tetrasporângio meiótico é caracterizado pelo desenvolvimento extensivo do retículo endoplasmático perinuclear. A citocinese tem início com a formação do sulco de divisão, formado pela invaginação da membrana plasmática. Concomitante à invaginação da membrana ocorre a deposição de mucilagem em torno dos tetrásporos. Resumo em inglês Tetraspore development was studied in Hypnea musciformis (Wulfen) J. V. Lamour. using light and electron microscopes, and techniques of histochemistry. Tetrasporangial differentiation arises from a cortex cell that enlarges. This cell undergoes mitosis to form a tetrasporangial mother cell and a stalk cell. The histochemichal study indicated that the cell wall layers are composed mainly of acidic polysaccharides, reacting with toluidine blue O, alcian blue and alcian yell (mais) ow. The tetrasporangial mother cell is also stained with periodic acid Schiff, that detect neutral carbohydrates, and with coomassie brilliant blue, that detect proteins. The transformation of cortical cells into mature tetrasporangia involves a series of structural changes, especially of the chloroplasts and dictyosomes. The tetrasporangial mother cell rapidly becomes elongated, and a distinctive cell wall is formed before the onset of meiosis. During this elongation phase there is also an increase in the number of chloroplasts. The meiotic tetrasporocyte is characterized by extensive development of the perinuclear endoplasmic reticulum. Throughout meiosis, there is a continuous replication of chloroplasts as well as a synthesis of starch and the formation of vesicles with electron-dense contents. Cytokinesis begins with the formation of the cleavage furrow, produced by the infurrowing of the plasma membrane. This cleavage furrow formation is followed by mucilage deposition surrounding the tetraspores.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Aspectos ultra-estruturais dos canais secretores em órgãos vegetativos e reprodutivos de Anacardiaceae/ Ultra-structural aspects of secretory canals in vegetative and reproductive organs of Anacardiaceae

Lacchia, Ana Paula Stechhahn; Guerreiro, Sandra Maria Carmello
2009-06-01

Resumo em português Neste trabalho foi estudado o desenvolvimento e a ultra-estrutura dos canais do floema dos ápices vegetativos de Spondias dulcis G. Forst., a ultra-estrutura dos canais floemáticos dos ápices vegetativos de Tapirira guinanensis Aubl., bem como, a ultra-estrutura e o desenvolvimento dos canais florais e a ultra-estrutura dos canais do fruto desta mesma espécie Os canais florais e do fruto de Anacardium humile St.Hil. também foram estudados ultra-estruturalmente. Os ca (mais) nais dos ápices vegetativos de S. dulcis formam-se de modo esquizolisígeno e os florais de T. guianensis desenvolvem-se, de modo esquizógeno. As células epiteliais dos canais de S. dulcis e T. guianensis possuem retículo endoplasmático rugoso, ribossomos livres, plastídios alongados, de diferentes formatos, com presença de inclusões osmiofílicas e dictiossomos com produção de vesículas. Estas organelas estão envolvidas na secreção de um exsudato heterogêneo composto por substâncias hidrofílicas e lipofílicas. As células epiteliais do fruto de A. humile apresentam plastídios, em grande quantidade, de forma arredondada com sistema de membranas circular, que estão envolvidos na síntese de substâncias lipofílicas. Os resultados das análises ultra-estruturais das células epiteliais corroboram com os resultados previamente obtidos por estudo histoquímico, através deste estudo, substâncias lipídicas e hidrofílicas foram identificadas nos canais de T. guinanensis e S. dulcis e apenas substância lipídicas nos canais de A. humile. Baseado nos aspectos ultraestruturais dos canais secretores de T. guianensis e S. dulcis nós pudemos concluir que os plastídios das células epiteliais dos canais das duas espécies são diferentes, apesar destes secretarem exsudatos de composição semelhante. Um registro novo para a família é a presença de um grande número de plastídios circulares em células epiteliais do fruto de A. humile. O padrão encontrado entre os canais secretores das espécies estudadas é o modo écrino de liberação da secreção. Resumo em inglês The study assessed phloem canal development and ultra-structure in shoot apices of Spondias dulcis G. Forst., phloematic canal ultra-structure in shoot apices of Tapirira guianensis Aubl., and floral canal ultra-structure and development and fruit canal ultra-structure of the latter specie. The flower and fruit canals of Anacardium humile St.Hil. were also studied ultra-structurally. The canals in shoot apices of S. dulcis show schizo-lysigenous formation and the floral c (mais) anals of T. guianensis show schizogenous development. Epithelial cells of S. dulcis and T. guianensis canals have rough endoplasmic reticulum, free ribosomes, elongated plastids of several shapes with osmiophilic inclusions and dictyosomes with production of vesicles. Such organelles participate in the secretion of a heterogeneous exudate, which is comprised of hydrophilic and lipophilic substances. The epithelial cells of the fruit of A. humile present elongated plastids with circular membrane system, which are involved in the synthesis of lipophilic substances. The results of the ultra-structural analyses of the epithelial cells corroborate the results previously obtained in a histochemical study. In the histochemical study, lipophilic and hydrophilic substances were identified in the canals of T. guinanensis and S. dulcis and only lipophilic substances were identified in the canals of A. humile. Based on the ultrastructural aspects of the secretory canals of T. guianensis and S. dulcis we concluded that the plastids of the epithelial cells of the two species are different although they produce secretion of similar composition. A new record for the family is the presence of a great number of circular plastids in epithelial cells of the fruit of Anacardium humile. The pattern found in the secretory canals of the studied species is the ecrine type of secretion release.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)