Sample records for controlled atmospheres
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 9 shown.



1

Uso de atmosfera controlada para conservação pós-colheita do mamão 'Golden'/ The use of controlled atmosphere for postharvest conservation of 'Golden' papaya

Fonseca, Marcos José de Oliveira; Cenci, Sérgio Agostinho; Leal, Nilton Rocha; Botrel, Neide
2003-12-01

Resumo em português Frutos de mamoeiro 'Golden' colhidos no estádio 3 de maturação foram armazenados sob controle de atmosfera (3%O2 e 3%CO2 , 3%O2 e 6%CO2 ou 8%CO2 , 5%O2 e 8%CO2) e sob atmosfera ambiente (70% ou 90% U.R.), por 20 ou 25 dias, seguidos de mais 5 dias em atmosfera ambiente, a 10º C. Após 4 dias a 22º C não se verificaram muitas diferenças entre tratamentos, porém o maior teor de sólidos solúveis em frutos armazenados sob 3%O2/3%CO2, e os maiores índices de maturid (mais) ade nos frutos armazenados sob 3%O2/6%CO2, por 20 dias, sugerem que novos estudos possam ser realizados adotando-se tais concentrações. Resumo em inglês 'Golden' papaya was harvested in stage 3 of a maturation scale, storaged in four controlled atmospheres (3%O2 and 3%CO2, 3%O2 and 6%CO2 or 8%CO2, and 5%O2 and 8%CO2) and two ambient atmosphere conditions (70%R.H. and 90%R.H.), for 20 or 25 days, plus 5 days of ambient atmosphere at 10ºC. After for 4 days, at 22º C, it was not observed differences between treatments, but the greatest total soluble solids, in fruits storaged under 3%O2/6%CO2, and the greatest ratio of fru (mais) its storage under 3%O2/6%CO2, for 20 days, which suggests that new researches may be conducted with these controlled atmospheres.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

EFEITO DA ATMOSFERA CONTROLADA NA CONSERVAÇÃO DE TOMATES COLHIDOS EM ESTÁDIO INTERMEDIÁRIO DE MATURIDADE/ EFFECT OF CONTROLLED ATMOSPHERE ON STORAGE OF TOMATOES HARVESTED AT BREAKER STAGE

Moura, Márcia Lima; Sargent, Steven A.; Oliveira, Ricardo Ferraz de
1999-01-01

Resumo em português Tomates (cv. "Agriset"), colhidos no estádio 2 de maturidade (menos de 10% da superfície vermelha), foram armazenados a 12 ± 0,5ºC em um sistema de fluxo contínuo sob diferentes concentrações de O2 (2%, 3% e 4%), CO2 (2%, 4% e 7%) e ar (controle). Após o armazenamento em atmosfera controlada (AC), a 12 ± 0,5ºC por 7 dias, os frutos foram transferidos para a temperatura de 20 ± 0,5ºC de modo a permitir o término do processo de amadurecimento em atmosfera norma (mais) l. Quando os tomates começaram a perder a firmeza foram realizadas análises físicas e químicas. De um modo geral, o armazenamento de tomates no estádio 2 de maturidade em AC por 7 dias não alterou a qualidade final do produto - quando completamente maduro - estes frutos apresentaram mesma cor, acidez e conteúdo de açúcares e vitamina C do que aqueles armazenados em ar durante todo o período. Somente os tratamentos 2% e 3% O2 mostraram um maior atraso no desenvolvimento da cor após os 7 dias a 12 ± 0,5ºC. No entanto, o tempo de armazenamento, 7 dias, não foi suficiente para retardar a taxa de amolecimento dos frutos armazenados sob AC. Resumo em inglês Tomato fruits (cv. `Agriset'), harvested at breaker stage (less than 10% red coloration), were kept in a flow through system with various concentrations of O2 (2%, 3%, and 4%), CO2 (2%, 4%, and 7%), and air (control), at 12 ± 0,5ºC for 7days. After this period, fruits were left to ripe in a 20 ± 0,5ºC chamber until they reached edible maturity. At this point, physical and chemical characteristics were measured. Exposure of breaker tomatoes to controlled atmospheres fo (mais) r 7 days did not influence color, total sugars, titratable acidity, and vitamin C content at the end of storage. Only 2% and 3% O2 retarded color development after 7 days at 12 ± 0,5ºC. Nevertheless, the storage period, 7 days, seems to be inefficient to retard softening.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Armazenamento de pêssegos (Prunus persica (L.) Batsch), cv. Chiripá, em atmosfera controlada/ The storaging of peaches cv. Chiripá, in controlled atmosphere

NAVA, GILMAR ANTÔNIO; BRACKMANN, AURI
2002-08-01

Resumo em português O experimento foi conduzido com o objetivo de avaliar diferentes pressões parciais de O2 e CO2 durante o armazenamento em atmosfera controlada (AC) sobre a qualidade físico-química de pêssegos, cv. Chiripá. As pressões parciais de gases avaliadas foram: 0,8kPaO2/3kPaCO2; 1kPaO2/3kPaCO2; 1kPaO2/4kPaCO2; 1kPaO2/5kPaCO2; 2kPaO2/6kPaCO2; 2kPaO2/7kPaCO2, 2kPaO2/8kPaCO2, ar/10kPaCO2 e tratamento-controle, mantido sob armazenamento refrigerado (AR). O delineamento experime (mais) ntal utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições de 20 frutos. As avaliações foram realizadas após 4 e 8 semanas de armazenamento a -0,5ºC ± 0,2ºC, mais 2 dias a 20ºC. Os resultados evidenciaram que o controle de atmosfera reduz a degradação da clorofila da epiderme e a perda de peso, porém tem pouco efeito sobre a firmeza, teor de só lidos solúveis totais (SST) e acidez titulável dos frutos. A pressão parcial de 1kPa de O2, associada a 3kPa de CO2, reduz a manifestação dos sintomas de lanosidade durante 8 semanas de armazenamento. A incidência de podridões dos frutos é reduzida quando armazenados sob a condição de 2kPa de O2, associada a 8kPa de CO2. Tanto o armazenamento refrigerado quanto o armazenamento sob atmosfera controlada mantêm boa qualidade dos frutos por quatro semanas a -0,5ºC, mais 2 dias a 20ºC. Oito semanas de armazenamento em AC é um período muito prolongado para uma satisfatória manutenção da qualidade de pêssegos da cultivar Chiripá. A elevada incidência de podridões e de lanosidade são as causas que mais contribuem para a redução da qualidade de pêssegos, cv. Chiripá, durante períodos prolongados de armazenamento. Resumo em inglês The experiment was carried out with the objective to evaluate different partial pressures of O2 and CO2 in controlled atmosphere storage on the quality 'Chiripá' peaches. The evaluated controlled atmospheres conditions were: 0,8kPaO2/3kPaCO2; 1kPaO2/3kPaCO2; 1kPaO2/4kPaCO2; 1kPaO2/5kPaCO2; 2kPaO2/6kPaCO2; 2kPaO2/7kPaCO2, 2kPaO2/8kPaCO2, air/10kPaCO2 and control treatment in cold storage. The experiment design was entirely randomized with 4 replications of 20 fruits. The (mais) evaluations were accomplished after 4 and 8 weeks of storage at -0,5ºC ± 0,2ºC plus 2 days at 20ºC. The results showed that controlled atmosphere reduces the degradation of the chlorophyll and the weight loss, but has a little effect on firmness, soluble solids and acidity. During long term storage 1kPa of O2, associated with 3kPa of CO2, prevents occurence of wooliness. The fruits deterioration was reduced in 2kPa of O2, associated with 8kPa of CO2. The cold storage, as well as controlled atmosphere storage, maintains good fruit quality for 4 weeks at -0,5ºC plus 2 days shelf life. Eight weeks controlled atmosphere storage period is too long to maintain good quality of peaches. The high incidence of rot and wooliness are the main causes that reduce peaches quality, Chiripá cv., during long term storage.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Crescimento in vitro de fungos (Colletotrichum gloeosporioides e Cladosporium cladosporioides) isolados de frutos do mamoeiro, sob atmosfera controlada e refrigeração/ In vitro growth of Colletotrichum gloeosporioides and Cladosporium cladospodioides under controlled atmosphere and refrigeration

Vieira, Daniela Gouveia; Silva, Roberta Manhães da; Silva, Otniel Freitas; Fonseca, Marcos José de Oliveira; Soares, Antônio Gomes; Costa, Roberto Alexandre
2006-12-01

Resumo em português O uso combinado das tecnologias de atmosfera controlada e de refrigeração, em frutas tropicais, não apresenta ainda resultados satisfatórios, talvez pela suscetibilidade à injúria por frio, agravada nas condições de controle atmosférico. Como há indícios de que a atmosfera controlada tem efeito fungistático, este trabalho foi elaborado para se verificar, in vitro, sua influência sobre dois fungos fitopatogênicos do mamão: Colletotrichum gloeosporioides e Cl (mais) adosporium cladosporioides, sob refrigeração. Colônias destes fungos foram submetidas a duas temperaturas de armazenamento (10 e 25º C), a duas atmosferas (ambiente e controlada com 3% O2 e 6% CO2) e por dois períodos (7 ou 14 dias). Após este armazenamento, as placas foram incubadas a 25º C sob atmosfera ambiente, por mais sete dias. Foi verificado menor crescimento da colônia de Colletotrichum gloeosporioides sob refrigeração, em relação ao armazenamento a 25º C, inclusive após o período adicional a 25º C, independentemente da atmosfera de armazenamento. Não se verificou efeito inibitório significativo da atmosfera controlada a 10º C, sobre o crescimento de Colletotrichum gloeosporioides. O crescimento deste fungo somente foi reduzido quando armazenado sob atmosfera controlada a 25º C, em relação ao armazenamento em atmosfera normal. O crescimento do fungo Cladosporium cladosporioides foi reduzido a 10º C, em relação ao armazenamento a 25º C, em ambos os períodos de armazenamento, independentemente da atmosfera de armazenamento. Após sete dias a 25º C, o crescimento de Cladosporium cladosporioides foi menor nas placas que foram armazenadas por 14 dias a 10º C, pela influência da refrigeração e de um possível efeito residual da atmosfera controlada deletério ao crescimento da colônia. A atmosfera controlada reduziu o crescimento da colônia de C. cladosporioides, a 25º C, em relação à atmosfera normal. Resumo em inglês The use of these combined technologies in tropical fruits does not present satisfactory results yet, most of the time because of the fruits injury by chilling. This injury could be intensified under atmospheric control conditions. There are evidences that the controlled atmosphere has fungistatic effect. Therefore, the objective of this work was verifying, in vitro, the influence of controlled atmosphere and temperature on the two pathogenic fungi from papaya fruit: Colle (mais) totrichum gloeosporioides and Cladosporium cladosporioides. These fungi had been storage under two temperatures, atmospheres and period of incubation patterns (10ºC and 25ºC; ambient and controlled - 3% O2 and 6% CO2; 7 or 14 days. After this period of storage, the contaminated plates had been incubated at 25ºC under environment atmosphere for seven days more. It was verified a small growth of Colletotrichum gloeosporioides under refrigeration, also after additional period at 25ºC. At 25º C, the growth of this fungus was also reduced when stored under controlled atmosphere. On the other hand, it was not verified significant inhibitor effect of the controlled atmosphere at 10ºC on the growth of C. gloeosporioides. The growth of Cladosporium cladosporioides was reduced at 10ºC in both periods of storage. After seven days at 25ºC, C. cladosporioides showed a small growth in the plates that had been stored for 14 days, because the influence of the refrigeration and the controlled atmosphere. Finally, the controlled atmosphere reduced the growth of the C. cladosporioides at 25ºC. This effect was not observed at 10ºC for C. gloeosporioides.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Cinética de sinterização para sistemas à base de SnO2 por taxa de aquecimento constante/ Sintering kinetics for SnO2-based systems by constant heating rate

Tebcheran, S. M.; Varela, J. A.; Brankovic, Z.; Brankovic, G.; Spagnol, P. D.; Cilense, M.; Perazolli, L.; Longo, E.
2003-04-01

Resumo em português Cerâmicas densas de óxido de estanho são muito promissoras para aplicações tecnológicas como varistores e cadinhos de fusão de vidros corrosivos. Vários aditivos em pequenas concentrações podem ser usados como promotores de densificação desta cerâmica. No presente trabalho foram estudadas as cinéticas de sinterização do óxido de estanho, considerando o efeito de atmosfera de sinterização e da concentração de MnO2. Sistemas de SnO2-MnO2 foram preparado (mais) s pelo método dos precursores poliméricos e os pós obtidos foram caracterizados por medidas de área de superfície específica (BET) e por difração de raios X. Pós de SnO2 com concentrações variadas de MnO2 foram compactados de forma cilíndrica e sinterizados em dilatômetro com taxa de aquecimento constante e atmosferas controladas. Amostras sinterizadas foram caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura. A influência da atmosfera (argônio, ar ou CO2) como também das concentrações de MnO2 na cinética de sinterização foram determinadas. Os dados cinéticos da retração linear foram analisados pelos modelos cinéticos para a fase inicial de sinterização (Woolfrey e Bannister) como também para a sinterização global (Su e Johnson) permitindo determinar a energia de ativação aparente. De acordo com a determinação da curva mestre de sinterização, a energia de ativação aparente de todo o processo de sinterização foi determinada bem como sua dependência com a atmosfera e concentrações de manganês. Baseado nestes valores e no expoente n, pode-se determinar, pela equação clássica de crescimento de grão, que o mecanismo de sinterização mais provável é de difusão por contorno de grão com redistribuição superficial controlando a cinética de sinterização. Resumo em inglês Dense tin oxide based ceramics are very promising for technological applications such as varistors and crucibles for melting very corrosive glasses. Several additives have been used in small concentrations as densifying aids for this oxide. In the present study the sintering kinetics of tin oxide was studied considering the effect of sintering atmosphere and of the MnO2 concentration. SnO2-MnO2 systems were prepared from the polymeric precursors method and the obtained po (mais) wders were characterized by surface area by the BET method. SnO2 powders with varied MnO2 concentrations were pressed in cylindrical shape, and sintered in a dilatometer furnace with constant heating rate and controlled atmospheres. Sintered samples were characterized by scanning electron microscopy. The influence of atmosphere (argon, air or CO2) as well as of the MnO2 concentrations on the sintering kinetics was determined. The kinetics data of linear shrinkage were analyzed in terms of kinetic models for the initial stage of sintering (Woolfrey and Bannister) as well as for the global sintering (Su e Johnson) allowing the determination of the apparent activation energy. Following the determination of the master sintering curve the apparent activation energy of all sintering process were determined as well as its dependence with the atmosphere and manganese concentrations. Based on these values and on the n exponent, determined by the classical grain growth equation, it was concluded that the most probable sintering mechanism is grain boundary diffusion with surface redistribution controlling the kinetics.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

Qualidade de ameixas 'Laetitia' em função da temperatura e da atmosfera de armazenamento/ Quality of 'Laetitia' plums as affected by temperature and storage atmosphere

Alves, Erlani de Oliveira; Steffens, Cristiano André; Amarante, Cassandro Vidal Talamini do; Brackmann, Auri
2010-12-01

Resumo em português O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da temperatura e de atmosferas de armazenamento sobre a manutenção da qualidade de ameixas 'Laetitia'. Os tratamentos avaliados constituíram-se na combinação de duas temperaturas (-0,5ºC e 0,5ºC), com três atmosferas de armazenamento: armazenamento refrigerado (AR), com 21,0 kPa de O2 + 0,03 kPa de CO2; atmosfera controlada (AC), com 1,0 kPa de O2 + 3,0 kPa de CO2; e AC, com 2,0 kPa de O2 + 5,0 kPa de CO2. Após 60 di (mais) as de armazenamento, foram avaliadas: taxas respiratória e de produção de etileno, acidez titulável (AT), firmeza de polpa, atributos de textura, índice de cor vermelha e ângulo 'hue' (hº) da casca, e incidência de rachaduras, podridões e degenerescência da polpa. O armazenamento refrigerado a -0,5ºC resultou em menores valores para o índice de cor vermelha, taxa respiratória e de produção de etileno e incidência de frutos rachados. Em ambas as condições de AC, a temperatura de 0,5ºC resultou em menor índice de cor vermelha, cor da epiderme mais verde, maior firmeza de polpa e menor taxa de produção de etileno, tanto na abertura da câmara como após quatro dias em condição ambiente. As condições de AC retardaram o amadurecimento dos frutos e reduziram a incidência de degenerescência de polpa. O armazenamento em AC, com 2,0 kPa de O2 + 5,0 kPa de CO2, a 0,5ºC, proporcionou menor taxa respiratória e menor incidência de podridões na saída da câmara, mas maior AT e força para penetração da polpa, após quatro dias em condição ambiente. No entanto, o armazenamento da ameixa 'Laetitia', nas condições de AC avaliadas, por um período de 60 dias, não reduziu a incidência de degenerescência da polpa. Resumo em inglês The aim of this work was to evaluate the effect of temperature and storage atmospheres on the quality of 'Laetitia' plums. The treatments were obtained from the combination of two temperatures (-0.5ºC and 0.5ºC) with three storage atmospheres: cold storage (CS), with 21.0 kPa of O2 + 0.03kPa of CO2, and controlled atmospheres storage (CA), with 1.0 kPa de O2 + 3.0 kPa of CO2 and 2.0 kPa of O2 + 5.0 kPa of CO2. After 60 days of storage, the fruit were assessed in terms o (mais) f respiration and ethylene production rates, titratable acidity (TA), flesh firmness, texture attributes, red color index (RCI) and hue angle (hº) of the skin, and incidence of fruit cracking, decay and flesh browning. Under cold storage, fruit stored at -0.5ºC showed lower values of RCI, respiration and ethylene production rates, and incidence of fruit cracking. Under both CA conditions, fruit stored at 0.5ºC showed lower RCI, greener skin color, higher flesh firmness, and lower ethylene production rate, assessed at removal from cold storage as well as after four days at ambient temperature. The CA conditions delayed fruits ripening and reduced the incidence of flesh browning. Fruit stored under CA, with 2.0 kPa of O2 + 5.0 kPa of CO2, at 0.5ºC, exhibit the lowest respiration rates and incidence of decay assessed at removal from storage, but highest TA and pulp penetration force assessed after shelf life. However, the storage of 'Laetitia' plums for 60 days, under the CA conditions investigated, did not reduce the incidence of flesh browning.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Respiração e produção de etanol e de etileno em mangas armazenadas sob diferentes concentrações de dióxido de carbono e oxigênio/ Respiration rates and ethanol and ethylene production of mangoes stored under elevated carbon dioxide and reduced oxigen atmospheres

BENDER, RENAR JOÃO; BRECHT, JEFFREY
2000-05-01

Resumo em português O objetivo deste trabalho foi avaliar a respiração e produção de etanol e etileno em mangas armazenadas sob reduzidas concentrações de oxigênio (O2) e elevadas concentrações de dióxido de carbono (CO2). Mangas pré-climatéricas das cultivares Kent e Tommy Atkins foram armazenadas, sob fluxo contínuo, por 14 ou 21 dias, a 12°C em três concentrações de O2: 3%, 5% ou 21% em mistura com concentrações de 5%, 15%, 25%, 35%, 45%, 50% ou 70% de CO2. O tratamento (mais) -testemunha constou de armazenagem em ar sob fluxo contínuo. Após o período em atmosfera controlada (AC), as mangas foram transferidas e mantidas por 5 dias em ar a 20°C. Mangas sob concentrações de 50% e 70% de CO2 produziram mais etanol que nas demais concentrações de CO2. A redução para 3% de O2 na atmosfera de armazenagem aparentemente não teve efeito adicional ao CO2 na produção de etanol. A atividade respiratória de mangas em AC com CO2 acima de 45% foi muito mais intensa do que a respiração sob as concentrações de CO2 mais baixas; a produção de etileno, no entanto, esteve suprimida, e, mesmo após a transferência para ar, não se recuperou, permanecendo inferior aos demais tratamentos. A queda na atividade respiratória das mangas armazenadas a 50% e 70% de CO2, quando foram transferidas para ar a 20°C indica que as elevadas concentrações de CO2 causaram dano irreparável aos tecidos. Resumo em inglês The objective of this work was to evaluate respiration rates and ethanol and ethylene production of mangoes stored in controlled atmosphere (CA) with reduced O2 and elevated CO2 concentrations. Pre-climacteric 'Kent' and 'Tommy Atkins' mangoes were stored for 14 or 21 days at 12°C in 5%, 15%, 25%, 35%, 45%, 50% or 70% CO2 plus either 21%, 5% or 3% O2 in a flow through CA system at 12°C. In the control treatment fruits were stored in air at the same temperature and also (mais) in the flow through system. After the CA storage the mangoes were transferred and kept for 5 days in air at 20°C. Mangoes stored in either 50% or 70% CO2 had the highest ethanol production rates. The reduction to 3% of the O2 concentration in the storage atmosphere does not seem to have an additional effect on ethanol production. Respiratory rates of mangoes in CA above 45% CO2 atmospheres were higher than in the other treatments, while ethylene production rates were the lowest values. After transfer to air at 20°C, respiration rates of mangoes from these treatments dropped significantly below control levels, which, associated with lower rates of ethylene production, indicate that the mangoes had been damaged by the elevated CO2 atmospheres.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Efeito da adubação potássica na qualidade pós-colheita de maçãs 'Fuji'/ Effect of potassium fertilization on the postharvest quality of 'Fuji' apples

Hunsche, Maurício; Brackmann, Auri; Ernani, Paulo Roberto
2003-04-01

Resumo em português O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da adubação potássica na composição mineral, qualidade e armazenabilidade de maçãs da cultivar Fuji. Os frutos utilizados foram provenientes de um experimento em que, durante nove anos, aplicaram-se doses crescentes de K2O no solo. As maçãs foram coletadas na safra 1999/2000 e armazenadas em atmosfera controlada (AC) nas condições de 1 kPa O2/(mais) m realizadas na colheita, após oito meses de armazenamento, aos sete dias após a colheita e aos sete dias após oito meses de armazenamento. Nesses sete dias, os frutos permaneceram em temperatura de 20ºC. O incremento no fornecimento de K às plantas aumentou o diâmetro, massa, acidez, coloração vermelha e a concentração de K nos frutos. Em contrapartida constatou-se diminuições da firmeza da polpa com aumento das doses de potássio. Houve interação entre a adubação e as condições de armazenamento somente em relação à degenerescência de polpa. Não houve diferenças entre os tratamentos quando os frutos foram armazenados em AC de 1 kPa O2/ Resumo em inglês The objective of this study was to evaluate the effects of soil K fertilization on fruit mineral composition, quality and storability of 'Fuji' apples. Fruits from a longterm trial that evaluated apple response to annual soil applications of K2O for nine years were harvested in the 1999/2000 growing season and stored in controlled atmosphere (CA) of 1 kPa O2/(mais) eight months of CA storage, and after seven days at 20ºC after harvest and after CA storage. The increase on soil K fertilization raised fruit mass, diameter, titratable acidity, red color, and K contents while decreased flesh firmness. There was a significant interaction between K fertilization and storage atmospheres only for internal breakdown: when fruits were stored under 1 kPa O2/

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Nanofitas de óxido de estanho: controle do estado de oxidação pela atmosfera de síntese/ Tin oxide nanobelts: oxidation state control by the synthesis atmosphere

Orlandi, M. O.; Aguiar, R.; Bomio, M. R. D.; Leite, E. R.; Longo, E.
2004-03-01

Resumo em português Nanofitas de óxido de estanho com diferentes estados de oxidação foram produzidas pelo método de redução carbotérmica a 1260 ºC. As nanoestruturas foram caracterizadas por difração de raios X, microscopia eletrônica de varredura e espectroscopia por dispersão de energia de raios X. O controle do estado de oxidação das nanoestruturas foi feito pela variação da atmosfera de síntese dentro do forno. Em atmosferas sem oxigênio os materiais obtidos foram nano (mais) fitas de SnO e de SnO2, enquanto em atmosferas com oxigênio (aproximadamente 10%) obteve-se apenas o crescimento de nanofitas de SnO2. Resumo em inglês Tin oxide nanobelts in different states of oxidation were produced by carbothermal reduction at 1260 ºC. The nanostructures were characterized by X-ray diffraction, scanning electron microscopy and energy dispersive X-ray spectroscopy. The state of oxidation of the nanostructures was controlled by the synthesis atmosphere inside the furnace. The materials obtained in atmospheres without oxygen were SnO and SnO2 nanobelts, while atmospheres with oxygen (about 10%) only allowed for the growth of SnO2 nanobelts.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)