Sample records for anthers
from WorldWideScience.org

Sample records 1 - 20 shown. Select sample records:



1

Regeneração in vitro de anteras de arroz irrigado (Oryza sativa L.) e mapeamento de QTL associado/ In vitro regeneration of irrigated rice (Oryza sativa L.) anthers and detection of associated QTL


2004-10-01

A baixa taxa de regeneração in vitro de alguns cultivares de arroz da subespécie indica limita a utilização de técnicas de cultura de anteras como ferramenta para o desenvolvimento de novos cultivares. A identificação de regiões genômicas associadas à formação de calos e regeneração de plantas, a partir do cultivo de anteras, poderá permitir a transferência do caráter por seleção assistida. Duas populações de retrocruzamento foram utilizadas para o m

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

2

Avaliação da deposição de calda em anteras de trigo, para o estudo do controle químico de giberela (Gibberella zeae)/ Spray deposition evaluation on wheat anthers to study the head blight (Gibberella zeae) chemical control


2004-04-01

A giberela, causada pelo fungo Gibberella zeae (Fusarium graminearum), é uma importante doença de infecção floral do trigo. Para controlar essa doença, o fungicida deve ser aplicado durante a antese, de modo a proteger as anteras. Os objetivos do presente trabalho foram de construir uma barra de pulverização que permitiu utilizar bicos em diferentes arranjos e quantificar a presença de corante nas anteras quando aplicado com diferentes pontas de pulverização, di

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

3

Calogênese in vitro em anteras de coffea arabica L./ In vitro callogenesis in anthers of Coffea arabica L.


2004-08-01

O café é um dos mais importantes produtos do mercado internacional; porém, o tempo gasto e os recursos despendidos são fatores limitantes para o melhoramento do cafeeiro por meio de métodos convencionais. Contudo, a cultura de anteras surge como uma alternativa viável e de curto prazo para solução desses problemas. Com o presente trabalho, objetivou-se a produção de dihaplóides com a cultura de anteras do cafeeiro (androgênese indireta), buscando um protocolo

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

4

Adequação de meios de cultura de anteras e testes de genótipos de trigo/ Culture medium, microenvironment and genotype effects on wheat anther culture


1994-01-01

Realizaram-se dois experimentos, o primeiro visando conhecer a capacidade androgênica de variedades de trigo e identificar as melhores condições para alcançar aquele objetivo, em termos de meios de cultura e microclima. No segundo, estudou-se maior número de variedades. No primeiro experimento, foram testadas as seguintes: PF 853031 e IAC 24, a primeira, usada como padrão; dois meios de cultura básicos, batata-2 e N6; duas auxinas, IAA e 2,4-D, nas doses de 3, 9 e

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

5

Desempenho de linhagens diaplóides de trigo obtidas via cultura de anteras quanto à tolerância ao alumínio, produção de grãos e altura de planta/ Performance of dihaploid wheat lines obtained via anther culture in relation to the aluminum tolerance, grain yield and plant height


2003-01-01

Avaliaram-se 18 linhagens diaplóides de trigo, obtidas via cultura de anteras in vitro oriundas de híbridos F1, e dois cultivares IAC-24 e IAC-289, nos anos de 1999 e 2000, em dois locais do Estado de São Paulo: Capão Bonito (solo ácido, sem aplicação de calcário e em condição de sequeiro) e em Tatuí (solo ácido, com aplicação de calcário e em condição de irrigação por aspersão). Em cada experimento avaliaram-se a produção de grãos e a altura das pl

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

6

BAP, 2,4-D e ácido acetilsalicílico na indução e diferenciação de calos em anteras de Coffea arabica L/ BAP, 2,4-D and acetyl-salicylic acid on the callus induction and differentiation in Coffea arabica L. anthers


2009-10-01

O melhoramento genético do cafeeiro por meio de métodos convencionais é um processo demorado para se obter uma nova cultivar. A redução desse tempo é possível através da produção de linhagens homozigóticas, oriundas de dihaplóides obtidas através da cultura de anteras. Objetivou-se aplicar a técnica da cultura de anteras em diferentes cvs. de Coffea arabica L. para induzir a formação de calos e regenerar plântulas di-haplóides, com uso de reguladores veg

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

7

Quantificação de propágulos de Gibberella zeae no ar e infecção de anteras em trigo/ Assessment of air-borne inoculum of Gibberella zeae and the infection of anthers in wheat crops


2002-09-01

Devido ao aumento da ocorrência e da intensidade de epidemias nos últimos anos, a giberela tem sido apontada como uma das doenças que mais danos causa em cereais de inverno. O principal inóculo do fungo patógeno (Giberella zeae) são os ascosporos produzidos em peritécios sobre os restos culturais da maioria das espécies cultivadas. Os esporos são transportados a longas distâncias pelo vento e depositados sobre as anteras causando infecção. Os objetivos do pres

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

8

Efeitos do estádio de desenvolvimento da antera e da radiação gama na formação de calos derivados de anteras de tomate/ Anther development stage and gamma radiation effects on tomato anther-derived callus formation


1999-10-01

Este trabalho foi conduzido visando: (I) determinar a influência do estádio de desenvolvimento de anteras de tomate sobre a formação de calos e (II) analisar o efeito da radiação gama no cultivo in vitro de anteras. No primeiro experimento, anteras de híbridos de tomate IPA 5 x Rotam 4 (F1) foram cultivadas em três meios nutritivos. Apesar da formação de calos ter sido induzida em todos os estádios de desenvolvimento, variando de prófase I à micrósporo monon

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

9

Linhagens diaplóides de trigo obtidas via cultura de antera/ Dihaploid wheat lines developed via anther culture


2000-03-01

Realizaram-se quatro experimentos de campo no Estado de São Paulo, tanto em condição de sequeiro como de irrigação por aspersão, empregando o delineamento experimental de blocos casualizados, visando a comparação de 20 genótipos de trigo, sendo 18 linhagens diaplóides obtidas e dois cultivares, IAC-24 e Anahuac, quanto à produção de grãos, características agronômicas, resistência à ferrugem-da-folha e outros componentes da produção. Também estudou-se

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

10

Abelhas (Apoidea) visitantes de flores de Comolia ovalifolia DC Triana (Melastomataceae) em uma área de restinga na Bahia/ Bee (Apoidea) visitors of the flowers of Comolia ovalifolia DC Triana (Melastomataceae) in a sandbanks area in Bahia


2004-06-01

As flores de Comolia ovalifolia apresentam anteras poricidas e seu pólen serve como fonte protéica a um grupo específico de abelhas, capaz de extrair o pólen das anteras através de vibração. O florescimento de C. ovalifolia e a atividade das abelhas mais freqüentes foram observadas de janeiro a dezembro/2001. Os picos de florescimento de C. ovalifolia ocorreram nos meses de março/2001 e entre setembro e novembro/2001. As flores de C. ovalifolia foram visitadas po

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

11

Biologia floral e sistema de polinização de Solanum stramonifolium Jacq. (Solanaceae) em remanescente de Mata Atlântica, Pernambuco/ Floral biology and pollination system of Solanum stramonifolium Jacq. (Solanaceae) in an Atlantic Forest remnant in Pernambuco


2003-06-01

A deiscência de anteras através de pequenos poros apicais é uma característica encontrada em várias espécies da família Solanaceae, especialmente no gênero Solanum, característica esta que restringe a polinização a um grupo de abelhas fêmeas capazes de vibrar as anteras para retirada do pólen. A fenologia, biologia floral e a polinização de Solanum stramonifolium foram estudadas entre os meses de agosto/1999 a dezembro/2000 em populações naturais ocorrent

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

12

Biologia floral e reprodução de Solanum paniculatum L. (Solanaceae) no estado de São Paulo, Brasil


1998-08-01

Estudos de biologia floral e dos animais visitantes, em anos diferentes, foram feitos em duas populações (Brotas e Campinas) de jurubeba, um arbusto invasor neotropical. As flores, do tipo aberto, têm odor muito suave. Pétalas de côr violeta-pálido, contrastando com as anteras amarelas, formam um conjunto visualmente atrativo. O pólen é a única recompensa para os visitantes. A espécie é alógama. Uma média de 19% das flores em ambas as populações apresentara

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

13

Polinização entomófila em pessegueiro (Prunus persica L.)/ Entomophilous pollination in peach (Prunus persica L.)


2002-01-01

Este experimento, realizado na região de Jaboticabal (SP), utilizou uma cultura de pêssego (Prunus persica L.), durante a sua florada com a finalidade de verificar a atuação dos insetos visitantes nas flores na produção de frutos. A concentração média de açucares no néctar e a quantidade média produzida por dia de néctar é de 27,9% e de 3,2 mg, respectivamente. O peso médio das anteras por flor foi de 1,59 mg. A abelha Apis mellifera (73%) foi o principal i

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

14

Polimorfismo floral em Valeriana scandens L. (Valerianaceae)/ Floral polymorphism in Valeriana scandens L. (Valerianaceae)


2010-09-01

Foram encontrados três morfos florais em Valeriana scandens L.: flor perfeita, flor pistilada 1 e flor pistilada 2. A perfeita possui corola maior que a dos demais morfos, com lobos reflexos na antese, giba proeminente e localizada na porção proximal do tubo floral; anteras maiores que as dos demais morfos, com pólen viável; estilete curto e estigma incluso, o menor ovário e saco embrionário estruturalmente normal, semelhante ao dos demais morfos. A pistilada 1 pos

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

15

A flora apícola de uma área restrita de dunas litorâneas, Abaeté, Salvador, Bahia/ The bee flora of the sea coastal sand dunes of Abaeté, Salvador, Bahia State, Brazil


2006-03-01

A comunidade de plantas visitadas por abelhas foi estudada em um fragmento de 8,2 ha na Área de Proteção Ambiental das Lagoas e Dunas de Abaeté, Salvador, Bahia (12º56 S e 38º21 W). Entre janeiro e dezembro de 1996, três vezes ao mês, as plantas floridas eram amostradas, registrando-se para cada espécie o período de floração, hábito e características florais como: cor, forma, sexualidade, simetria, deiscência das anteras e recurso oferecido ao visitante

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

16

Morfologia e anatomia da flor de Pilocarpus pennatifolius Lem. (Rutaceae)/ Floral morphology and anatomy of Pilocarpus pennatifolius Lem. (Rutaceae)


2003-06-01

Pilocarpus pennatifolius Lem. (Rutaceae) apresenta flores actinomorfas, diclamídeas, nectaríferas e monoclinas, reunidas em cacho pendente. Apresenta antese basípeta na inflorescência e preferencialmente noturna. A flor possui cinco estames com anteras tetrasporangiadas, cuja parede é constituída de epiderme, endotécio, duas camadas médias e tapete binucleado; o conectivo mostra epiderme estomatífera. O gineceu é unipistilado e composto por cinco carpelos unidos

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

17

Polinização por vibração e sistema reprodutivo de duas espécies de Sauvagesia L. (Ochnaceae)/ Buzz pollination and breeding system of two species of Sauvagesia L. (Ochnaceae)


2005-06-01

Foram estudados a fenologia, a morfologia floral, o sistema de polinização e de reprodução de Sauvagesia erecta L. e S. sprengelii A. St.-Hil., respectivamente, em um remanescente de Mata Atlântica, localizado no Parque Estadual Dois Irmãos, Recife, e em áreas abertas, em Goiana, litoral norte de Pernambuco. As espécies apresentam flores de pólen com anteras poricidas envolvidas por um cone, formado por estaminódios petalóides, deixando apenas um poro apical, a

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

18

Técnicas de aplicação de fungicida em trigo para o controle de Giberela (Gibberella zeae)/ Fungicidal spray techniques for the control of head blight (Gibberella zeae) in wheat


2003-02-01

Durante muitos anos, a giberela, causada pelo fungo Gibberella zeae (anamorfo Fusarium graminearum), foi considerada de importância secundária no sul do Brasil. O aumento da intensidade e da freqüência de ocorrência, tornou a giberela uma das doenças de maior importância na cultura do trigo. A giberela é uma doença de infecção floral e mesmo os fungicidas sistêmicos recomendados apresentam apenas efeito protetor das anteras. Os objetivos do presente trabalho f

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

19

Viabilidade polínica como seleção assistida no programa de melhoramento genético de triticale/ Pollen viability as assisted selection in the triticale genetic breeding program


2009-01-01

Neste trabalho,objetivou-se analisar a viabilidade de grãos de pólen de 52 genótipos de triticale, oriundos do bloco de cruzamentos do programa de melhoramento genético da Embrapa Trigo do ano de 2005. A coleta das espigas foi realizada quando as plantas se encontravam na fase anterior à antese. As análises citológicas foram realizadas fixando as anteras de uma mesma espiga em fixador Carnoy. Para a análise polínica, as lâminas foram confeccionadas usando-se tr�

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

20

Modificação de uma barra de pulverização para a aplicação de fungicida em trigo visando ao controle de giberela/ Fungicidal spray boom modification for controling head blight in wheat crop


2004-04-01

Devido ao aumento da intensidade e da freqüência de ocorrência da giberela, doença causada pelo fungo Gibberella zeae (anamorfo Fusarium graminearum), essa vem sendo apontada como uma das moléstias de maior importância na cultura do trigo no Sul do Brasil. A giberela é uma doença de infecção floral e mesmo os fungicidas sistêmicos recomendados apresentam apenas efeito protetor das anteras. Os objetivos do presente trabalho foram avaliar a eficiência de control

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

21

Variabilidade isoenzimática em progênies de biótipos apomíticos de Paspalum dilatatum (Poaceae)/ Isoenzymatic variability in sib seedlings of apomictic biotypes of Paspalum dilatatum (Poaceae)


2001-10-01

Paspalum dilatatum, espécie de alto valor forrageiro, apresenta uma ampla variedade de biótipos, tendo formas sexuais e apomíticas. Os biótipos P. dilatatum anteras roxas e Torres são descritos como tendo reprodução assexual por apomixia, conclusão esta baseada apenas em análises citológicas do saco embrionário. O presente trabalho teve como objetivo confirmar o modo de reprodução destes dois biótipos, analisando a ocorrência de variabilidade entre plântul

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

22

Linhagens diaplóides de trigo: produção de grãos, características agronômicas e tolerância à toxicidade de alumínio/ Dihaploid wheat lines: grain yield, agronomic characteristics and tolerance to aluminum toxicity


1999-01-01

Compararam-se 18 linhagens de trigo diaplóides obtidas via cultura de anteras de plantas híbridas, em geração F1, e os cultivares Al Res 102/84 e IAC-24, em quatro ensaios instalados em condições de irrigação por aspersão e de sequeiro. Analisaram-se a produção de grãos, outros componentes da produção, características agronômicas e resistência à ferrugem-da-folha. Estudou-se também a tolerância ao alumínio em soluções nutritivas, em condição de la

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

23

Biologia reprodutiva de Miconia angelana (Melastomataceae), endêmica da Serra da Canastra, Minas Gerais/ Reproductive biology of Miconia angelana (Melastomataceae), endemic from Serra da Canastra, Minas Gerais


2010-06-01

A biologia reprodutiva de M. angelana R. Romero & R. Goldenberg foi estudada por meio de polinizações controladas, viabilidade polínica, crescimento do tubo polínico e germinação de sementes. Miconia angelana floresce entre o final de outubro e o início de novembro, é autocompatível e independente de polinização vibrátil. A autogamia, facilitada pela presença de anteras com dois poros que facilitam a saída do pólen sem que haja vibração e estames disposto

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

24

Esfingofilia e sistema de reprodução de Bauhinia curvula Benth. (Leguminosae: Caesalpinioideae) em cerrado no Centro-Oeste brasileiro/ Sphingophily and breeding system in Bauhinia curvula Benth. (Leguminosae: Caesalpinioideae) in " cerrado" of Central Brazil


2008-03-01

A biologia reprodutiva de Bauhinia curvula foi estudada em remanescente de cerrado em Mato Grosso do Sul. Bauhinia curvula é um subarbusto que floresce por seis a sete meses (junho a novembro/dezembro) e possui caule subterrâneo, espessado e gemífero, com função regenerativa. As flores são hermafroditas, zigomorfas, brancas, de antese noturna, exalam odor desagradável e duram 11 horas. O estigma é amplo e fica situado acima e/ou à frente das anteras que apresenta

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

25

Grãos de pólen anômalos no clone CP76 de Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae)/ Anomalous pollen grains in the clone CP76 of Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae)/ Grãos de pólen anômalos no clone CP76 de Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae)


2001-12-01

Durante a investigação do desenvolvimento das anteras e grãos de pólen no clone CP76 de Anacardium occidentale foram observadas anomalias relacionadas ao desenvolvimento do gametófito masculino. Foram observados andrósporos que interromperam seu desenvolvimento momentos antes da primeira mitose, além de grãos que apresentaram anomalias relacionadas à fase inicial da gametogênese masculina. A primeira mitose anômala produziu grãos de pólen binucleados com cél

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

26

Morfoanatomia da flor de cinco espécies de Galipea Aubl. e seu significado na evolução de flores tubulosas entre as Rutaceae neotropicais/ Floral morphology and anatomy of five species of Galipea Aubl. and its bearing on the evolution of tubular flowers in Neotropical Rutaceae


2010-06-01

A maioria dos gêneros da subtribo neotropical Galipeinae (tribo Galipeeae, Rutoideae) tem flores tubulosas, com várias formas e graus de conação e adnação. Galipea e outros gêneros na subtribo apresentam apenas duas anteras férteis mais cinco ou mais estaminódios, o que é intrigante porque na tribo predominam flores pentâmeras isostêmones. Visando elucidar a condição anatômica dessas características e estabelecer estados acurados para caracteres em anális

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

27

Relação entre os estádios de desenvolvimento dos micrósporos e as características morfológicas do botão floral em pimentão (Capsicum annuum L.)/ Relationship among the development stages of microspores and the morphological characteristics of the floral bud in sweet pepper (Capsicum annuum L.)


1995-01-01

Vários fatores influenciam a cultura de anteras, entre eles, o estádio de desenvolvimento dos micros poros. O presente estudo teve por objetivo verificar a relação entre o estádio de desenvolvimento dos micrósporos com algumas características morfológicas do botão floral do pimentão. Foram utilizados botões florais dos genótipos Agronômico 8, linhagem 004 e o híbrido F1 (PIX22C#31 x linhagem 004), os quais inicialmente foram separados em seis classes de dife

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

28

Viabilidade dos grãos de pólen de flores de pinheira (Annona squamosa) em diferentes horários/ Viability of the sugar apple (Annona squamosa) pollen grains at different hours of the day


2009-04-01

No manejo do cultivo da pinha (Annona squamosa), a polinização artificial é uma prática preconizada para, obter maior pegamento dos frutos bem como uniformização do formato dos mesmos. Nesse sentido, conduziu-se este trabalho, com o objetivo de avaliar a viabilidade dos grãos de pólen de flores de pinheira em diferentes horários de coleta. O pólen foi obtido a partir de flores no estádio funcionalmente estaminada. Foram avaliados oito horários de coleta de pó

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

29

Variação fenotípica em plantas de duas famílias de meios-irmãos de goiabeira-serrana (Acca sellowiana Berg.) em um pomar comercial em São Joaquim-SC/ Plant phenotypic variation of two half sib families of feijoa (Acca sellowiana Berg.) from an orchard in São Joaquim, SC


2005-12-01

A goiabeira-serrana (Acca sellowiana Berg.) é uma mirtácea nativa do planalto meridional brasileiro, com dispersão secundária no Uruguai, e produz um fruto de sabor único. Plantas de um pomar comercial composto por duas famílias de meios-irmãos (FMI1 e FMI2) foram avaliadas, com o objetivo principal de analisar a variabilidade fenotípica de várias características. As médias (± desvio-padrão) obtidas para as características avaliadas, no ano de 2000, fo

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

30

VIABILIDADE DO PÓLEN EM VARIEDADES DE LARANJA DOCE/ POLLEN VIABILITY IN SWEET ORANGE VARIETIES


1999-01-01

Uma vez que a polinização é um dos pontos decisivos para o crescimento e desenvolvimento do fruto, contribuindo com os gametas masculinos para a fecundação e determinando, na maioria das vezes, a fixação dos frutos em citros, torna-se necessário conhecer o grau de esterilidade masculina nas diferentes variedades de laranja doce para sua possível utilização em programas de melhoramento. A esterilidade é limitante para programas que envolvam a hibridação sexua

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

31

Sistema de polinização e reprodução de Byrsonima sericea DC (Malpighiaceae)/ Pollination and reproductive system of Byrsonima sericea DC (Malpighiaceae)


2000-12-01

A polinização, o sistema reprodutivo e a fenologia de floração de Byrsonima sericea, foram estudados no período de outubro/1997 a fevereiro/1998 na Reserva Ecológica de Dois Irmãos, Recife (PE). Byrsonima sericea possui porte arbóreo (3 a 20m), com período de floração de outubro a fevereiro. As flores são hermafroditas, zigomorfas, agrupadas em inflorescências do tipo racemo terminal. A corola é amarela e possui cinco pétalas unguiculadas, sendo a superior

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

32

Reprodução sexuada de Dyckia tuberosa (Vell.) Beer (Bromeliaceae, Pitcairnioideae) e interação planta-animal/ Sexual reproduction of Dyckia tuberosa (Vell.) Beer (Bromeliaceae, Pitcairnioideae) and plant-animal interaction


2006-09-01

Bromeliaceae é um componente importante em vários Biomas, sendo notável a variedade de contextos ecológicos em que pode ser encontrada. Ocorre no grupo a combinação entre dois modos de reprodução: sexuada e propagação clonal. Neste estudo descrevemos vários atributos relacionados à reprodução sexuada de Dyckia tuberosa, bem como interações planta-animal que se estabelecem em suas estruturas reprodutivas. Ao longo de 11 meses, 55 % dos indivíduos na popula

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

33

Notas sobre Ugni Turcz. (Myrtaceae) na Amazônia Brasileira/ Notes on the genus Ugni Turcz. (Myrtaceae) in the Brazilian Amazonia


2004-01-01

O objetivo deste trabalho é registrar a ocorrência de Ugni Turcz., um gênero raro e mal conhecido na Amazônia Brasileira. Ugni é composto por quatro espécies, sendo que apenas Ugni myricoides (Kunth) O. Berg ocorre no Brasil, habitando principalmente regiões de altitude nos Estados de Roraima e Amazonas (Serra da Neblina), sendo conhecido nos Herbários regionais somente de uma coleta. Ugni têm sido considerado por muitos botânicos como sinônimo de Myrtus Linnae

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

34

INFLUÊNCIA DA POLINIZAÇÃO E DA MORFOLOGIA FLORAL NA FRUTIFICAÇÃO DE VARIEDADES DE LARANJA-DOCE/ INFLUENCE OF POLLINATION AND FLORAL MORPHOLOGY ON FRUIT SETTING IN SWEET ORANGE VARIETIES


1999-01-01

A espécie de laranjas doces (Citrus sinensis [L.] osbeck) é citada como sendo autógama. No entanto a alogamia tem sido demonstrada pelo aumento da produção de frutos com o uso de polinizadores eficientes, assim como pela existência de bons híbridos inter-específicos e ausência de bons híbridos intra-específicos. Como os programas de melhoramento via hibridação sexual em laranja doce dependem de maiores estudos, buscou-se avaliar o prendimento de fru

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

35

Floração, produção de néctar e abelhas visitantes de Eriope blanchetii (Lamiaceae) em dunas costeiras, Nordeste do Brasil/ Flowering, nectar production and visiting bees of Eriope blanchetii (Lamiaceae), in sand dunes, northeastern Brazil


2007-03-01

As observações sobre a floração, produção de néctar e abelhas visitantes foram realizadas entre outubro de 1999 e outubro de 2000, em uma população natural de Eriope blanchetii (Benth) Harley (Lamiaceae) distribuída em dunas litorâneas, Salvador (12º56'S, 38º21'W), Bahia. Entre as 15 espécies de abelhas registradas, predominaram aquelas de porte corporal médio e grande. Os polinizadores efetivos são Xylocopa cearensis Ducke, 1910 e Colletes petropolitanus

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

36

Fenologia reprodutiva, polinização e reprodução de Dipteryx alata Vogel (Leguminosae-Papilionoideae) em Mato Grosso do Sul, Brasil/ Reproductive phenology, pollination and reproduction of Dipteryx alata Vogel (Leguminosae-Papilionoideae) in Mato Grosso do Sul, Brazil


2008-06-01

A biologia reprodutiva de Dipteryx alata foi estudada de setembro/2004 a agosto/2006. Dipteryx alata é arbórea, floresce na estação chuvosa (4-6 meses) e o pico de frutificação ocorre na estação seca. A espécie apresentou variação na intensidade de floração e frutificação entre os anos. As flores são zigomorfas, papilionáceas, hermafroditas, relativamente pequenas, odoríferas, diurnas e duram até 10 horas. O cálice possui dois lobos petalóides e a cor

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

37

Fenologia da floração, morfologia floral e sistema de incompatibilidade em espécies distílicas de Rubiaceae em fragmento florestal do Sudeste brasileiro/ Reproductive phenology, floral morphology and incompatibility system in distylous species of Rubiaceae in a forest fragment in southeastern Brazil


2006-09-01

O estudo foi conduzido na Estação de Pesquisa, Treinamento e Educação Ambiental Mata do Paraíso, localizada em Viçosa, Estado de Minas Gerais. Trata-se de fragmento florestal, inserido nos domínios de Floresta Atlântica. Objetivou-se analisar a fenologia da floração, a morfologia e biologia floral e o sistema de incompatibilidade de espécies distílicas de Rubiaceae: Palicourea longepedunculata Gardner, P. marcgravii A. St.-Hil., Psychotria conjugens Müll. Arg

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

38

Estudo comparativo da polinização de Mangifera indica L. em cultivo convencional e orgânico na região do Vale do Submédio do São Francisco/ Comparative study of pollination of Mangifera indica L. in conventional and organic crops in the region of the Submédio São Francisco valley


2008-06-01

O presente estudo foi desenvolvido durante os anos de 2005/2006, em plantio comercial de mangueira, da variedade Tommy Atkins, na Fazenda Frutex, em Petrolina-PE, objetivando verificar a biologia floral, bem como o estudo comparativo sobre o comportamento, a freqüência e a sazonalidade dos visitantes florais em cultivo orgânico e convencional. As inflorescências da mangueira apresentam flores masculinas e hermafroditas, na proporção de 2:1, com predominância das pr

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

39

Estratégia reprodutiva de Cochlospermum orinocense (Kunth) Steud.: fenologia, biologia floral e sistema de cruzamento em uma espécie pioneira de florestas na Amazônia/ Reproductive strategy of Cochlospermum orinocense (Kunth) Steud.: phenology, floral biology and breeding system of an Amazonian forest pioneer species


2009-12-01

Cochlospermum orinocense (Kunth) Steud. é uma espécie arbórea freqüente em clareiras, na borda da floresta e em florestas secundárias na Amazônia. Dados da fenologia, biologia floral e sistema de cruzamento foram obtidos em indivíduos na borda de um fragmento de 80 ha de floresta Amazônica primária, de terra firme, na ilha de São Luís, MA. Cochlospermum orinocense é uma espécie decídua com floração anual precoce, intensa e sincronizada na estação seca. S

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

40

Ecologia da interação entre as pequenas flores de quilha de Stylosanthes viscosa Sw. (Faboideae) e as grandes abelhas Xylocopa (Neoxylocopa) cearensis Ducke, 1910 (Apoidea, Hymenoptera), em duna tropical/ Ecological interaction between the tiny keel flowers of Stylosanthes viscosa Sw. (Faboideae) and the large bee Xylocopa (Neoxylocopa) cearensis Ducke, 1910 (Apoidea, Hymenoptera), in tropical sand dune


2010-09-01

Stylosanthes viscosa é uma herbácea comum nas dunas tropicais da costa brasileira, com distribuição agregada nas dunas urbanas de Salvador, BA. Suas flores de quilha diminutas, com uma pequena quantidade de néctar escondido no tubo da corola, a abertura de uma única flor/inflorescência/dia e a baixa densidade floral, juntos, não deveriam ser atrativos para as abelhas de grande porte. Isso deve ser verdadeiro, principalmente, sob a alta demanda energética para ter

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

41

Desenvolvimento floral e estaminal no clone CP76 de Anacardium occidentale L.: cajueiro-anão precoce (Anacardiaceae)/ Floral and staminal development in the clone CP76 of Anacardium occidentale L.: dwarf cashew nut (Anacardiaceae)


2001-12-01

Foram estudados o desenvolvimento floral inicial bem como a ontogênese estaminal em Anacardium occidentale L. As flores apresentam cinco sépalas e cinco pétalas com desenvolvimento helicoidal e unidirecional, respectivamente, androceu com um estame com desenvolvimento heterocrônico e heteromórfico marcante em relação aos nove estames restantes, e um carpelo unilocular terminal. O processo histogênico é idêntico em ambos os tipos de estames. Ao final da ontogêne

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

42

Composição do meio de cultura e condições ambientais para germinação de grãos de pólen de porta-enxertos de pereira/ Medium composition and environmental conditions for the germination of pollen grains of pear rootsocks


2010-02-01

Visando a dar suporte a trabalhos de melhoramento genético para porta-enxertos de pera e ajuste de protocolo de germinação de pólen para fins de polinização intra e interespécies, objetivou-se ajustar os componentes básicos do meio de cultura e as condições ambientais para a realização de testes de germinação in vitro e viabilidade de grãos de pólen dos porta-enxertos para pereiras 'Taiwan Nashi-C' (Pyrus calleryana) e 'Taiwan Mamenashi' (P. betulaefolia).

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

43

Comportamento do pessegueiro 'douradão' em Itupeva/ Behavior of the 'douradão' peach in Itupeva


1999-01-01

Plantas do novo cultivar Douradão, observadas em Itupeva, SP (23º05'S), sob espaçamento de 6 x 4m, apresentaram vigor médio e crescimento compacto. Com seis anos, suas copas atingiram volume de l3,4m3 em troncos de 437cm² de área de secção transversal. Os ramos produtivos desenvolveram 67 folhas de 43cm² por metro de ramo (m.r.) e 2,24 gemas.nó-1, sendo l,58 reprodutivas. As plantas floresceram entre 1 e 10 de julho, exibindo 65 flores rosáceas e auto-férteis.

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

44

Caracterização de gemas florais de pereira (Pyrus sp.) relacionada ao abortamento floral/ Chacterizatin of pear flower bud (Pyrus sp.) and the relation with flower bud abortion


2004-08-01

O objetivo do estudo foi avaliar o efeito do local, cultivar e época em parâmetros físicos, morfológicos e fisiológicos de gemas florais de pereira e o possível envolvimento com a ocorrência de abortamento de gemas florais no Sul do Brasil. Para isso, conduziram-se dois experimentos durante o ano de 2000. Foram coletadas gemas florais de três cultivares (cvs.), em três regiões no Sul do Brasil. Analisaram-se o volume, peso, comprimento e diâmetro de gema, peso

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

45

Biologia reprodutiva e polinização de Senna sylvestris (Vell.) H.S. Irwin & Barneby (Leguminosae, Caesalpinioideae)/ Reproductive biology and pollination of Senna sylvestris (Vell.) H.S. Irwin & Barneby (Leguminosae, Caesalpinoideae)


2003-09-01

A biologia reprodutiva de Senna sylvestris foi estudada na Estação Ecológica do Panga (EEP), Uberlândia-MG e no distrito de Macaúbas, Patrocínio-MG. S. sylvestris é um arbusto com altura máxima de 5m e período de floração entre Janeiro e Abril. As flores são hermafroditas, zigomorfas, com corola de cor amarelo intenso, dispostas em inflorescências do tipo panícula. O estigma é do tipo úmido não papiloso e crateriforme, possuindo pêlos ao seu redor. As an

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

46

Biologia reprodutiva de etnovariedades de mandioca/ Reproductive biology of cassava landraces


2001-03-01

O conhecimento da biologia reprodutiva da mandioca é essencial para o desenvolvimento de programas de melhoramento genético e compreensão do processo de domesticação. Este trabalho avalia aspectos que influenciam a reprodução sexuada, tais como morfologia floral, ecologia da polinização, produção e viabilidade dos grãos de pólen, apomixia, produção e germinação de sementes de etnovariedades de mandioca coletadas em roças de caboclos e índios da Região

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

47

Biologia reprodutiva de Psychotria poeppigiana Mull. Arg. (Rubiaceae) em mata de galeria/ Reproductive biology of Psychotria poeppigiana Mull. Arg. (Rubiaceae) in gallery forest


2004-09-01

Psychotria L. (Rubiaceae) é o gênero com mais espécies heterostílicas dentre as Angiospermas. O objetivo deste trabalho é descrever a biologia floral, fenologia, o sistema reprodutivo e os polinizadores de Psychotria poeppigiana Müll. Arg. As inflorescências são capitadas terminais, com brácteas vermelhas e flores amarelas apresentando dois morfos distintos: brevistiladas e longistiladas, caracterizadas por flores hermafroditas com diferentes comprimentos de esti

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

48

Biologia reprodutiva de Byrsonima gardnerana A. Juss. (Malpighiaceae) e interações com abelhas Centris (Centridini) no nordeste do Brasil/ Reproductive biology of Byrsonima gardnerana A. Juss. (Malpighiaceae) and interactions with Centris bees (Centridini) in northeastern Brazil


2009-03-01

A polinização, o sistema reprodutivo e a fenologia da floração de Byrsonima gardnerana A. Juss foram estudados em uma área de Caatinga situada no Parque Nacional do Catimbau, Agreste de Pernambuco. Byrsonima gardnerana é uma espécie arbustiva com flores hermafroditas e zigomorfas, que mudam de cor em decorrência da polinização. O recurso floral primário é o óleo. O padrão de floração é anual, durando 4-5 meses, ao longo da estação seca. A espécie é au

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

49

Biologia floral e sistema reprodutivo de Byrsonima coccolobifolia (Kunth) em uma savana amazônica/ Floral Biology and the reproductive system of Byrsonima coccolobifolia (Kunth) in an amazonian savanna


2006-01-01

A biologia reprodutiva de Byrsonima coccolobifolia, foi avaliada em uma população de savana do Estado de Roraima. A espécie é constituída de arbustos e arvoretas com altura inferior a 3m, de flores hermafroditas zigomorfas, pentâmeras, reunidas em inflorescências do tipo racemo terminal, produzidos em brotações novas, o cálice é composto por cinco sépalas, que apresentam um par de glândulas produtoras de óleo. A corola é formada por cinco pétalas albo-rós

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

50

Biologia floral e sistema de reprodução de Merostachys riedeliana (Poaceae: Bambusoideae)/ Floral biology and breeding system of Merostachys riedeliana (Poaceae: Bambusoideae)


2001-06-01

Merostachys riedeliana Rupr. é uma espécie monocárpica com floração cíclica e muito freqüente em sub-bosques de fragmentos florestais do sul do estado de Minas Gerais, Brasil. Sua biologia floral e seu sistema de reprodução foram estudados e comparados com os de outros bambus. Devido ao complexo sistema de rizomas, formam touceiras vigorosas no interior da floresta, ocorrendo a interrupção na produção de novos colmos meses antes do aparecimento das primeiras

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

51

Biologia floral e fenologia reprodutiva do camu-camu (Myrciaria dubia (H.B.K.) McVaugh, Myrtaceae) no Estado Pará, Brasil/ Floral biology and reproductive phenology of the camu-camu (Myrciaria dubia (H.B.K.) McVaugh, Myrtaceae) in the State of Pará, Brazil


2002-12-01

O camu-camu (Myrciaria dubia (H.B.K.) McVaugh, Myrtaceae) é uma fruteira nativa que ocorre nas margens de rios e lagos inundáveis da Amazônia, e está sendo domesticada visando o cultivo em terra firme. O alto teor de ácido ascórbico nos frutos, cerca de 2.800 mg.100g-1 de polpa, fortalece a demanda para consumo no país e exportação. No período de 1997 a 1998, investigou-se a biologia floral e fenologia reprodutiva do camu-camu, em plantios da Embrapa Amazônia O

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

52

Biologia floral de Manilkara subsericea e de Sideroxylon obtusifolium (Sapotaceae) em restinga/ Floral biology of Manilkara subsericea and Sideroxylon obtusifolium (Sapotaceae) in restinga


2010-06-01

Manilkara subsericea (Mart.) Dubard e Sideroxylon obtusifolium (Roem. & Schult.) T.D. Penn. apresentam inflorescências fasciculadas, com flores perfeitas, nectaríferas, odoríferas e hercogâmicas. Apresentam dicogamia protogínica e antese diurna. A corola é gamopétala, com a região basal dos lacínios formando um pequeno tubo. Os lacínios medianos, em ambas as espécies, curvam-se em direção ao eixo da flor, formando uma espécie de canaleta, na qual fica alojad

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

53

Algodões poliplóides obtidos pela colchicine observações citológicas em gossypium hirsutum, octoplólde


1942-03-01

1. Plantas tetraplóides e octoplóides foram obtidas de sementes de Gosjypium herbaceum e G. hirsutum, tratadas com colchicina. 2. As sementes de G. herbaceum eram bastante homozigotas e reagiram em regra mais uniformemente para o alcalóide do que as de G. hirsutum. 3. A microsporogênese em G. hirsutum octoplóide (2n = 104) é descrita com algum detalhe; algumas irregularidades cromosômicas foram observadas; os grãos de polen são maiores que os das plantas tetrapl�

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)

54

A flora melitófila de uma área de dunas com vegetação de caatinga, Estado da Bahia, Nordeste do Brasil/ The bee flora of caatinga vegetation on sand dunes in Bahia State, Northeastern Brazil


2008-06-01

As espécies melitófilas de uma área de caatinga foram caracterizadas quanto à morfologia e recursos florais, floração e abelhas visitantes. As coletas foram realizadas, durante quatro dias consecutivos, em fevereiro, abril, junho, agosto, outubro e dezembro/2000 (10º47'37'S e 42º49'25'W). A área foi percorrida das 06:00 às 17:00 h, seguindo dois transectos paralelos (com 450 m × 100 m e 550 m × 100 m) e distando 50 m entre si, abrangendo 10 ha. As 42 e

Scientific Electronic Library Online (Portuguese)