Sample records for dehydroepiandrosterone
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 6 shown.



1

Mulheres adultas com acne: aspectos comportamentais, perfis hormonal e ultra-sonográfico ovariano/ Acne in adult women: behavior, hormone and ovarian ultrasonographic profile

Teixeira, Márcia Almeida Galvão; França, Emmanuel Rodrigues de
2007-03-01

Resumo em português OBJETIVOS: abordar os aspectos comportamentais, o perfil androgênico e as alterações ultra-sonográficas ovarianas de uma amostra de mulheres adultas com acne. MÉTODOS: estudo de série de casos envolvendo uma amostra de 60 mulheres, escolhidas por conveniência. As pacientes foram submetidas a exame clínico, dosagens hormonais e ultra-sonografia para avaliação da morfologia ovariana. Na análise estatística, foi aplicado o Teste de Fischer para análise de correl (mais) ação entre as variáveis. RESULTADOS: a média de idade foi de 26,5 anos. Todas as pacientes referiram atitudes e sentimentos negativos em relação à acne, sendo os mais freqüentes ansiedade (88,3%) e manipulação constante das lesões (88,3%). O grau de acne mais observado foi o grau II (48,3%). Foram identificados níveis de androgênios fora da faixa de normalidade em 63,3%, com elevação mais freqüente do, dehidroepiandrosterona (57,6%). O padrão ultra-sonográfico mais observado foi o microcístico (74,6%). CONCLUSÕES: as formas clínicas leves de acne predominaram nas mulheres estudadas. Ainda assim, essas apresentaram, com grande freqüência, atitudes e sentimentos negativos em relação à doença. Foram identificados, ainda, modificação dos níveis séricos dos androgênios, bem como do padrão de normalidade do exame ultra-sonográfico. Resumo em inglês OBJECTIVES: to assess behavior, androgenic profile and ovarian ultrasound alterations in a sample of adult women with acne. METHODS: case study involving a serie of 60 women selected for convenience. Patients were submitted to clinical exam, hormonal dosages and ultrasound to assess ovarian morphology. Fischer's test for variables correlation analysis was applied. RESULTS: age median was 26.5 years old. All patients attitudes were negative in relation to acne, the more fr (mais) equent ones were anxiety (88.3%) and frequent manipulation of the lesions (88.3%). Degree II was the most frequent acne classification determined (48.3%). Abnormal androgen levels were identified (63,3%), with frequent dehydroepiandrosterone elevation (57,6%). The more frequent ultrasound level observed was the monocystic one (74.6%). CONCLUSIONS: mild clinical acne was prevalent in the women studied. Nevertheless, they frequently had negative attitudes and feelings related to the disease. Modifications on the circulating androgen levels, as well as on the ovarian ultrasonographic pattern were identifield.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Ocorrência e tratamento de quadros depressivos por hormônios sexuais/ Occurrence and treatment of depression by sex hormones

Soares, Cláudio N; Prouty, Jennifer; Poitras, Jennifer
2002-04-01

Resumo em português O processo de envelhecimento promove alterações significativas na produção e no equilíbrio dos níveis circulantes de diversos hormônios sexuais em homens e mulheres. Acredita-se que esses hormônios (estrógenos, progestógenos, testosterona, dehidroepiandrosterona [DHEA]) exercem papel modulador sobre diversas funções psíquicas, particularmente sobre o humor e a cognição. Alterações nesse papel modulador causadas por variações abruptas dos hormônios sexu (mais) ais circulantes -- como as que ocorrem, por exemplo, durante a transição menopausal -- favorecem o surgimento de queixas depressivas. No entanto, a utilização terapêutica de hormônios sexuais pode promover alívio ou mesmo remissão de sintomas depressivos, como já foi caracterizado com o uso de estradiol em mulheres em perimenopausa e com a administração de testosterona após a menopausa. Este artigo aborda, por revisão da literatura, os diversos papéis atribuídos aos hormônios sexuais no desenvolvimento e tratamento das queixas depressivas. Estudos sobre a eficácia terapêutica de estrógenos, testosterona e DHEA nos quadros depressivos são discutidos de forma crítica. Em essência, existem resultados preliminares bastante promissores, particularmente quanto ao uso de estradiol e testosterona em subpopulações específicas para alívio de sintomas depressivos. Futuras investigações devem melhor definir a utilização de hormônios como agente depressivo monoterápico ou adjuntivo, bem como delinear os riscos e as contra-indicações associados a seu uso. Resumo em inglês It has been demonstrated that aging has a significant impact on sex hormones production. It is now accepted that these hormones (including estrogens, progestogens, testosterone, and dehydroepiandrosterone [DHEA]) may play a pivotal role in the modulation of brain functioning, especially on mood and cognition. Changes in these modulatory effects due to abrupt sex hormonal fluctuations-as seen in the menopausal transition-contribute to the occurrence of mood disturbances. H (mais) ormonal interventions seem to improve depressive symptoms, as already demonstrated in studies of perimenopausal women treated with estradiol, and postmenopausal women treated with testosterone. This article reviews the potential role of sex hormones in the occurrence and treatment of depressive symptoms. Clinical studies on the antidepressant benefit of estrogens, testosterone, and DHEA are critically discussed. In essence, there are preliminary but promising data on the use of estradiol and testosterone for the treatment of depression in some specific sub-populations. Further studies would help to better delineate their therapeutic use (as monotherapy or adjunctive treatment), and to identify their limitations due to clinical contra-indications or risk of serious adverse events.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Resistência à insulina na pubarca precoce - Relação com os androgênios

Teixeira, Rosimere J.; Gazolla, Helena M.; Cunha, Sônia B. da; Bordallo, Maria Alice N.; Guimarães, Marília M.
2001-06-01

Resumo em português O objetivo deste estudo foi descrever o perfil da insulina e determinar sua relação com o hiperandrogenismo na pubarca precoce (PP). Avaliamos 23 meninas com PP devido à adrenarca precoce e 5 controles (C) pré-puberais normais (7,3±1,1 x 7,1±1,8 anos). Os níveis de sulfato de deidroepiandrosterona (SDHEA), testosterona (T) e globulina ligadora dos hormônios sexuais (SHBG) foram medidos. O índice de massa corporal (IMC) e o índice do androgênio livre (IAL) foram (mais) calculados. O teste oral de tolerância à glicose (G) foi realizado; sendo calculadas a relação de jejum da insulina (I) pela G (FIGR= I/G) e as áreas abaixo das curvas da G e I (AACG e AACI). A FIGR > 22 foi considerada como sugestiva de resistência a I (RI). O IMC foi maior na PP do que nos C: 18,8±3,0 x 15,5±1,6, p= 0,03. Os níveis de SDHEA (71,7±40,6 x 34,2±6,9µg/dl, p= 0,02), T (0,41±0,4 x 0,17±0,1nmol/L, p= 0,02) e IAL (0,73±0,7 x 0,17±0,04, p= 0,001) foram maiores na PP, enquanto a SHBG (63,7±23,1 x 110,2±23,9nmol/L, p= 0,0006) foi menor. A FIGR foi sugestiva de RI em 44% dos casos de PP, mas os níveis de G, I, a AACG, a AACI e a FIGR foram semelhantes aos C. Na PP foi observada correlação inversa entre SDHEA e I (r = -0,43, p= 0,04) e entre SHBG e IMC (r = -0,74, p = 0,0001) e AACI (r=-0,36, p= 0,09). A AACI mostrou uma correlação positiva com o IMC (r=0,56, p= 0,006) e a FIGR (r= 0,86, p= 0,0001). Embora o hiperandrogenismo adrenal possa não ter um efeito adverso sobre a sensibilidade à I na infância, como demonstrado pela correlação inversa entre o SDHEA e a I em meninas com PP, a presença da FIGR sugestiva de RI foi relativamente comum, permanecendo incerta a relação entre os níveis dos androgênios adrenais e a sensibilidade à insulina. Resumo em inglês The aim of this study was to describe the insulin profile and to determine the relationship with hyperandrogenism in the premature pubarche (PP). Twenty-three girls with PP due to premature adrenarche and 5 normal prepubertal control (C) girls were studied (7.3 ± 1.1 x 7.1 ± 1.8 years). The fasting levels of dehydroepiandrosterone sulfate (SDHEA), testosterone (T) and sex hormone binding globulin (SHBG) were measured. The body mass index (BMI) and the free androgen inde (mais) x (FAl) were calculated. The oral glucose tolerance test was performed; the fasting insulin (I) to glucose (G) ratio (FIGR = I/G) and the areas under the curve for G (AUCG) and I (AUCI) were calculated. A FIGR > 22 was suggestive of I resistance (IR). The BMI was higher in PP than in C (18.8 ± 3.0 x 15.5 ± 1.6, p = 0.03). Plasma levels of SDHEA (71.7 ± 40.6 x 34.2 ± 6.9µg/dl, p = 0.02), T (0.41 ± 0.4 x 0.17 ± 0.1nmol/L, p = 0,02) and FAl (0.73 ± 0.7 x 0.17 ± 0.04, p = 0.001) were higher in PP than in C, but SHBG levels (63.7 ± 23.1 x 110.2 ± 23.9nmol/L, p = 0.0006) were lower. The FIGR showed IR in 44% of patients, but the G, I, AUGC, AUIC and FIGR were similar in both groups. A negative correlation between SDHEA and I (r = -0.43, p = 0.04) and between SHBG and BMI (r = -0.74, p = 0.0001) and AUIC (r = -0.36, p = 0.09) were observed in PP. The AUIC showed a positive correlation with BMI (r = 0.56, p = 0.006) and FIGR (r = 0.86, p = 0.0001). Adrenal hyperandrogenism may not have adverse effects on I sensitivity at childhood, expressed here by the negative correlation between SDHEA and I, in girls with PP. But presence of the FIGR suggestive of IR was so common, that the exact relationship between the levels of adrenal androgens and I sensitivity remains unclear.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Papel dos Androgênios Adrenais e Periféricos na Modulação dos Níveis da Globulina Ligadora dos Hormônios Sexuais na Pubarca Precoce/ Role of Adrenal and Peripheral Androgens in Modulating SHBG Levels in Premature Pubarche

Teixeira, Rosimere J.; Dimetz, Trude; Bordallo, Maria Alice N.; Guimarães, Marília M.
2002-10-01

Resumo em português Avaliamos em 26 meninas com pubarca precoce (PP) e 14 controles (7,3±1,0 x 7,0±2,0 anos) os efeitos dos androgênios adrenais e periféricos na modulação dos níveis da globulina ligadora dos hormônios sexuais (SHBG) na infância. Foram avaliados: a idade óssea (IO) e o índice de massa corporal (IMC) e os níveis de androstenediona (A), testosterona (T), dehidro-epiandrostenediona e seu sulfato (DHEA e SDHEA), dihidrotestosterona (DHT), 3a-androstanedio (mais) l glucuronídeo (3a-diolG) e SHBG. A IO (8,0±1,4 x 8,3±1,4 anos) foi semelhante, mas o IMC (18,7±3,1 x 16,7±2,0, p=0,03) foi maior na PP. O SDHEA (0,7±0,4 x 0,3±0,2µg/mL, p Resumo em inglês We investigated in 26 girls with premature pubarche (PP) and 14 age-matched controls (7.3±1.0 x 7.0±2.0 years) the role of adrenal and peripheral androgens in the regulation of sex hormone-binding globulin (SHBG) during childhood. Bone age (BA) and body mass index (BMI) were determined, together with androstenedione (A), testosterone (T), dehydroepiandrosterone and its sulfate (DHEA and DHEAS), dihydrotestosterone (DHT), 3a-androstanediol glucuronide (3a-dio (mais) lG) and SHBG. Although BA was similar (8.0±1.4 x 8.3±1.4 years), BMI was higher in PP (18.7±3.1 x 16.7±2.0, p=0.03). Plasma levels of DHEAS (0.7±0.4 x 0.3±0.2µg/mL, p

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Importância da dosagem da 17OH-progesterona na síndrome dos ovários policísticos

Pinheiro, Solange Alves; Clapauch, Ruth
2001-08-01

Resumo em português A dosagem da 17-hidroxiprogesterona (17OHP) é usada para screening de hiperplasia congênita de adrenal (HCSR) por defeito da 21-hidroxilase e, nesta situação, se encontra muito aumentada. Pode estar alterada em mulheres com síndrome de ovários policísticos (SOP), porém a freqüência e a magnitude desta alteração foram pouco descritas. Analisamos retrospectivamente queixas, índice de massa corpórea (IMC), dosagens na fase folicular precoce de LH, FSH, testoste (mais) rona livre, 17OHP, sulfato de deidroepiandrosterona (SDHEA) e volume ovariano ao ultra-som de 83 mulheres no menacme com SOP, antes de iniciar tratamento. HCSR foi excluída pela prova de ACTH nas que apresentaram valores basais de 17OHP maiores que 200ng/dL. A 17OHP esteve acima do valor de referência em 67,5% dos casos comparada a 38,6% para o LH; 10,8% para testosterona livre e 4,9% para SDHEA. A relação LH/FSH esteve maior que 1 em 50,6% das mulheres. O volume de pelo menos um dos ovários esteve aumentado em 53,5% das pacientes. O aumento médio da 17OHP foi de 30% acima do limite superior da normalidade (mediana 18%). Correlacionou-se inversamente com os valores de FSH e houve uma tendência de relação direta com os níveis de SDHEA. Das dosagens analisadas, a 17OHP foi a mais freqüentemente aumentada, sugerindo que além de funcionar como screening para HCSR, aumentos discretos desse hormônio possam apoiar o diagnóstico de SOP dentro de um quadro clínico compatível Resumo em inglês 17-Hydroxyprogesterone (17OHP) is measured to screen for congenital adrenal hyperplasia (CAH) caused by 21-hydroxylase deficiency, in which 17OHP levels are extremely elevated. It can also be abnormal in PCO but the frequency and magnitude of this alteration is poorly described. We analyzed retrospectively: complaints, body mass index (BMI), follicular phase levels of LH, FSH, testosterone (T), 17OHP, dehydroepiandrosterone sulfate (DHEAS) and ovarian volume by ultrasound (mais) from 83 PCO patients not previously treated. CAH has been excluded by ACTH testing if basal 17OHP levels were > 200ng/dL. Hormone levels were above reference values in 67.5% for 17OHP; 38.6% for LH; 10.8% for T and 4.9% for DHEAS. LH/FSH ratio was above 1 in 50.6% of the women. At least one of the ovaries was increased in 53.5% of the patients. The mean increase in 17OHP was 30% above the normal limit (median 18%). There was a negative correlation with FSH and a positive correlation trend with DHEAS. 17OHP was the most frequently elevated hormone, suggesting that in addition to screening for CAH, mild increases of this hormone can be used to support PCO diagnosis in an appropriate clinical setting

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Atividade Enzimática da 21-Hidroxilase e da 3beta-Hidroxiesteróide Desidrogenase em Mulheres Hirsutas com e sem Anovulação Crônica/ 3beta-Hydroxysteroid Dehydrogenase and 21-Hidroxylase Enzymatic Activities in Hirsute Women with and without Chronic Anovulation

Lima, Marco Fábio Prata; Baracat, Edmund Chada; Lima, Geraldo Rodrigues de; Pardini, Dolores Perovano; Silva, Cléber Sérgio da; Caetano, Marcos Roberto
2000-10-01

Resumo em português Objetivos: testar a atividade supra-renal por meio de um estímulo potente sobre sua camada reticular com o intuito de aferir a atividade da 3b-hidroxiesteróide desidrogenase (3beta-HSD) e da 21-hidroxilase (21OH). Métodos: concentrações plasmáticas de 17alfaOH-pregnenolona, 17alfaOH-progesterona, cortisol, progesterona, androstenediona, deidroepiandrosterona (DHEA), sulfato de deidroepiandrosterona (SDHEA) e testosterona livre foram determinadas em 39 mulheres, send (mais) o 13 normais (2 utilizadas como piloto) e 26 com hirsutismo idiopático nos tempos 0, 12 e 24 horas após injeção de ACTH-depot. Resultados: entre as mulheres hirsutas, identificamos respostas que permitem indicar qualquer bloqueio nas diversas etapas da esteroidogênese, conduzindo ao diagnóstico de função supra-renal diminuída em graus leve/moderado. As concentrações de 17aOH-pregnenolona partiram de 2,0 para 24,6 ng/ml, as de cortisol aumentaram de 2,1 para 45,3 e 38,4mig/dL, as de 17alfaOH-progesterona sofreram incremento de 50,7 para 346 e 218 ng/dL e os níveis de progesterona se elevaram de 0,3 para 4,4 e 2,2 ng/ml. Entre os hormônios da camada reticular verificamos aumento do SDHEA de 274,7 para 495,5 e 505,8 ng/dL, os de androstenediona de 1,1 para 4,0 e 4,5 ng/mL, os de testosterona livre de 1,3 para 1,8 e 2,7 pg/mL e os de DHEA de 2,4 para 4,7 e 8,5 ng/mL. Na avaliação individualizada uma paciente revelou defeito de 3beta-HSD e duas outras, provável defeito de 21OH. Conclusões: estes achados sugerem que o teste com ACTH-depot pode ser utilizado para excluir a supra-renal como possível fonte hiperandrogênica em mulheres com hirsutismo, com ou sem anovulação crônica. Resumo em inglês Purpose: to test the adrenal function by a potent stimulus to its reticular layer verifying 3beta-hydroxysteroid dehy-drogenase (3beta-HSD) and 21-hydroxylase (21OH) enzymatic activities. Methods: plasma concentrations of 17alphaOH-pregneno-lone, 17alphaOH-progesterone, cortisol, progesterone, androstenedione, dehydroepiandrosterone (DHEA), dehydroepiandrosterone sulfate (SDHEA) and free testosterone were determined in 39 women, 13 of whom were normal (2 of them used in a (mais) pilot study) and 26 had idiopathic hirsutism, 0, 12 and 24 h after injection of ACTH-depot. Results: among hirsute women, we identified different responses that could diagnose any blockage in the steroid pathways leading to the diagnosis of a mild/moderate decreased adrenal function. The 17alphaOH-pregnenolone concentrations varied from 2.0 to 24.6 ng/mL, cortisol values increased from 2.1 to 45.3 and 38.4 mug/dL, 17alphaOH-progesterone levels varied from 50.7 to 346 and 218 ng/mL and progesterone increased from 0.3 to 4.4 and 2.2 ng/mL. Among the reticular layer hormones a rise of SDHEA from 274.7 to 495.5 and 505.8 mg/dL, and of androsterone from 1.1 to 4.0 and 4.5 ng/mL was observed, the levels of free testosterone increased from 1.3 to 1.8 and 2.7 pg/mL and the DHEA levels from 2.4 to 4.7 and 8.5 ng/mL. One patient showed 3beta-HSD deficiency and two others a possible 21OH deficiency. Conclusions: these findings suggest that the ACTH-depot test could be used to exclude the adrenal gland as the possible source of hyperandrogenism in women with idiopathic hirsutism.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)