Sample records for deamination
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 8 shown.



1

Ação da própolis sobre a desaminação de aminoácidos e a fermentação ruminal/ Effect of the propolis on amino acids deamination and ruminal fermentation

Stradiotti Júnior, Deolindo; Queiroz, Augusto Cesar de; Lana, Rogério de Paula; Pacheco, Cristiana Gama; Eifert, Eduardo da Costa; Nunes, Poliana Mary Magalhães
2004-08-01

Resumo em português Foram objetivos deste trabalho determinar a ação in vitro da própolis sobre a atividade específica de produção de amônia (AEPA) ou atividade de desaminação de aminoácidos e sobre a fermentação ruminal em bovinos. A AEPA foi determinada utilizando-se líquido de rúmen e tampão de McDougall (1:4) contendo diferentes níveis de extrato de própolis e excesso de caseína hidrolisada. No estudo da ação da própolis in vivo sobre a fermentação ruminal e AEPA, (mais) foram utilizados quatro novilhos Holandeses, em dois períodos experimentais, sob dieta contendo 35% de concentrado, submetidos aos tratamentos controle e com extrato de própolis. O extrato de própolis obtido com etanol a 70% em água foi mais eficiente in vitro que a 99,5%, obtendo-se valores de até 78% de inibição da AEPA em relação ao controle. O extrato de própolis não afetou o consumo de matéria seca, o pH ruminal, as concentrações de amônia e de proteína microbiana e as proporções molares dos ácidos graxos voláteis (AGV), acético, propiônico e butírico no líquido de rúmen. Entretanto, o extrato de própolis aumentou a concentração de AGV totais e inibiu a AEPA pelos microrganismos ruminais, indicando que, apesar de não ter reduzido o nível ruminal de amônia, existe o potencial deste efeito ocorrer em outras situações, como em dietas contendo alta taxa de proteína degradável/carboidrato fermentescível, observado em pastagens novas de gramíneas ou pastagens de gramíneas consorciadas com leguminosas. Resumo em inglês The objective of this work was to determine the in vitro effect of the propolis on the specific activity of ammonia production (SAAP) or activity deamination of amino acids and on ruminal fermentation in bovine. The SAAP was determined using ruminal fluid and McDougall buffer (1:4) with different levels of propolis extract and excess of hydrolyzed casein. In the study of the in vitro effect of the propolis on the ruminal fermentation and SAAP, four Holstein steers were us (mais) ed, in two experimental periods, fed a 35.0% concentrate diet and submitted to the control and propolis extract treatments. The propolis extract obtained with ethanol at 70% in water was in vitro more efficient than that obtained with ethanol at 99.5% in water. Values up to 78% of SAAP inhibition in relation to the control were obtained. The propolis extract did not affect dry matter intake, ruminal pH, ammonia and microbial protein concentrations. There were no differences for molar proportions of the volatile fat acid (VFA), acetic, propionic and butyric in the rumen fluid. However, the propolis extract increased the total VFA concentration as well as inhibited SAAP by the ruminal microorganisms, demonstrating that, in spite of not having reduced the ruminal ammonia level, it seems to exist potential of this effect to happen in other situations, as in diets with high rate of degradable protein/fermentable carbohydrate, observed in new grass pastures or grass pastures consociated with legumes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Modificação do agar fenil-alanina usado na identificação de enterabacteriáceas

Iaria, Sebastião Timo; Cotillo Z., Luis
1967-06-01

Resumo em português É proposta uma modificação da fórmula do agar fenil-alanina, com a finalidade de simplificar a prova da desaminação dêste aminoácido, que consiste na adição de citrato de ferro amoniacal ao meio. Resumo em inglês A modification of the phenylalanine agar medium is proposed. The objective is the simplification of the deamination test. The modification consist in adding ferric ammonium citrate to the medium.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Modificação do agar fenil-alanina usado na identificação de enterabacteriáceas

Iaria, Sebastião Timo; Cotillo Z., Luis
1967-06-01

Resumo em português É proposta uma modificação da fórmula do agar fenil-alanina, com a finalidade de simplificar a prova da desaminação dêste aminoácido, que consiste na adição de citrato de ferro amoniacal ao meio. Resumo em inglês A modification of the phenylalanine agar medium is proposed. The objective is the simplification of the deamination test. The modification consist in adding ferric ammonium citrate to the medium.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Efeito da monensina na fermentação da proteína de algumas fontes de alimentos/ Effect of monensin on protein fermentation in some feed sources

Lana, Rogério de Paula; Cunha, Luciane Tavares da; Borges, Arnaldo Chaer
2000-12-01

Resumo em português Este trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar o efeito da monensina sobre a degradação protéica do farelo de soja, farelo de trigo e fubá de milho. Utilizou-se o líquido de rúmen de um novilho fistulado recebendo 40% de ração concentrada. As incubações foram feitas anaerobicamente a 39ºC, utilizando-se 100 mg de alimentos em 14,7 mL de líquido ruminal e 0,3 mL de etanol contendo ou não monensina dissolvida (5µM de monensina como concentração final (mais) nos tubos de incubação). O farelo de soja, comparado ao farelo de trigo e fubá, apresentou maiores valores de produção de amônia, proteína microbiana, pH final e atividade específica de produção de amônia (AEPA). A maior produção de amônia foi atribuída ao alto teor de proteína e alta degradabilidade do farelo de soja e ao maior pH do meio, que aumenta a atividade de desaminação. O farelo de trigo, por sua vez, apresentou maiores valores de pH final e AEPA que o fubá de milho, demonstrando que o milho é um alimento de menor degradabilidade. A monensina diminuiu a AEPA e a degradabilidade da proteína, embora tenha sido mais efetiva em reduzir a degradação da proteína em maiores valores de pH no meio. A monensina proporciona maior eficiência na utilização da proteína pelos ruminantes, quando a dieta apresenta alta relação proteína/carboidrato fermentecível e o pH ruminal é elevado, como no caso de pastagens de gramíneas novas e leguminosas forrageiras. Resumo em inglês This research aimed to evaluate the monensin effect on protein degradation of soybean meal, wheat middlings and corn meal. The rumen fluid was taken from a fistulated steer fed a 40% concentrate diet. The incubations were done in an anaerobic environment at 39ºC. It was used 100 mg of each feedstuff, 14.7 mL of ruminal fluid and 0.3 mL of ethanol with or without dissolved monensin (5 µM was the final concentration). The soybean meal, compared with wheat middlings and co (mais) rn meal, showed great values of ammonia production, microbial protein, final pH and specific activity of ammonia production (SAAP). The greatest ammonia production was due to higher protein content and high degradability of the soybean meal, associated with higher media pH, that stimulates deamination. The wheat middlings showed greater final pH and SAAP than corn meal, which was a feedstuff with lower degradability. The monensin decreased the SAAP and protein degradability, although it was more effective in reducing protein degradation in higher pH values. Monensin provides higher efficiency of protein utilization by ruminants in diets with high protein/carbohydrate fermentation rates and high ruminal pH, as in the case of young grasses pastures and forage legumes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Formulação das dietas, desempenho e qualidade da carcaça, produção e composição de dejetos de suínos/ Diet formulation on swine performance, carcass quality, production and composition of swine manure

Nones, Kátia; Lima, Gustavo J.M.M. de; Bellaver, Cláudio; Rutz, Fernando
2002-12-01

Resumo em português A eficiência de utilização dos alimentos pelos animais pode ser influenciada pela maneira como as informações de composição e digestibilidade dos nutrientes são utilizadas. A formulação de rações para suínos baseada no conceito de proteína bruta pode apresentar níveis de aminoácidos desbalanceados ocasionando a desaminação dos aminoácidos em excesso. O nitrogênio disponível pode ser utilizado na síntese de outros compostos ou simplesmente excretado, (mais) o que significa perda de eficiência no processo e aumento da capacidade poluente dos dejetos produzidos. Assim, foram realizados dois experimentos para estudar os efeitos do uso de formulação de dietas para suínos em crescimento e terminação. As dietas foram: 1) formulação baseada nas exigências de proteína bruta e aminoácidos totais do NRC; 2) formulação com níveis de lisina (Lys) total 15% superiores ao da dieta 1; 3) formulação com teor de proteína semelhante ao da dieta 2 mas atendendo a proteína ideal; 4) formulação atendendo a proteína ideal proposta por Baker (1997), com 15% mais Lys digestível mantendo-se o mesmo teor de proteína. Os animais que receberam as dietas 2 e 4 apresentaram maior ganho de peso diário. Para espessura de toucinho, profundidade de lombo e porcentagem de carne não houve efeito de tratamento. As dietas com níveis de proteína mais elevados proporcionaram maior excreção de fezes. Os animais que receberam as dietas formuladas com 15% mais Lys (dietas 2 e 4) apresentaram menor excreção de nitrogênio nas fezes, sem afetar a excreção deste na urina. Resumo em inglês The efficiency with which animals utilize each ingredient in the diet is related to the way by which information on nutrient composition and digestibility is used. Swine feed formulation based on crude protein may result in an imbalance of aminoacids, which in turn results in the deamination of aminoacids. Nitrogen may be used in the synthesis of new compounds or just excreted through urine, becoming a loss in efficiency and increasing pollution potential. Two studies wer (mais) e carried out to evaluate the effects of types of feed formulation in growing and finishing swine. Growing and finishing diets were: 1) Formulation based on crude protein and total aminoacids, according to NRC; 2) Total lysine (Lys) levels 15% above those of diet 1; 3) Protein levels similar to diet 2, but meeting the ideal protein level; 4) Similar to diet 3 with 15% more digestible Lys. Swine fed diets 2 and 4 showed higher daily weight gain. Backfat, longissimus dorsi area and lean tissue were not affected by treatments. Animals fed diets with higher protein levels showed higher fecal excretion. Animals fed diets with 15% more Lys (diets 2 and 4) showed lower fecal nitrogen excretion without any effect on the excretion of this element through urine.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Influência de Rumensin®, óleo de soja e níveis de concentrado sobre o consumo e os parâmetros fermentativos ruminais em bovinos/ Effect of Rumensin®, soybean oil and concentrate levels on ruminal parameters and dry matter intake in bovines

Vargas, Luiz Henrique; Lana, Rogério de Paula; Mâncio, Antônio Bento; Campos, José Maurício de Souza; Jham, Gulab Newamdram; Freitas, Acyr Wanderley de Paula; Oliveira, Marcus Vinicius Morais de
2001-10-01

Resumo em português Objetivou-se avaliar os efeitos de óleo de soja (500 mL/animal/dia), Rumensin® (3 g/animal/dia) e níveis de concentrado (0, 25, 50, 75%) na dieta de bovinos, e cana-de-açúcar como volumoso, sobre alguns parâmetros ruminais e consumo de matéria seca. Foram utilizados quatro bovinos 7/8 holandês-zebu fistulados no rúmen, com peso vivo médio de 400 kg. O experimento consistiu de quatro períodos de 15 dias, sendo 12 dias para adaptação à dieta e três dias para (mais) coletas de amostras. Utilizou-se um nível de concentrado em cada período e o óleo e rumensin foram distribuídos em quadrado latino, em um fatorial 2x2. As análises de amônia, pH e AGV do líquido ruminal foram feitas em amostras coletadas através da fístula às 0, 3 e 6 horas após a alimentação. A leitura do pH foi feita com potenciômetro, as análises de amônia por colorimetria e as de ácidos graxos voláteis por cromatografia gasosa. O acetato, a relação acetato:propionato e o pH decresceram, e os teores de isobutirato, isovalerato e amônia ruminal aumentaram com a elevação do nível de concentrado. O propionato aumentou e a relação acetato:propionato diminuiu com a presença de Rumensin. O butirato aumentou com o óleo quando a dieta continha somente volumoso e diminuiu com o aumento de concentrado. O pH e a amônia ruminais diminuíram com o tempo de coleta. A atividade in vitro de desaminação pela população microbiana decresceu com o aumento do nível de concentrado e aumentou na presença de óleo. O consumo de matéria seca aumentou com a elevação do nível de concentrado e diminuiu na presença de Rumensin e óleo. Todos os outros efeitos principais e interações não foram significativos. Resumo em inglês The objective of this research was to evaluate the effects of soybean oil (500 mL/animal/day), Rumensin® (3g/animal/day) and levels of concentrate (0, 25, 50 and 75%) in the diet of bovines, and sugarcane as a forage source, in some ruminal parameters and dry matter intake. There were used four rumen fistulated 7/8 holstein-zebu steers, at 400 kg of live weight. The experiment consisted of four periods of 15 days, in which 12 were for adaptation to the diets and three fo (mais) r sampling. It was used one level of concentrate in each period and oil and Rumensin were distributed in a latin square, as 2x2 factorial design. Ammonia, pH and VFA analysis in the rumen fluid were measured in samples collected at 0, 3 and 6 hours after feeding. The pH was immediately measured by glass electrode, ammonia was analysed by colorimetry and VFA by gas chromatography. Acetate, acetate to propionate ratio and pH were decreased, but isobutyrate, isovalerate, and ruminal ammonia were increased in high concentrate levels. Propionate was increased and acetate to propionate ratio was decreased with Rumensin. Butyrate was increased with oil in the forage diet, but decreased with increasing concentrate. Ruminal ammonia and pH were decreased during sampling time. In vitro deamination activity by the mixed ruminal bacteria decreased by increasing concentrate and increased by adding oil. Dry matter intake increased by increasing concentrate level and decreased with Rumensin and oil. All other main effects and interactions were not significant.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Stress oxidativo e dano oxidativo muscular esquelético: influência do exercício agudo inabitual e do treino físico/ Oxidative stress and damage in skeletal muscle: Influence of unusual acute exercise and physical conditioning

Ferreira, Filipe; Ferreira, Rita; Duarte, José Alberto
2007-08-01

Resumo em português A designação "espécies reactivas" (ER) é utilizada para englobar os radicais livres e outras moléculas, as quais, apesar de não possuírem átomos com electrões desemparelhados, são potencialmente geradoras desses radicais. Estas substâncias, naturalmente formadas em situações basais pelo metabolismo celular, são capazes, devido à sua elevada reactividade, de modificar a maioria das moléculas biológicas, colocando em risco a funcionalidade e a viabilidade c (mais) elular. Particularmente a nível muscular esquelético, a mitocôndria parece constituir a principal fonte e, simultaneamente, o principal alvo das ER. No entanto, a Xantina Oxidase, a Fosfolipase A2, a desaminação das catecolaminas, assim como a infiltração tecidual pós-exercício de leucócitos, poderão contribuir também como fontes adicionais de ER nos músculos exercitados. A ocorrência e a intensidade do resultante dano oxidativo, tanto no músculo esquelético, como nos restantes órgãos e tecidos corporais, para além da taxa de síntese de ER, estão também dependente da capacidade antioxidante que o tecido expressa, quer à custa de antioxidantes endógenos, quer exógenos provenientes da dieta. Essa capacidade antioxidante depende não só do papel específico de cada um dos mecanismos antioxidantes, enzimáticos e não enzimáticos, como também da cooperação entre os mesmos. Como resultado do exercício físico agudo, as taxas de produção de ER de oxigénio aumentam, tal como o dano muscular causado por estes mesmos compostos. Contudo, com a repetição regular do exercício físico (treino), os resultados da literatura mostram que os músculos aumentam a sua capacidade antioxidante, tornando-os mais protegidos contra as ER formadas, não só em repouso, como também durante os exercícios agudos subsequentes. Resumo em inglês The designation "reactive species" (RS) is currently used to classify the free radicals and other kind of molecules that despite not containing atoms with unpaired electrons are potentially producers of those radicals. These substances are naturally created at basal conditions by the cellular metabolism, and due to its high reactivity are able of modifying the structure of most of the biological molecules, placing in risk the cellular functionality and viability. Particul (mais) arly in the skeletal muscle, the mitochondria seem to be the main source of RS and, simultaneously, the main target of these compounds. Xanthine Oxidase, the Phospholipase A2, the catecholamine deamination, as well as the tissue infiltration by leukocytes after exercise, may also contribute as additional sources of RS in exercised muscles. The occurrence and the intensity of the RS-induced oxidative damage in the skeletal muscle or in the remaining organs and tissues, behind the rate of RS synthesis, are also dependent of the antioxidant capacity of the tissue carried out by endogenous and exogenous substances. This antioxidant capacity, performed by enzymatic and non-enzymatic mechanisms, is dependent of the specific paper of each antioxidant and, moreover, also depends of the cooperation between them. As a consequence of the acute and unusual exercise, the production rate of RS of oxygen in skeletal muscle increases severely as well as the oxidative damage caused by these compounds. However, with the regular practice of physical exercise the recruited skeletal muscles increase their antioxidant capacity, becoming more protected against RS, not only at rest conditions but also during the subsequent practice of acute exercises.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Enzimas termoestáveis: fontes, produção e aplicação industrial/ Thermostable enzymes: sources, production and industrial applications

Gomes, Eleni; Guez, Marcelo Andrés Umsza; Martin, Natalia; Silva, Roberto da
2007-02-01

Resumo em inglês REVIEW: Living organisms encountered in hostile environments that are characterized by extreme temperatures rely on novel molecular mechanisms to enhance the thermal stability of their proteins, nucleic acids, lipids and cell membranes. Proteins isolated from thermophilic organisms usually exhibit higher intrinsic thermal stabilities than their counterparts isolated from mesophilic organisms. Although the molecular basis of protein thermostability is only partially unders (mais) tood, structural studies have suggested that the factors that may contribute to enhance protein thermostability mainly include hydrophobic packing, enhanced secondary structure propensity, helix dipole stabilization, absence of residues sensitive to oxidation or deamination, and increased electrostatic interactions. Thermostable enzymes such as amylases, xylanases and pectinases isolated from thermophilic organisms are potentially of interest in the optimization of industrial processes due to their enhanced stability. In the present review, an attempt is made to delineate the structural factors that increase enzyme thermostability and to document the research results in the production of these enzymes.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)