Sample records for cresols
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 2 shown.



1

Avaliação de desinfetantes químicos de uso doméstico contra Vibrio cholerae EL TOR (amostra não toxigênica)/ Evaluation of the effect of chemical domestic disinfectants on Vibrio cholerae EL TOR (non toxigenic strain)

Timenetsky, Jorge; Yanaguita, Roberto Mitio; Silva, Luzinete Alves
1992-10-01

Resumo em português As metodologias de avaliação microbiológica de desinfetantes são permanentemente questionadas porque os protocolos laboratoriais não representam as condições reais de uso desses produtos. Em 1985, adotou-se no Brasil, a metodologia da Diluição-Uso da AOAC, para a qualificação microbiológica de desinfetantes químicos, para fins comerciais. Desta maneira, os desinfetantes domésticos são testados contra amostras padrões de Salmonella choleraesuis e Staphyloco (mais) ccus aureus. Pesquisou-se o emprego de Vibrio cholerae devido a sua atual importância, no Brasil, em termos de Saúde Pública, associada ao estudo da atividade antimicrobiana de desinfetantes. Dezenove produtos desinfetantes de uso doméstico encontrados no comércio foram microbiologicamente avaliados. A metodologia foi a Diluição-Uso com 10 carreadores. Os compostos ativos dos produtos incluíam: formaldeído, fenóis, cresóis, amônio quaternário, cloro e etanol, sendo que sete, eram de composição associada. Conforme as recomendações de uso, dezesseis produtos, devem ser utilizados sem diluição. Nestas condições, 9 desinfetantes foram vibriocidas e sete não revelaram tal atividade antibacteriana. Quatro produtos em diluições não esclarecedoras para a desinfecção também mostraram-se ineficazes. Os produtos vibriocidas que devem ser utilizados sem diluição, foram reavaliados diluídos ao dobro. Estas soluções não inativaram V.cholerae, demonstrando microbiologicamente que os seus compostos ativos estão em concentrações limítrofes. O álcool comercial (95,5° GL) a 1:3, a "água sanitária" (2,8% de cloro ativo) a 1:200, creolina a 1:10 e o "Lysoform" a 1:20 atingiram os padrões do teste. Resumo em inglês The methodology of microbiological evaluation of disinfectants is permanently being questioned because the laboratorial protocols do not correspond to the real conditions under which these products are used. In 1985 the Use-Dilution method of AOAC was adopted in Brazil for microbiological qualification of chemical disinfectants for commercial purposes. Domestic disinfectants are tested in this way against Salmonella choleraesuis and Staphylococcus aureus ATCC strains, was (mais) chosen for this evaluation Vibrio cholerae in view of its current importance in Brazil, in terms of Public Health associated with the study of the disinfectant's antimicrobial activities. Nineteen disinfectant products for domestic use for available to the public were evaluated microbiologically by means of simplified Use-Dilution test with 10 carriers. The active compounds of the products included formaldeyde, phenols, cresols, quaternary ammonium compouds, chlorine and ethanol. Seven were mixtures of these. According to the recommendations for their use, sixteen products should be used undiluted. Under these conditions, 9 disinfectants were vibriocides and 7 did not demonstrate this antibacterial activity. Four products in dilutions not clearly specificated were also ineffective. The vibriocide products which must used without dilution were tested again, diluted at 1:2. These solutions did not inactivate V. cholerae showing that, microbiologically, their active compounds are used in limited concentrations. Commercial alcohol (95.5°GL) at 1:3, chlorine 2.8% Água sanitária at 1:200 and Lysoform at 1:20 came up to the standards required by the test.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Avaliação de desinfetantes químicos de uso doméstico contra Vibrio cholerae EL TOR (amostra não toxigênica)/ Evaluation of the effect of chemical domestic disinfectants on Vibrio cholerae EL TOR (non toxigenic strain)

Timenetsky, Jorge; Yanaguita, Roberto Mitio; Silva, Luzinete Alves
1992-10-01

Resumo em português As metodologias de avaliação microbiológica de desinfetantes são permanentemente questionadas porque os protocolos laboratoriais não representam as condições reais de uso desses produtos. Em 1985, adotou-se no Brasil, a metodologia da Diluição-Uso da AOAC, para a qualificação microbiológica de desinfetantes químicos, para fins comerciais. Desta maneira, os desinfetantes domésticos são testados contra amostras padrões de Salmonella choleraesuis e Staphyloco (mais) ccus aureus. Pesquisou-se o emprego de Vibrio cholerae devido a sua atual importância, no Brasil, em termos de Saúde Pública, associada ao estudo da atividade antimicrobiana de desinfetantes. Dezenove produtos desinfetantes de uso doméstico encontrados no comércio foram microbiologicamente avaliados. A metodologia foi a Diluição-Uso com 10 carreadores. Os compostos ativos dos produtos incluíam: formaldeído, fenóis, cresóis, amônio quaternário, cloro e etanol, sendo que sete, eram de composição associada. Conforme as recomendações de uso, dezesseis produtos, devem ser utilizados sem diluição. Nestas condições, 9 desinfetantes foram vibriocidas e sete não revelaram tal atividade antibacteriana. Quatro produtos em diluições não esclarecedoras para a desinfecção também mostraram-se ineficazes. Os produtos vibriocidas que devem ser utilizados sem diluição, foram reavaliados diluídos ao dobro. Estas soluções não inativaram V.cholerae, demonstrando microbiologicamente que os seus compostos ativos estão em concentrações limítrofes. O álcool comercial (95,5° GL) a 1:3, a "água sanitária" (2,8% de cloro ativo) a 1:200, creolina a 1:10 e o "Lysoform" a 1:20 atingiram os padrões do teste. Resumo em inglês The methodology of microbiological evaluation of disinfectants is permanently being questioned because the laboratorial protocols do not correspond to the real conditions under which these products are used. In 1985 the Use-Dilution method of AOAC was adopted in Brazil for microbiological qualification of chemical disinfectants for commercial purposes. Domestic disinfectants are tested in this way against Salmonella choleraesuis and Staphylococcus aureus ATCC strains, was (mais) chosen for this evaluation Vibrio cholerae in view of its current importance in Brazil, in terms of Public Health associated with the study of the disinfectant's antimicrobial activities. Nineteen disinfectant products for domestic use for available to the public were evaluated microbiologically by means of simplified Use-Dilution test with 10 carriers. The active compounds of the products included formaldeyde, phenols, cresols, quaternary ammonium compouds, chlorine and ethanol. Seven were mixtures of these. According to the recommendations for their use, sixteen products should be used undiluted. Under these conditions, 9 disinfectants were vibriocides and 7 did not demonstrate this antibacterial activity. Four products in dilutions not clearly specificated were also ineffective. The vibriocide products which must used without dilution were tested again, diluted at 1:2. These solutions did not inactivate V. cholerae showing that, microbiologically, their active compounds are used in limited concentrations. Commercial alcohol (95.5°GL) at 1:3, chlorine 2.8% Água sanitária at 1:200 and Lysoform at 1:20 came up to the standards required by the test.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)