Sample records for chromatic aberrations
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 3 shown.



1

Cirurgia refrativa: quem precisa de tratamento personalizado?/ Refractive surgery: who needs customized ablation

Chamon, Wallace
2003-01-01

Resumo em português Estamos em uma fase de ebulição para a determinação do futuro da cirurgia refrativa corneana. Dia após dia vão se tornando mais comuns os termos como: "análise de frentes de onda", "wave front", "ablação customizada" (que seria mais adequado se fosse alterado para "ablação personalizada"), "supervisão", "aberrações", etc... O que será então o futuro de todas estas tecnologias? É importante que entendamos que todos estes termos convergem para alguns fatos (mais) que são inquestionáveis. Neste texto são abordados os seguintes pontos: 1. A melhora do desempenho visual com a correção das aberrações ópticas, 2. A mudança no conceito de óptica fisiológica 3. A relação entre refração e mapa refratométrico 4. O benefício visual 5. As aberrações cromáticas e as aberrações esféricas Resumo em inglês Refractive surgery is facing an important period of its evolution. Day by day we are getting used to terms such as: "wave front", "customized ablation", "supervision", "aberrations", etc. What will be the future of all these technologies? It is important to understand that all these terms are based on some unquestionable facts. In this manuscript the following subjects were considered: 1. Improvement of visual performance when correcting optical aberrations, 2. The change (mais) in the concept of physiologic optics, 3. The relationship between refraction and refractive map 4. Visual benefit, 5. Chromatic and spherical aberrations

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Abordando o ensino de óptica através da construção de telescópios/ Optics teaching through telescope construction

Bernardes, Tamara O.; Barbosa, Rafael R.; Iachel, Gustavo; Batagin Neto, Augusto; Pinheiro, Marco A.L.; Scalvi, Rosa M. Fernandes
2006-01-01

Resumo em português A proposta deste trabalho é a construção artesanal de um telescópio refletor do tipo Newtoniano relacionando conteúdos abordados na disciplina de óptica, como a formação de imagens em lentes e espelhos, aberrações esféricas e cromáticas, interferência e difração, com cada fase do processo de construção. Com o aparelho construído é possível abordar a fotografia lunar e planetária com alta resolução e sua utilização por alunos do curso de Licenciatu (mais) ra em Física já demonstra ser um grande incentivo à contemplação do céu e à compreensão de muitos fenômenos físicos, com ocorrências de eclipses, formação das marés, estações do ano, etc, que geralmente são pouco abordados nas escolas de Ensino Fundamental e Médio. De acordo com diagnóstico realizado pelos alunos de graduação em algumas escolas do município de Bauru, verificou-se que a única abordagem de astronomia é apenas em relação ao sistema solar, especificamente órbitas planetárias, nas disciplinas de Física ou Geografia. Além do telescópio, a utilização de animações produzidas por alunos de graduação também pode ser considerada como uma ferramenta eficiente no ensino de astronomia, principalmente para alunos de Ensino Fundamental. Resumo em inglês The scope of this work is the manufacturing of reflective telescope of Newtonian type, relating issues treated in optics classes, such as image formation, chromatic and spherical aberrations, interference and diffraction, with each step of the building process. The built equipment allows analyzing lunar and planetary photography with high resolution, and its use by high school students gives a great motivation to sky contemplation, as well as the understanding of several (mais) physical phenomena, generally poorly treated in public schools. Besides the telescope itself, the software produced by undergraduate students has also been used as an efficient tool in astronomy teaching, mainly to first-level students.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Frentes de ondas (wavefronts) e limites da visão humana Parte 1: fundamentos/ Wavefronts and the limits of human vision Part 1: fundamentals

Jankov, Mirko; Mrochen, Michael; Schor, Paulo; Chamon, Wallace; Seiler, Theo
2002-12-01

Resumo em português A luz se propaga uniformemente a partir de um ponto luminoso na mesma velocidade em todas as direções. Sua posição em cada determinado momento é uma esfera formada juntando-se todos os pontos em uma mesma fase e tendo como centro a sua própria fonte. Tais superfícies esféricas imaginárias chamam-se frentes de luz ou frentes de ondas. Há três fatores limitadores de detalhes mais finos para o olho humano: óptico (por causa da dispersão, difração, aberração (mais) cromática e aberração monocromática), retínico e neural (limitação máxima de acuidade visual de aproximadamente 2,0 ou 20/10).Um sistema de equações matemáticas, polinômios de Zernike, pode definir superfícies geométricas para descrever aberrações ópticas monocromáticas, tanto as de baixa ordem ('prisma', 'esfera' e 'astigmatismo'), quanto às de alta ordem ('coma', 'aberração esférica' e outros). Medida das aberrações ópticas nos dá informação sobre o desempenho total de todos os elementos ópticos do olho em conjunto. Dois sistemas descritos aqui, o aberrômetro baseado no princípio de Tscherning e o originado do sensor Hartmann-Shack, têm a mesma lógica: comparar a posição atual das frentes de onda com a ideal, calcular matematicamente qual é a superfície geométrica que descreve essa discrepância e representá-la em termos de polinômios de Zernike. A topografia corneana computadorizada também pode, com "software" adequado, descrever as frentes de ondas definidas por irregularidades corneanas com polinômios de Zernike, porém tal caracterização representa somente a superfície anterior da córnea. Em conclusão, a tecnologia de frentes de ondas oferece nova maneira de quantificar e classificar os erros de imagem óptica do olho humano. O próximo artigo abordará as peculiaridades da análise de frentes de ondas, bem como algumas aplicações clínicas e cirúrgicas no dia-a-dia da prática oftalmológica. Resumo em inglês Light spreads out uniformly at the same speed in all directions. Its position at any given moment is a sphere that connects all the corresponding phase points, having the source at its center. Such imaginary spherical surfaces are called light fronts or wavefronts. There are three principal factors that limit the finest details an eye can see: optical (due to scattering, diffraction, chromatic and monochromatic aberration), retinal and neural factors (limiting visual acui (mais) ty to an approximate maximum of 20/10 or 2.0). A mathematical system, the Zernike polynomials, can define geometrical surfaces in order to describe the monochromatic aberrations, both for the lower order aberrations ('prism', 'sphere' and 'astigmatism') and the higher order ones ('coma', 'spherical aberration' and others). The wavefront measures the performance of the whole optical system of the eye. Both systems described herein, the aberrometer based on the Tscherning principle and the one originated from the Hartmann-Shack sensor, start from the same logic: to compare the actual position of the wavefronts with the ideal one, calculate mathematically the geometrical surface that describes that discrepancy and represent it in the terms of the Zernike polynomials. Corneal topography measurement, with adequate software, can also express the wavefront, caused by the corneal irregularities, with the Zernike polynomials, but it still represents the anterior corneal surface only. Wavefront technology offers a new way to quantify and classify optical imaging errors of the human eye. The next article will deal with the peculiarities of the wavefront analysis, as well as with some of the clinical and surgical applications to the day-to-day ophthalmic practice.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)